Atividade

89811 - Publicidade & discurso capitalista.

Período:
Terça 19:30 às 22:50
Quinta 19:30 às 22:50
 
Descrição: Síntese: Discurso - articulação do vínculo entre os seres falantes em torno de um laço social específico e suas finalidades implícitas e explícitas.
a. Discurso mestre
b. Discurso histérico
c. Discurso universitário
d. Discurso psicanalítico
e. Discurso competente
f. Discurso publicitário & hiperpublicidade

O laço social que a compra/venda estabelece, seja de coisas manufaturadas ou de força de trabalho, constitui o paradigma das relações humanas na contemporaneidade. A produção, circulação, uso, consumo e descarte das mercadorias tem o dinheiro como mediação e condição de viabilidade. Por sua vez, tudo aquilo que é colocado no mercado precisa de divulgação, como função inicial e essencial da publicidade; entretanto, o discurso publicitário não é somente informativo, pois, seduzindo & persuadindo com finalidade de lucro ou não, transmite também ideologias e concepções do mundo invariavelmente em sintonia com os interesses dominantes.
A onipresença do ecossistema publicitário interfere no espaço público e no privado, nas paisagens urbanas e psíquicas, atingindo e afetando o conjunto da população. Ao mesmo tempo fascinante e potencialmente alienante, na sua ambiguidade constitutiva, a alma do negócio não para nunca, criando modas e obsolescências infinitas, mais do que necessidades.


Referências bibliográficas
ALEMÁN, Jorge. Cuestiones antifilosóficas en Jacques Lacan (El discurso capitalista & la ética del psicoanálisis). Buenos Aires: Atuel, 1993.
BATEY, Michael. O significado da marca. Rio de Janeiro: BestSeller 2009
BAUDRILLARD, Jean. The System of Objects. London: Verso, 1986
CHAUÍ, Marilena. Cultura & democracia (O discurso competente). São Paulo: Moderna, 1980.
DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.
DI NALLO, Egéria. Meeting Points. Marketing para uma sociedade complexa. São Paulo: Cobra, 1999
DUFOUR, Dani-Robert. O divino consumo. Rio de Janeiro, 2007.
DUNKER, Christian & AIDAR PRADO, José Luiz (orgs.). Zizek crítico. São Paulo: Hacker, 2005.
FANTINI, João Angelo (org.). Raízes da intolerância. São Carlos: EduFSCar, 2015.
GOLDENBERG, Ricardo. Política & psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.
HOLT, Douglas. Como as marcas se tornam ícones. São Paulo: Cultrix, 2005
LACAN, Jacques. Seminário XVII: O avesso da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1992.
LEOPOLDO & SILVA, Franklin. O outro. São Paulo: Martins Fontes, 2012.
LIPOVETSKY, Gilles & SERROY, Jean. L´Esthétisation du Monde. Paris: Gallimard, 2013
PENNA, Lúcia Mara Dias Moreira. Psicanálise & universidade. Belo Horizonte: Auténtica, 2003.
PEREIRA, Clóvis. Historiografia & psicanálise. (Doutorado USP)
PEREZ, Clotilde & BARBOSA, Ivan (orgs.). Hiperpublicidade I. São Paulo: ThomsonLearning, 2007
_________. Hiperpublicidade 2. São Paulo: ThomsonLearning, 2007
PINHEIRO GONÇALVES, Luiza Helena. O discurso do capitalista. São Paulo: Via Lettera, 2000.
QUINET, Antonio. Os outros em Lacan. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.
TRINDADE, E. Propaganda Identidade e discurso. Brasilidades midiáticas. 1. ed. Porto Alegre: Sulina, 2012. v. 1.

TRINDADE, E. (Org.); PEREZ, Clotilde (Org.). Deve haver mais pesquisa na publicidade porque é assim que se conquista a real beleza. III Pró-Pesq PP- Encontro Nacional de Pesquisadores em Publicidade. 1. ed. São Paulo: Editora Schoba; CRP/ECA/USP e FAPESP, 2012. v. 1.
VIANA, Silvia. Rituais de sofrimento. São Paulo: Boitempo, 2014.
ZIZEK, Slavoj. Para ler Lacan. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

Carga Horária:

40 horas
Tipo: Obrigatória
Vagas oferecidas: 50
 
Ministrantes: Eneus Trindade Barreto Filho
Fani Hisgail
Maria Clotilde Perez Rodrigues
Paul Kardous


 
 voltar

Créditos
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP