Disciplina Discipline SEP5845
Teoria e Prática de Indicadores Econômicos Aplicados à Engenharia de Produção

Theory and Practice of Economic Indicators Applied to Production Engineering

Área de Concentração: 18157

Concentration area: 18157

Criação: 29/06/2023

Creation: 29/06/2023

Ativação: 29/06/2023

Activation: 29/06/2023

Nr. de Créditos: 8

Credits: 8

Carga Horária:

Workload:

Teórica

(por semana)

Theory

(weekly)

Prática

(por semana)

Practice

(weekly)

Estudos

(por semana)

Study

(weekly)

Duração Duration Total Total
3 1 4 15 semanas 15 weeks 120 horas 120 hours

Docente Responsável:

Professor:

Humberto Filipe de Andrade Januário Bettini

Objetivos:

Prover ao estudante de pós-graduação um ferramental básico, mas robusto e versátil, em Economia, de forma tal que assertivas qualitativas gerais ou julgamentos econômicos contidos nos seus objetos de estudo possam contar com robustez teórica e quantitativa, mesmo quando seus trabalhos não versarem precipuamente sobre temas econômicos.

Objectives:

To offer to the Graduate student basic, robust, and versatile tools in Economics, aiming at giving the student means for making their general, natural-language statements or economic assessments more robust on theoretical terms and stimulating the deployment of a quantitative approach, even when Economics is not the main field of interest of the student and its research.

Justificativa:

Parcela significativa das dissertações de mestrado e das teses de doutorado desenvolvidas no Departamento de Engenharia de Produção da EESC-USP versa diretamente ou resvala indiretamente em temas econômicos, ou seja, em objetos de estudo que incluem termos-chave como "produto", "empresa", "indústria", "inovação", "finança", "demanda", dentre outros, em seus títulos. Desta forma, torna-se importante oferecer aos alunos-pesquisadores conhecimentos básicos, mas robustos, versáteis e quantitativos, sobre termos como crescimento econômico, PIB, inflação, emprego, inovação, competição, preços, lucros, dentre outros conceitos econômicos. Mesmo quando não se tratar de conteúdo central aos estudos do aluno-pesquisador, os conceitos econômicos presentes e as relações que eles estabelecem deverão ser apresentados de maneira sólida. O oferecimento desta disciplina justifica-se com este fim.

Rationale:

A non-neglectful share of Masters' and Ph.D. Thesis produced in the realm of the Production Engineering Graduate Program of the University of São Paulo (USP) at São Carlos School of Engineering (EESC) deals directly - or glances at minimum levels - themes that pertain to Economics, meaning that the investigation topics include keywords such as "product", "firm", "industry", "innovation", "finance", and "demand", among others, in their titles. As such, it is important to offer to these students basic yet robust, versatile and quantitative knowledge in Economics, spanning from economic growth, gross domestic product, inflation, employment, innovation, to competition, prices, profits, among other economic concepts. Even when economic concepts are not a central content in the studies of the graduate student, economic terms and relations that he/she uses should be presented in a solid way. This belief justifies this discipline.

Conteúdo:

Indicadores básicos em preços e mercados macroeconômicos números-índice, índices de Paasche, Laspeyres, Marshall–Edgeworth e Fisher; índices de preços gerais e setoriais nacionais e estrangeiros; deflator; medidas de emprego, desemprego; índices de confiança de segmentos (consumidores, produtores e varejistas) - construção e análise; cálculo de produto; Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE). Classificação de atividades econômicas setorização em primário, secundário e terciário; história das classificações e princípios norteadores na criação de setores e classes. Principais usos derivados; Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE (Brasil) e Standard Industrial Classification – SIC (EUA). Índices microeconômicos básicos índices de concentração de mercado; índice de economias de escala; condição de entrada (Bain); fator de aproveitamento da capacidade produtiva e o indicador Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI); indicadores de organização patrimonial e de portfolio de produtos; indicadores de conglomeração; grau de Diversificação; índice de Diversificação Concêntrica; índices de transnacionalização. Fatores locacionais índices de especialização produtiva e Gini locacional; indicadores e índices em teoria de redes sociais: teoria matemática sumária. Extrapolação para problemas sócio-econômicos. Métricas de conexão, distribuição (centralidade, vizinhança) e segmentação. Medidas de situação e evolução da produtividade Função de produção de formato Cobb-Douglas; Índice de Törnqvist; Índice de Malmquist. Medidas de input e output em atividades associadas à inovação Manuais de Frascati e de Oslo; Global Innovation Index; Curva de difusão de inovação (Rogers 1962 e Utterback 1994); Avaliação de tecnologia (Ciclo Hype Gartner); Technology Readiness Index. Classes para a indexação de patentes Classificações de setores e atividades segundo a intensidade / complexidade tecnológica Comparação de nações quanto à complexidade tecnológica e ao desempenho no comércio internacional índice de quantum exportador / importador; grau de abertura; índice de liberdade econômica; índice de nacionalização de produto.

Content:

Basic indicators in prices and macroeconomic markets index numbers, Paasche, Laspeyres, Marshall–Edgeworth e Fisher indices; Brazilian and international general and industry sector price indices; deflator; employment, unemployment measures; confidence indices of consumers, producers, retail - construction and analysis; Brazilian Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE). Classification of economic activities primary, secondary and tertiary sectoring; history of classifications and guiding criteria for creating classes and sectors. Main derivate uses; Brazilian Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) and the USA's Standard Industrial Classification (SIC). Basic microeconomic indices market concentration indices; scale economies index; condition of entry in Bain; capacity utilization indices and rates, and Brazilian Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI); indicators for society organization and product portfolio; conglomeration indicators; diversification degree; concentric diversification index; transnationalization indices. Locational factors locational Gini and productive specialization indices; indicators and indices in social network theory: basics in mathematic theory and its deployment in socio-economic problems. Metrics on connection, distribution (centrality, neighbourhood) and segmentation. Measurements for assessing current productivity and its evolution Production function according to Cobb-Douglas shape; Törnqvist index; Malmquist index. Input and output measures in innovative activities Frascati and Oslo Manuals; Global Innovation Index; Innovation diffusion curve in Rogers 1962 and Utterback 1994; Technology assessment (Hype Cycle Gartner); Technology Readiness Index. Patent indexing classes Classification of sectors and activities according to technological intensity / complexity Country comparison according to technological complexity and foreign trade performance quantum export / import index; openness degree; economic freedom index; product nationalization index.

Forma de Avaliação:

1. provas escritas versando principalmente sobre o conteúdo formal e quantitativo da Disciplina; 2. uma dissertação ou, preferencialmente, uma seção do trabalho

Type of Assessment:

1. written exams in which formal and quantitative contents are assessed; 2. essay, thesis chapter / subsection or paper in which the theme the student is deali

Bibliografia:

BAIN, Joe Staten. Barriers to new competition: their character and consequences in manufacturing industries. Cambridge, MA: Harvard University Press, c1956. x, 329p. CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS - CNAE: versão 2.0. Rio de Janeiro: IBGE, 2015. 425 p. CROCCO, Marco Aurélio et al. Metodologia de identificação de aglomerações produtivas locais. Nova economia. 2006, vol.16, n.2, pp.211-241. DE NOOY, W., MRYAR, A., and BATAGELJ, V. (2011): Exploratory Social Network Analysis with Pajek: Revised and Expanded Second Edition. New York: Cambridge University Press. ECONOMIA INDUSTRIAL: fundamentos teóricos e praticas no Brasil. 2ª ed. Rio de Janeiro: Campus, 2002. 640 p. ENDO, Seiti Kaneko. Números índices. 2. ed. São Paulo, SP: Atual, 1988. 74p. (Métodos quantitativo, 1). GUIDE TO THE INTERNATIONAL PATENT CLASSIFICATION - Version 2017. Geneva: World Intellectual Property Organization Press. HAUSMANN, R.; C. A. Hidalgo, et al., The Atlas of Economic Complexity, (2011) Puritan Press, Hollis New Hampshire. HITT, M. A., R. D. IRELAND e R. E. HOSKISSON. Administração Estratégica: Competitividade e Globalização. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002. MANKIW, N. Gregory: Introdução à economia. São Paulo, SP: Cengage Learning c2014, 824 p. OECD (2001), Measuring Productivity. Measurement of Aggregate and Industry-level Productivity Growth, OECD Publishing, Paris. _____. (2015), Frascati Manual 2015: Guidelines for Collecting and Reporting Data on Research and Experimental Development, OECD Publishing, Paris. OECD/Eurostat (2005), Oslo Manual: Guidelines for Collecting and Interpreting Innovation Data, 3rd Edition, OECD Publishing, Paris. PAVITT, K. (1984). Sectoral patterns of technical change: Towards a taxonomy and a theory. Research Policy, v. 13, p. 343-373. PENROSE, Edith Tilton. A teoria do crescimento da firma. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2006. 398 p. (Clássicos da inovação). PESQUISA DE INOVAÇÃO: 2014 / IBGE, Coordenação de Indústria. – Rio de Janeiro: IBGE, 2016. 105 p. SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR: métodos de cálculo. Rio de Janeiro: IBGE, Diretoria de Pesquisas, 2013. SCOTCHMER, S. (2006). Innovation and Incentives. Cambridge, MA: The MIT Press, 357 p. UTTERBACK, James M. Mastering the dynamics of innovation: how companies can seize opportunities in the face of technological change. Boston, MA: Harvard Business, c1994. 253 p. VARIAN, H. R. Microeconomia: princípios básicos. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

Bibliography:

BAIN, Joe Staten. Barriers to new competition: their character and consequences in manufacturing industries. Cambridge, MA: Harvard University Press, c1956. x, 329p. CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS - CNAE: versão 2.0. Rio de Janeiro: IBGE, 2015. 425 p. CROCCO, Marco Aurélio et al. Metodologia de identificação de aglomerações produtivas locais. Nova economia. 2006, vol.16, n.2, pp.211-241. DE NOOY, W., MRYAR, A., and BATAGELJ, V. (2011): Exploratory Social Network Analysis with Pajek: Revised and Expanded Second Edition. New York: Cambridge University Press. ECONOMIA INDUSTRIAL: fundamentos teóricos e praticas no Brasil. 2ª ed. Rio de Janeiro: Campus, 2002. 640 p. ENDO, Seiti Kaneko. Números índices. 2. ed. São Paulo, SP: Atual, 1988. 74p. (Métodos quantitativo, 1). GUIDE TO THE INTERNATIONAL PATENT CLASSIFICATION - Version 2017. Geneva: World Intellectual Property Organization Press. HAUSMANN, R.; C. A. Hidalgo, et al., The Atlas of Economic Complexity, (2011) Puritan Press, Hollis New Hampshire. HITT, M. A., R. D. IRELAND e R. E. HOSKISSON. Administração Estratégica: Competitividade e Globalização. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002. MANKIW, N. Gregory: Introdução à economia. São Paulo, SP: Cengage Learning c2014, 824 p. OECD (2001), Measuring Productivity. Measurement of Aggregate and Industry-level Productivity Growth, OECD Publishing, Paris. _____. (2015), Frascati Manual 2015: Guidelines for Collecting and Reporting Data on Research and Experimental Development, OECD Publishing, Paris. OECD/Eurostat (2005), Oslo Manual: Guidelines for Collecting and Interpreting Innovation Data, 3rd Edition, OECD Publishing, Paris. PAVITT, K. (1984). Sectoral patterns of technical change: Towards a taxonomy and a theory. Research Policy, v. 13, p. 343-373. PENROSE, Edith Tilton. A teoria do crescimento da firma. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2006. 398 p. (Clássicos da inovação). PESQUISA DE INOVAÇÃO: 2014 / IBGE, Coordenação de Indústria. – Rio de Janeiro: IBGE, 2016. 105 p. SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR: métodos de cálculo. Rio de Janeiro: IBGE, Diretoria de Pesquisas, 2013. SCOTCHMER, S. (2006). Innovation and Incentives. Cambridge, MA: The MIT Press, 357 p. UTTERBACK, James M. Mastering the dynamics of innovation: how companies can seize opportunities in the face of technological change. Boston, MA: Harvard Business, c1994. 253 p. VARIAN, H. R. Microeconomia: princípios básicos. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

Tipo de oferecimento da disciplina:

Presencial

Class type:

Presencial