Atividade

84236 - Prática Assistencial Baseada em Evidência

Período:
Sexta 8:00 às 18:00
 
Descrição: 1- Ementa: visa desenvolver estratégias inovadoras do cuidado integral em álcool e outras drogas.

2- Referências

SOUZA, Isabel Cristina Weiss de and RONZANI, Telmo Mota. Álcool e drogas na atenção primária: avaliando estratégias de capacitação. Psicol. estud. [online]. 2012, vol.17, n.2, pp.237-246. ISSN 1413-7372. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722012000200007.

Alves, V. S. (2005). Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. Interface: comunicação, saúde, educação, 9(16), 39-52.

Babor, T. F., & Higgins-Biddle, J. C. (2001). Brief Intervention for Hazardous and Harmful Drinking: a manual for use in primary care. Geneva: WHO.

Babor, T. F., Higgins-Biddle, J., Dauser, D., Higgins, P., & Burleson, J. A. (2005). Alcohol screening and brief intervention in primary care settings: implementation models and predictors. Journal of studies on alcohol, 66(3), 361-368.

Babor, T. F., McRee, B. G., Kassebaum, P. A., Grimaldi, P. L., Ahmed, K., & Bray, J. (2007). Screening, Brief Intervention, and Referral to Treatment (SBIRT): toward a public health approach to the management of substance abuse. Substance abuse, 28(3), 7-30.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo (L. A. Reto & A. Pinheiro, trad.). Lisboa: Edições 70.

Bosch-Capblanch, X., & Garner, P. (2008). Primary health care supervision in developing countries. Tropical medicine & international health, 13(3), 369-383.

Cabana, M. D., Rand, C. S., Powe, N. R., Wu, A. W., Wilson, M. H., Abboud, P. A., & Rubin, H. R. (1999). Why don't physicians follow clinical practice guidelines? A framework for improvement. The journal of the American Medical Association, 282(15), 1458-1465.

Camargo Júnior, K. R., Saraiva, E. M., Bustamante-Teixeira, M. T., Mascarenhas, M. T. M., Mauad, N. M., & Franco, T. B., et al. (2008). Avaliação da atenção básica pela ótica político-institucional e da organização da atenção com ênfase na integralidade. Cadernos de saúde pública, 24(Suppl. 1), 58-68.

Cantillon, P., & Jones, R. (1999). Does continuing medical education in general practice make a difference? British medical journal, 318(7193), 1276-1279.

Cavazza, N. (2008). Psicologia das atitudes e opiniões (A. A. Machado, trad.). São Paulo: Loyola.

Ceccim, R. B. (2007). Um sentido muito próximo ao que propõe a educação permanente em saúde. Interface: comunicação, saúde, educação, 11(22), 343-363.

Cruz, M. S., & Ferreira, S. M. B. (2006). O vínculo necessário entre a saúde mental e o PSF na construção da rede de atenção integral aos problemas relacionados ao uso de álcool e outras drogas. In: Secretaria Nacional Antidrogas. As redes comunitária e de saúde no atendimento aos usuários e dependentes de substâncias psicoativas, (pp. 42-48. (Sistema para detecção do uso abusivo e dependência de substâncias psicoativas: Encaminhamento, Intervenção Breve, Reinserção Social e Acompanhamento, Módulo 6). Brasília, DF: a Secretaria.

Garcia, R. M., & Baptista, R. (2007). Educação à distância para a qualificação dos profissionais do SUS: perspectivas e desafios. Revista baiana de saúde pública, 31(Suppl. 1), 70-78.

Humeniuk, R., & Poznyak, V. (2004). Intervenção breve para o abuso de substâncias: guia para uso na Atenção Primária à Saúde (T. M. Ronzani, trad.). São Paulo: OMS.

Kaner, E. F., Dickinson, H. O., Beyer, F., Pienaar, E., Schlesinger, C., & Campbell, F. et al. (2009). Effectiveness of brief alcohol interventions in primary care settings: a systematic review. Drug and alcohol review, 28(3), 301-323.

Laranjeira, R., & Romano, M. (2004). Consenso brasileiro sobre políticas públicas do álcool. Revista brasileira de psiquiatria, 26(Suppl. 1), 68-77.

Laranjeira, R., Pinsky, I., Zaleski, M., & Caetano, R. (Orgs.). (2007). I Levantamento nacional sobre os padrões de consumo de álcool na população de álcool na população brasileira. Brasília, DF: Secretaria Nacional Antidrogas.

Luis, M. A. V., Mendes, I. A. C., Carvalho, E. C., Mamede, M. V., Wright, M. G. M., & Chisman, A. McG. (2004). Experiencia de cooperación entre universidad y organización internacional para capacitar enfermeros docentes de La America Latina para La investigación del fenómeno de las drogas. Revista Latino-Americana de enfermagem, 12(n. esp.), 307-315. [ Links ]

Mattos, R. A. (2009). Os sentidos da integralidade: algumas reflexões acerca de valores que merecem ser defendidos. In: R. Pinheiro & R. A. Mattos (Orgs.), Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde (6a ed., pp.39-64). Rio de Janeiro: IMS/ABRASCO. [ Links ]

Minayo, M. C. de S. (2006). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde (9a ed.). São Paulo: Hucitec.

Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Secretaria de Atenção a Saúde. Coordenação Nacional de DST/AIDS (2004). A política do Ministério da Saúde para atenção integral a usuários de álcool e outras drogas. (2a ed.). Brasília, DF: O Ministério.

Oliveira, M. A. N. (2007). Educação à distância como estratégia para a educação permanente em saúde: possibilidades e desafios. Revista brasileira de enfermagem, 60(5), 585-589.

Portaria n. 305 (2002, 30 de abril). Aprova as Normas de Funcionamento e Cadastramento de Centros de Atenção Psicossocial para Atendimento de Pacientes com Transtornos Causados pelo Uso Prejudicial e/ou Dependência de Álcool e Outras Drogas. Recuperado em 15 de julho de 2008, de http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/PORT2002/PT-305.htm.

Portaria n. 816 (2002, 30 de abril). Instituir, no âmbito do Sistema Único de Saúde, o Programa Nacional de Atenção Comunitária Integrada a Usuários de Álcool e Outras Drogas. Recuperado em 15 de julho de 2008, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0816_30_04_2002.html.

Rassool, G. K., & Rawaf, S. (2008). Educational intervention of undergraduate nursing students' confidence skills with alcohol and drug misusers. Nurse education today, 28(3), 284-292.

Ronzani, T. M. (2005). Avaliação de um processo de implementação de estratégias de prevenção ao uso excessivo de álcool em serviços de atenção primária à saúde: entre o ideal e o possível. Tese de Doutorado, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo.

Ronzani, T. M., Mota, D. C. B., & Souza, I. C. W. (2009). Prevenção do uso de álcool na atenção primária em municípios do estado de Minas Gerais. Revista de saúde pública, 43(Suppl. 1), 51-61.

Saunders, J. B., Aasland, O. G., Babor, T. F., de la Fuente, J. R., & Grant, M. (1993). Development of the alcohol use disorders identification test (AUDIT): WHO collaborative project on early detection of persons with harmful alcohol consumption II. Addiction, 88(6), 791-804.

Solberg, L. I., Maciosek, M. V., & Edwards, N. M. (2008). Primary Care Intervention to Reduce Alcohol Misuse: Ranking Its Health Impact and Cost Effectiveness.� American journal of preventive medicine, 34(2), 143-152.

WHO Assist Working Group. (2002). The Alcohol, Smoking and Substance Involvement Screening Test (ASSIST): development, reliability and feasibility. Addiction, 97(9), 1183-1194.

Carga Horária:

30 horas
Tipo: Obrigatória
Vagas oferecidas: 6
 
Ministrantes: Divane de Vargas


 
 voltar

Créditos
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP