Disciplina Discipline CAP5938
Monumento às Bandeiras como Processo: do Presente ao Passado (Módulo I)

Área de Concentração: 27160

Concentration area: 27160

Criação: 13/11/2018

Creation: 13/11/2018

Ativação: 29/11/2018

Activation: 29/11/2018

Nr. de Créditos: 7

Credits: 7

Carga Horária:

Workload:

Teórica

(por semana)

Theory

(weekly)

Prática

(por semana)

Practice

(weekly)

Estudos

(por semana)

Study

(weekly)

Duração Duration Total Total
3 0 4 15 semanas 15 weeks 105 horas 105 hours

Docentes Responsáveis:

Professors:

Domingos Tadeu Chiarelli

Thiago Gil de Oliveira Virava

Objetivos:

Objetivo 1 Partindo do estudo de obras que “releem” o Monumento às Bandeiras (inaugurado em 1953 no Parque Ibirapuera), de Victor Brecheret, desenvolver um estudo sobre os modos de recepção dessa obra por parte de artistas atuantes em São Paulo, enfatizando as transformações de sentido pelas quais passou o monumento nas últimas décadas, sem deixar de contemplar as questões estéticas que estruturam sua concepção. Discutir os modos de recepção da obra junto ao público em geral, por meio da análise da circulação de sua imagem em diferentes meios. Objetivo 2 O curso também contempla discussões sobre algumas estratégias metodológicas para se refletir sobre o monumento público e sua constante ressignificação histórica.

Justificativa:

Os proponentes da Disciplina reconhecem a necessidade de um enfrentamento da crítica e da história da arte brasileira com aquela parcela da produção artística atual que, longe de trafegar por preocupações apenas formais ou comportamentais, manifesta preocupações ativistas frente à realidade social que o Brasil vive na atualidade. Poder estabelecer esse enfrentamento, tendo como base uma obra tão emblemática para a cidade de São Paulo – o Monumento às Bandeiras, de Victor Brecheret – poderá estabelecer novas perspectivas não apenas sobre as modificações que o meio de arte da cidade sofreu nos últimos anos, mas, sobretudo, como a sociedade brasileira – aqui sintetizada pela comunidade de São Paulo – mudou suas perspectivas estético-ideológicas no último século.

Conteúdo:

Aula 1: Experiência Paulistana: a curadoria como processo Aula 2: Memórias Individuais e Coletivas: Sidney Amaral, Flávio Cerqueira / Jaime Lauriano e Maria Thereza Alves Aula 3: Fernando Piola, Guto Lacaz / Victor Flynn, Luis Gê Aula 4: Regina Silveira / 3NÓS3 Aula 5: Brecheret nas franjas do moderno Aula 6: Brecheret nas franjas do contemporâneo Aula 7: O Projeto do Monumento Às Bandeiras de 1936/53 Seminário :"Il Problema della forma”. (HILDEBRAND, 1996). Aula 8: A Inauguração do Monumento Às Bandeiras no contexto do IV Centenário de São Paulo. - Seminário: - “Tempos., lugares, sociabilidade”. (ARRUDA, 2001). Aula 9: O bandeirante paulista na visão de Paulo Prado e Sergio Buarque de Holanda; Seminário: "O Caminho do Mar" e "Bandeiras" (PRADO, 2004). Aula 10: O Bandeirante: de Mito Paulista para Mito Brasileiro Seminário: “O Parque do Ibirapuera e a construção da identidade paulista”. (MARINS, 2003). Aula 11: Modos de Circulação da Imagem do Monumento Às Bandeiras - Seminário: “Medio – Imagen – Cuerpo”. (BELTING, 2007) Aula 12: - O Monumento Às Bandeiras: Memorabilia - “”Seu país precisa de você””: um estudo de caso em iconografia política (GINZBURG, 2014). Aula 13: O Monumento Às Bandeiras como paisagem Seminário: “La Imagen-aura. Del ahora, del otrora y de la modernidade”. DIDI-HUBERMAN, 2008). Aula 14: O Monumento Às Bandeiras: lugar de protesto Seminário: NORA, Pierre. "Entre memória e história. La problemática de los lugares". In: Pierre Nora en Les lieux de mémoires. trad. Laura Masello. Montevidéo: Ed. Trilce, 2008. Aula 15: O Monumento Às Bandeiras: Preservação ou Destruição? Seminário: LE GOFF, Jacques. "Documento/Monumento". In: Historia e Memória. Tradução Bernardo Leitão. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1990, p. 535-549 Aula 16: Fechamento do Módulo;

Forma de Avaliação:

Os estudantes serão avaliados por uma monografia a ser entregue no final da disciplina. Como forma de avaliação complementar, o estudante poderá também apresent

Observação:

Bibliografia:

Metodologia Livros - BELTING, Hans. Antropología de la imagen. Buenos Aires/Madrid: Katz Editores, 2007. - BLOCH, Marc. Apología para la historia o el oficio de historiador. (Edición anotada por Étienne Bloch),2ª. México: FCE, 2001. - CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. 2ª. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002. - DANTO, Arthur C. After the end of art. Contemporary art and the pale o history. Princeton: Princeton University Press, 1995. - DIDI-HUBERMAN, Georges. Ante el tiempo. Buenos Aires: Adriana Hidalgo Editora, 2008. - DIDI-HUBERMAN, Georges. Cuando las imágenes toman posición. Madrid: A. Machado Libros, 2008. - DIDI-HUBERMAN, Georges. Imagens apesar de tudo. Lisboa: KKYM, 2012. - DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente. História da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg.Rio de Janeiro: Contraponto, 2013. - GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais. Morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. - GINZBURG, Carlo. Olhos de Madeira. Nove reflexões sobre a distância. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. GINZBURG, Carlo. Relações de força: história, retórica, prova. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. - GINZBURG, Carlo. Medo, reverência, terror,Quatro ensaios de iconografia política. São Paulo: Companhia das Letras, 2014. - GROYS, Boris. Obra de arte total Stalin. Topología del arte. La Habana: Centro Teórico-Cultural, 2008. - GROYS, Boris. Going public. Sternberg Press - LE GOFF, Jacques. A história nova. 2ª. São Paulo: Martins Fontes, 1993. - LE GOFF, Jacques. História e memória. 5ª. Campinas: Editora da Unicamp, 2003. - LE GOFF, Jacques. A história deve ser dividida em pedaços? São Paulo: ed. Unesp, 2015. - SALVINI, Roberto (org.). La critica d’arte della pura visibilità e del formalismo. Milano: Aldo Garzanti Editore, 1977. HISTÓRIA DA ARTE (Internacional) Livros - BISHOP, Claire. Artificial hells. Participatory art and the politics of spectatorship. London/New York: Verso, 2012. - FOSTER, Hal. O retorno do Real. São Paulo: Cosacnaify, 2014. - GUILBAUT, Serge. Los espejismos de la imagen em los lindes del siglo XXI. Madrid: Akal, 2009. - HILDEBRAND, Adolf von. Il problema della forma. Milano: TEA, 1996. - MELENDI, Maria Angélica. Estratégias da arte em uma era de catástrofes. Rio de Janeiro: Cobogó, 2017. - RIEGL, Alois. O culto moderno dos monumentos. A sua essência e a sua origem. São Paulo: Perspectiva, 2014. HISTÓRIA DA ARTE (Brasil) - AMARAL, Aracy. Artes plásticas na Semana de 22. São Paulo: Editora Perspectiva-Edusp, 1972. - BATISTA, Marta Rossetti. Bandeiras de Brecheret: História de um Monumento (1920-1953). São Paulo: Departamento do Patrimônio Histórico, 1986. - BRITO, Mario da S. História do modernismo brasileiro. Antecedentes da Semana de 1922.5ª. Edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978, - CHIARELLI, Tadeu. Um modernismo que veio depois. Arte no Brasil – primeira metade do século XX. São Paulo: Alameda, 2012. - CHIARELLI, Tadeu. “Plano em repouso/plano em tensão: Hildebrand e a arte contemporânea brasileira”. In: Arte internacional brasileira. São Paulo: Lemos Editorial, 1999. - CHIARELLI, Tadeu. “A obra de Galileo Emendabili: síntese e superação de influências”. In: FABRIS, Annateresa (org.). Monumentos a Ramos de Azevedo: do concurso ao exílio. Campinas, SP; São Paulo: Mercado de Letras; FAPESP, 1997. - COSTA, Luiz Cláudio da. (org.). Dispositivos de registro na arte contemporânea. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria/FAPERJ, 2009. - COUTO, Maria de Fátima M./FUREGATTI, Sylvia Helena (orgs.). Espaços da arte contemporânea. São Paulo: Alameda, 2013. - FABRIS, Annateresa. O futurismo paulista. São Paulo: EDUSP-Fapesp, 1994. - FABRIS, Annateresa (org.). Monumento a Ramos de Azevedo: do concurso ao exílio. Campinas: Mercado de Letras, São Paulo: FAPESP, 1997. - FREITAS, Arthur. Arte de Guerrilha. Vanguarda e conceitualismo no Brasil. São Paulo: Edusp, 2013. - KNAUSS, Paulo (org.). Cidade Vaidosa. Imagens urbanas do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1999. - MAMMÌ, Lorenzo. O que resta. Arte e Crítica de arte. São Paulo: Companhia das Letras, 2012. - PECCININI, Daisy. Brecheret e a Escola de Paris. São Paulo: Instituto Victor Brecheret/FM Editorial, 2011. - PICCHIA, Menotti del. O gedeão do modernismo. 1920-22. Introdução, seleção e organização: Yoshie Sakiyama Barreirinhas). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura, 1983. - PINTO, Adolpho A. Brecha. São Paulo: Off.Typ. Cardozo Filho & C., 1911. - TOLEDO, Benedito L. Prestes Maia e as origens do urbanismo moderno em São Paulo. São Paulo: Empresa das Artes, 1996. Dissertações e Teses - KUNIGK, Maria Cecília. Nicola Rollo (1889-1970): um escultor na modernidade Brasileira. São Paulo. Dissertação de Mestrado. ECA USP, 2001. - LIMA JR., Carlos Rogério. Um artista às margens do Ipiranga. Oscar Pereira da Silva, o Museu Paulista e a reelaboração do passado nacional. São Paulo. Dissertação de Mestrado. São Paulo: IEB USP, 2015. - MONTEIRO, Michelli Cristine S. São Paulo na disputa pelo passado: o Monumento à Independência de Ettore Ximenez. São Paulo. Tese de Doutoramento. FAUUSP, 2017. - PORTO, Marly T.C. Confrontos e paralelos: O Salão Internacional de Arte Fotográfica de São Paulo (1942-1959). Dissertação de Mestrado defendida junto ao PPG Interunidades em Estética e História da Arte, 2 vol, 2018. - WALDMAN, Thaís Chang. Entre batismos e degolas: (des)caminhos dos bandeirantes em São Paulo. Tese. Departamento de Antropologia FFLCH USP, 2018. - ZIMMERMANN, Silvana Brunelli. A obra escultórica de Galileo Emendabili: uma contribuição para o meio artístico paulistano. Dissertação de Mestrado defendida junto ao Departamento de Artes Plásticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo., 2000. Catálogos (Textos para Exposições) - CHIARELLI, Tadeu (Cur.). “Andar por São Paulo faz com que São Paulo também ande em nós”. Texto de apresentação da mostra: Metrópole: experiência paulistana. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2017. - CHIARELLI, Tadeu. “Brecheret, a escultura e a pedra rolada”. In: 'Victor Brecheret:1894-1955'. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 2018 - CHIARELLI, Tadeu. “Sobre a mostra Territórios: artistas afrodescendentes no acervo da Pinacoteca”. In CHIARELLI, Tadeu (org.). Territórios: artistas afrodescendentes no acervo da Pinacoteca. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2016. - NABOR JR. “Meu passado (não) me condena: memória, raça e identidade nas pinturas de Sidney Amaral”. in O Menelick Segundo Ato. São Paulo: ano 5, ed. 017, out/dez., 2015. Págs. 16/21. - SILVA, Claudinei Roberto da (Cur.). “Sidney Amaral. A sedução do incômodo”. Texto de apresentação do catálogo da mostra: O banzo, o amor e a cozinha de casa. São Paulo: IPISIS. Museu Afro Brasil, 2015. Artigos - CAMPOS, Chris. Revista Trip. Dez. 2000. Vol14, n.85. ISSN 1414-350X. S/ paginação. - CHIARELLI, Tadeu. “Em quadrinhos: o Monumento às Bandeiras como imagem e lugar”. Abril de 2018.(Inédito). - CHIARELLI, Tadeu. “Sidney Amaral: entre a afirmação e a imolação”. In: Arte!Brasileiros, São Paulo, 08 out. 2018. Disponível em: https://artebrasileiros.com.br/arte/artigo/sidney-amaral-entre-a-afirmacao-e-a-imolacao/ - MARINS, Paulo César Garcez. “O Parque do Ibirapuera e a construção da identidade paulista”. In: Anais do Museu Paulista. São Paulo. N. Sér. v. 6/7. p. 9-36 (1998-1999). 2003. - NOVAES, Teresa. “Prefeitura não retira âncora de Brecheret”. Folha de S. Paulo. Ilustrada. São Paulo: 15 de dezembro de 2004. - VIRAVA, Thiago Gil de Oliveira. “Jaime Lauriano e Oswald de Andrade: visões sobre o Pau Brasil”. Comunicação apresentada no Encontro La creación artística de hoy, patrimônio de mañana: Museu y archivo, memoria e identidade. Barcelona, 2018. (Inédito). - VIRAVA, Thiago Gil de Oliveira. “Memória e história, presente e passado: a imagem do Monumento às Bandeiras nas obras de Jaime Lauriano e Maria Thereza Alves”, 2018. (Inédito). HISTÓRIA/SOCIOLOGIA (Brasil) Livros - ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento. Metrópole e cultura: São Paulo no meio século XX. Bauru SP: Edusp, 2001. - CERRI, Luís Fernando. A ideologia da paulistanidade. São Paulo: Editora Cone Sul, 2003. - HOLANDA, Sergio Buarque de. Caminhos e fronteiras. 4ª. São Paulo: Companhia das Letras, 2017. - LOVE, Joseph. A locomotiva: São Paulo na federação brasileira, 1889-1937. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982. - MONTEIRO, John Manuel. Negros da Terra. Índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo: Companhia das Letras, 1994. - PRADO, Paulo. Paulistica etc. 4. ed. rev. e ampl. por Carlos Augusto Calil. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. - ROLNIK, Raquel. Territórios em Conflito. São Paulo: espaço, história e política. São Paulo: Três Estrelas, 2017 - SOUZA, Jessé. A tolice da Inteligência brasileira. Ou como o país se deixa manipular pela elite. São Paulo: LeYa, 2015. - TOLEDO, Roberto Pompeu de. A capital da vertigem. Uma história de São Paulo de 1900 a 1954.Rio de Janeiro: Objetiva, 2015