Atividade

90925 - Cursos de Inverno da FFLCH - Discurso, canção e mulheres de Nuestra América

Período:
Segunda 14:00 às 18:00
Quarta 14:00 às 18:00
Sexta 14:00 às 18:00
 
Descrição: OBJETIVO GERAL
Ampliar a discussão em torno da canção latino-americana contemporânea produzida por mulheres, entendendo a música popular a partir da imbricação entre discurso, história e ideologia e refletindo sobre a construção discursiva de processos identitários no que diz respeito à enunciação de mulheres no campo da música popular neste século XXI, em contexto latino-americano.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Difundir produções da música popular contemporânea que resgatam aspectos de memória e identidade da América Latina, considerando as especificidades da enunciação de mulheres nesse campo.
- Comparar os cenários atuais da música popular de produção feminina nos diversos países latino-americanos, discutindo como as mulheres se inserem nesse campo de produção de bens simbólicos na atualidade em tais espaços.
- Identificar as características da canção e relacioná-las com seus modos de produção, circulação e recepção para poder compreender as diferentes possibilidades de produção de sentido.
- Analisar canções explorando as possibilidades de produção de sentido através da atenção às distintas materialidades que as constituem, a saber:
i) a verbal, que se considerará por meio dos diferentes níveis de trabalho com a língua (fonético, léxico, morfossintático e discursivo);
ii) a musical, que será abordada em parte de suas especificidades (ritmo, melodia, instrumentação) e no que diz respeito ao elo da música com a letra;
iii) a corporal, considerada a partir da performance tanto vocal como corporal; e, eventualmente,
iv) visual, nos casos em que se abordem videoclipes ou outros materiais audiovisuais vinculados às canções
- Explorar essas possibilidades de produção de sentido a partir da memória discursiva que se constitui em torno dos elementos da canção.
- Discutir e, eventualmente, projetar possibilidades de abordagens à canção - e especialmente daquilo que diz respeito ao recorte neste curso considerado - em contexto educacional

CONTEÚDOS
- A música popular latino-americana de produção feminina na atualidade latino-americana
- Características da canção: a canção como cultura da massa; condições de produção, circulação e recepção
- As condições de produção e os efeitos de sentido: a canção feminina no contexto latino-americano
- Espaço de enunciação: sujeitos (o feminino) e línguas na América Latina
- A canção como objeto simbólico e sua inserção em contexto pedagógico
- Hibridismo cultural na América Latina

METODOLOGIA
O curso buscará atingir seus objetivos e abordar os conteúdos correspondentes por meio da variação entre diferentes tipos de atividades:
- Depoimentos e discussão sobre a fruição de canções e, eventualmente, o trabalho com elas em sala de aula;
- Audição ou visualização de gravações de diferentes canções/videoclipes;
- Análise de canções/videoclipes ou outros materiais de interesse;
- Leitura e discussão de textos acadêmicos;
- Exposição teórica; e
- Elaboração de materiais didáticos ou de divulgação, a partir de discussões realizadas nos encontros.

BIBLIOGRAFIA

ACHARD, P. Memória e produção discursiva do sentido. In: ______. et. al. Papel da memória. (Trad. de José Horta Nunes). Campinas, SP: Pontes, 1999, p. 11-19.
CABRAL, G. G. O. Falar, falar!!! E escutar? – Uma aproximação ao trabalho com a “compreensão auditiva” nas práticas de ensino/aprendizagem de língua estrangeira com foco no espanhol do Brasil. Dissertação de mestrado. Universidade de São Paulo, FFLCH, São Paulo, 2014.
CANCLINI, N. G. (1989) Culturas híbridas: Estratégias para entrar e sair da modernidade. (Tradução de Heloísa Pezza Cintrão, Ana Regina Lessa e Gênese Andrade). 4a. edição, 7a. reimpressão. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2015.
DÍAZ, C. Libro de viajes y extravíos: un recorrido por el rock argentino 1965-1985. Córdoba: Narvaja Editor, 2005.
______. Variaciones sobre el ser nacional. Una aproximación sociodiscursiva al folklore argentino. Córdoba: Recovecos, 2009.
FERREIRA, M. C. L. Análise do discurso e suas interfaces: o lugar do sujeito na trama do discurso. In: Organon. Porto Alegre, v. 24, n. 48, p. 17-34, 2010.
GUIMARÃES, E. Enunciação e acontecimento. In: ______. Semântica do acontecimento: um estudo enunciativo da designação. Campinas: Pontes, 2002, p. 11-31.
NAPOLITANO, M. "Seguindo a canção". Engajamento político e indústria cultural na MPB (1959-1969). São Paulo: Annablume, 2001.
ORLANDI, E. (1999) Análise do Discurso: princípios e procedimentos. 5a. edição Campinas: Pontes, 2003.
PAYER, M. O. e CELADA, M. T. . Sobre sujeitos, língua(s), ensino. Notas para uma agenda. In: ______. (orgs.) Subjetivação e processos de identificação - Sujeitos e línguas em práticas discursivas - inflexões no ensino. Campinas, SP: Pontes, 2016, p. 17-41.
PÊCHEUX, M. Papel da memória. In: ACHARD, P. et. al. Papel da memória. (Trad. de José Horta Nunes). Campinas, SP: Pontes, 1999, p. 49-57.
______. (1983) O Discurso: estrutura ou acontecimento. (Trad. Eni P. Orlandi) 3a. edição. Campinas: Pontes, 2002.
PRADO, M. L. C. A formação das nações latino-americanas: anticolonialismo, antiimperialismo: a América Latina é livre? 3a edição. São Paulo: Atual; Campinas, SP: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1987.
______. O Brasil e a distante América do Sul. In: Revista de História - USP. n. 145, p. 127-149, 2001. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/18921. Acesso em 04 de jan. de 2019.
RAMOS, T. V. e FERREIRA, M. C. L. Para além dos rituais e costumes: o que podemos dizer sobre a noção de cultura em análise do discurso? In: Estudos da Língua(gem). Vitória da Conquista, v. 14, n. 2, p. 139-154, 2016.
REVUZ, C. A língua estrangeira entre o desejo de um lugar e o risco do exílio. In: SIGNORINI, Inês (org.). Língua(gem) e identidade: elementos para uma discussão no campo aplicado. Campinas: Mercado de Letras, 1998, p. 213-230. Trad. de Silvana Serrani-Infante.
SERRANI-INFANTE, S. Formações discursivas e processos identificatórios na aquisição de línguas. In: D. E. L. T. A., vol. 13, n. 1, p. 63-81, 1997a.
______. Diversidade e alteridade na enunciação em línguas próximas. Revista Letras, Porto Alegre, n. 4, p. 11-17, 1997b.
______.Identidade e segundas línguas: as identificações no discurso. In: SGNORINI, I. (org.) Língua(gem) e identidade. Elementos para uma discussão no campo aplicado. Campinas: FAPESP,FAEP/Unicamp, Mercado de Letras, 1998, p. 231-261.
VALVERDE, M. Mistérios e encantos da canção. In: MATOS, C.; TRAVESSOS, E., MEDEIROS, F. T. Palavra cantada. Ensaios sobre poesia, música e voz. Rio de Janeiro: 7letras, 2008, p. 268-277.
VARGAS, H. O enfoque do hibridismo nos estudos da música popular latinoamericana. Anais do V Congresso Latinoamericano da Associação Internacional para o Estudo da Música Popular. 2004. Disponível em: https://docplayer.com.br/17034472-O-enfoque-do-hibridismo-nos-estudos-da-musica-popular-latino-americana.html. Acesso em 14 jan. 2019.
FANJUL, Adrián Pablo. Proximidad lingüística y memoria discursiva. Reflexiones alrededor de un caso. Signo & Seña, Facultad de Filosofía y Letras, UBA, n. 20, enero de 2009, pp.183-205.
______. A pessoa no discurso. Português e espanhol: novo olhar sobre a proximidade. São Paulo: Parábola Editorial, 2017.
FINNEGAN, Ruth. O que vem primeiro: o texto, a música ou a performance? In: MATOS, C. N de; TRAVASSOS, E.; MEDEIROS, F. T. de (orgs.). Palavra cantada: ensaios sobre poesia, música e voz. Rio de Janeiro, 7Letras, 2008.
GONZÁLEZ, Juan Pablo. Pensando a música a partir da América Latina: Problemas e questões. [Trad. Isabel Nogueira] São Paulo: Letra e Voz, 2016.
ARNOUX, Elvira. Análisis del discurso. Modos de abordar materiales de archivo. Buenos Aires: Santiago Arcos, 2006.

Carga Horária:

12 horas
Tipo: Obrigatória
Vagas oferecidas: 41
 
Ministrantes: Greice de Nobrega e Sousa
Larissa Fostinone Locoselli
Michele Costa


 
 voltar

Créditos
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP