Disciplina Discipline RMS5780
Tópicos em Métodos e Abordagens de Avaliação em Saúde

Topics in Health Assessment Methods and Approaches

Área de Concentração: 17139

Concentration area: 17139

Criação: 05/06/2019

Creation: 05/06/2019

Ativação: 05/06/2019

Activation: 05/06/2019

Nr. de Créditos: 4

Credits: 4

Carga Horária:

Workload:

Teórica

(por semana)

Theory

(weekly)

Prática

(por semana)

Practice

(weekly)

Estudos

(por semana)

Study

(weekly)

Duração Duration Total Total
3 5 4 5 semanas 5 weeks 60 horas 60 hours

Docentes Responsáveis:

Professors:

Ione Carvalho Pinto

Aldaísa Cassanho Forster

Janise Braga Barros Ferreira

Objetivos:

1. Discutir métodos, técnicas e tecnologias de avaliação de serviços de saúde. 2. Conhecer e discutir criticamente os programas, métodos e ferramentas de avaliação utilizados no país para sistematização e avaliação da Atenção Primária e Saúde da Família.

Objectives:

1. Discuss methods, techniques and technologies for health service evaluation. 2. To know and critically discuss the programs, methods and evaluation tools used in the country for the systematization and evaluation of Primary Care and Family Health.

Justificativa:

Conteúdo:

Apresentação dos docentes, alunos e do programa da disciplina. Divisão dos Seminários e das Referências Bibliográficas. PROGRAMAÇÃO DAS ATIVIDADES PROGRAMAÇÃO DATAS ATIVIDADES 1º Encontro Apresentação dos docentes, alunos e do programa da disciplina. Expectativa dos participantes sobre a Disciplina. Divisão dos alunos em grupo para os seminários. 2º Encontro Tema: Referencial teórico da avaliação em saúde Seminário grupo 1 Leituras Obrigatórias 1. Silva, L.M.V. Conceitos, abordagens e estratégias para a avaliação em saúde. Cap. 1, p. 15-39. In. HARTZ, Z. M. A. (Org.); Silva, L.M.V. (Org.). Avaliação em saúde: dos modelos teóricos à pratica da avaliação de programas e sistemas de saúde. Salvador/Rio de Janeiro: EDUFBA/Fiocruz, 2005. 275 p. 2. Furtado J, Silva LMV. Entre os campos científico e burocrático à trajetória da avaliação em saúde no Brasil. Cap 1 In: Akerman M, Furtado JP (org). Práticas de avaliação no Brasil – diálogos. Rede Unida editora, Porto Alegre, 2016. 3. Novaes, HMD. Avaliação de programas, serviços e tecnologias em saúde. Revista de Saúde Pública 34: 5, out. 2000: 547-49. 3º Encontro Tema: Resultados e aplicação da avaliação em saúde nas políticas, gestão e decisão em saúde Seminário grupo 2 Palestra: Estudo de avaliabilidade. convidados Bibliografia sugerida para a palestra Silva BS; Coelho HV; Cavalcante RB; Oliveira VC; Guimarães EAA. Estudo de avaliabilidade do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização. Revista Brasileira de Enfermagem [Internet]. 2018 [cited 2018 jun 11];71(supl1):660-9. Walser TM.; Trevisan MS. Evaluability Assessment Thesis and Dissertation Studies in Graduate Professional Degree Programs: Review and Recommendations. American Journal of Evaluation, v. 37, n. 1, p.118-38. Thurston WE; Ramaliu A. Evaluability assessment of a survivors of torture program: lessons learned. Canadian Journal Program Evaluation [Internet]. 2005 [cited 2017 Mar 15];20(2):1-25. Available from: http://www.evaluationcanada.ca/secure/20-2- 001.pdf Seminário grupo 3 Internações por condições sensíveis a APS/AB. Avaliar a efetividade da ESF junto ao SUS. Brasil. Ministério da Saúde. Lista Brasileira das internações por condições sensíveis a AP/AB, 2008. Junior EPP, Cavalcante JLM, Sousa RA, Morais APP, Silva MGC. Análise da produção científica sobre avaliação, no contexto da saúde da família, em periódicos brasileiros. SAÚDE DEBATE | rio de Janeiro, v. 39, n. 104, p. 268-278, JAN-MAR 2015. DOI: 10.1590/0103-110420151040226. Pinto LF, Giovanella L. Do Programa à Estratégia Saúde da Família: expansão do acesso e redução das internações por condições sensíveis à atenção básica (ICSAB). Ciência & Saúde Coletiva, 23(6):1903-1913, 2018 ALFRADIQUE, M. E. et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista bra-sileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP – Brasil). Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 6, p. 1337-1349, 2009. Angulo-Pueyo E et al. Evolución de las hospitalizaciones potencialmente evitables por condiciones crónicas en España. Gac Sanit. 2016;30(1):52–54 doi:10.1016/j.gaceta.2015.10.008 4º Encontro Tema: Métodos e técnicas nos programas utilizados no país para avaliação de serviços de saúde. Palestra O enfoque do PMAQ no nível local e as implicações para os serviços de APS Convidados: 14:30 – 15:30 h Seminário grupo 3 Leituras obrigatórias 1.Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ): manual instrutivo / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2017. 2. Fausto et al. Rotas da Atenção Básica no Brasil: experiências do trabalho de campo PMAQ AB / organizadores: Márcia Cristina Rodrigues Fausto; Helena Maria Seidl Fonseca. – Rio de Janeiro, RJ: Saberes Editora, 2013. Capítulo 3: Experiências de avaliação da Atenção Básica no Brasil: notas para um debate. 3. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas. Pnass: Programa Nacional de Avaliação de Serviços de Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva, Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 64 p 5º Encontro Tema: Métodos e técnicas nos programas utilizados no país para avaliação da Atenção Primária e Saúde da Família. Instrumentos de Avaliação da Atenção Primária à Saúde. Primary Care Assessment Tool (PCATool-Brasil). Seminário grupo 4 convidados Leituras Obrigatórias 1.Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção em Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde: primary care assessment tool pcatool - Brasil / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção em Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2010. 80 p. 2. Hauser, L. et al. Tradução, adaptação, validade e medidas de fidedignidade do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária à Saúde (PCATool-Brasil) no Brasil: versão profissionais de saúde. Revista brasileira de medicina de família e Comunidade. Rio de Janeiro, v. 8 n. 29 p. 244-55, 2013 3. Fracolli, L.A. et al. Instrumentos de avaliação da Atenção Primária à Saúde: revisão de literatura e metassíntese. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 12, p. 4851-60, 2014. C. MÉTODO DE APRENDIZAGEM 1. Seminários com participação dos estudantes divididos em grupos (3 grupos de 4 pessoas) 2. Palestras de convidados 3. Uso da Plataforma moodle: Programa da Disciplina, referências bibliográficas, tarefas, apresentações dos seminários e comunicação entre os participantes da Disciplina.

Content:

DATES ACTIVITIES 1st Meeting Presentation of the teachers, students and the program of the discipline. Participants' expectations about Discipline. Division of students into groups for seminars. 2nd Meeting Topic: Theoretical referential of health evaluation Seminar group 1 Compulsory Readings 1. Silva, L.M.V. Conceitos, abordagens e estratégias para a avaliação em saúde. Cap. 1, p. 15-39. In. HARTZ, Z. M. A. (Org.); Silva, L.M.V. (Org.). Avaliação em saúde: dos modelos teóricos à pratica da avaliação de programas e sistemas de saúde. Salvador/Rio de Janeiro: EDUFBA/Fiocruz, 2005. 275 p. 2. Furtado J, Silva LMV. Entre os campos científico e burocrático à trajetória da avaliação em saúde no Brasil. Cap 1 In: Akerman M, Furtado JP (org). Práticas de avaliação no Brasil – diálogos. Rede Unida editora, Porto Alegre, 2016. 3. Novaes, HMD. Avaliação de programas, serviços e tecnologias em saúde. Revista de Saúde Pública 34: 5, out. 2000: 547-49. 3rd Meeting Topic: Results and application of health assessment in health policies, management and decision Group 2 seminar Lecture: Evaluation study. Guests Suggested Bibliography for the lecture Silva BS; Coelho HV; Cavalcante RB; Oliveira VC; Guimarães EAA. Estudo de avaliabilidade do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização. Revista Brasileira de Enfermagem [Internet]. 2018 [cited 2018 jun 11];71(supl1):660-9. Walser TM.; Trevisan MS. Evaluability Assessment Thesis and Dissertation Studies in Graduate Professional Degree Programs: Review and Recommendations. American Journal of Evaluation, v. 37, n. 1, p.118-38. Thurston WE; Ramaliu A. Evaluability assessment of a survivors of torture program: lessons learned. Canadian Journal Program Evaluation [Internet]. 2005 [cited 2017 Mar 15];20(2):1-25. Available from: http://www.evaluationcanada.ca/secure/20-2- 001.pdf Group 3 seminar Hospitalizations due to APS / AB-sensitive conditions. Evaluate the effectiveness of the ESF with SUS. Brasil. Ministério da Saúde. Lista Brasileira das internações por condições sensíveis a AP/AB, 2008. Junior EPP, Cavalcante JLM, Sousa RA, Morais APP, Silva MGC. Análise da produção científica sobre avaliação, no contexto da saúde da família, em periódicos brasileiros. SAÚDE DEBATE | rio de Janeiro, v. 39, n. 104, p. 268-278, JAN-MAR 2015. DOI: 10.1590/0103-110420151040226. Pinto LF, Giovanella L. Do Programa à Estratégia Saúde da Família: expansão do acesso e redução das internações por condições sensíveis à atenção básica (ICSAB). Ciência & Saúde Coletiva, 23(6):1903-1913, 2018 ALFRADIQUE, M. E. et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista bra-sileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP – Brasil). Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 6, p. 1337-1349, 2009. Angulo-Pueyo E et al. Evolución de las hospitalizaciones potencialmente evitables por condiciones crónicas en España. Gac Sanit. 2016;30(1):52–54 doi:10.1016/j.gaceta.2015.10.008 4th Meeting Topic: Methods and techniques in the programs used in the country to evaluate health services. Lecture The PMAQ approach at the local level and the implications for PHC services Guests: Group 3 seminar Compulsory Readings Leituras obrigatórias 1.Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ): manual instrutivo / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2017. 2. Fausto et al. Rotas da Atenção Básica no Brasil: experiências do trabalho de campo PMAQ AB / organizadores: Márcia Cristina Rodrigues Fausto; Helena Maria Seidl Fonseca. – Rio de Janeiro, RJ: Saberes Editora, 2013. Capítulo 3: Experiências de avaliação da Atenção Básica no Brasil: notas para um debate. 3. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas. Pnass: Programa Nacional de Avaliação de Serviços de Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva, Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 64 p 5th Meeting Topic: Methods and techniques in the programs used in the country for the evaluation of Primary Care and Family Health. Assessment Instruments for Primary Health Care. Primary Care Assessment Tool (PCATool-Brazil). 5th Meeting Topic: Methods and techniques in the programs used in the country for the evaluation of Primary Care and Family Health. Assessment Instruments for Primary Health Care. Primary Care Assessment Tool (PCATool-Brazil). Group 4 seminar Guests Compulsory Readings 1.Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção em Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde: primary care assessment tool pcatool - Brasil / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção em Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2010. 80 p. 2. Hauser, L. et al. Tradução, adaptação, validade e medidas de fidedignidade do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária à Saúde (PCATool-Brasil) no Brasil: versão profissionais de saúde. Revista brasileira de medicina de família e Comunidade. Rio de Janeiro, v. 8 n. 29 p. 244-55, 2013 3. Fracolli, L.A. et al. Instrumentos de avaliação da Atenção Primária à Saúde: revisão de literatura e metassíntese. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 12, p. 4851-60, 2014. C. LEARNING METHOD 1. Seminars with student participation divided into groups (3 groups of 4 people) 2. Guest lectures 3. Use of the moodle Platform: Discipline Program, bibliographic references, tasks, presentations of the seminars and communication between the participants of the Discipline.

Forma de Avaliação:

Ver em observações a avaliação dos alunos e a avaliação da disciplina.

Type of Assessment:

See in comments the evaluation of the students and the evaluation of the discipline.

Observação:

Avaliação dos alunos Critérios: Apresentação dos seminários e participação nas discussões. Elaboração de resenha sobre as referências bibliográficas indicadas para cada seminário. Avaliação da Disciplina Auto avaliação: preenchimento de instrumento para avaliação da Disciplina

Notes/Remarks:

Student Assessment Criteria: Presentation of the seminars and participation in the discussions. Preparation of a review of the bibliographic references indicated for each seminar. Course Evaluation Self evaluation: completion of instrument for evaluation of the Discipline

Bibliografia:

Akerman M, Furtado JP (org). Práticas de avaliação no Brasil – diálogos. Rede Unida editora, Porto Alegre, 2016. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ): manual instrutivo / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2017. Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília, DF, 2017. Castanheira ER et al. Desafios para avaliação da Atenção Básica no Brasil – a diversidade de instrumento contribui para a constituição de uma cultura avaliativa. Cap 5 In: Akerman M, Furtado JP (org). Práticas de avaliação no Brasil – diálogos. Rede Unida editora, Porto Alegre, 2016. Fausto et al. Rotas da Atenção Básica no Brasil: experiências do trabalho de campo PMAQ AB / organizadores: Márcia Cristina Rodrigues Fausto; Helena Maria Seidl Fonseca. – Rio de Janeiro, RJ: Saberes Editora, 2013. Capítulo 1: Experiências e aprendizagem no processo da avaliação externa: encontro com a diversidade. Capítulo 3: Experiências de avaliação da Atenção Básica no Brasil: notas para um debate. Gomes, L.B. Atenção básica: olhares a partir do programa nacional de melhoria do acesso e da qualidade – (PMAQ-AB) / Luciano Bezerra Gomes, Mirceli Goulart Barbosa, Alcindo Antônio Ferla, organizadores. – Porto Alegre: Rede UNIDA, 2016. 357 p. – (Atenção Básica e Educação na Saúde; 7) Guba, EG, Lincoln YS. Avaliação de quarta geração. Editora Unicamp, Campinas (SP), 2011. Hartz, Z. M. A. (Org.); SILVA, L. M.V. (Org.). Avaliação em saúde: dos modelos teóricos à pratica da avaliação de programas e sistemas de saúde. Salvador/Rio de Janeiro: EDUFBA/Fiocruz, 2005. 275 p. Hartz, ZMA; Contradiopoulos, AP. Do Quê ao Pra Quê da Meta-Avaliação em Saúde. In: Hartz ZMA, Felisberto E, Silva, LMV (org.) Meta-avaliação da Atenção Básica à Saúde. Teoria e Prática. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2008. Harzheim, E., Starfield,B. Rajmil, L., Álvarez-Dardet, C., Airton T. Stein, AT. Consistência interna e confiabilidade da versão em português do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária (PCATool-Brasil) para serviços de saúde infantil. Health. v.17, n.1, p. 36–42, 2012. Macinko, J., Costa, M.F.L. Access to use of and satisfaction with health services among adults enrolled in Brazil’s Family Health Strategy: evidence from the 2008 National Household Survey. Tropical Medicine & International Novaes, HMD. Avaliação de programas, serviços e tecnologias em saúde. Revista de Saúde Pública 34: 5, out. 2000: 547-49. Novaes, MHD; Elias, FTS. Uso da avaliação de tecnologias em saúde em processos de análise para incorporação de tecnologias no Sistema Único de Saúde no Ministério da Saúde. Cadernos de Saúde Pública (ENSP, impresso), vol. 29, p. s7 – s16, 2013 Starfield B. Atenção primária. Equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde; 2002. p. 481–532. Tanaka OY, Laurídsen—Ribeiro E. Para onde caminhamos com a avaliação no Brasil. Pós-facio. In: Akerman M, Furtado JP (org). Práticas de avaliação no Brasil – diálogos. Rede Unida editora, Porto Alegre, 2016. 4.Tanaka OY, Laurídsen, Ribeiro E. Para onde caminhamos com a avaliação no Brasil. Pósfacio. In: Akerman M, Furtado JP (org). Práticas de avaliação no Brasil – diálogos. Rede Unida editora, Porto Alegre, 2016. BRASIL. Secretaria de Atenção à Saúde. Avaliação na atenção básica em saúde: caminhos da institucionaliza¬ção. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2005. Vuori H. A qualidade de saúde. Divulgação em Saúde para Debate, (CEBES) 1991; (3): 1725.

Bibliography:

Akerman M, Furtado JP (org). Práticas de avaliação no Brasil – diálogos. Rede Unida editora, Porto Alegre, 2016. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ): manual instrutivo / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2017. Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília, DF, 2017. Castanheira ER et al. Desafios para avaliação da Atenção Básica no Brasil – a diversidade de instrumento contribui para a constituição de uma cultura avaliativa. Cap 5 In: Akerman M, Furtado JP (org). Práticas de avaliação no Brasil – diálogos. Rede Unida editora, Porto Alegre, 2016. Fausto et al. Rotas da Atenção Básica no Brasil: experiências do trabalho de campo PMAQ AB / organizadores: Márcia Cristina Rodrigues Fausto; Helena Maria Seidl Fonseca. – Rio de Janeiro, RJ: Saberes Editora, 2013. Capítulo 1: Experiências e aprendizagem no processo da avaliação externa: encontro com a diversidade. Capítulo 3: Experiências de avaliação da Atenção Básica no Brasil: notas para um debate. Gomes, L.B. Atenção básica: olhares a partir do programa nacional de melhoria do acesso e da qualidade – (PMAQ-AB) / Luciano Bezerra Gomes, Mirceli Goulart Barbosa, Alcindo Antônio Ferla, organizadores. – Porto Alegre: Rede UNIDA, 2016. 357 p. – (Atenção Básica e Educação na Saúde; 7) Guba, EG, Lincoln YS. Avaliação de quarta geração. Editora Unicamp, Campinas (SP), 2011. Hartz, Z. M. A. (Org.); SILVA, L. M.V. (Org.). Avaliação em saúde: dos modelos teóricos à pratica da avaliação de programas e sistemas de saúde. Salvador/Rio de Janeiro: EDUFBA/Fiocruz, 2005. 275 p. Hartz, ZMA; Contradiopoulos, AP. Do Quê ao Pra Quê da Meta-Avaliação em Saúde. In: Hartz ZMA, Felisberto E, Silva, LMV (org.) Meta-avaliação da Atenção Básica à Saúde. Teoria e Prática. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2008. Harzheim, E., Starfield,B. Rajmil, L., Álvarez-Dardet, C., Airton T. Stein, AT. Consistência interna e confiabilidade da versão em português do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária (PCATool-Brasil) para serviços de saúde infantil. Health. v.17, n.1, p. 36–42, 2012. Macinko, J., Costa, M.F.L. Access to use of and satisfaction with health services among adults enrolled in Brazil’s Family Health Strategy: evidence from the 2008 National Household Survey. Tropical Medicine & International Novaes, HMD. Avaliação de programas, serviços e tecnologias em saúde. Revista de Saúde Pública 34: 5, out. 2000: 547-49. Novaes, MHD; Elias, FTS. Uso da avaliação de tecnologias em saúde em processos de análise para incorporação de tecnologias no Sistema Único de Saúde no Ministério da Saúde. Cadernos de Saúde Pública (ENSP, impresso), vol. 29, p. s7 – s16, 2013 Starfield B. Atenção primária. Equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde; 2002. p. 481–532. Tanaka OY, Laurídsen—Ribeiro E. Para onde caminhamos com a avaliação no Brasil. Pós-facio. In: Akerman M, Furtado JP (org). Práticas de avaliação no Brasil – diálogos. Rede Unida editora, Porto Alegre, 2016. 4.Tanaka OY, Laurídsen, Ribeiro E. Para onde caminhamos com a avaliação no Brasil. Pósfacio. In: Akerman M, Furtado JP (org). Práticas de avaliação no Brasil – diálogos. Rede Unida editora, Porto Alegre, 2016. BRASIL. Secretaria de Atenção à Saúde. Avaliação na atenção básica em saúde: caminhos da institucionaliza¬ção. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2005. Vuori H. A qualidade de saúde. Divulgação em Saúde para Debate, (CEBES) 1991; (3): 1725.

Tipo de oferecimento da disciplina:

Presencial

Class type:

Presencial