Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Instituto de Estudos Brasileiros
 
Instituto de Estudos Brasileiros
 
Disciplina: IEB0271 - Formação Econômica e Social do Brasil: Tópicos Especiais
Brazilian Economic and Social Formation: Special Topics

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2021 Desativação:

Objetivos
Constitui objetivo desta disciplina analisar alguns elementos de nossa formação socioeconômica desde a colonização até o golpe de 1964. A consecução desses objetivos fundamenta-se no exame das obras clássicas da nossa historiografia econômica, incorporando, sempre que possível, a produção historiográfica recente acerca de nossa formação econômica e social.
 
The objective of this discipline is to analyze some elements of our socioeconomic formation from colonization to the 1964 coup. The achievement of these objectives is based on the examination of the classic works of our economic historiography, incorporating, whenever possible, the recent historiographical production about our economic and social formation.
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
703460 - Luciana Suarez Galvão
 
Programa Resumido
Constitui objetivo desta disciplina analisar alguns elementos de nossa formação socioeconômica desde a colonização até o golpe de 1964. A consecução desses objetivos fundamenta-se no exame das obras clássicas da nossa historiografia econômica, incorporando, sempre que possível, a produção historiográfica recente acerca de nossa formação econômica e social.
 
The objective of this discipline is to analyze some elements of our socioeconomic formation from colonization to the 1964 coup. The achievement of these objectives is based on the examination of the classic works of our economic historiography, incorporating, whenever possible, the recent historiographical production about our economic and social formation.
 
 
Programa
1. O sentido da colonização 2. Açúcar, ouro e a crise do antigo sistema colonial 3. Expansão da economia cafeeira, abolição e proclamação da república 4. Política e economia cafeeira na Primeira República 5. A economia cafeeira e as origens da indústria no Brasil 6. Economia e Estado no primeiro governo Vargas 7. O pós-guerra
 
1. The Sentido da Colonização concept 2. Sugar, gold and the crisis of the old colonial system 3. Expansion of the coffee economy, abolition and proclamation of the republic 4. Coffee policy and economy in the First Republic 5. The coffee economy and the origins of industry in Brazil 6. Economy and State in the first Vargas government 7. The post-war
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, discussões de texto em sala de aula e seminários. A leitura dos textos indicados é necessária para o acompanhamento das aulas e discussões.
Critério
Provas, seminários e participação em sala de aula.
Norma de Recuperação
De acordo com a resolução COG 3583 de 29/09/89 terão direito à recuperação os alunos que tiverem alcançado frequência regimental e nota 3,0 (três). A avaliação será realizada por meio de prova.
 
