Atividade

90201 - Contos de Fadas: de Perrault a Tolkien

Período:
Sábado 10:00 às 12:00
 
Descrição: EMENTA:

“Narrativas da tradição oral, conceitos e especificidades”
Conceituar e distinguir o conto de fadas dentre demais narrativas da tradição oral. Identificar suas raízes históricas e apresentar seus principais coligidores e autores na tradição europeia.

“Charles Perrault e suas contemporâneas” Realizar uma revisão panorâmica do contexto sociocultural da França sob domínio de Luís XIV, época em que a moda dos salões literários fez surgir um expressivo número de autoras dedicadas à escrita de contos de fadas, entre elas Mme. d'Aulnoy e Gabrielle-Suzanne Barbot de Villeneuve, autora da primeira versão do clássico "A Bela e a Fera". Buscar-se-á conhecer esse fenômeno literário e realizar uma aproximação dessa produção tão eclipsada pela crítica.

“Irmãos Grimm: imaginário romântico e suas traduções intersemióticas”
Situar os irmãos Grimm no contexto histórico, literário e científico do século XIX. Discutir as obras dos Irmãos Grimm como expressões do imaginário romântico. Analisar o conto “João e Maria” no contexto romântico e algumas de suas traduções intersemióticas. Avaliar a relevância das narrativas para a formação do leitor. Responsável : Maria Auxiliadora Fontana Baseio

“Contos de Fadas entre telas: ilustrações”
Refletir sobre os desafios propostos por uma produção literária que apresenta a ilustração como linguagem narrativa, inserindo-a em múltiplos diálogos internos e externos. A partir de uma breve abordagem sobre o percurso da ilustração de contos de fadas, serão propostas discussões por meio de textos e análises de imagens e livros. Verificar a relevância dessas obras na formação do leitor literário e o papel da literatura como processo criativo que embasa, norteia e traça relações com o mundo.


“Hans Christian Andersen e suas reminiscências na atualidade”
Revisitar Hans Christian Andersen, estilo e obras para o público infantil, com destaque para o conto a “A Rainha da Neve”. Analisar as refigurações da personagem Rainha da Neve tanto na literatura quanto em produções fílmicas e televisivas.


“As estórias de fadas de J.R.R. Tolkien.”
Expor as ideias de J.R.R. Tolkien acerca das estórias de fadas: definição, origem e para que servem. Para isso, deverá contar os ensaios Sobre Estórias de Fadas (principalmente) e The Monsters and The Critics (como apoio), de J.R.R. Tolkien. Costurar os conceitos já trabalhados e correlacionar com as ideias do autor, tido popularmente como o pai da fantasia moderna. Abordar o conceito de adaptação, como esse universo do maravilhoso e do fantasy dialoga com outras plataformas além do livro, especialmente no campo audiovisual.

BIBLIOGRAFIA GERAL:

ANDERSEN, Hans Christian. Contos de Hans Christian Andersen. Trad. Silva Duarte. São Paulo: Paulinas,2011.
ANDERSEN, D., FLIEGER, V. Tolkien On Fairy-stories, London: HaperCollins UK, 2014.
ARAÚJO, Alberto Filipe; BAPTISTA, Fernando Paulo (Orgs.). Variações sobre o imaginário: domínios, teorizações, práticas hermenêuticas. Lisboa: Instituto Piaget, 2003.
BASEIO, Maria Auxiliadora Fontana. No vaivém da lançadeira: o retorno do sagrado na literatura infantil/juvenil de língua portuguesa. Dissertação (Mestrado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2000.
BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. 7.ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.
BOSI, A. Reflexões sobre a arte. São Paulo: Ática, 2000
BROWNE, Antony. Hansel and Gretel. London: Walker Books, 2008.
BROWNE, Anthony. Na floresta, São Paulo: Pequena Zahar, 2014
CARPENTER, H. (Org.), TOLKIEN, C. (Assist.). As Cartas de J.R.R. Tolkien. Curitiba: Arte e Letra, 2010.
CHESTERTON, G. K. Considerando Todas as Coisas. Campinas: Ecclesiae, 2013.
______. Ortodoxia. Campinas: Ecclesiae, 2013.
______. O Homem Eterno. São Paulo: Mundo Cristão, 2010.
COELHO, Nelly Novaes Panorama Histórico da literatura infantil e juvenil. São Paulo: Ática, 1991.
______. Literatura infantil: teoria, análise e didática. São Paulo: Moderna,2000.
______. O conto de fadas: símbolos, mitos, arquétipos. São Paulo: Paulinas, 2012.
CUNHA, Maria Zilda da. Na tessitura dos signos contemporâneos: novos olhares para a literatura infantil e juvenil. São Paulo: Paulinas, 2009.
DARNTON, Robert. O grande massacre de gatos, e outros episódios da história cultural francesa. 2.ª ed. Trad. de Sonia Coutinho. Rio de Janeiro: Graal, 1986.
ELIADE, Mircea. Mito e Realidade. Trad. Pola Civelli. 4.ed. São Paulo: Perspectiva, 1994.
FRYE, N. A imaginação educada. Campinas: Vide Editorial, 2017.
FRANZ, Marie-Louise von. A interpretação dos contos de fadas. São Paulo, Paulinas, 1990.
GRIMM, Jacob e Wilhelm. Contos de Grimm - obra completa. Belo Horizonte/Rio de Janeiro, Villa Rica, 1994. (Grandes obras da cultura universal, 16)
JOLLES, André. Formas simples. Tradução Álvaro Cabral. São Paulo: Cultrix, 1976.
LEWIS, CS. Sobre Histórias. São Paulo: Thomas Nelson Brasil, 2018.
LOPES, R. J. A Árvore das Estórias: uma proposta de tradução para Tree and Leaf, de J.R.R. Tolkien. 2006. 115 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2006.
MELOT, Michel. Breve historia de la imagen, Madrid: Ediciones Siruela, 2010.
MENDES, Mariza B. T. Em busca dos contos perdidos: O significado das funções femininas nos contos de Perrault. São Paulo: Editora UNESP/Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2000.
MENNA, Lígia. A Carnavalização na Literatura Infantil. São Paulo: Giostri, 2017.
OSTROWER, Fayga. Acasos e criação artística, Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2013.
PROPP, Vladimir. Morfologia do conto maravilhoso. Tradução Jansna Paravich Sarhan. Rio de Janeiro: Forense- Universitária,1984.
READ, Herbert. O sentido da arte: esboço da história da arte, principalmente da pintura e da escultura, e das bases dos julgamentos estéticos, trad. E. Jacy Monteiro, 4ª ed., São Paulo: Ibrasa, 1978.
_________ . Raízes históricas do conto maravilhoso. trad. Rosemary Costhek Abílio et Paulo Bezerra. São Paulo, Martins Fontes, 1997.
PLAZA, Júlio. Tradução Intersemiótica. São Paulo: Perspectiva, 2003.
SANT’ANNA, Afonso Romano de. Paródia, paráfrase & cia. 3.ed. São Paulo: Ática, 1988. (Série princípios, 1)
SIMONSEN, Michèle. O conto popular. Tradução. Luís C. Castro e Costa. São Paulo: Martins Fontes, 1987.
TOLKIEN, J.R.R. Árvore e Folha. São Paulo: WMF Martins
Fontes, 2013.
______. Contos Inacabados. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2014.
______. O Hobbit. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.
______. O Senhor dos Anéis: As Duas Torres. São Paulo: Martins Fontes, 2009.
______. O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel. São Paulo: Martins Fontes, 2009.
______. O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei. São Paulo: Martins Fontes, 2009.
______. O Silmarillion. São Paulo: HarperCollins Brasil, 2019.
VIDAL, Beatriz Martin. Caperuza, Barcelona: Thule Ediciones SL, 2016 VILLENEUVE, Gabrielle-Suzanne. A Bela e a Fera. Trad. André Telles. São Paulo: Zahar, 2016.
WUNENBURGER, Jean-Jacques. O imaginário. São Paulo: Edições Loyola, 2007.
ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz: a “literatura” medieval. Trad. Amálio Pinheiro e Jerusa Pires Ferreira. São Paulo: Companhia das Letras, 1993

Carga Horária:

12 horas
Tipo: Obrigatória
Vagas oferecidas: 100
 
Ministrantes: Ligia Regina Maximo Cavalari Menna
Maria Zilda da Cunha


 
 voltar

Créditos
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP