Disciplina Discipline CTR6001
Perspectivas do Cinema Experimental Brasileiro: A Tradição da Paródia e o Uso da Ironia no Cinema Cafajeste

Área de Concentração: 27161

Concentration area: 27161

Criação: 31/10/2018

Creation: 31/10/2018

Ativação: 08/11/2018

Activation: 08/11/2018

Nr. de Créditos: 2

Credits: 2

Carga Horária:

Workload:

Teórica

(por semana)

Theory

(weekly)

Prática

(por semana)

Practice

(weekly)

Estudos

(por semana)

Study

(weekly)

Duração Duration Total Total
12 0 3 2 semanas 2 weeks 30 horas 30 hours

Docentes Responsáveis:

Professors:

Rubens Luis Ribeiro Machado Junior

Daniel Pecego Vieira Caetano

Objetivos:

O objetivo do curso é rever a produção de filmes do período do dito Cinema Marginal e dos anos seguintes ligada à proposta de um “Cinema Cafajeste”, conforme foi definida pelo texto escrito por João Callegaro para divulgação do filme As Libertinas. Diferentemente do eixo mais estudado do grupo de filmes marginalista, em que a encenação confrontava diretamente as convenções narrativas básicas, nos filmes que serão estudados neste curso a relação com a narrativa clássica se dá pela chave da ironia e da paródia. Assim, este curso tem também como objetivo promover uma revisão estética e histórica deste importante movimento ocorrido nos anos 1960 e 1970, buscando observar um eixo fundamental que de certa maneira foi deixado de lado na maior parte da bibliografia dedicada ao período e, assim, enriquecendo a compreensão das principais linhas estéticas da produção brasileira.

Justificativa:

O presente curso, em formato intensivo, com duração de seis dias distribuídos em duas semanas, das 14h às 18h, se justifica sobretudo por permitir compartilhar com a comunidade acadêmica da USP algumas bases da pesquisa em desenvolvimento dentro do programa Pesquisador Colaborador. Nesse sentido, o curso pode oferecer discussões a partir da pesquisa em andamento, colaborando para o desenvolvimento da própria pesquisa e também das reflexões junto aos discentes. O contexto histórico e estético analisado no curso deixou uma herança hoje largamente reconhecida no cinema brasileiro contemporâneo, e sua revisão permitirá aos discentes que estudem e reflitam sobre a perenidade de algumas das questões cruciais para o grupo de filmes estudado.

Conteúdo:

Este curso pretende analisar as questões estéticas e históricas determinantes para filmes feitos no período do dito Cinema Marginal e ligados ao conceito de “Cinema Cafajeste” proposto por João Callegaro na época, tais como O Bandido da Luz Vermelha, As Libertinas, A Mulher de Todos, O Pornógrafo, Audácia ou A Fúria dos Desejos e também filmes posteriores ao período e diretamente ligados às propostas estudadas, como A Ilha dos Prazeres Proibidos, Império do Desejo ou O Segredo da Múmia. A análise desta produção, à luz dos textos produzidos no ou sobre o período, permite observar como foi que, dentro da tradição da paródia, este grupo de filmes buscou responder à crise das utopias vivida pela geração marginalista.

Forma de Avaliação:

- Participação em aula - Apresentação de texto de revisão teórica e/ou análise crítica.

Observação:

O curso será oferecido em formato intensivo por duas semanas, com aulas de quarta a sexta, das 14h00 às 18h00, entre os dias 21 a 30 de novembro de 2018. O trabalho de final de curso deverá ser entregue até o final da semana seguinte.

Bibliografia:

ABBADE, Mario (org). Catálogo da mostra Carlos Reichenbach – o cinema de autor brasileiro. Rio de Janeiro: Central das Artes / Caixa Cultural, 2015. ABREU, Nuno César, Boca do Lixo: Cinema e Classes Populares. Campinas: Unicamp, 2006 AMANCIO, Tunico, Artes e Manhas da Embrafilme: Cinema estatal em sua época de ouro. Niterói: EdUFF, 2000). ANDRADE, Oswald de, Obras completas, vol. VI – do Pau-Brasil à Antropofagia e às Utopias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972. ARAÚJO, Inácio, Cinema de boca em boca – escritos sobre cinema (org. TOSI, Juliano). São Paulo: Imprensa Oficial, 2010 ARTE EM REVISTA nº 5, maio de 1981. CEAC – Centro de Estudos de Arte Contemporânea. São Paulo: Editora Kairós, 1981. AVELLAR, José Carlos, O cinema dilacerado. Rio de Janeiro: Alhambra, 1986. BERNARDET, Jean-Claude, Brasil em tempo de cinema. São Paulo: Companhia das Letras, 2007. __________, Cinema brasileiro: propostas para uma história. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1979. __________, Trajetória crítica. São Paulo: Polis, 1978. CAETANO, Daniel. Entre a transgressão vanguardista e a subversão da vulgaridade: os casos de Carlos Reichenbach e Alberto Fischerman. Tese (Doutorado). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Letras, 2012. CALLEGARO, João. “Nasce o cinema cafajeste”. Material de imprensa de As Libertinas (1968). FERREIRA, Jairo, “Dez anos de pornochanchada”. Revista Cinema nº1, de agosto de 1978. __________, “O cinema e seu desejo”. Revista Filme Cultura nº 38/39, de agosto-novembro de 1981. __________, Cinema de Invenção. São Paulo: Max Limonad, 1986, e Limiar, 2000 (2ª ed.). __________, Crítica de invenção – críticas de Jairo Ferreira, (org. Alessandro GAMO). São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006 GALANTE, Antonio Polo. Entrevista concedida a João Silvério TREVISAN. Filme Cultura Nº 40, agosto/outubro de 1982. LIMA, Antonio,“Memórias do cinema paulista”. Estado de Minas, 07/12/1982. LYRA, Marcelo, Carlos Reichenbach: o cinema como razão de viver. São Paulo: Imprensa Oficial, 2004. MACHADO JR., Rubens. “Das vagas de experimentação desde o Tropicalismo: Cinema e Crítica” in: Ikeda, M.; Lima, D. (orgs.) Cinema de garagem 2014. Rio: Wset Multimídia, 2014, pp. 79-93. __________, (org,) “Fora de quadro: Carlos Reichenbach Filho”. Rebeca ano 1, nº2, 2012. Disponível em 12/10/2016 em: https://rebeca.socine.org.br/1/issue/view/6 NETO, Torquato, Os últimos dias de Paupéria. São Paulo: Max Limonad, 1982 (2ª Ed.) PEREIRA, Carlos Eduardo, Carnavalização e antropofagia no metacinema de Carlos Reichenbach. Tese de Doutorado. Instituto de Arte e Comunicação Social, Universidade Federal Fluminense, Niterói. 2013 PUPPO, Eugênio, HADDAD, Vera, e CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE, Heloisa, Catálogo da mostra “Cinema Marginal e suas Fronteiras”. São Paulo: Heco, 2001. RAMOS, Fernão, Cinema Marginal (1968/1973) – a representação em seu limite. São Paulo: Brasiliense, 1987. RAMOS, Fernão, e MIRANDA, Luiz Felipe, Enciclopédia do Cinema Brasileiro. São Paulo: Ed. SENAC, 2004 (2ª Ed.). RAMOS, Guiomar, Um cinema brasileiro antropofágico? (1970 – 1974). São Paulo: Annablume / Fapesp, 2008. REICHENBACH, Carlos, “Alice, Audácia e o nascimento da Boca do Lixo”. Folha de São Paulo, 30/09/1997. __________, “Anarquia poética contra o cinemão”, entrevista para a Folha de São Paulo, 12/01/1979. Disponível em http://cinema-de-invencao.blogspot.com.br/2007/04/anarquia-potica-contra-o-cinemo.html __________, depoimento à Revista Filme Cultura nº 28, fevereiro de 1978. REMIER, Ivan Cardoso – o mestre do terrir. São Paulo: Imprensa Oficial, 2008. RODRIGUES, João Carlos, “A pornografia é o erotismo dos outros: sístoles e diástoles do sensualismo no cinema nacional”, Revista Filme Cultura nº40, agosto/outubro de 1982. __________, “Pai contra filho”, disponível em http://www.mnemocine.com.br/cinema/historiatextos/paicontrafilhorodrigues.htm e também em http://www.portalbrasileirodecinema.com.br/marginal/ensaios/03_05.php SALLES GOMES, Paulo Emilio, Cinema - Trajetória no Subdesenvolvimento, Paz e Terra, São Paulo:1978. __________, Um intelectual na linha de frente. Rio de Janeiro: Alhambra/Embrafilme, 1985. SGANZERLA, Rogério, “A mulher de todos por seu autor”. Jornal do Brasil, 20/02/1970. __________, Encontros: Rogério Sganzerla (org. CANUTO, Roberta). Rio de Janeiro: Azougue, 2007. __________, Tudo é Brasil. Joinville: Letra D’Água, 2005. VELOSO, Geraldo, “Por uma arqueologia do ‘outro’ cinema”. Publicado em cinco partes no jornal Estado de Minas, em 17/05, 24/05, 31/05, 7/06 e 14 /06 de 1983. Também disponível em http://www.contracampo.com.br/92/artoutrocinema.htm . VIEIRA, João Luiz “Este é meu, é seu, é nosso: introdução à paródia no cinema brasileiro”, Revista Filme Cultura nº 41/42, de maio de 1983. __________, “Carnavalização e vanguarda: O Império do Desejo”. Catálogo da mostra “Cineasta de alma corsária: 40 anos de Carlos Reichenbach” (org. CÉSAR FILHO, Francisco). Centro Cultural Banco do Brasil, 2005. XAVIER, Ismail, Alegorias do subdesenvolvimento. São Paulo: Brasiliense, 1993.