Disciplina Discipline FLS5335
Antropologia da Cidade

Área de Concentração: 8134

Concentration area: 8134

Criação: 12/12/2017

Creation: 12/12/2017

Ativação: 12/12/2017

Activation: 12/12/2017

Nr. de Créditos: 8

Credits: 8

Carga Horária:

Workload:

Teórica

(por semana)

Theory

(weekly)

Prática

(por semana)

Practice

(weekly)

Estudos

(por semana)

Study

(weekly)

Duração Duration Total Total
4 2 4 12 semanas 12 weeks 120 horas 120 hours

Docente Responsável:

Professor:

Heitor Frúgoli Junior

Objetivos:

Na primeira parte, será empreendido um mapeamento da antropologia urbana brasileira, com o exame dos principais referenciais que norteiam essa tradição, abrindo-se para linhas que adotam mais precisamente a perspectiva de uma antropologia da cidade, com os desafios etnográficos correspondentes. Na segunda parte, o foco priorizará múltiplas ocupações e apropriações do espaço urbano realizadas por diversos coletivos ativistas, num período recente assinalado por uma agenda de expansão conflitiva das relações dos(as) citadinos(as) com o contexto urbano, suas ruas, equipamentos e demais locais.

Justificativa:

Trata-se de avançar na constituição e fortalecimento do campo da antropologia da cidade, com base numa tradição já acumulada, bem como frente aos consideráveis desafios advindos das múltiplas dimensões e crises que assinalam a vida urbana. Isso implica em contemplar, simultaneamente, o fortalecimento desse campo específico no interior da antropologia, o aprofundamento do diálogo com outras áreas antropológicas, e um cotejo com outras produções disciplinares cujo campo etnográfico configura um rico espaço de debates.

Conteúdo:

1 – Tópicos em torno de uma antropologia da cidade 2 – Ativismos e ocupações dos espaços públicos

Forma de Avaliação:

Apresentação de trabalho.

Bibliografia:

- Agier, M. Antropologia da cidade: lugares, situações, movimentos. São Paulo, Terceiro Nome, 2011. - Agier, M. Encontros etnográficos: interação, contexto, comparação. São Paulo/Alagoas, Ed. Unesp/Edufal, 2015. - Alonso, A. “A política das ruas”. Novos Estudos Cebrap Especial, jun./2017, p. 49-58. - Augé, M. Un ethnologue dans le métro. Paris, Hachette, 1986. - Bourgois, P. “O poder é invisível, a gente tem que treinar os olhos para vê-lo” (entrevista concedida a T. Rui, D. De Lucca e B. R. Gomes) in: Rui, T; Martinez, M.; Feltran, G. (orgs.). Novas faces da vida nas ruas. São Carlos: EdUFSCar, 2016, p. 347-375. - Cefaï, D. (ed.). L’engagement ethnographique. Paris, EHESS, 2010. - Certeau, M. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994 [1980]. - Clifford, J. A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro, Ed. UFRJ, 1998 (Cap. “Sobre a autoridade etnográfica”, p. 17-58). - Damo, A. S. & Oliven, R. G. “A rebeldia festiva”. In: ______. Megaeventos esportivos no Brasil: um olhar antropológico. Campinas: Armazém do Ipê, 2014, p. 163-185. - Di Giovanni, J. R. “Artes de abrir espaço. Apontamentos para a análise de práticas em trânsito entre arte e ativismo”. Cadernos de Arte e Antropologia, vol. 4, n. 2, 2015, p. 13-27. - Frúgoli Jr., H. “A cidade no diálogo entre disciplinas” in Fortuna, C. e Leite, R. P. (orgs.). Plural de cidade: novos léxicos urbanos. Coimbra, Almedina, 2009, p. 53-67. - Frúgoli Jr., H. Sociabilidade urbana. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2007. - Geertz, C. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. Petrópolis: Vozes, 1997 [1983] (Cap. “‘O ponto de vista dos nativos’: a natureza do saber antropológico”, p. 85-107). - Geertz, C. Obras e vidas: o antropólogo como autor. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2002 [1988]. - Harvey, D. “O direito à cidade”. Lutas Sociais, n. 29, PUC-SP, 2012, p. 73-89. - Herzfeld, M. “Fronteiras/nódulos/agrupamentos” In: ______. Antropologia: prática teórica na cultura e na sociedade. Petrópolis: Vozes, 2014, p. 172-193. - Marcus, G. E. Ethnography through thick and thin. Princeton, Princeton University Press, 1998, “Ethnography in/of the world system: the emergence of multi-sited ethnography” [1995] (cap. 3), p. 79-104. - Ortner, S. “Dark anthropology and its others”. HAU: Journal of Ethnographic Theory 6 (1), p. 47-73. - Peirano, M, “Antropologia no Brasil (alteridade contextualizada)” in: Miceli, S. (org.). O que ler na ciência social brasileira (1970-1995), São Paulo/Brasília, Ed. Sumaré/Anpocs, 1999, vol. 1 (Antropologia), p. 225-266. - Pétonnet, C. “Observação flutuante: o exemplo de um cemitério parisiense”. Antropolítica n. 25, Niterói, 2º sem./2008 [1982], p. 99-111. - Strathern, M. Fora de contexto: as ficções persuasivas da antropologia. São Paulo: Terceiro Nome, 2013.

Tipo de oferecimento da disciplina:

Presencial

Class type:

Presencial