Atividade

105166 - Meliponicultura, Sustentabilidade e Ciência Cidadã

Período da turma: 07/02/2022 a 25/02/2022

Selecione um horário para exibir no calendário:
 
 
Descrição: Ementa

A disciplina tem como objetivo difundir conhecimentos em Meliponicultura (a criação racional de abelhas sem ferrão) levando em conta aspectos que compatibilizem a produção meliponícola com o uso sustentado da biodiversidade.
Na disciplina serão contemplados aspectos da biologia básica das abelhas sem ferrão, estrutura dos ninhos, alimentação natural e artificial, técnicas de manejo, aspectos sociambientais, processamento dos produtos bem como uma introdução a ciência cidadã e ao pensamento científico e como utiliza-lo para responder perguntas práticas sobre as abelhas.

Bibliografia

BARBIÉRI JUNIOR, C. Caracterização da meliponicultura e do perfil do meliponicultor no estado de São Paulo: ameaças e estratégias de conservação de abelhas sem ferrão. Dissertação de Mestrado. Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, 2018, 102p.
BRASIL. Decreto Legislativo no 2, de 3 de fevereiro de 1994. Aprova o texto da Convenção sobre Diversidade Biológica. Diário do Congresso Nacional (Seção II) de 08/02/1994, pp. 500-510.
KOFFLER, Sheina et al. Temporal variation in honey production by the stingless bee Melipona subnitida (Hymenoptera: Apidae): long-term management reveals its potential as a commercial species in Northeastern Brazil. Journal of economic entomology, v. 108, n. 3, p. 858-867, 2015.
KOSER, Jaqueline Reginato. Efeitos da meliponicultura na diversidade genética de Melipona quadrifasciata 1836 (Apidae, Meliponini) na região sul do Brasil. 2019. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.
LEPCZYK, Christopher A. et al. Symposium 18: Citizen science in ecology: the intersection of research and education. The Bulletin of the Ecological Society of America, v. 90, n. 3, p. 308-317, 2009.
OLIVEIRA, Favízia. Freitas. de. et al . Guia Ilustrado das Abelhas Sem-Ferrão das Reservas Amanã e Mamirauá, Amazonas, Brasil (Hymenoptera, Apidae, Meliponini). 1. ed. Tefé, AM: Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá IDSM/OS/MCTI, 2013. v. 1. 267p .
POCOCK, M.J.O., CHAPMAN, D.S., SHEPPARD, L.J. & Roy, H.E. Choosing and Using Citizen Science: a guide to when and how to use citizen science to monitor biodiversity and the environment. Centre for Ecology & Hydrology. Wallingford (2014).
POTTS, Simon G. et al. The assessment report of the Intergovernmental Science-Policy Platform on Biodiversity and Ecosystem Services on pollinators, pollination and food production. 2016.
SAUNDERS, Manu E. et al. Citizen science in schools: Engaging students in research on urban habitat for pollinators. Austral Ecology.
VILLAS-BÔAS, Jerônimo. Manual Tecnológico de Aproveitamento Integral dos Produtos das Abelhas Nativas Sem Ferrão. Brasília – DF. Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN). 2ª edição. Brasil, 2018.
WOLOWSKI.M,T. et al. Relatório temático sobre polinização, polinizadores e produção de alimentos no Brasil. Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos, 2019.

Carga Horária:

25 horas
Tipo: Obrigatória
Vagas oferecidas: 4000
 
Ministrantes: Tiago Mauricio Francoy


 
 voltar

Créditos
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP