Atividade

78365 - O realismo em questão: Literaturas e Culturas de Língua Portuguesa

Período:
Sábado 09:00 às 13:00
 
Descrição: O programa de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, criado em

1994, consolidou-se como referência na formação de caráter interdisciplinar no estudo

comparativo das Literaturas de Língua Portuguesa nos contextos sócio-político- culturais de

seus países de origem. Além de um processo ininterrupto de fortalecimento da pesquisa em

nível de mestrado, doutorado e pós-doutorado, os professores do programa também atuam

junto à graduação e pós-graduação. Paralelamente, esses pesquisadores têm promovido

cursos de extensão voltados essencialmente para a formação e atualização de professores das

redes de ensino público não só do Estado de São Paulo.

Dando continuidade a essa interação, nossa proposta é pensar o realismo não restrito

à concepção das escolas literárias, mas entender como a compreensão e representação do real

estão na base da comunicação e da experiência humanas. Nesse sentido, não é de se estranhar

que essa perspectiva tenha reflexo na produção cultural nos mais diversos contextos

geográficos e históricos.

Com essa ideia buscamos oferecer um curso que apresente a produção crítica de

docentes e pós-graduandos vinculados ao programa de Estudos Comparados de Literaturas de

Língua Portuguesa, possibilitando que as leituras atuais, na pluralidade que as caracteriza,

contribuam para a formação e atualização profissional de professores e graduados.

Objetivos:

 favorecer a discussão sobre aspectos importantes que podem ser incorporados à sala

de aula;

 propiciar a professores e a graduados acesso à produção acadêmica mais recente;

 apresentar as relações entre literatura e outras artes;

 possibilitar novas leituras dos autores canônicos e apresentar nomes menos presentes

nos manuais de literatura ou pouco conhecidos do grande público;

 oferecer uma importante experiência didática aos pós-graduandos e egressos do

programa.

2

Programa:

1. Aula introdutória

2. Carla Carvalho Alves – "O realismo na literatura histórica portuguesa"

3. Jean Pierre Chauvin – “Verdade, Verossimilhança e Representação em

Machado de Assis”

4. Duarte Nuno Drumond Braga– “Aporias do programa realista em Cesário

Verde”

5. Márcio Jean Fialho de Sousa – "A Relíquia: sob o manto diáfano da

subjetividade, o realismo queirosiano"

6. Daiane Cristina Pereira – “O realismo em A cidade e as serras: ironia e

ambiguidade”

7. Helder Garmes – “A literatura realista nas colônias: o caso de Goa”

8. Thiago Mio Salla – "A recepção do romance brasileiro de 1930 em Portugal e a

gênese do neorrealismo lusitano"

9. Luzia Barros – “Literatura e depoimento: O lastro histórico nas escritas de

Graciliano Ramos, Manuel Lopes e Luís Romano”

10. Ricardo Iannace - "O insólito e as fraturas do real na narrativa de Murilo

Rubião"

11. Edimara Lisboa - "Tensão entre a fantasmagoria e a busca do real no cinema

de Manoel de Oliveira"

12. Carla Kinzo – "A escrita melancólica em O padre e a moça, de Joaquim Pedro

de Andrade"

13. Beth Ziani - “Do texto ao espaço - o real na obra de Guimarães Rosa”

14. José Carvalho Vanzelli – “Representações do Oriente como leitura crítica do

mundo”

15. Maria Nilda Carvalho – "Ritmo e poesia: Literatura Africana

e Marginal/Periférica"

16. Mário César Lugarinho – "a superação do neo-realismo nas literaturas

africanas de língua portuguesa"

17. Raffaella Andréa Fernandez – “Literatura marginal periférica, literatura negra

ou literatura afro-brasileira?”

18. Giuliano Lellis Ito Santos – “O realismo como problema”

19. Fátima Bueno – "Como retratar/dizer o real em estado de exceção: a guerra

colonial na literatura portuguesa contemporânea"

3

20. Luana Barossi – “Realismo fantástico e memória em Dina Salústio e José

Eduardo Agualusa”

21. Débora Leite David – "O horizonte distópico no romance africano

contemporâneo: Angola, Nigéria e Zimbábue"

22. Suzie Marra – “Fernando Namora e a constituição do sujeito ético entre saúde

e literatura”

23. Tania Mara Antonietti Lopes – “O real e o insólito na ficção de José Saramago:

das crônicas aos romances”

24. Fabiana Buitor Carelli – "Doença e medicina em alguns textos do realismo

português: perspectivas da ciência à luz da fantasia"

25. Paula Fábrio – “A visão do escritor e um breve estudo sobre a criação

contemporânea”

26. Encerramento

Bibliografia

Obras de literatura

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Meio sol amarelo. São Paulo: Cia. das Letras, 2008.

AGUALUSA, José Eduardo. O vendedor de passados. Rio de Janeiro: Gryphus, 2011.

ASSIS, Machado de. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2015, 4 v.

ASSUNÇÃO, Ademir. A voz do ventríloquo. São Paulo: Edith, 2012.

BARCELLOS, Marta. Antes que seque. Rio de Janeiro: Editora Record, 2015.

BULAWAYO, NoViolet. Precisamos de novos nomes. São Paulo: Biblioteca Azul, 2014.

FÁBRIO, Paula. Desnorteio. 1. ed. São Paulo: Editora Patuá, 2012.

FÁBRIO, Paula. Um dia toparei comigo. 1. ed. Rio de Janeiro: Foz Editora, 2015.

FUEGO, Andrea Del. Os Malaquias. Rio de Janeiro: Língua geral, 2010.

FUKS, Julián. A resistência. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

HERCULANO, Alexandre. O Bobo. In: Obras Completas de Alexandre Herculano. Introdução e

revisão de Vitorino Nemésio. Amadora: Livraria Bertrand, 1972. p. VII – XXII.

LOPES, Manuel. Galo Cantou na baía e outros contos. Lisboa: Editorial Caminho, 1998.

NAMORA, Fernando. Retalhos da vida de um médico, narrativas: Segunda série. Lisboa,

Publicações Europa-América, 1972.

NAMORA, Fernando. Retalhos da vida de um médico, narrativas: Primeira série. Lisboa:

Publicações Europa-America, 1971.

ONDJAKI. Os transparentes. São Paulo: Cia. das Letras, 2013.

QUEIRÓS, Eça de. A cidade e as serras.  São Paulo: Ateliê, 2012.

QUEIRÓS, Eça de. A relíquia. São Paulo: Ateliê, 2001.

RAMOS, Graciliano. Insônia. Rio de Janeiro: Editora Record, 2010.

RUBIÃO, Obra completa​. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

SALÚSTIO, Dina. A louca de Serrano. Praia: Spleen, 2001.

SARAMAGO, José. “Todo o real é inquietante”, Diário de Lisboa, Lisboa, 8 de março de 1980

[Entrevista a Mário Vieira de Carvalho]. In: AGUILERA, Fernando Gómez. As palavras de

Saramago. São Paulo: Companhia das Letras: 2010, p.273.

SARAMAGO, José. A bagagem do viajante: crônicas. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.  

SARAMAGO, José. A jangada de pedra. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

4

SARAMAGO, José. Deste Mundo e do Outro. Crônicas. 4. ed. Lisboa: Caminho, 1997.

SARAMAGO, José. Ensaio sobre a cegueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SARAMAGO, José. Memorial do convento. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

SARAMAGO, José. Objecto Quase: contos. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

SMANIOTO, Sheyla. Desesterro. Rio de Janeiro: Editora Record, 2015.

Obras de crítica e teoria

ABDALA JR., Benjamin. Literatura comparada & relações comunitárias, hoje- Introdução. Cotia:

Ateliê Editorial. 2012.

ADORNO, Theodor W. Notas de literatura I. São Paulo: Duas Cidades, Ed. 34, 2003.

AHMAD, Aijaz. Linhagens do Presente. Trad. Sandra Guardini Vasconcelos. São Paulo:

Boitempo Editorial, 2002.

ALMEIDA, Germano. “Manuel Lopes – Um homem comprometido”, in Rotas da vida e da

escrita, Lisboa: Instituto Camões, 1997.

AUERBACH, Erich. Mímesis, a representação da realidade na literatura ocidental. São Paulo:

Perspectiva, 2002.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da Poética de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Forense Universitária,

1997.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. São Paulo:

HUCITEC/Annablume, 2002.

BELLO, Maria do Rosário Leitão Lupi. Narrativa literária e narrativa fílmica: o caso de Amor de

Perdição. 2. ed. Coimbra: Fundação Calouste Gulbenkian; Fundação para a Ciência e a

Tecnologia (FCG-FCT), 2008.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense,

1985.

BESSIÈRE, Irene. Le récit fantastique. La poétique de l'incertain. Larousse, Paris, 1973.

CANDIDO, Antonio. “Literatura e subdesenvolvimento”, in A educação pela noite e outros

ensaios. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2006.

CASTRO, Josué. “Os matizes da fome”, in Geopolítica da fome: volume 1. São Paulo: Editora

Brasiliense, 1968.

CASTRO, Josué. “O tabu da fome”, in Geopolítica da fome: volume 1. São Paulo: Editora

Brasiliense, 1968.

CATROGA, Fernando. Uma viagem no expresso do Ocidente. In: Os passos do homem como

restolho do tempo. Coimbra: Almedina, 2009, p.191-220.

CHU, Seo-Young. Do metaphors dream of literal sleep? A science-fictional theory of

representation. Cambridge: Harvard University Press, 2010.

COMPAGNON, Antoine. O Mundo. In:______. O demônio da teoria: literatura e senso comum.

Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.

CORTÁZAR, Julio. Del sentimiento de lo fantástico. La vuelta al día en ochenta mundos. 4. ed.

México: Siglo XXI, 1968. 

COSTA. Horácio. José Saramago. O período formativo. Lisboa: Caminho, 1997.

DERRIDA, Jacques. O animal que logo sou (A seguir). São Paulo: Editora Unesp, 2002.

EISENSTEIN, Sergei. Laocoön. In: __________. Towards a theory of montage. London/New

York: I. B. Tauris, 2010.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Lisboa: Nova Vega, 2009.

GAGNEBIN, Jeanne-Marie. História e narração em Walter Benjamin. São Paulo: Editora

Perspectiva    

GINZBURG, Jaime. Crítica em tempos de violência. São Paulo: Editora Edusp, Fapesp, 2012.

5

JESUS, Carolina Maria de. Sete ensaios sobre Carolina. in: Onde estaes Felicidade? Org.

Raffaella Fernandez e Maria Nilda de Carvalho Mota. Disponível em

<https://www.mepario.com/bodega->.

LEPECKI, Maria Lúcia. O Sentido de A Cidade e as Serras. In: _______. Eça na Ambigüidade.

Lisboa: Jornal do Fundão, 1974, pp. 75-147.

LUCKÁCS, Georg. A teoria do romance: um ensaio histórico. São Paulo: Duas Cidade/Ed. 34,

2000.

MORETTI, Franco (Org.). A Cultura do Romance. Tradução: Denise Bottmann. São Paulo: Cosac

Naify, 2009.

MOTA, Maria Nilda de Carvalho. Lirismo de libertação: uma leitura de poemas africanos e

afrobrasileiros. 2011. Dissertação (Mestrado em Estudos Comparados de Literaturas de

Língua Portuguesa) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de

São Paulo, São Paulo, 2011. doi:10.11606/D.8.2011.tde-15042011- 110616. Disponível em:

<http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8156/tde-15042011- 110616/pt-br.php>

OLIVEIRA, Paulo Motta. Alexandre Herculano: malhas da história, armadilhas da ficção. In:

BOËCHAT, Maria Cecília Bruzzi; OLIVEIRA, Paulo Motta; OLIVEIRA, Silvana Maria Pessôa

(Org.). Romance Histórico: recorrências e transformações. FALE/UFMG: Belo Horizonte,

2000. p.129-149.

ROAS, David. A ameaça do fantástico. In​: ROAS, David. A ameaça do fantástico​. Trad. Julián

Fuks. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

ROCHA, Clara Crabbé (org.). A caneta que escreve e a que prescreve: doença e medicina na

literatura portuguesa. Lisboa: Verbo, 2011.

ROUANET, Sérgio Paulo. Riso e Melancolia. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SAID, Edward W. Orientalismo: O Oriente como invenção do Ocidente. Trad. Rosaura

Eichenberg. São Paulo: Companhia de Bolso, 2008.

SILVA, Mário Augusto Medeiros da. A descoberta do insólito: literatura negra e literatura

periférica no Brasil (1960-2000). Rio de Janeiro: Aeroplano, 2013.

SOUSA, Frank F. Zé Fernandes, personagem e narrador de A Cidade e as Serras de Eça de

Queirós, Queirosiana: Estudos sobre Eça de Queirós e sua Geração. nº 4, pp. 13-42, julho

de 1993.

TODOROV, Tzvetan. A crítica realista (Correspondência com Ian Watt). In:______. Crítica da

crítica. um romance de aprendizagem. São Paulo: Editora Unesp, 2015. 

TODOROV, Tzvetan.  Introdução à Literatura Fantástica. Tradução de Maria Clara Correa

Castello. São Paulo: Perspectiva, 2003. (Debates).

VARGAS LLOSA, Mario. La verdad de las mentiras. São Paulo: Alfaguara, 2016. 

VAZ, Sérgio. Cooperifa: antropofagia periférica. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2008.

VEYNE, Paul. Acreditavam os gregos em seus mitos? Ensaio sobre a imaginação constituinte.

São Paulo: Brasiliense, 1984.

WARBURG, Aby. Atlas Mnemosyne. Traducción de Joaquín Chamorro Mielke. Madrid: Akal,

2010.

WATT, Ian. Ascensão do romance: estudos sobre Defoe, Richardson e Fielding. São Paulo:

Companhia das Letras, 1990.

WOOD, James. Como funciona a ficção. Tradução de Denise Bottmann. 1. ed. Cosac Naify

Portátil. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

Carga Horária:

52 horas
Tipo: Obrigatória
Vagas oferecidas: 100
 
Ministrantes: Aparecida de Fatima Bueno
Carla Carvalho Alves
Carla Moreira Kinzo
Daiane Cristina Pereira
Debora Leite David
Duarte Nuno Drumond Braga
Edimara Lisbôa Marteleto
Elizabeth Maria Ziani
Fabiana Buitor Carelli
Giuliano Lellis Ito Santos
Helder Garmes
Jean Pierre Chauvin
José Carvalho Vanzelli
Luana Barossi
Marcio Jean Fialho de Sousa
Maria Luzia Carvalho de Barros Paraense
Maria Nilda de Carvalho Mota
Mário César Lugarinho
Paula Fabrio
Raffaela Andréa Fernandez
Ricardo Iannace
Suzie Marra
Tania Mara Antonietti Lopes
Thiago Mio Salla


 
<<  voltar

Créditos
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP