Disciplina Discipline CCA5193
Narrativas Televisivas de Ficção: Discursos, Gêneros e Formatos

Television narratives in fictional series: discourses, genres and formats

Área de Concentração: 27164

Concentration area: 27164

Criação: 25/07/2019

Creation: 25/07/2019

Ativação: 26/11/2019

Activation: 26/11/2019

Nr. de Créditos: 7

Credits: 7

Carga Horária:

Workload:

Teórica

(por semana)

Theory

(weekly)

Prática

(por semana)

Practice

(weekly)

Estudos

(por semana)

Study

(weekly)

Duração Duration Total Total
2 2 3 15 semanas 15 weeks 105 horas 105 hours

Docente Responsável:

Professor:

Maria Cristina Palma Mungioli

Objetivos:

1. Estudar e discutir a construção de sentidos por meio da ficção televisiva tanto em termos narrativos e discursivos quanto em termos de gêneros e formatos. 2. Analisar a produção de sentido de narrativas televisivas ficcionais com base no estudo do discurso verbo-visual (de linha francesa), destacando, ao mesmo tempo, as contribuições dos estudos sobre as narrativas tanto em suas perspectivas de construto sociocultural quanto narratológicas. 3. Compreender por meio do estudo de relações entre gêneros do discurso, gêneros literários e gêneros televisuais possíveis imbricações para a constituição de formatos televisivos ficcionais na contemporaneidade, considerando-os em suas dimensões econômica, cultural e simbólica. 4. Discutir as relações entre criação, produção, circulação e recepção de conteúdos televisivos em diferentes mídias e suportes tais como: internet, vídeo sob demanda (VoD) e mídias sociais. 5. Estudar o principal tema do curso – a produção de sentido nas narrativas de ficção seriadas ficcionais - a partir da perspectiva interdisciplinar que constitui o campo da Comunicação de modo a oferecer uma visão ampliada do objeto de pesquisa do estudante da pós-graduação, bem como das possibilidades teórico-metodológicas de abordagem de seus respectivos temas.

Justificativa:

As narrativas televisivas destacam-se no cenário cultural da atualidade na medida em que constroem/desconstroem discursos sobre os mais diversos aspectos da sociedade - sociais, culturais, econômicos -, dando-lhes sentido, atribuindo-lhes valor, organizando-os, estabelecendo vínculos, mesmo que seja pela contradição, pela negação ou pelo esquecimento. É incidindo sobre essa capacidade de criar sentidos, sentimentos, representações sociais e identitárias por meio da linguagem verbo-visual que a televisão tem se consolidado ao longo dos anos como um dos meios de comunicação mais vigorosos e importantes da cultura contemporânea. Nesse contexto, cabe destacar o sucesso sobretudo da ficção seriada de televisão em escala mundial - não somente das séries estadunidenses, mas também das telenovelas (incluindo as brasileiras) - propiciando um sem número de estudos não apenas no campo da Comunicação, mas também da Antropologia, Sociologia, Filosofia apenas para citar alguns. Considerando esse cenário, o presente curso parte do pressuposto de que a comunicação verbal e visual mediadas pela tecnologia (rádio, cinema, televisão, internet, plataformas de streaming) caracteriza-se não pela exclusão, mas pela adição, complementaridade e hibridização de gêneros, formatos e gêneros discursivos. Considera-se que a ficção televisiva produz sentidos não apenas pela abordagem de um tema, mas também pela estruturação e pelo funcionamento de determinado formato ou gênero discursivo. Em termos gerais, o curso pretende discutir a forma complexa de elementos composicionais como temas, roteiro, linguagem verbal, estética visual e estilo se constroem e se reconstroem no formato serial. Tal perspectiva justifica-se por meio da compreensão de que esse formato/gênero deve ser considerado em um quadro complexo de interpretação do texto televisivo estabelecido a partir de sua materialidade (histórica, social, composicional). A disciplina insere-se na Linha de Pesquisa 1 - Comunicação, redes e linguagens: objetos teóricos e empíricos, uma vez que se dedica ao estudo das inter-relações entre gêneros televisivos, gêneros do discurso e narrativas ficcionais, numa perspectiva de análise crítica da ficção televisiv

Conteúdo:

O curso está estruturado em quatro tópicos temáticos: I. Narrativas e linguagens televisivas: 1.1. Narrativas, linguagens e cultura; 1.2. Interpretação narrativa da realidade; 1.3. Narrativas na/da televisão: atualização e deslocamentos de discursos e práticas sociais. II. Discurso e produção de sentido: 2.1. Linguagem e ideologia; 2.2. Comunicação e análise do discurso (AD.); 2.3. A perspectiva dialógica de Bakhtin: ideologia, enunciação e alteridade; 2.4. Gêneros do discurso. III. Gêneros e Formatos Ficcionais televisivos: 3.1. Gêneros televisivos como formas sociais; 3.2. Gêneros ficcionais e não-ficcionais na televisão; 3.3. Formatos ficcionais; 3.4. Telenovela, folhetim e melodrama: matrizes genéricas entre transformações e permanências. IV. Narrativa e ficção televisiva: 4.1. Poéticas das séries de televisão; 4.2. Estruturas narrativas e construções discursivas; 4.3. Estilos e estéticas contemporâneas: transformações e permanências; 4.4. Discussão e análise de narrativas televisuais: relação teoria-prática.

Forma de Avaliação:

Monografia final individual e produção de Seminários e exercícios sobre temas do Programa.

Observação:

Bibliografia:

ABBOTT, Stacey. The cult TV book: from Start Trek to Dexter, new approaches to TV outside the box. Berkeley, CA: Soft Skull Press, 2010. ANG, Ien. A ficção televisiva no mundo: melodrama e ironia em perspectiva global. MATRIZes, ano. 4, No. 1 (2010). Disponível em: http://www.matrizes.usp.br/ojs/index.php/matrizes/article/view/203/pdf_193 APPADURAI, Arjun. Dimensões culturais da globalização.Lisboa: Editorial Teorema, 2004. ARISTÓTELES. Retórica das paixões. São Paulo: Martins Fontes, 2000. ARISTÓTELES & HORÁCIO & LONGINO. A poética clássica. São Paulo: Cultrix, 1995. BAKHTIN, Mikhail. A cultura popular na Idade Média: o contexto de François Rabelais. São Paulo: Hucitec; Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1993(a). BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005. BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003. BARBIERO, Alessia. Settimo Potere: come le serie TV influenzano la vita sociale e politica. CreateSpace Independent Publishing Platform, 2012. BIELBY, Denise D.; HARRINGTON, And C. Lee. Global TV: exporting television and culture in the world market. New York: New York University Press, 2008. BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. São Paulo: Cia. das Letras, 2005. BRUNER, Jerome. A cultura da educação. Porto Alegre: Artmed, 2001. BUTLER, Jeremy G. Television Style. New York: Routledge, 2010. CANCLINI, Néstor Garcia. Consumidores e cidadãos. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2008. CANDIDO, Antonio et al. A personagem de ficção. 10ª. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004. CHALABY, Jean. From internationalization to transnationalization. Global Media and Communication. vol. 1, n. 1, p. 30-33, 2005. CHARADEAU, Patrick & MAINGUENEAU, Dominique Dicionário de Análise do Discurso. São Paulo: Contexto, 2004. COSTA, Ana Paula Silva Ladeira. Fluxos internacionais da comunicação: a circulação de formatos televisivos franqueados na América Latina. Tese de doutorado. Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense. Niteroi, 2013. DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. 1. Artes do fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007. EAGLETON, Terry. Ideologia. Uma introdução. São Paulo: Editora UNESP/Editora Boitempo, 1997. ECO, Umberto. Seis Passeios pelos Bosques da Ficção. São Paulo: Cia. das Letras, 1997. ESQUENAZI, Jean-Pierre. As séries televisivas. Lisboa: Texto & Grafia, 2011. FIGARO, Roseli. Comunicação e análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2012. FISKE, J. & HARTLEY, J. Reading Television. Londres: Methuen, 1978. FORSTER, Edward M. Aspectos do romance. São Paulo: Globo, 1998. FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996. FUNG, Antony. The globalization of TV formats. p. 130-140 in: Oakley, Kate; O'Connor, Justin (ed).The Routledge Companion to the Cultural Industries. New York: Rotledge, 2015. GAUDREAULT, André; JOST, François. Le récit cinématographique: films et séries televisées. Paris: Armand Colin, 2017. HALL, S. Codificação/Decodificação. In: HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. p. 364-381. JOHNSON, Steven. Everything Bad is Good for You: how todays popular culture is actually making us smarter. New York: Riverhead Books, 2005. JOHNSON, Steven. O poder inovador da diversão: como o prazer e o entretenimento mudaram o mundo. Rio de Janeiro: Zahar, 2017. JOST, François. De quoi les séries américaines sont-elles le symptôme. Paris: CNRS Éditions, 2011. JOST, François. Les nouveaux méchants: quand les séries américaines font bouger les lignes du Bien et du Mal. Paris: Bayard, 2015. JOST, François. Pour une télévision de qualité. Paris: INA Éditions, 2014. JOST, F. Seis lições sobre televisão. Porto Alegre: Sulina, 2004. LOPES, Maria Immacolata Vassallo de. Telenovela: internacionalização e interculturalidade. São Paulo: Edições Loyola, 2004. GRAY, Jonathan; LOTZ, Amanda D. Television Studies. Cambridge (UK): Polity Press, 2012. MACHADO, Arlindo. A televisão levada a sério. 3ª ed. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2003. MARTEL, Frédéric. Mainstream: a guerra global das mídias e das culturas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012. MARTIN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2001. MITTELL, Jason. Complex TV. New York: New York University Press, 2015. P. 233-260. MOTTER, Maria Lourdes & MUNGIOLI, Maria Cristina P. Gênero teledramatúrgico: entre a imposição e a criatividade. REVISTA USP, São Paulo, no. 76, p. 149-156, dezembro/fevereiro 2007-2008. MUNGIOLI, Maria Cristina P. - Apontamentos para o estudo da narrativa. In Comunicação & Educação, no. 23, ano VII, jan/abr 2002 - São Paulo: Salesiana. MUNGIOLI, M. C. P.; PELEGRINI, C. Narrativas complexas na ficção televisiva. Revista Contracampo, vol. 26, n. 1, 2013. Niterói: Contracampo, 2013. p. 21-37. Disponível em: http://www.uff.br/contracampo/index.php/revista/article/view/308/263 NEL, Noel. G´néricité, séquentialité, esthétique télévisuelles. Réseaux no. 81, CNET 1997. Disponível em: http://www.persee.fr/web/revues/home/prescript/article/reso_0751-7971_1997_num_15_81_2884. Acesso em 10/09/2015. OAKLEY, Kate; O'CONNOR, Justin (ed).The Routledge companion to the cultural industries. New York: Rotledge, 2015. RYAN, Marie-Laure; THON, Jan-Noël. (ed) Storyworlds across media: toward a media-conscious narratology. Lincoln (USA): University of Nebraska Press, 2014. SEPULCHRE, Sarah. Décoder les séries télévisées. Bruxelas: Éditions De Boeck Université, 2011. SINCLAIR, John. A transacionalização de programas televisivos na região ibero-americana. MATRIZes, v. 8, nº 2, jul/dez 2014 - São Paulo, p. 63-77. SINCLAIR, John. O descentramento de fluxos culturais, de públicos e seu acesso à televisão. MATRIZes, Ano 3, nº 1, ago/dez 2009, p. 49-64. SINCLAIR, J.; STRAUBHAAR, J.D. Latin American television industries. London: British Film Institute/Palgrave Macmillan, 2013. SMITH, Murray. Enganging characters. Fiction, emotion, and the cinema. New York: Oxford University Press, 2004. THOMPSON, Ethan; MITTELL, Jason (ed). How to watch television. New York: New York University Press, 2013. TODOROV, Tzvetan. Motivo. In: DUCROT, O.; TODOROV. T. Dicionário enciclopédico das ciências da linguagem. São Paulo: Perspectiva, 2001. VOLÓCHINOV, Valentin. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Ed. 34, 2017, 1ª. ed. VIGOTSKI, L. S. Imaginação e criatividade na infância. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2014. WILLIAMS, R. Televisão: tecnologia e forma cultural. São Paulo: Boitempo; Belo Horizonte, MG: PUC-Minas, 2016.

Idiomas ministrados:

Português

Languages taught:

Portuguese