Bibliografia
     
ABREU, M. de P. (org.). A ordem do progresso: cem anos de política econômica republicana, 1889-1989. Rio de Janeiro: Campus, 1989. ABREU, M. de P. A dívida pública externa do Brasil. Estudos Econômicos, v. 15, n. 2. p. 167 a 189, maio/ago. 1985. BAER, W. A industrialização e o desenvolvimento econômico do Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1983. BEIGUELMAN, P. A formação do povo no complexo cafeeiro: aspectos políticos. São Paulo: Edusp, 2005. BEIGUELMAN, P. Pequenos estudos de ciência política. 2.ed. ampl. São Paulo: Pioneira, 1973. BOXER, Charles Ralph. O império marítimo português, 1415-1825. São Paulo; Companhia das Letras, 2002. BRITO, João Rodrigues de. A economia brasileira no alvorecer do século XIX. Salvador: Livraria Progresso Editora, s.d. BUESCU, M. História econômica do Brasil: pesquisas e análises. Rio de Janeiro: APEC, 1970. CALDEIRA, J. Mauá: empresário do Império. São Paulo: Cia. das Letras, 1995. CANABRAVA, Alice P. A grande propriedade rural. N: HOLANDA, S.B.de (org). História Geral da Civilização Brasileira. São Paulo: DIFEL, 1972, t. I (A época colonial), v. II (Administração, Economia, Sociedade), p. 192 a 217. CANABRAVA, Alice P. História Econômica: estudos e pesquisas. São Paulo: Hucitec/UNESP/ABPHE, 2005. CARDOSO, F. H. As condições sociais da industrialização de São Paulo. Revista Brasiliense, n. 28, p. 31 a 46, mar./abr. 1960. CARVALHO, J. M. de. A construção da ordem: a elite política imperial; Teatro de sombras: a política imperial. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/Relume-Dumará, 1996. CARVALHO, J. M. de. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. 3.ed. São Paulo: Cia. das Letras, 1991. CARVALHO, José Murilo de. Forças armadas e política, 1930-1945. In A Revolução de 1930. Seminário Internacional, p. 109-150. http://cpdoc.fgv.br/producao_intelectual/arq/148.pdf. CHALHOUB, S. Visões da liberdade: uma história das últimas décadas da escravidão na Corte. São Paulo: Cia. das Letras, 1990. CHASTEEN, John Charles. Born in blood & fire. A concise History of Latin America. NY: W.W. Norton & Company, 2011. CONRAD, Robert Edgar. Os últimos anos da escravatura no Brasil, 1850-1888. Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1978. COSER, I. Visconde do Uruguai: centralização e federalismo no Brasil, 1823-1866. Belo Horizonte: Editora UFMG ; Rio de Janeiro: IUPERJ, 2008. COSTA, E. V. da. Da Monarquia à República: momentos decisivos. São Paulo: Brasiliense, 1987. COSTA, E. V. da. Da senzala à colônia. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1989. COSTA, Iraci del Nero da. Fundamentos econômicos da ocupação e povoamento de Minas Gerais. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros (24): 41 a 52, 1982. COSTA, Iraci del Nero da. Repensando o modelo interpretativo de Caio Prado Júnior. São Paulo: NEHD-FEA/USP, 1995. (Cadernos NEHD, nº 3). D’ARAÚJO, M. C. S. de. O segundo governo Vargas, 1951-1954: democracia, partidos e crise política. 2.ed. São Paulo: Ática, 1992. DEAN, W. A industrialização de São Paulo (1880-1945). São Paulo: EDUSP/DIFEL, 1971. DECCA, E. de. 1930, o silêncio dos vencidos: memória, história e revolução. 5.ed. São Paulo: Brasiliense, 1992. DELFIM NETTO, A. O problema do café no Brasil. São Paulo: UNESP, 2009. DOLHNIKOFF, M. O pacto imperial: origens do federalismo no Brasil. S.Paulo: Globo,2005. DRAIBE, S. Rumos e metamorfoses: Estado e industrialização no Brasil, 1930-1960. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985. DUTRA, E. de F. O ardil totalitário: imaginário político no Brasil dos anos 30. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, Belo Horizonte: Editora UFMG, 1997. EISENBERG, Peter. Homens Esquecidos. Escravos e trabalhadores livres no Brasil. Séculos XVIII e XIX. Campinas: UNICAMP, 1989 FAORO, R. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. Porto Alegre: Globo / São Paulo: EDUSP, 1975. FAUSTO, B. Trabalho urbano e conflito social (1890-1920). 4.ed. São Paulo: DIFEL, 1986. FERNANDES, F. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1975. FONSECA, P. C. D. Vargas: o capitalismo em construção (1906-1954). São Paulo: Brasiliense, 1989. FOOT, F. & LEONARDI, V. História da indústria e do trabalho no Brasil: das origens aos anos vinte. São Paulo: Global, 1982. FRAGOSO, João Luís R. & FLORENTINO, Manolo Garcia. O arcaísmo como projeto: mercado atlântico, sociedade agrária e elite mercantil no Rio de Janeiro, c.1790-c.1840. Rio de Janeiro: Diadorim, 1993. FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 2007. GIAMBIAGI, Fabio et al. Economia Brasileira Contemporânea. São Paulo: Campus/Elsevier, 2011. GODINHO, Vitorino Magalhães. A expansão quatrocentista portuguesa. Lisboa: Contemporânea, 1944, caps. 6 e 7. GODINHO, Vitorino Magalhães. Portugal, as frotas do açúcar e as frotas do ouro (1670-1770). Estudos Econômicos, v.13, número especial, p. 719 a 732. 1983. GOMES, A. M. C. Regionalismo e centralização política; partidos e constituinte nos anos 30. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980. GORENDER, Jacob. O escravismo colonial. 4.ed. São Paulo: Ática, 1985. HOLANDA, S. B. de. Livro dos prefácios. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. IANNI, O. Estado e planejamento econômico no Brasil (1930-1970). 2.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977. IGLÉSIAS, F. A agricultura em Minas na República Velha. Estudos Econômicos, v. 15, n. 2. p. 241 a 261, maio/ago. 1985. IGLÉSIAS, F. Trajetória política do Brasil, 1500-1964. São Paulo: Cia. das Letras, 1993. LESSA, C. 15 anos de política econômica. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1982. LESSA, R. A invenção republicana: Campos Sales, as bases e a decadência da Primeira República brasileira. São Paulo: Vértice / Rio de Janeiro: IUPERJ, 1988. LIMA, Marcos Costa & DAVID, Maurício Dias (org.). A atualidade do pensamento de Celso Furtado. Leste Vila Nova: Verbena Editora Ltda., 2008. LUNA, F. V. Economia e sociedade em Minas Gerais (período colonial). Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. São Paulo: IEB/USP, (24): 33-40, 1982. LUZ, N. V. A luta pela industrialização do Brasil: 1808 a 1930. 2.ed. São Paulo: Alfa-Omega, 1975. MACEDO, Jorge de. Portugal e a economia "pombalina": temas e hipóteses. Revista de História (19): 81 a 99, 1954. MALAN, P. et alii. Política econômica externa e industrialização do Brasil. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1977. MANTEGA, G. A economia política brasileira. São Paulo: Polis, Petrópolis: Vozes, 1984. MARTINS, J. de S. Conde Matarazzo: o empresário e a empresa. São Paulo: Hucitec, 1976. MARTINS, Roberto B. Minas Gerais, século XIX: tráfico e apego à escravidão numa economia não-exportadora. Estudos Econômicos. Instituto de Pesquisas Econômicas, São Paulo, v. 13(1), p. 181-209, 1983. MAXWELL, Kenneth. Marquês de Pombal: paradoxo do iluminismo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996. MELLO E SOUZA, Laura (org). História da vida privada no Brasil: cotidiano e vida privada na América portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. MELLO, E. C. de. A outra Independência: o federalismo pernambucano de 1817 a 1824. S. Paulo: Ed. 34, 2004. MELLO, J. M. C. de. O capitalismo tardio: contribuição à revisão crítica da formação e do desenvolvimento da economia brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1982. MELO, E. C. de. O norte agrário e o Império (1871-1889). Rio de Janeiro: Nova Fronteira / Brasília: INL, 1984. MILLIET, S. Roteiro do café e outros ensaios: contribuição para estudo da história econômica e social do Brasil. 2.ed. São Paulo: BIPA-Editora, 1946. MOTA, C. G. (org.). Brasil em perspectiva. São Paulo: DIFEL, 1981. MOTA, L. D. (org.). Introdução ao Brasil; um banquete no trópico. 2.ed. São Paulo: Editora SENAC, 1999. MOTTA, José Flávio & NOZOE, Nelson. Cafeicultura e acumulação. Estudos Econômicos 24 (2): 253 a 320, maio/ago. 1994. MOTTA, José Flávio. Agonia ou Robustez? Reflexões acerca da historiografia econômica brasileira. Revista de Economia da PUC-SP. São Paulo, n. 1, pp. 117-138, jan-jun/2008. NEUHAUS, P. (org.). Economia brasileira: uma visão histórica. Rio de Janeiro: Campus, 1980. NEUHAUS, P. (org.). Economia brasileira: uma visão histórica. Rio de Janeiro: Campus, 1980. NEUHAUS, P. História monetária do Brasil: 1900-45. Rio de Janeiro: IBMEC, 1975. NOVAIS, F. A. As dimensões da Independência. In: MOTA, C. G. (org.). 1822: Dimensões. 2.ed. São Paulo: Perspectiva, 1986, p. 15-26. NOVAIS, Fernando A. Colonização e sistema colonial: discussão de conceitos e perspectivas históricas. In: Colonização e Migração. IV Simpósio Nacional da ANPUH. São Paulo: FFLCH/USP, 1969, p. 243 a 262. NOVAIS, Fernando A. Passagens para o Novo Mundo. Novos Estudos CEBRAP, n. 7, 1984. NOVAIS, Fernando A. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). São Paulo: Hucitec, 2005. NOYA PINTO, Virgílio. O ouro brasileiro e o comércio anglo português. São Paulo:Nacional, 1979. (p. 24 a 38). OLIVEIRA, F. de. Celso Furtado e o pensamento econômico brasileiro. In: OLIVEIRA, F. de. A navegação venturosa: ensaios sobre Celso Furtado. S. Paulo: Boitempo Editorial, 2003, p. 39-54. OLIVEIRA, M. T. A. R. & SILVA, M. L. F. O Brasil no padrão-ouro: a caixa de conversão de 1906-1914. História Econômica e História de Empresas, São Paulo: ABPHE, v. IV (2001), n. I, p. 83 a 114. PANTALEÃO, O. A presença inglesa no Brasil. In: HOLANDA, S. B. de (org.). História Geral da Civilização Brasileira. 6.ed. São Paulo: DIFEL, 1985, vol. 3, p. 64-99. PANTALEÃO, Olga. A presença inglesa no Brasil. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de (org.). História Geral da Civilização Brasileira. 6.ed. São Paulo: DIFEL, t. 2: O Brasil Monárquico, v. 2: O processo de emancipação, 1985, p. 64 a 99. PEDREIRA, Jorge Miguel Viana. Estrutura industrial e mercado colonial : Portugal e Brasil (1780-1830). [Lisboa]: DIFEL, 1994 PELÁEZ, C.M. A balança comercial, a grande depressão e a industrialização brasileira. Revista Brasileira de Economia, n.1, 1968. p. PELÁEZ, C.M. O acordo interamericano do café e o café brasileiro durante a II Guerra Mundial. In: PELÁEZ, C.M. (org.). Ensaios sobre o café e o desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro do Café, 1973. PERISSINOTTO, R. M. Classes dominantes e hegemonia na República Velha. Campinas: Ed. da UNICAMP, 1994. PRADO JR., Caio. Formação do Brasil Contemporâneo (colônia). São Paulo: Brasiliense, 2008a. PRADO JR., Caio. História Econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2008b. RODRÍGUEZ, O. Teoria do subdesenvolvimento da CEPAL. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1981. SAES, D. A formação do Estado burguês no Brasil (1888-1891). 2.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990. SAES, D. Classe média e política na primeira República brasileira (1889-1930). Petrópolis: Vozes, 1975. SAES, F. A. M. de. A grande empresa de serviços públicos na economia cafeeira: 1850-1930. São Paulo: Hucitec, 1986a. SAES, F. A. M. de. Crédito e bancos no desenvolvimento da economia paulista: 1850-1930. São Paulo: IPE/USP, 1986b. SAES, F. A. M. de. Estradas de ferro e diversificação da atividade econômica na expansão cafeeira em São Paulo, 1870-1900. In Tamás Szmrecsányi (org.) História Econômica da Independência e do Império. São Paulo: Hucitec, 1996. SAES, F. A. M. de. O término do escravismo: uma nota sobre a historiografia. Estudos Econômicos. São Paulo: IPE/USP, v. 12, n. 3, p. 29 a 40, set./dez. 1982. SANTOS, R. M. dos. Resistência e superação do escravismo na província de São Paulo (1885-1888). São Paulo: IPE/USP, 1980. SCHULZ, J. A crise financeira da abolição: 1875-1901. São Paulo: EDUSP/Instituto Fernand Braudel, 1996. SCHULZ, J. O exército na política: origens da intervenção militar, 1850-1894. São Paulo: EDUSP, 1994. SCHWARCZ, Lilia M. História da vida privada no Brasil: contrastes da intimidade contemporânea. São Paulo: companhia das Letras, 1998. SCHWARTZ, S. B. Da América portuguesa ao Brasil: estudos históricos. Algés, Portugal: DIFEL, 2003. Capítulo III, p. 97-142. [Referência alternativa: SCHWARTZ, Stuart B. Escravos, roceiros e rebeldes. Bauru, SP: EDUSC, 2001. Capitulo 3, p. 123-170] SCHWARTZ, Stuart B. Segredos internos: engenhos e escravos na sociedade colonial. São Paulo: Cia. das Letras/CNPq, 1988. SERRA, J. Ciclo e mudanças estruturais na economia brasileira do pós-guerra In: BELLUZZO, L.. & COUTINHO, R. (org.). Desenvolvimento capitalista no Brasil: ensaios sobre a crise. 3.ed. S.Paulo: Brasiliense, 1984, v.1. p. SILVA, S. Expansão cafeeira e origens da indústria no Brasil. São Paulo: Alfa-Omega, 1995, capítulo 3 – Economia cafeeira. SIMONSEN, R. C. A controvérsia do planejamento na economia brasileira. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1977. SIMONSEN, Roberto C. História econômica do Brasil (1500-1820). Brasília: Senado Federal, Secretaria Especial de Editoração e Publicação, 2005, p. 373-378. http://www2.senado.gov.br/bdsf/item/id/1111 SKIDMORE, T. Brasil: de Getúlio a Castelo. 10.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. SLENES, Robert W. Os múltiplos de porcos e diamantes: a economia escrava de Minas Gerais no século XIX. Estudos Econômicos. Instituto de Pesquisas Econômicas, São Paulo, v. 18:3, p. 449-195, 1988. SLENES, Robert W. Senhores e subalternos no oeste paulista. In: ALENCASTRO: Luiz Felipe de. História da vida privada no Brasil: Império; a corte e a modernidade nacional. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, p. 233 a 290. SUZIGAN, W. Indústria brasileira: origem e desenvolvimento. São Paulo: Brasiliense, 1986. SZMRECSÁNYI, Tamás. Fundamentos teóricos e metodológicos do estudo da história econômica. (mimeo) TAVARES, M. da C. Da substituição de importações ao capitalismo financeiro: ensaios sobre economia brasileira. 9.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1981. TENGARRINHA, José (org). História de Portugal. Bauru; São Paulo; Portugal: EDUSC; UNESP; Instituto Camões, 2001. TOPIK, S. A presença do estado na economia política do Brasil de 1889 a 1930. Rio de Janeiro: Record, 1987. VERSIANI, F. R. & MENDONÇA DE BARROS, J. R. (orgs.). Formação econômica do Brasil: a experiência da industrialização. 1.ed.rev. São Paulo: Saraiva, 1978. VIANNA, S. B. A política econômica no segundo governo Vargas (1951-1954). Rio de Janeiro: BNDES, 1987. VIEIRA, D. T. Evolução do sistema monetário brasileiro. São Paulo: IPE/USP, 1981. VILLELA, A. V. & SUZIGAN, W. Política do governo e crescimento da economia brasileira: 1889-1945. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1973. WEFFORT, F. O populismo na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.
 

Clique para consultar os requisitos para IEB0271

Clique para consultar o oferecimento para IEB0271

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP