Atividade

78794 - A TRADUÇÃO LITERÁRIA E SEUS CAMPOS DE INTERAÇÃO.

Período:
Quarta 14:00 às 16:00
 
Descrição: EMENTA
A imagem do tradutor literário como um profissional que realiza seu trabalho solitariamente é apenas parte da verdade. Este curso pretende mostrar a interseção dessa profissão com diversos outros campos de trabalho na área cultural e apontar os âmbitos em que a tradução literária passa a ser um trabalho de equipe. O fato de essa profissão poder ser considerada um ponto central no sistema de produção, transmissão e veiculação da literatura faz também com que o tradutor deva dominar habilidades bastante diversas. O programa contempla tanto as funções do tradutor como leitor, pesquisador, escritor, revisor e crítico, como o seu trabalho conjunto com profissionais das áreas de formação, pesquisa, edição e divulgação cultural. O curso será ministrado por diversos palestrantes, entre os quais tradutores profissionais, escritores, professores da área de Estudos da Tradução e editores.


CONCEPÇÃO E COORDENAÇÃO
Simone Homem de Mello (Casa Guilherme de Almeida)

PROGRAMA

2/8/2017 – O tradutor (e o) leitor
Jiro Takahashi

9/8/2017 – O tradutor (e o) escritor
Horácio Costa e Luiz Augusto Contador Borges

16/8/2017 – O tradutor (e o) autodidata
Sérgio Molina

23/8/2017 – O tradutor (e o) formador
Alzira Allegro

30/8/2017 – O tradutor (e o) pesquisador
Stella Tagnin

13/9/2017 – O tradutor (e o) dicionarista
Berthold Zilly

20/9/2017 – O tradutor (e o) editor
Cide Piquet

27/9/2017 – O tradutor (e o) crítico
Simone Homem de Mello

Bibliografia


ARROJO, Rosemary. Oficina de Tradução. São Paulo: Ática, 2003.
____________. Tradução, desconstrução e psicanálise. Rio de Janeiro: Imago, 1993.
BENJAMIN, Walter. “A tarefa do tradutor”. In: Cadernos do Mestrado. Rio de Janeiro:
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1992.
BRITTO, P. H. A Tradução Literária. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.
_________. “Para uma avaliação mais objetiva das traduções de poesia”. In: KRAUSE, Gustavo B. As margens da tradução. Rio de Janeiro: FAPERJ/Caetés/UERJ, 2002.
_________. “Desconstruir para quê?”. In: Cadernos de tradução, vol. 2. Florianópolis: UFSC, 2001.
_________. “Fidelidade em tradução poética: o caso Donne”. In: Revista Terceira margem, no 15, julho-dezembro de 2006, pp. 239-254. Rio de Janeiro: 2006.
CAMPOS, Haroldo de. Transcriação (org. M. Tápia e T. Nóbrega). São Paulo: Perspectiva, 2013.
________________. “A palavra vermelha de Hölderlin”. In: A arte no horizonte do provável. São Paulo: Perspectiva, 1975.
––––––––––––––––. Bere’shith – A cena da origem. São Paulo: Perspectiva, 1993.
¬¬¬¬¬¬––––––––––––––––. “Transluciferação mefistofáustica”. In: Deus e o diabo no Fausto de Goethe. São Paulo: Perspectiva, 1981.
FALEIROS, Álvaro. Traduzir o Poema. Cotia: Ateliê Editorial, 2012.
GENTZLER, E. Contemporary translation theories. New York: Routledge, 1993.
JAKOBSON, Roman. Linguística e comunicação. 6ª ed. São Paulo: Cultrix, 1973.
______________. “O que fazem os poetas com as palavras”. In: Revista Colóquio Letras, 1973.
LARANJEIRA, Mário. Poética da tradução. São Paulo: Edusp / Fapesp, 2003).
MESCHONNIC, Henri. Poética do traduzir (Trad. Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich). São
Paulo, Perspectiva: 2010.
PIGNATARI, Décio. O que é comunicação poética. 8ª ed. São Paulo: Ateliê, 2005.
POUND, Ezra. ABC da literatura. Org. e apres. de Augusto de Campos. 3ª edição. São Paulo: Cultrix, 1977.
STEINER, G. Depois de Babel: questões de linguagem e tradução. Tradução de Carlos Alberto Faraco. Curitiba: UFPR, 2005.

Carga Horária:

16 horas
Tipo: Obrigatória
Vagas oferecidas: 74
 
Ministrantes: Alzira Leite Vieira Allegro
Berthold Zilly
Cide Piquet Barreira Junior
Jiro Takahashi
Jose Horacio de Almeida Nascimento Costa
Luiz Augusto Contador Borges
Sergio Molina
Simone Maria Lopes de Mello
Stella Esther Ortweiler Tagnin


 
 voltar

Créditos
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP