Atividade

89794 - Moda, Psicanálise e Consumo

Período:
Terça 19:30 às 22:50
Quinta 19:30 às 22:50
 
Descrição: Objetivos:
Entender a relação existente entre moda, sujeito, desejo e consumo.
Justificativa:
A psicanálise, como instrumental teórico para a análise do social, apresenta-se como campo de estudo promissor. É na sua relação com a comunicação que se pode perceber o potencial envolto na interdisciplinaridade, pertinente e funcional, que une estes dois importantes campos. Ao abarcar publicidade, desejo e consumo, o contexto contemporâneo é tema de grande interesse em pesquisas de comunicação. Estudos recentes tratam da subjetividade e dos sujeitos que, movidos por desejos, se formam na cultura de consumo propagada pela mídia. Dentro deste contexto, a disciplina busca estabelecer um recorte de análise. Recorte este no qual a moda, pensada sob a ótica da psicanálise, se adequa.
Conteúdo:
1. Princípios fundamentais:
a. Freud e seus principais conceitos: inconsciente, pulsão, narcisismo, recalque, sintoma,
deslocamento, condensação e fantasia;
b. O salto de Lacan e sua relação com a linguística saussurreana. Comunicação, sujeito, desejo e
psicanálise. Metáfora, metonímia e a relação com o sentido. O esquema L como instrumento
para a abordagem da comunicação na psicanálise.
2. A moda como manifestação de subjetividade, sentido e sua relação com o narcisismo. Moda e cultura
de consumo sob a ótica de Bauman e Lipovetsky. Moda, linguagem e publicidade. Moda, sentido e
metrópole. O Consumo autoral, de Francesco Morace, como forma de entender identidade e sentido.
3. Apresentação de cases (anúncios e campanhas publicitárias de moda) como forma de validar, na
prática, a aplicação dos conceitos apresentados.
Forma de Avaliação:
Participação nas aulas; avaliação e trabalho final (ambos individuais e escritos), feitos a partir de questões e tópicos pertinentes à temática, tratada no decorrer do curso.
Bibliografia:
BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.
BARTHES, Roland. O Sistema da Moda. São Paulo: Nacional, 1979.
CARLI, Ana Mery Sehbe de. O Sensacional da Moda. Caxias do Sul: EDUCS, 2002
CALDAS, Dario. Universo da Moda. São Paulo: Ed. Anhembi Morumbi. 1999.
CASTILHO, Kathia. (Org.). Corpo e moda: por uma compreensão do contemporâneo. 1 ed. Barueri: Estação das Letras e Cores, 2008, v. , p. 137-150.
DURAND, José Carlos. Moda, luxo e economia. São Paulo: Babel Cultural, 1988
FERNANDES, M.H. Corpo. Coleção Clínica Psicanalítica. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.
FREUD, S. O mal estar na civilização. In: “Os Pensadores”, São Paulo, Abril Cultural, [1978 (1914)].
_____. Os instintos e suas vicissitudes. In: “Obras completas”, Rio de Janeiro, Imago, [1980 (1914)] Vol XIV.
_____. (1927) “Fetichismo”. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas. Rio de Janeiro: Imago, 1996; v.21.
KEHL, M. R. A publicidade e o mestre do gozo. Comunicação, Mídia e Consumo, São Paulo, v. 1, n. 2, novembro de 2004.
_____. A instância da letra no inconsciente ou a razão desde Freud, In Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.
Lacan, J. (1955-1956/1985). O seminário, livro 3: as psicoses. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.
_____. Função e campo da fala e da linguagem em psicanálise. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge
LIPOVETSKY, Gilles. O Império do Efêmero: A moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1980.
MESQUITA, Cristiane Ferreira. Incômoda Moda: uma escrita sobre roupas e corpos instáveis. São Paulo, Dissertação de Mestrado, PUC: 2000
MILNITZKY, FÁTIMA (ORG.) Narcisismo: o vazio na cultura e a crise de sentido. Goiânia, Dimensão, 2007.
_____. Práticas de propaganda sobre o crédito: um estudo psicanalítico sobre o consumo. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade de São Marcos. 2005.
MORACE, F. (2009). Consumo autoral. As gerações como empresas criativas. São Paulo. Estação das Letras. Tradução Kátia Castilho.
Zizek Crítico: política e psicanálise na época do multiculturalismo. São Paulo: Hacker Editores, 2005, v. , p. 119-138.
ZIZEK, S. O superego pós-moderno. Folha de São Paulo. São Paulo, SP: 23mai, 1999. Sociedade de risco.
Zahar,1998.
_____. (1966a). Écrits. Paris: Seuil. 1966 (col. Le Champ Freudien).
_____. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998 (Col. Campo F)

Carga Horária:

16 horas
Tipo: Obrigatória
Vagas oferecidas: 50
 
Ministrantes: Maria de Fátima Milnitzky


 
 voltar

Créditos
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP