Disciplina Discipline CAC5981
Da Pedagogia à Cena (C. Stanislavski - J. Grotowski), da Cena à Pedagogia (V. Meierhold - T. Kantor ) : Perspectivas, Heranças e Fricções

Área de Concentração: 27155

Concentration area: 27155

Criação: 08/06/2018

Creation: 08/06/2018

Ativação: 08/06/2018

Activation: 08/06/2018

Nr. de Créditos: 7

Credits: 7

Carga Horária:

Workload:

Teórica

(por semana)

Theory

(weekly)

Prática

(por semana)

Practice

(weekly)

Estudos

(por semana)

Study

(weekly)

Duração Duration Total Total
20 0 1 5 semanas 5 weeks 105 horas 105 hours

Docente Responsável:

Professor:

Maria Thais Lima Santos

Objetivos:

Investigar as diferenças, e relações, entre os princípios e procedimentos propostos para o ator - formas de aprendizagem, dimensão ética, meios de composição e proposições estéticas que fundamentam os processos criativos, etc. - por quatro encenadores: os russos Constantim Stanislavski e Vsevolod Meierhold e os poloneses Jerzy Grotowski e Tadeusz Kantor. A partir da leitura direta de textos, no contexto dos encontros, analisar os conceitos e operadores poéticos que articulam as diferentes perspectivas estéticas; identificar e diferenciar a produção teatral russa e polonesa entre as grandes guerras, observando as circunstâncias históricas e geográficas, as matrizes filosóficas, religiosas e artísticas que circunscrevem a obra de cada encenador. E, por fim, para além das singularidades de cada criador observar os pontos de convergência e de diálogo artístico entre os criadores, a partir de duas vertentes: de um lado, o trabalho de Constantin Stanislavski e seus desdobramento nas investigações empreendidas por Jerzy Grotowski; do outro, o trabalho de V. Meierhold e a reverberação de suas ideias nas proposições cênicas de T. Kantor.

Justificativa:

A fronteira territorial entre Rússia e Polônia é, historicamente, motivo de tensão e reviravoltas, de rompimentos e sujeições políticas. Contudo, as relações de filiação artística entre Constantin Stanislavski e V. Meierhold, artistas da cena russa que marcaram a tradição teatral euro-oriental na primeira metade do século XX, e de dois importantes encenadores poloneses da segunda metade do mesmo século, Jerzy Grotowski e T. Kantor, demonstram o trânsito, o interesse mútuo e o diálogo entre as duas tradições teatrais. Os laços de hereditariedade entre estes artistas não são decorrentes de uma filiação consanguínea ou seja, da relação direta entre mestre e discípulo; são, antes, o reconhecimento e o enfrentamento destes artistas de problemas filosóficos e estéticos comuns. Stanislavski e Meiehrold inauguram, na Rússia do início do século, a criação de Estúdios dedicados especialmente às experiências de cunho investigativo e pedagógico que reverberam e contaminam outros criadores, como práticas no qual o teatro faz da incerteza, do fazer e do refazer uma mola propulsora da criação. São os próprios encenadores poloneses que reconhecem nas práticas artísticas dos seus antecessores russos as fontes de suas proposições, construindo uma contaminação que nomeamos de filiação artística. Porém, o reconhecimento não significa continuidade e não se baseia nos mesmos princípios estéticos. Tomamos as diferenças entre C. Stanislaviski e V. Meierhold como rastro que se desdobra em duas linhagens - que se opõem, se complementam e se provocam -: na primeira, um vetor que se orienta da pedagogia à cena no qual podemos reconhecer um possível elo entre C. Stanislavski e J. Grotowski, e que tem a ação do ator como centro irradiador da escritura cênica. A hereditariedade é evidente ainda na formação do encenador polonês, que realizou parte dos seus estudos no GITIS, em Moscou, baseado no Sistema Stanislavskiano. Na segunda linhagem, da cena à pedagogia, ainda que pareça menos evidente a filiação é o próprio Tadeusz Kantor que reconhece em Meierhold uma referência, dedicando inclusive o seu penúltimo espetáculo - Je ne reviendrais jamais - ao mestre-antecessor russo. Como artistas que se opunham às concepções realistas e ao caráter mimético da linguagem teatral Meierhold e T. Kantor transformam a composição e a escritura cênica e tornam o processo de criação da encenação como espaço privilegiado das suas investigações. Reconhecer a perspectiva – que é sempre parcial – de cada encenador, nos permite elucidar os rastros do projeto de encenação expressos nos procedimentos pedagógicos e, do mesmo modo, os rastros do processo pedagógico que se revelam na escritura cênica.

Conteúdo:

1. Rússia e Polônia: estrutura de pensamento, fundamentos filosóficos, problemas históricos - antes da Primeira Guerra, depois da Segunda Guerra. 2. C. Stanislavski: o trabalho do ator sobre si mesmo e a vida do espírito humano Textos: Acción – Entretiens de K.S.Stanislavski au Studio Du Bolchoi (1918/1922); “Texto sem título (nomeado pelo editor mexicano El Método de Acciones Física) de C.Stanislavski 3. J. Grotowski: do ator (santo) ao performer Textos: Exercícios; Tu Eres Hijo de Alguien; Il Performer 4. Entre C. Stanislavski e J. Grotowski: perspectivas, heranças e fricções 5. V. Meierhold o ator polifônico e a musculatura da imaginação Textos O Teatro de Feira; Le Revizor 6. Tadeusz Kantor – Do Ator-Objeto ao Objeto-Ator Textos A Scuola Elementare del Teatro - Lezioni Milanesi (trechos); O Objeto torna-se ator”; T. Kantor e o Ator-Objeto 7. Entre Meierhold e T. Kantor: perspectivas, heranças e fricções 8. Pedagogos-encenadores ou Encenadores-pedagogos: artífices da cena

Forma de Avaliação:

Presença e participação na disciplina; Leitura; e Monografia Final

Observação:

Bibliografia:

1. Leitura em sala GROTOWSKI, J. Exercícios in O Teatro Laboratório de Jerzy Grotowski, 1959 - 1969. São Paulo: Ed Perspectiva, 2007, p. 163. __________. Tu Eres Hijo de Alguien in Revista Máscara - Escenologia, n. 11-12. Ciudad del México: jan. 1993. KANTOR, T. Scuola Elementare Del Teatro - Lezioni Milanesi. Milano: Ubulibre, 1988. MEIERHOLD, V. O Teatro de Feira, in Na Cena do Dr. Dapertutto: poética e pedagogia em V.E.Meierhold:1911 a 1916. São Paulo: Perspectiva: Fapesp, 2009 _____________. Le Revizor. In Écrits sur le Théâtre - Vol. II. Trad., Pref. e Notas de Beatriz Picon-Vallin. Paris: La Cité – L’Age d’Homme. 1975. STANISLAVSKI, C. Entretiens de K.S.Stanislavski au Studio Du Bolchoi (1918/1922) in La Ligne des Actions Physiques. Montpellier: L’Entretemps Éditions, 2007. _______________. Texto sem título (nomeado pelo editor mexicano El Método de Acciones Física), in JIMENEZ, Sergio. El Evangelio de Stanislavsky. México, D.F.: Grupo Editorial Gaceta, 1990. 2. Textos obrigatórios (a leitura a ser feita ANTES das datas de leitura dos textos acima) GROTOWSKI, J. Resposta a Stanislavski in Revista Máscara - Escenologia, n. 11-12. Ciudad del México, jan. 1993. ___________. Da Cia Teatral à Arte como veículo in in Revista Máscara - Escenologia, n. 11-12. Ciudad del México, jan. 1993. ___________. O Diretor como espectador de profissão in in Revista Máscara - Escenologia, n. 11-12. Ciudad del México, jan. 1993. ___________. Il Performer in in Revista Máscara - Escenologia, n. 11-12. Ciudad del México, jan. 1993. KANTOR, T. O Objeto torna-se ator” (Xerox) ___________. L’acteur de Tadeusz Kantor comme anti-acteur de Stanislavski in L’Acteur dans le Theatre de Tadeusz Kantor. Paris: Bouffonneries, No. 26/27. 1991. ___________. O Teatro da Morte in O Teatro da Morte. São Paulo: Editora Perspectiva, 2011. MEIERHOLD, V. Mejerchol’d contro il mejerchol’dismo, Il lavoro Del regista con l’attore, Problemi della composizione spaziale di uno spettacolo in Vsevolod E. Mejerchol’d – L’ultimo atto – Interventi, processo e fucilazione. Org. Fausto Malcovati. Firenze: La Casa Usher, 2011. _____________. O Teatro naturalista e o teatro de estados d’alma in Na Cena do Dr. Dapertutto: poética e pedagogia em V.E.Meierhold:1911 a 1916. São Paulo: Perspectiva: Fapesp, 2009 STANISLAVSKI, C. Acción – “O Si”, as “Circunstâncias Propostas” (Capítulo 3); Comunicación (Capítulo X) e La Actitud escênica interna (Capítulo XIV) in El Trabajo del actor sobre si mismo en el proceso creador de las vivencias. Barcelona: Editorial Alba, 2003. ______________________. Travail avec les assistants au Studio Ly-rico-Dramaque in La Ligne des Actions Physiques. Montpellier: L’Entretemps Éditions, 2007. Bibliografia Geral ABENSUR, G. Vsevolod Meyerhold ou a invenção de encenação. São Paulo: Editora Perspectiva, 2011. ____________. "Le système pédagogique de Meyerhold" in Études & Documents - Le jeu de chez Meyerhold et Vakhtangov. Rennes: Université de Haute Bretagne, 1981. ASLAN, Odette. O ator no século XX: evolução da técnica/problema da ética. Trad. Rachel Araújo de Baptista Fuser, Fausto Fuser e J.Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2007. AUTANT-MATHIEU, Marie-Christine (org). Le Théâtre d’At de Moscou – Ramifications, Votages. Paris: CNRS Editions. 2005. BENEDETTI, Jean. Stanislavski & the actor. Great Britain: Methuen, 1998. BRAUN, Edward. Meyerhold on Theatre. London: Eyre Methuen Drama, 1977. CAVALIERI, Arlete Orlando. O Inspetor Geral de Gógol / Meyerhold - Um Espetáculo Síntese. São Paulo, Ed. Perspectiva, 1996. COLE, Toby. Un Manual del Método de Stanislavski. México: Editorial Diana. 1964. CHEKHOV, Michael. Para o Ator. São Paulo: Martim Fontes. São Paulo. 1986. DÁNCHENKO, Nemírovich. Mi experiência teatral. Buenos Aires: Editorial Futuro, 1979. D’AGOSTINI, Nair. O método de análise ativa de K. Stanislavski como base para a leitura do texto e da criação do espetáculo pelo diretor e ator. São Paulo: USP, 2007. DUBATTI, Jorge. História del actor: De la escena clásica la presente. 1a ed. Buenos Aires: Colihue, 2008. (Colihue teatro) ______________. História del actor II: Del ritual dionisíaco a Tadeusz Kantor. 1a ed. Buenos Aires: Colihue, 2009. (Colihue teatro) GORDON, MEL. Biomechanics – in The Drama Review (criticism section – volume 18 número 3). New York University, 1974. _____________. The Stanislavski Technique. New York: Applause Theatre Book Publishers, 1998. GROTOWSKI, Jerzy. Em busca do teatro pobre. Rio de Janeiro: Civilizacão,1987. _________________. O Teatro Laboratório de Jerzy Grotowski, 1959 - 1969. São Paulo: Ed Perspectiva, 2007. _________________. El Performer. Ciudad del México: Revista Máscara - Escenologia, n. 11-12, _________________, FLASZEN, Ludwik. O Teatro Laboratório de Jerzy Grotowski 1959-1969. São Paulo: Ed. Perspectiva, 2007. GUINSBURG, Jacó. A Cena em Aula: Itinerários de um Professor em Devir . – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009. ________________. Stanislavski, Meierhold & Cia. São Paulo: Perspectiva, 2001. __________________. Stanislavski e o Teatro de Arte de Moscou. São Paulo: Editora Perspectiva, 1985. JIMENEZ, Sergio (org). El Evangelio de Stanislavsky. México, D.F.: Grupo Editorial Gaceta, 1990. HAMON-SIREJOLS, Christine. "La biomécanique entre pantomime et discours totalitaire sur le corps" in Études & Documents - Le jeu de l'acteur chez Meyerhold et Vakhtangov. Rennes, Université de Haute Bretagne, 1981. KANTOR, T. Scuola Elementare Del Teatro - Lezioni Milanesi. Milano: Ubulibre, 1988. __________. Ô Douce Nuit – Les Classes d’Avignon. Paris: Actes Sud, 1991. __________. O Teatro da Morte. São Paulo: Editora Perspectiva, 2011. KIEBUZINSKA, C. "Revolutionaires in theater: Meyerhold, Brecht and Witkiewicz" in Theater and Dramatic Studies, n. 49, Paperback, 1988. KNEBEL, Maria. L’Analyse-Action. Paris: Actes Sud, 2006. _____________. El último Stanislavski – Análisis activa de la obra y el papel. España: Fundamentos Colección Arte, 1996. _____________. Poética de la pedagogia teatral. México: Siglo Vinteuno Editores. 1991. KOBIALKA, Michal, ed and trans. "A Journey Through Other Spaces: Essays and Manifestos, 1944-1990." Publisher: University of California Press, 1993. _______________. Tadeusz Kantor's Happenings: Reality, Mediality, and History: Theatre Survey, 2002. _______________. Tadeusz Kantor’s Odysseus: Imagined Myths and Chronicled Histories in Le Maschere di Proteo:, ed. Rosalba Gasparo, Edizioni di Nicolo, 175-185, 2003. ________________. Tadeusz Kantor’s Practice: A Postmodern Notebook. Performing Arts Journal, 28, 1, 2006. ________________. Tadeusz Kantor: Collector and Historian, Performance Research, 12, 4 (December 2007): 78-96. ________________. Tadeusz Kantor and Hamed Taheri: Of Political. N.York: The Drama Review, T204 (Winter 2009) 78-91. _________________. Further on, Nothing: Tadeusz Kantor's Theatre. University of Minnesota Press, 2009. KUSNET, Eugênio. Iniciação à Arte Dramática. Rio de Janeiro: Serviço Nacional de Teatro, 1970. _____________ Método da Ação Inconsciente. São Paulo: Fundação Armando Alvares Penteado, 1971. ______________ Ator e Método. Rio de Janeiro: Funarte, 1997. LAW, Alma and Mel Gordon. Meyerhold, Eisenstein and Biomechanics: Actor Training in Revolutionary Russia. Londres: Mac Farland & Company, 1996 LIMA, Tatiana Motta. As palavras praticadas: relação entre terminologia e prática no percurso artístico de Jerzy Grotowski entre os anos 1959 e 1974. Dissertação de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Teatro. UNIRIO, 2008. MIKLASZEWSKI, KRZYSZTOF. Encuentros com Tadeusz Kantor. México: Conjunciones, 2001. MEIERHOLD, V. E. Correspondência 1896 - 1939 (Pieriepiska 1896-1939). Mosc., Iskusstvo, 1976. ______________. V.E. Meyerhold-Artigos, Cartas, Palestras, Conversas (V. E. Meierhold - Stat'i, Pisma, Rietchi, Biessiedi). Primeira Parte 1891 – 1917 (Tchast' Piervaia 1891- 1917). Moscou, Editora Iskusstvo, 1968. ______________. Meyerhold Coletânea - 1 e 2 (Meierhold Sbornik - 1 i 2). Moscou, Tvortchieskii Tsentr V.Meierhold (Centro de Criação V. Meierhold), 1992. ______________. Sobre o Teatro (O Teatre), S.Petersburgo, 1912. ______________. A Herança Artística de V. E. Meyerhold (Tvortcheskoie Nasliediie V. E. Meierholda), M., Vsierossiiskoie Teatralnoie Obchchestvo, 1978. ___________. Écrits sur le Théâtre . Trad., Pref. e Notas de Beatriz Picon-Vallin . Paris, La Cité – L’Age d’Homme. 1973 (Vol.I), 1975 (Vol. II), 1980 (Vol.III) e 1992 (Vol.IV). ____________. Textos Teóricos. Seleção, estudos, notas e bibliografia de J. A Hormigon Madrid, Publicaciones de la Asociacion de Directores de Escena de España, 1992. ____________. Teoria Teatral. Madrid, Ed. Fundamentos, 1971. ____________ .O Teatro de Meyerhold. R. Janeiro, Ed. Civ. Brasileira, 1976. MOLLICA, Fabio (org). Il teatro possibile: Stanislavskij e il Primo studio Del Teatro d’arte di Mosca. Firenze: La Casa Usher, 1989. PESOCINSKIJ, N. V. Meyerhold - L’attore Biomecanico. Milano, Ubulibre, 1993. PICON –VALLIN. (org) V. Meyerhold. Col. Les Voies de la Création Théâtrale. Volume XVII. Paris, CNRS, 1979. ______________. (org) Meyerhold – La mise en scène dans le siècle. Moscou, OGI, 2001. ______________. A Arte do Teatro: entre tradição e vanguarda. Rio de Janeiro: Folhetim, 2006. ______________. A Cena em Ensaios. São Paulo, Ed. Perspectiva, 2008. ______________. V. Meyerhold. Paris: Actes Sud-Papiers. 2005. RICAHRDS, T. Il Punto-Limite della Performance. Pontedera: Fondazione Pontedera Teatro, 1997. ___________. Al lavoro con Grotowkski sulle azioni fisiche. Milano: Ubulibre1993. RIPELLINO, Angelo Maria. O Truque e a Alma. São Paulo: Perspectiva, 1996. PRONKO, Leonard C. Teatro: Leste e Oeste. São Paulo: Editora Perspectiva,1986. SCANDOLARA, Camilo. Os estúdios do Teatro de Arte de Moscou e a formação da pedagogia teatral no século XX. Campinas: s/n, 2006. SERRANO, Raul. Nuevas Tesis Sobre Stanislavski – Fundamentos para una teoria pedagógica. Buenos Aires: Editora Atuel, 2004. SKIBA-LICKEL. L’Acteur dans le Theatre de Tadeusz Kantor. Paris: Bouffonneries, No. 26/27. 1991. STANISLAVISKI, Contantin. Minha Vida na Arte. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983. ______________________. El Trabajo del actor sobre si mismo en el proceso creador de las vivencias. Barcelona: Editorial Alba, 2003. ______________________. El Trabajo del actor sobre si mismo en el proceso creador de la encarnación. Barcelona: Editorial Alba, 2007. _______________________ A Criação de um Papel. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira: 1984. SYMONS, J. M. Meyerhold Theatre of Grotesque – Post Revolutionary Production 1920- 1932. Miami/Flórida, University of Miami Press, 1971. TAKEDA, Cristiane Layher. Cotidiano de uma lenda: cartas do Teatro de Arte de Moscou. São Paulo: Perspectiva - Fapesp, 2003. THAIS, Maria. Na Cena do Dr. Dapertutto: poética e pedagogia em V.E.Meierhold: 1911 a 1916. São Paulo: Perspectiva: Fapesp, 2009. THOMAS, Richards. Al Lavoro con Grotowski sulle azioni fisiche. Milano: Editora Ubulibri, 1993. TOPORKOV, Vassíli. Stanislavski ensaia – memórias. São Paulo: É Realizações, 2016.