Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Instituto de Biociências
 
Disciplinas Interdepartamentais do Instituto de Biociências
 
Disciplina: 0410401 - Trabalhos Práticos com Populações de Crustáceos Decápodes
Studies on populations of decapod crustaceans: an analytical approach

Créditos Aula: 6
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 120 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2015 Desativação:

Objetivos
Promover o desenvolvimento científico do aluno mediante a execução de trabalhos práticos de campo, utilizando crustáceos decápodes como modelo biológico. Para tanto, a disciplina deverá enfocar aspectos relevantes da investigação científica como: 1) delineamento de experimentos científicos; 2) metodologia científica; 3) obtenção de dados quantitativos e qualitativos no campo; 4) Processamento e análise dos dados; 5) discussão dos resultados, divididos de acordo com temas que permitam a compreensão do ciclo de vida do decápode utilizado como modelo.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
62500 - Roberto Munehisa Shimizu
2086296 - Sergio Luiz de Siqueira Bueno
 
Programa Resumido
Parte teórica: Apresentação das principais características biológicas analisadas em estudos sobre populações de crustáceos decápodes (ex: crescimento relativo, crescimento em comprimento, tamanho médio da maturidade sexual, etc.) e dos respectivos métodos para obtenção, processamento e análise de dados.
Parte prática: Condução de trabalhos práticos no campo tomando crustáceos decápodes do gênero Aegla (Anomura: Aeglidae) como modelo. Integração das informações obtidas para caracterizar o ciclo de vida do grupo de decápode usado como modelo de trabalho, e interpretação dos resultados dentro do contexto ecológico e evolutivo.
 
 
 
Programa
Os dados obtidos em campo deverão permitir o desenvolvimento das seguintes abordagens:
a) Estimativa do tamanho da população mediante aplicação de método para populações fechadas utilizando de marcação e recaptura.
b) Descrição da estrutura por tamanho da população, visando caracterizar e comparar as distribuições de freqüências em classes de comprimento de machos e fêmeas. Métodos de análise: Construção de distribuição de freqüências, estatística descritiva, testes de comparações de amostras.
c) Análise de crescimento alométrico: estudos de relações entre variáveis dimensionais dos indivíduos visando distinguir fases de vida, estimar o tamanho médio da maturidade morfométrica (= muda da puberdade), verificar a ocorrência de dimorfismo sexual e reconhecer morfotipos (em machos adultos). Métodos de análise: Análise de agrupamento em k-médias, regressão linear, testes de comparações de retas, regressão logística.
d) Avaliação macroscópica do desenvolvimento das gônadas em fêmeas.
e) Reconhecimento da condição ovígera e cálculo da fecundidade com base na contagem de ovos em condições de campo.
f) Determinação do período reprodutivo com base na observação de fêmeas ovígeras na população.
g) Cuidado parental: eclosão dos jovens que permanecem por alguns dias sob proteção da fêmea na câmara formada pelo abdômen flexionado.
h) Estimativa da maturidade funcional em fêmeas e machos. Métodos de análise: Regressão linear, testes de comparações de retas, regressão logística
i) Análise da estrutura temporal da população com base na distribuição freqüências em classes de comprimento, visando a descrição dos padrões de crescimento somático, o reconhecimento do período de recrutamento e a estimativa de longevidade. Métodos de análise: Decomposição de distribuições polimodais, ajuste de funções não lineares.
 
 
 
Avaliação
     
Método
As atividades de campo serão desenvolvidas durante 8 dias seguidos, no mês de julho, no Parque Estadual do Jaraguá, próximo à cidade de São Paulo. Nos sete dias remanescentes serão ministradas aulas teóricas e aulas de trabalho para a realização das análises de dados. Na última aula da disciplina, os resultados serão apresentados na forma de seminários oferecidos pelos alunos. Atividades discentes: Participação em todas as atividades de campo, nas aulas teóricas e nas aulas de trabalhos
Critério
Avaliação individual (prova) e participação em grupo nos trabalhos práticos. Avaliação da apresentação e da qualidade do seminário. Aprovação com média igual ou superior a 5,0 (cinco) e frequência igual ou superior a 70%.
Norma de Recuperação
Não se aplica.
 
Bibliografia
     
Begon, M.; C R Townsend; J L Harper 2007. Ecologia: de Indivíduos a Ecossistemas. Porto Alegre, Artmed. 740p.
Bond-Buckup, G & L Buckup, 1994. A família Aeglidae (Crustacea, Decapoda, Anomura). Arquivos de Zoologia, 32(4):159-346.
Bueno, A A P & G Bond-Buckup, 1996. Os estágios juvenis iniciais de Aegla violacea Bond-Buckup & Buckup (Crustacea, Anomura, Aeglidae). Nauplius, 4: 39-47.
Bueno, A A P & G Bond-Buckup, 2000. Dinâmica populacional de Aegla platensis Schmitt (Crustacea, Decapoda, Aeglidae). Revista Brasileira de Zoologia, 17(1): 43-49.
Bueno, S. L. S. & R. M. Shimizu, 2008. Reproductive biology and functional maturity in females of Aegla franca (Decapoda: Anomura: Aeglidae). Journal of Crustacean Biology, 28(4): 656-666.
Bueno, S. L. S. & R. M. Shimizu, 2009. Allometric growth, sexual maturity, and adult chelae dimorphism in Aegla franca (Decapoda: Anomura: Aeglidae). Journal of Crustacean Biology, 29(3): 317-328.
Bueno, S. L. S.; R. M. Shimizu & S. S. da Rocha, 2007. Estimating the population size of Aegla franca Schmitt, 1942 (Decapoda, Anomura, Aeglidae) by mark-recapture technique from an isolated section of Barro Preto stream, county of Claraval, state of Minas Gerais, southeastern Brazil. Journal of Crustacean Biology, 27(4): 553-559.
Cohen, F. P. A.; B. F. Takano; R. M. Shimizu & S. L. S. Bueno, 2011. Life cycle and population structure of Aegla paulensis (Decapoda: Anomura: Aeglidae). Journal of Crustacean Biology, 31(3): 389-395.
Cohen, F. P. A.; B. F. Takano; R. M. Shimizu & S. L. S. Bueno, 2013. Population size of Aegla paulensis (Decapoda: Anomura: Aeglidae). Latin American Journal of Aquatic Research, 41(4): 746-752.
Fonteles Filho, A.A. 1989 Recursos pesqueiros: Biologia e Dinâmica Populacional. Fortaleza, Imprensa Oficial do Ceará. 296p.
Francisco, D. A.; S. L. S. Bueno & T. C. Kihara. 2007. Description of the first juvenile of Aegla franca Schmitt, 1942 (Crustacea, Decapoda, Aeglidae). Zootaxa, 1509: 17-30.
Hartnoll, R. G. 1978. The determination of relative growth in Crustacea. Crustaceana 34: 281-293.
Hartnoll, R. G., 1982. Growth, pp. 111-196. In, L. G. Abele (ed.), The Biology of Crustacea. Vol. 2. Embryology, Morphology, and Genetics. Academic Press, New York.
Hartnoll, R. G., 1985. Growth, sexual maturity and reproductive output, pp. 101-128. In, A. M. Wenner (ed.), Factors in Adult Growth. Crustacean Issues, Vol. 3. A. A. Balkema, Rotterdam.
Krebs, C J, 1999. Ecological Methodology. 2nd edition. Benjamin/Cummings, Menlo Park, CA, USA.
López Greco, L S & E M Rodríguez, 1999. Size at the onset of sexual maturity in Chasmagnathus granulatus Dana, 1851 (Grapsidae: Sesarminae): a critical overall view about the usual criteria for its determination. In: Schram, F R & J C von Vaupel Klein (eds.), Crustaceans and the Biodiversity Crisis: Proceedings of the Fourth International Crustacean Congress. Vol. 1. Amsterdam, The Netherlands: 675-689.
Martin, J W & L G Abele, 1988. External morphology of the genus Aegla (Crustacea: Anomura: Aeglidae). Smithsonian Contributions to Zoology, 453: 46p
Moracchioli, N, 1994. Estudo da Biologia de Aegla spp. Cavernícolas do Vale do Alto Ribeira, São Paulo (Crustacea: Anomura: Aeglidae). Dissertação de Mestrado. Instituto de Biociências, USP, São Paulo. 148p.
Moraes, J. C. B. & S. L. S. Bueno, 2013. Description of the newly-hatched juvenile of Aegla paulensis (Decapoda, Anomura, Aeglidae). Zootaxa, 3635(5): 501-519.
Mossolin, E. C. & S. L. S. Bueno, 2002. Reproductive biology of Macrobrachium olfersi (Decapoda, Palaemonidae) in São Sebastião, Brazil. Journal of Crustacean Biology, 22(2): 367-376.
Mossolin, E. C. & S. L. S. Bueno, 2003. Relative growth of the second pereiopod in Macrobrachium olfersi (Wiegmann, 1836) (Decapoda, Palaemonidae). Crustaceana, 76(3): 363-376.
Mossolin, E.C.; R. M. Shimizu & S. L. S. Bueno, 2006. Population structure of Alpheus armillatus (Decapoda, Alpheidae) in São Sebastião and Ilhabela, southeastern Brazil. Journal of Crustacean Biology, 26(1):48-54.
Rocha, S. S.; R. M. Shimizu & S. L. S. Bueno, 2010. Reproductive biology in females of Aegla strinatii (Decapoda: Anomura: Aeglidae). Journal of Crustacean Biology, 30(4): 589-596.
Rodrigues, W & N J Hebling, 1978. Estudos biológicos em Aegla perobae Hebling & Rodrigues, 1977 (Decapoda, Anomura). Revista Brasileira de Biologia, 38(2): 383-390.
Schmitt, W L, 1942. The species of Aegla, endemic South American fresh-water crustaceans. Proceedings of the United States National Museum, 91(3132): 431-524.
Sokolowics, C. C.; L. S. López-Greco; R. Gonçalves & G. Bond-Buckup, 2007. The gonads of Aegla platensis Schmitt (Decapoda, Anomura, Aeglidae): a macroscopic and histological perspective. Acta Zoologica, 88: 71-79.
Sparre, P. & S. C. Venema, 1998. Introduction to tropical fish stock assessment. Part 1: Manual. Rome, FAO. 407p.
Tudge, C. C., 2003. Endemic and enigmatic: the reproductive biology of Aegla (Crustacea: Anomura: Aeglidae) with observations on sperm structure. Memoirs of Museum Victoria, 60(1): 63-70.
Zar, J H, 1996. Biostatistical Analysis. 3rd edition. Prentice Hall, New Jersey, USA.
 

Clique para consultar os requisitos para 0410401

Clique para consultar o oferecimento para 0410401

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP