Atividade

78945 - CURSO DE DIFUSÃO CULTURAL "Aspectos da Cultura e da História do Negro no Brasil" (Módulo I)

Período:
Sexta 19:00 às 22:00
 
Descrição: Aspectos da Cultura e da História do Negro no Brasil
Período de 11/08 a 24/11/2017 – as sextas-feiras, das 19 às 22h
Não haverá aula no dia 08/09 [semana da Pátria]
(39 horas com nota)

Coordenação: Profª Drª Rosângela Sarteschi
Vice-Coordenação: Prof. Dr. Kabengele Munanga


OBJETIVOS: Capacitação dos professores das redes pública e particular de ensino no aprendizado dos aspectos da cultura e da história do negro no Brasil, propiciando acesso a material de apoio e didático para ser utilizado em sala de aula, embasados nos conhecimentos apreendidos em cada temática que certamente, serão de utilidade prática.


PROGRAMA

11/08/2017
1ª Aula – Profª Drª Rosângela Sarteschi (DLCV/FFLCH/USP)
Apresentação do curso: Objetivos; conteúdo do programa; bibliografia; corpo docente; questões práticas e funcionamento.
Conferência de Abertura: Prof. Dr. Mario Augusto Medeiros da Silva (UNICAMP)

18/08/2017
2ª Aula – Prof. Dr. Jaime Rodrigues (UNIFESP)
Tema: O negro no território brasileiro e o regime escravista: adaptação e resistência: 1.1. Resistências individuais; 1.2. Resistências coletivas: rebeliões nas senzalas, quilombos, Revolta dos Malês e 1.3. Atuação do negro na abolição.

25/08/2017
3ª Aula – Profª Drª Rosângela Malachias (FEBF/UERJ-RJ))
Tema: O negro pós abolição e novas formas de resistências: 2.1. A revolta da Chibata; 2.2. A Frente Negra Brasileira – Imprensa Negra em São Paulo

01/09/2017
4ª Aula – Prof. Dr.Paulo Cesar Andrade da Silva (UNESP/Araraquara)
Tema: Resistências artísticas na Literatura

15/09/2017
5ª Aula – Profª Drª Antonia Ap. Quintão dos Santos Cezerilo (Mackenzie/SP)
Tema: Estratégias e formas de resistência religiosa nas irmandades católicas.

22/09/2017
6ª Aula – Prof. Dr. Kabengele Munanga (DA/FFLCH/USP – UFRBa)
Tema: O Negro e discriminação racial no Brasil: Conceitos básicos: preconceito, raça, racismo e etnicidade no Brasil e Características do racismo à brasileira.

29/09/2017
7ª Aula – Prof. Dr. Juarez Tadeu de Paula Xavier (UNESP-Bauru)
Tema: Estratégias e formas de resistência religiosa no candomblé e na umbanda.

06/10/2017
8ª Aula – Profª Drª Maria Cecília Félix Calaça (FLATED/CE)
Tema: Resistência negra na arte afro-brasileira

20/10/2017
9ª Aula – Profª Drª Eliana de Oliveira (Assessora/Consultora MEC)
Tema: O negro na educação (ensino fundamental, médio e superior)

27/10/2017
10ª Aula – Prof. Dr. Luís Eduardo Batista (Instituto de Saúde/SP-ABRASCO)
Tema: Saúde da população negra: questões práticas

10/11/2017
11ª Aula – Drª Isildinha Baptista Nogueira (Doutora em Psicologia/Psicanalista)
Tema: Saúde da população negra: questões psíquicas

17/11/2017
12ª Aula – Prof. Dr. Pedro Jaime de Coelho Junior (FEI-ESPM/SP)
Tema: Multiculturalismo e Ação Afirmativa no Brasil: Políticas de reconhecimento da Identidade Negra no Brasil, exemplos das Leis 10.639/03 e 11.645/08 e O debate sobre as cotas raciais

24/11/2017
13ª Aula – Entrega da Avaliação
Prof. Dr. Dagoberto José Fonseca (UNESP-Araraquara)
Palestra de Encerramento do Curso

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALENCASTRO, Luiz Felipe. O trato dos viventes. Formação do Brasil no Atlântico Sul, séculos XVI e XVII. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
ANDREI, Elena Maria e FERNANDES, Frederico Augusto Garcia (orgs.) Cultura Afro-Brasileira: construindo novas histórias. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2007 (Caderno UNIAFRO, vol. 2)
ANDREWS, George Reid. Negros e Brancos em São Paulo (1888-1988). Bauru-SP: EDUSC. 1998
ANJOS, Rafael Sânzio Araújo dos. Quilombos, Geografia Africana – Cartografia Étnica – Territórios Tradicionais. Brasília: Mapas Editora & Consultoria, 2009.
ARAUJO, Rosângela ‘Janja’ C. A África e a Afro descendência: um debate sobre a cultura e o saber. In. SILVA, Cidinha da. Ações Afirmativas em Educação: Experiências Brasileiras. Editora Summus, São Paulo, 2003.
ARRUTI, José Maurício (e outros) “Educação Quilombola em Debate: A Escola em Campinho da Independência (RJ) e a Proposta de uma Pedagogia Quilombola”. In: CUNHA, Ana Stela A. Construindo Quilombos, Desconstruindo Mitos: A educação formal e a realidade quilombola no Brasil. São Luís/MA: Ed. do Autor, 2011, p. 29-43. - Disponível em: www.fflch.usp.br/dl/indl/baixar.php?arq=344e173555d4978.pdf
BALOGUM, Ola. A escultura dos signos. In: O CORREIO, Rio de Janeiro: UNESCO, ano 5 (7)12-21, jul, 1977.
BANDEIRA DE MELLO, Celso Antonio – Conteúdo Jurídico do Princípio da Igualdade. São Paulo: Malheiros Editora
BARBOSA, Luciene C. Racismo e Branquitude: representações na telenovela ‘Da Cor do Pecado’. In: Revista Mídia e Etnia. São Paulo: PMSP/CONE, ano 1 (1):5-9.
BATISTA, Leandro Leonardo; LEITE, Francisco (orgs). O negro nos espaços publicitários brasileiros. S. Paulo: ECA/USP – CONE, 2011
BRAGA, Júlio. Na Gamela do Feitiço: repressão e resistência nos Candomblés da Bahia. Salvador: EDUFBA, 1995.
BRANDÃO, Ana Paula (coord.). Saberes e Fazeres, vol. 1 (Modo de Ver). Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006. [ww.acordacultura.org.br]
BRANDÃO, Ana Paula (coord.). Memória das Palavras. Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006. [www.acordacultura.org.br]
BRANDÃO, Ana Paula (coord.). Saberes e Fazeres, vol. 2 (Modo de Sentir). Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006. [ww.acordacultura.org.br]
BRANDÃO, Ana Paula (coord.). Saberes e Fazeres, vol. 3 (Modo de Interagir). Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006. [ww.acordacultura.org.br]
BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Parecer CNE/CP 3/2004, de 10 de março de 2004.
CADERNOS DE DEBATES, Política Democrática. Brasília: Edições Fundação Astrogildo Pereira, Ano I, nº 2, maio de 2008.
CARNEIRO, Sueli. “Mulheres em movimento”. In: REVISTA ESTUDOS AVANÇADOS, 17(49):117-132, São Paulo, set/dez, 2003.
CASHMORE, Ellis. Dicionário de Relações Étnicas e Raciais. São Paulo, Selo Negro/Summus, 2000.
CASTRO JÚNIOR, Luis Victor - Capoeira Angola: Olhares e toques cruzados entre ancestalidade e historicidade In: Rev. Bras.Cienc. Esporte. Campinas. Autores Associados. V. 25 nº2, p. 143-158. Jan. 2004.
CIVILETTI, Maria V. P. O cuidado às crianças pequenas no Brasil escravista. In: CADERNO DE PESQUISA, São Paulo, p. 31-40, s.d.
CRUZ, A. C. J. Dimensões de educar para as relações étnicorraciais refletindo sobre suas tensões, sentidos e práticas. In: 33ª Reunião Anual da Anped. Caxambu, 2010. http://www.anped.org.br/33encontro/app/webroot/files/file/Trabalhos%20em%20PDF/GT21-6038--Int.pdf
CRUZ, A. C. J. Relações raciais em sala de aula: construindo saberes desconstruindo estereótipos. In: XII Congresso da Associação Internacional para a Pesquisa Intercultural, 2009, Florianópolis, SC. Anais do XII Congresso da ARIC. Florianópolis: Edugraf, 2009. p. 26.
Link: http://aric.edugraf.ufsc.br/congrio/html/anais/anais.html
CUTI. Moreninho, Neguinho, Pretinho, vol. 3. COLEÇÃO PERCEPÇÃO DA DIFERENÇA – Negros e Brancos na Escola. São Paulo: Terceira Margem, 2009.
DEOSCÓREDES Maximiliano dos Santos. História de um terreiro Nagô. Salvador: Instituto Brasileiro de Estudos Afro-Asiático, 1962.
DIAS, Adriana Albert: Mandinga, Manha e Malícia – uma história sobre os capoeiras na capital da Bahia (1910-1925). Edufba, Salvador, 2006. Em: http://www.ffch.ufba.br/IMG/pdf/2004adriana_albert_dias.pdf
DUARTE, Eduardo de Assis. Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011. v. 1: Precursores, 583p.; v. 2: Consolidação, 442p.; v. 3: Contemporaneidade, 565p.; v. 4: História, teoria, polêmica, 419p.
DUARTE, Evandro C. Piza (e outros). Cotas raciais no ensino superior: entre o Jurídico e o Político. Curitiba: Juruá, 2008.
EDUCAÇÃO QUILOMBOLA (Coletânea de Textos). MEC/SEAD, 2007. Disponível em: http://www.slideshare.net/Geraaufms/educao-quilombola
FERRETTI, Sérgio. O Negro e o Catolicismo Popular, In: Sincretismo Religioso: O Ritual Afro ( Tânia Lima-Org).Congresso Afro-brasileiro (4:1994:Recife), Anais do IV Congresso Afro-brasileiro- Recife, FUNDAJ, ed. Massangana, 1996.
FERRETTI, Sérgio. Repensando o Sincretismo: estudo sobre a Casa das Minas. São Paulo: Edusp, 1995.
GOMES, N. L. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. In: Educação anti-racista caminhos abertos pela Lei 10.639/2003. Brasília: SECAD, MEC, 2005. Pag. 39-62. Link: http://www.geledes.org.br/areas-de-atuacao/educacao/lei-10-639-03-e-outras/2455-educacao-anti-racista-caminhos-abertos-pela-lei-federal-no-1063903
GOMES, Nilma Lino. Limites e possibilidades da implementação da Lei 10.639/03 no contexto das politicas públicas em educação. In: HERNGER, Rosana e PAULA, Marilene. Caminhos Convergentes – Estado e sociedade na superação das desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Boll, ActionAid, 2009.
GONÇALVES, Maria Alice Rezende. Educação e Cultura: pensamento em cidadania. RJ: Quartet, 1999
GOREN, Jacob. A escravidão reabilitada. São Paulo: Ed. Ática, 1990, 2ª ed. (p. 87-96; 189-206).
HALL, Stuart. “A questão multicultural”. In: SOVIK, Liv (org.). Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG / Brasília: UNESCO, 2003, p. 51-95.
HASENBALG, Carlos Alfredo. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1979
LIMA, Heloisa P. “De personagem a editor: vozes negras na literatura infanto-juvenil”. In: VIA ATLÂNTICA: publicação da área de estudos comparados de literaturas de língua portuguesa. (orgs) Ferreira, Ligia Fonseca; Sarteschi, Rosângela; Vecchia, Rejane. São Paulo: FFLCH- Departamento de Letras clássicas e vernáculas, n.18, 2010, págs 43-56
LIMA, Heloisa P. Entre a orelha, a língua e a mão: a origem africana para o leitor infantil e juvenil. (org) Taborda, Scripta Literatura : Revista do Programa de Pós-graduação em Letras e do Cespuc– v. 1, n. 1, 1997 – Belo Horizonte: Ed. PUC Minas, 2009.
LIMA, Heloisa. P. “Personagens negros: um breve perfil na literatura infanto-juvenil”. In: Kabengele Munanga. (Org.). Superando o racismo na escola. 2 ed. Brasília: Secad-Ministério da Educação, 2001, v. 1, p. 101-115.
LOPES, Fernanda. “Experiências desiguais ao nascer, viver, adoecer e morrer: tópicos em saúde da população negra no Brasil”. In: I Seminário da Saúde da População Negra, São Paulo: Secretaria da Saúde/CONE, 2004, p. 53-97.
MALACHIAS, Rosângela. (e outros). Eles têm a cara preta. vol. 10. COLEÇÃO PERCEPÇÃO DA DIFERENÇA – Negros e Brancos na Escola. São Paulo: Terceira Margem, 2009.
MALACHIAS, Rosângela. Cabelo Bom. Cabelo Ruim, vol. 4. COLEÇÃO PERCEPÇÃO DA DIFERENÇA – Negros e Brancos na Escola. São Paulo: Terceira Margem, 2009.
MALACHIAS, Rosângela. Mídia, Educação e Movimentos Negros. In: REVISTA MÍDIA E ETNIA, ano 1, nº 1. São Paulo: PMSP/CONE, s.d.
MALACHIAS, Rosângela.. Movimentos Negros. Uma síntese de sua ação na História. São Paulo, mimeo/1998.
MARTINS, Leda Maria. A Oralitura da Memória, In: Afrografias da Memória, São Paulo, Perspectiva; Belo Horizonte: Mazza Edições, 1997.
MARTINS, Roseli F. e MUNHOZ, Maria L. P. Professora, não quero brincar com aquela negrinha!, vol. 5. COLEÇÃO PERCEPÇÃO DA DIFERENÇA – Negros e Brancos na Escola. São Paulo: Terceira Margem, 2009.
MATTOSO, Kátia M. de Queirós. Ser escravo no Brasil. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1988, 2ª ed.
MEILLASSOUX, Claude. Antropologia da escravidão. O ventre de ferro e dinheiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1995. 297p.
MELLO, Manoel Messias (Major) e outros – Os direitos e a ordem social da Constituição Federal e o caso do “ônibus 174”. São Paulo: Centro de Aperfeiçoamento e Estudos Superiores da Polícia Militar do Estado de São Paulo – CAES, trabalho de conclusão do Curso Superior de Polícia de 2006.
MIRANDA, Maria A. e MARTINS, Marilza S. Maternagem. Quando o bebê pede colo, vol. 2. COLEÇÃO PERCEPÇÃO DA DIFERENÇA – Negros e Brancos na Escola. São Paulo: Terceira Margem, 2009.
MOEHLECKE, Sabrina. Ação afirmativa: história e debates no Brasil In: Cadernos de Pesquisa, n. 117, novembro de 2002.
MUNANGA, K. “Teoria social e relações raciais no Brasil contemporâneo”. In: Cadernos PENESB (Programa de Educação sobre o Negro na Sociedade Brasileira), Universidade Federal Fluminense, nº 12, 2010
MUNANGA, K. “Algumas considerações sobre ‘raça’, ação afirmativa e identidade negra no Brasil: fundamentos antropológicos”. In: REVISTA USP, (68):46-57, São Paulo, dez/fev., 2005/2006.
MUNANGA, K. “As facetas de um racismo silenciado”. In: SCHWARCZ, Lília M. e QUEIROZ, Renato S. (orgs). Raça e Diversidade. São Paulo: EDUSP/Estação Ciência, 1996.
MUNANGA, K. “Políticas de ação afirmativa em benefício da população negra no Brasil: um ponto de vista em defesa de côta”. In: GOLÇALVES e SILVA, Petronilha B. e SILVÉRIO, Valter R. Educação e Ações Afirmativas: entre a injustiça simbólica e a injustiça econômica. Brasília: INEP/MEC, 2003.
MUNANGA, K. “Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade e etnia”. In: Cadernos PENESB (Programa de Educação sobre o Negro na Sociedade Brasileira), Universidade Federal Fluminense, Centro de Estudos Sociais Aplicada da Faculdade de Educação, nº 5, 2004.
MUNANGA, Kabengele (org.). Superando o Racismo na Escola. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.
MUNANGA, Kabengele e GOMES, Nilma. Para entender o negro no Brasil de hoje: história, realidades, problemas e caminhos. São Paulo: Global: Ação Educativa, 2004.
MUNANGA, Kabengele. “A difícil tarefa de definir quem é negro no Brasil”. Entrevista com In: ESTUDOS AVANÇADOS, 18(50):51-56, São Paulo: IEA/USP, 2004.
MUNANGA, Kabengele. “Origem e Histórico do Quilombo na África”. In: Disponível em: http://www.usp.br/revistausp/28/04-kabe.pdf
MUNANGA, Kabengele. Arte afro-brasileira: o que é, afinal? In: Catálogo Mostra do Redescobrimento – Brasil 500 é mais. São Paulo: Associação Brasil 500 anos Artes Virtuais, 2000.
MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a Mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Petrópolis-RJ: Vozes, 1999.
OLIVEIRA, Eduardo. Cosmovisão Africana no Brasil: elementos para uma filosofia afrodescentende. Fortaleza: LCR, 2003.
OLIVEIRA, Eliana de. “Conscientização e socialização sobre o racismo”. In: _____________. Mulher negra professora universitária: trajetória, conflitos e identidade. Brasília: Líber Livro Editora, 2006.
OLIVEIRA, Fátima. Saúde da população negra – Brasil ano 2001. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2003.
OLIVEIRA, Iolanda (org.). Relações raciais e educação: novos desafios. RJ: DP&A, 2003.
OLIVEIRA, Lúcio. Tímidos ou indisciplinados?, vol. 7. COLEÇÃO PERCEPÇÃO DA DIFERENÇA – Negros e Brancos na Escola. São Paulo: Terceira Margem, 2009.
OLIVEIRA, Zilma R. de. “Os primeiros passos da história da educação infantil no Brasil. In: Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.
PENA, Sérgio D.J. Homo brasilis. Aspectos genéticos, linguísticos, históricos e socioantropológicos da formação do povo brasileiro. . Ribeirão Preto/SP: FUNPEC-RP, 2002.
PRÊMIO ABA/MDA Territórios Quilombolas/Associação Brasileira de Antropologia. Organizador – Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural, 2006.
PROGRAMA Brasil Quilombola: um ensaio sobre a política pública de promoção da igualdade racial para comunidades de quilombos. In: Cadernos Gestão Pública e Cidadania, V. 15, nº 57, São Paulo, 2010. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cgpc/article/view/3258
PROGRAMA de Ação Durban. 3a Conferência Mundial contra o Racismo, a Xenofobia e Intolerâncias Correlatas.
QUINTÃO, Antonia Aparecida. Lá vem os meus parentes: as irmandades de pretos e pardos no Rio de Janeiro e em Pernambuco (séc. XVIII). São Paulo: Annablume: FAPESP, 2002
QUINTÃO, Antonia Aparecida.. “As irmandades negras: outro espaço de luta e resistência”. Irmandades Negras: Outro espaço de luta e resistência. (São Paulo: 1870-1890). São Paulo: Annablume: Fapesp, 2002.
QUINTÃO, Antonia Aparecida.. Professora, existem santos negros? Histórias de identidades religiosa negra, vol. 8. COLEÇÃO PERCEPÇÃO DA DIFERENÇA – Negros e Brancos na Escola. São Paulo: Terceira Margem, 2009.
ROCHA, Rosa Margarida de Carvalho. Almanaque Pedagógico Afro-brasileiro. MG: Mazza Edições, 2004.
RODRIGUES, Nina. Os africanos no Brasil. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2004.
RODRIGUES, Vera. A Gênese do Debate e do Conceito de Quilombo. Cadernos CERU/USP, Séria 2, v. 19, n.1, São Paulo, junho 2008, pp. 203-222.
SALUM, Marta H. L. Cem anos de arte afro-brasileira. In: Catálogo Mostra do Redescobrimento – Brasil 500 é mais. São Paulo: Associação Brasil 500 anos Artes Virtuais, 2000.
SANTOS, Gislene Aparecida dos. Percepções da Diferença, vol. 1. COLEÇÃO PERCEPÇÃO DA DIFERENÇA – Negros e Brancos na Escola. São Paulo: Terceira Margem, 2009.
SANTOS, Gislene Aparecida dos. A invenção do “ser negro”: um percurso de idéias que naturalizam a inferioridade dos negros. São Paulo: EDUC/FAPESP; Rio de Janeiro: Pallas, 2002.
SANTOS, Jocélio Telles dos. O Dono da terra: o caboclo nos candomblés da Bahia. Salvador: Sarah Letras, 1995.
SANTOS, Juana Elbein dos. Os Nagô e a morte: Pade, Asese e o culto Egum na Bahia. Petrópolis: Editora Vozes, 1977.
SANTOS, Maria Stella de Azevedo. Meu tempo é agora. São Paulo: Editora Oduduwa, 1993.
SANTOS, Sales Augusto [e outras autoras]. Ações Afirmativas: Polêmicas e possibilidades sobre igualdade racial e o papel do Estado. In: Revista Estudos Feministas/REF – Dossiê: 120 anos da Abolição da escravidão no Brasil: um processo ainda inacabado (v. 16, n. 13 - Dez). Santa Catarina/Florianópolis: 2008.
SANTOS, Sandra. Brincando e ouvindo histórias, vol. 9. COLEÇÃO PERCEPÇÃO DA DIFERENÇA – Negros e Brancos na Escola. São Paulo: Terceira Margem, 2009.
SERRANO, Carlos. Ginga, a Rainha Quilombola de Matamba e Angola. Disponível em: http://www.usp.br/revistausp/28/10-serrano.pdf
SILVA, A. C. A desconstrução da discriminação no livro didático. In: Superando o racismo na escola. Org. Kabengele Munanga. Brasília: SECAD, MEC, 2005. Pag. 21-37. Link: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=103321
SILVA, Dilma de Melo. Por que riem da África?, vol. 6. COLEÇÃO PERCEPÇÃO DA DIFERENÇA – Negros e Brancos na Escola. São Paulo: Terceira Margem, 2009.
SILVA, Lucia Helena Oliveira e FERNANDES, Frederico Augusto Garcia (orgs.) Cultura Afro-Brasileira: expressões religiosas e questões escolares. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2006 (Caderno Uniafro, vol. 1)
SOARES, Mariza de Carvalho. Devotos da cor: identidade étnica, religiosidade e escravidão no Rio de Janeiro, séc. XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.
SOUZA, Ana Lúcia Silva e CROSO, Camila (coords) Igualdade das relações étnico-raciais na escola: possibilidades e desafios para implementação da Lei 10.639/2003. São Paulo: Peirópolis: Ação Educativa, Ceafro, Ceert, 2007.
SOUZA, Marina de Mello e. As Congadas no Quadro da Desintegração do Escravismo, In: Reis Negros No Brasil Escravista: História da Festa de Coroação de Rei Congo, Belo Horizonte, ed. UFMG, 2002
SOVIK, Liv. “Aqui ninguém é branco: hegemonia branca e media no Brasil”. In: WARE, Vrom (org.) Branquidade, identidade branca e multiculturalismo. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.
TAYLOR, Charles. “A política de reconhecimento”. In: APPIAH, K. Anthony (e outros). Multiculturalismo: examinando a política de reconhecimento. Lisboa: Instituto Piaget, 1998.
TELLES, Edward. Racismo a brasileira. Uma perspectiva sociológica. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.
VERGER, Pierre Fatumbi. Lendas dos Orixás. Salvador: Editora Corrupio, 1981.
WISSENBACH, Maria Cristina Cortez. “Cartas, procurações, escapulários e patuás: os múltiplos significados da escrita entre escravos e forros na sociedade oitocentista brasileira In: REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, nº 4, jul/dez, 2002

FILMES INDICADOS

AFRICANIDADES BRASILEIRAS. TV Brasil: o Futuro. SEED/MEC, 2008, 54’21”. [www.mec.gov.br/seed] – [www.tvbrasil.com.br/salto]
LIVROS ANIMADOS (várias histórias). A Cor da Cultura. SEPPIR/MEC. [ww.acordacultura.org.br]
MOJUBÁ. (várias histórias). A Cor da Cultura. SEPPIR/MEC. [ww.acordacultura.org.br]
HERÓIS DE TODO MUNDO. A Cor da Cultura. SEPPIR/MEC. [ww.acordacultura.org.br]
PROGRAMA NOTA 10. (várias histórias). A Cor da Cultura. SEPPIR/MEC. [ww.acordacultura.org.br]
TEORIAS RACIAIS COMO TEORIAS DAS DIFERENÇAS. Programa Ações Afirmativas da UFMG. Belo Horizonte, Faculdade de Educação/UFMG, 2004, 55’.
DIREITO À EDUCAÇÃO E AÇÕES AFIRMATIVAS. Programa Ações Afirmativas da UFMG. Belo Horizonte, Faculdade de Educação/UFMG, 2004, 50’.
DESIGUALDADES RACIAIS E POLÍTICAS PÚBLICAS. Programa Ações Afirmativas da UFMG. Belo Horizonte, Faculdade de Educação/UFMG, 2004, 50’.

Carga Horária:

39 horas
Tipo: Obrigatória
Vagas oferecidas: 50
 
Ministrantes: Antonia Aparecida Quintão dos Santos Cezerilo
Dagoberto José Fonseca
Eliana de Oliveira
Isildinha Baptista Nogueira
Jaime Rodrigues
Juarez Tadeu de Paula Xavier
Kabengele Munanga
Luís Eduardo Batista
Maria Cecilia Felix Calaça
Paulo César Andrade da Silva
Pedro Jaime de Coêlho Junior
Rosangela Malachias
Rosangela Sarteschi


 
 voltar

Créditos
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP