Atividade

104178 - RMS Atenção Integral - Atividades Práticas de habilidades profissionais comuns para residentes multiprofissionais

Período:
Segunda 13:00 às 17:00
Quinta 08:00 às 17:00
Sábado 13:00 às 17:00
 
Descrição: Disciplina do Eixo Transversal - prática com 288 horas semestrais - 1 a 4 semestres.

Os conteúdos a seguir serão trabalhados nos diferentes níveis de atenção a saúde sendo trabalhos de forma comum entre as diferentes profissões: Diagnóstico das condições de saúde e necessidades da população e avaliação do território e equipamentos sociais existentes na área abrangida pelo serviço de saúde; Identificação das principais condições contagiosas e crônicas que acometem a população alvo do município através do SIAB, DATASUS e outros sistemas de informação; Planejamento das ações em saúde a partir do perfil epidemiológico da população e dos recursos humanos e estruturais existentes nos serviços de saúde; Realização de ações como a avaliação psicossocial, cuidado domiciliar, orientação breve, atendimento individual e grupal, com ênfase em doenças crônicas, e campanhas de saúde; Acolhimento, referência e contra-referência, seguimento da população; Participação em reuniões de equipe, administrativas e planejamento das ações em saúde (presencialmente, por vídeo conferência e por web conferência).

Referências
BEE, H. O ciclo vital. Porto Alegre: Artmed, 1997.
BRASIL. Lei no. 8.080, de 19 de Setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, DF, 19 set. 1990; 169º da Independência e 102º da República.
BRASIL. Lei no. 8.142, de 28 de Dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Brasília, DF, 28 dez. 1990; 169º da Independência e 102º da República.
BRASIL. Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011, Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Brasília, DF, 2011. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2488_21_10_2011.htmlAcesso em: 06 de dezembro de 2012.
BRASIL. Ministério da Saúde. Pactos pela vida, em defesa do SUS e de gestão: diretrizes operacionais. Brasília, 2006. (Série A, Normas e Manuais Técnicos, v.1).
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Política nacional de promoção da saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2006. 60 p. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/pactovolume7.pdf Acesso em: 06 de dezembro de 2012.
BRASIL. Ministério da Saúde. Política nacional de atenção básica. Brasília, 2006. (Série A, Normas e Manuais Técnicos, v.4).
BRASIL, Decreto n. 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola – PSE, e dá outras providências. Disponivel em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6286.htm Acessado em 30/11/2013.
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde na escola / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2009. 96 p. : il. – (Série B. Textos Básicos de Saúde) (Cadernos de Atenção Básica ; n. 24). Disponivel em http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/cadernos_ab/abcad24.pdf acessado em 30/11/2013
BRASIL, Portaria n. 3.124, de 28 de dezembro de 2012. Redefine os parâmetros de vinculação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) modalidades 1 e 2 às Equipes Saúde da Família e/ou Equipes de Atenção Básica para populações especificas, cria a Modalidade NASF3, e dá outras providências. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm../2012/prt3124_28_12_2012.html Acessado em 30/11/2013.
CAMPOS, G. W. S. et al. Tratado de saúde coletiva. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.
CASTRO, A.; MIGUEL, M. SUS: ressignificando a promoção da saúde. São Paulo: Hucitec/OPAS, 2006.
CZERESNIA D, FREITAS CM. Promoção da saúde: conceitos, reflexões, tendência. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2003.
MENDES, Eugênio Vilaça. As redes de atenção à saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2011. 549 p.
MERHY, E. E. et al. O trabalho em saúde: olhando e experienciando o SUS no cotidiano. São Paulo: Hucitec, 2003.
MERHY, E. E. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec, 2002.
PAIM, J. S. ALMEIDA FILHO, N. A crise da saúde pública: e a utopia da saúde coletiva. Bahia: Casa da Qualidade, 2000.
PINHEIRO, R.; MATTOS, R. A. (Org.) Os sentidos da integralidade e o cuidado à saúde. Rio de Janeiro: UERJ/IMS: ABRASCO, 2001.
ROUQUAYRROL, M. Z. Epidemiologia e saúde. 6ª ed. Rio de Janeiro: Medsi, 2003.
TEIXEIRA, C. F.; SOLLA, J. P. Modelo de atenção à saúde: promoção, vigilância e saúde da família. Salvador: Edufba, 2006.
VASCONCELOS, E. M. et.al. Educação popular e a atenção à saúde da família. 2ª ed. São Paulo: Hucitec, 2001.

Carga Horária:

1152 horas
Tipo: Obrigatória
Vagas oferecidas: 14
 
Ministrantes: Aline Inocenti
Carlos Raphael de Moura Oliveira
Eduardo Fernando Gonçalves
Elaine Cristina Minto
Gláucia Tamburú Braghetto
Janice Fernanda de Souza Vitor
Leandro Dorigan de Macedo
Lilian Neto Aguiar Ricz
Lívia Modolo Martins
Luana Pinho de Mesquita Lago
Luciano de Paula Loyola Netto
Marcela Stabile da Silva Fukui
Marilisa Guimarães Lara
Patricia Leila dos Santos
Raquel de Traqui
Regina Yoneko Dakuzaku Carretta
Renata Tamiê Nakao
Soraya Fernandes Mestriner
Tatiane Cristina Ferrari
Tatiane Martins Jorge
Tiago Batistella
Wilson Mestriner Junior


 
 voltar

Créditos
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP