Disciplina Discipline MAN5756
Análise Crítica das Técnicas de Acesso e dos Recursos Tecnológicos Para Abordagem da Via Aérea

Área de Concentração: 5174

Concentration area: 5174

Criação: 26/06/2019

Creation: 26/06/2019

Ativação: 27/06/2019

Activation: 27/06/2019

Nr. de Créditos: 2

Credits: 2

Carga Horária:

Workload:

Teórica

(por semana)

Theory

(weekly)

Prática

(por semana)

Practice

(weekly)

Estudos

(por semana)

Study

(weekly)

Duração Duration Total Total
3 3 4 3 semanas 3 weeks 30 horas 30 hours

Docentes Responsáveis:

Professors:

Helio Minamoto

Maria Jose Carvalho Carmona

Ricardo Antonio Guimarães Barbosa

Objetivos:

GERAL: Discutir e analisar criticamente os conceitos do diagnóstico e manejo da via aérea difícil, as técnicas mais utilizadas e os dispositivos e equipamentos que podem auxiliar no estabelecimento do acesso à via aérea, garantindo uma ventilação e oxigenação eficaz, discutir suas aplicações e limitações dos diferentes materiais, bem como as novas tecnologias disponíveis. ESPECÍFICO: Difundir o conhecimento para estabelecer as indicações custo-efetivas dos diferentes dispositivos presentes no mercado, bem como suas indicações específicas e proposição de novas técnicas.

Justificativa:

Entre as complicações relacionadas à anestesia, os eventos relacionados às vias aéreas, além de freqüentes, podem resultar em potenciais lesões irreversíveis secundárias à hipóxia. O adequado manejo da via aérea abrange desde a logística dos materiais disponíveis, treinamento adequado da equipe e principalmente diagnóstico precoce das alterações associadas à previsão de dificuldade de manipulação da via aérea. A dificuldade na manipulação da via aérea é a principal emergência para o anestesiologista e uma das mais graves que pode ser enfrentada por qualquer especialidade médica. A via aérea difícil é definida quando um profissional experiente encontra dificuldade na manutenção de ventilação sob máscara, dificuldade de intubação traqueal ou ambos. O diagnóstico precoce e o conhecimento dos diversos materiais disponíveis, tanto para abordagem primária quanto para resgate da via aérea. Uma análise crítica da ampla variedade de dispositivos para o manejo das vias aéreas é necessária, uma vez que por ser tema de grande interesse para grande parte das especialidades médicas há um grande número de dispositivos novos no mercado, cada qual com indicações específicas. A ausência da análise crítica das técnicas de abordagem, bem como do uso destes diferentes dispositivos pode resultar no manejo inadequado da via aérea, com prejuízos assistenciais. Deve ser ressaltado também que em algumas especialidades cirúrgicas como a cirurgia de cabeça e pescoço e a otorrinolaringologia, onde ocorre maior incidência de via aérea difícil, o intercâmbio de informações entre as especialidades pode minimizar eventuais complicações.

Conteúdo:

1ª SESSÃO: Entrega do programa do curso e aplicação do pré teste (1 hora) Aula teórica: (1 hora) Análise crítica dos algoritmos de manejo da via aérea difícil no contexto atual da Anestesiologia, Terapia Intensiva e Emergência. Horário para estudo: (2 horas) Seminário (Discussão dos Artigos): (2 horas) 2ª SESSÃO: Aula Teórica: (1 hora) Análise crítica do posicionamento dos dispositivos supra-glóticos por imagens de Ressonância Magnética e por Tomografia Computadorizada. Horário para estudo: (2 horas) Seminário (Discussão dos Artigos): (2 horas) 3ª SESSÃO: Aula Teórica: (1 hora) Métodos de treinamento em cenários realísticos para acesso a via aérea difícil Horário para estudo: (2 horas) Aula prática: (2 horas) Demonstração prática e treinamento da Fibroscopia no manejo de via aérea difícil, com discussão sobre sua utilização, indicações e possíveis complicações de seu uso. 4ª SESSÃO: Aula Teórica: (1 hora) Novos dispositivos de acesso à via aérea Horário para estudo: (2 horas) Aula prática: (2 horas) Demonstração prática de Cricotireoidostomia e ventilação transtraqueal a jato com discussão de casos clínicos e avaliação crítica da técnica (Aula prática) 5ª SESSÃO: Aula Teórica: (1 hora) Análise crítica das condutas e dos procedimentos para extubação segura dos pacientes com via aérea difícil Horário para estudo: (2 horas) Aula prática: (2 horas) 1): Demonstração prática da utilização do Fio Bougie e das sondas trocadoras com análise crítica e discussão sobre sua importância, indicações e propostas de melhoria tecnológica 6ª SESSÃO: - Aula Teórica: (1 hora) Medidas para prevenção das possíveis complicações associadas ao uso dos diversos dispositivos para manejo da via aérea. Horário para estudo: (2 horas) Aplicação do pós teste e avaliação da disciplina.

Forma de Avaliação:

A avaliação do aluno será realizada por meio de sua participação nos seminários, de uma autoavaliação e da comparação do pós teste com o pré teste.

Observação:

• Ao longo do curso os artigos propostos para as discussões poderão ser complementadas por novas publicações recentes e relevantes na literatura. • Outras fontes também poderão ser utilizadas de acordo com o interesse dos alunos em se aprofundarem em algum dos aspectos discutidos nos seminários. • Parte das atividades teóricas poderá ser realizada via plataforma institucional de Educação à Distância

Bibliografia:

1. Khan ZH, et al. The diagnostic value of the upper lip bite test combined with sternomental distance, thyromental distance, and interincisor distance for prediction of easy laryngoscopy and intubation: a prospective study. Anesth Analg, 2009.109(3):822-4. 2. Fisher, Q.A., The ultimate difficult airway: minimizing emergency surgical access. Anesth Analg, 2009. 109(6): p. 1723-5. 3. El-Orbany MH, Woehlck J. Difficult mask ventilation. Anesth Analg, 2009;109(6):1870-80. 4. Frova, G. and M. Sorbello, Algorithms for difficult airway management: a review. Minerva Anestesiol, 2009. 75(4): p. 201-9. 5. Rosenblatt, W.H., The Airway Approach Algorithm: a decision tree for organizing preoperative airway information. J Clin Anesth, 2004. 16(4): p. 312-6. 6. Goon, S.S., R.C. Stephens, and H. Smith, The emergency airway. Br J Hosp Med (Lond), 2009. 70(12): p. M186-8. 7. Fernandez Diez, A., et al., [Supreme laryngeal mask airway vs the I-gel supraglottic airway in patients under general anesthesia and mechanical ventilation with no neuromuscular block: a randomized clinical trial]. Rev Esp Anestesiol Reanim, 2009. 56(8): p. 474-8. 8. Wronska-Sewruk, A., A. Nestorowicz, and M. Kowalczyk, [Classic laryngeal mask airway vs COBRA-PLA device for airway maintenance during minor urological procedures]. Anestezjol Intens Ter, 2009. 41(2): p. 73-7. 9. Uppal, V., et al., Randomized crossover comparison between the i-gel and the LMA-Unique in anaesthetized, paralysed adults. Br J Anaesth, 2009. 103(6): p. 882-5. 10. Tanaka PP, et al., Detection of respiratory compromise by acoustic monitoring, capnography, and brain function monitoring during monitored anesthesia care. J Clin Monit Comput. 2014 Dec;28(6):561-6 11. Cook, T.M., et al., Evaluation of the LMA Supreme in 100 non-paralysed patients. Anaesthesia, 2009. 64(5): p. 555-62. 12. Nekhendzy V, Simmonds K P, Rigid bronchospe-assisted endotracheal intubation: yet another use of the gum elastic bougie. Anesth Analg 2004;98:545-7.

Idiomas ministrados:

Português

Languages taught:

Portuguese

Tipo de oferecimento da disciplina:

Presencial

Class type:

Presencial