Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Instituto de Biociências
 
Disciplinas Interdepartamentais do Instituto de Biociências
 
Disciplina: 0410514 - Estágio com Pesquisa em Ensino de Biologia
Supervised Preservice in Biology Teaching

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h ( Estágio: 50 h , Práticas como Componentes Curriculares = 50 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2017 Desativação:

Objetivos
Subsidiar o aluno na reflexão sobre as necessidades, a complexidade e os desafios da realidade escolar, aproximando-o de referenciais teóricos sobre tal temática. Oportunizar experiências de estágio supervisionado em instituições da educação básica, preferencialmente públicas. Possibilitar a imersão no cotidiano escolar, para o aluno ser capaz de investigar e problematizar: a) a prática docente; b) as modalidades didáticas utilizadas e as novas possibilidades; c) as interações discursivas na sala de aula; d) a situação da escola no contexto das avaliações externas, tanto estaduais como federais. Espera-se que a disciplina contribua na construção da autonomia docente para planejar e executar intervenções educacionais que abordem conteúdos do escopo da Biologia, utilizando estratégias pedagógicas inovadoras, centradas no papel ativo dos alunos, e considerando a inserção de novas tecnologias da informação e comunicação (TICs) no cotidiano escolar e para a pesquisa docente. Paralelo a esse processo de construção da prática docente, a disciplina se propõe a desenvolver a postura do professor pesquisador, a partir da discussão e aplicação de estratégias investigativas no contexto escolar. Observação: A disciplina deve ser cursada no 8º semestre do período Integral e no 12º semestre do período Noturno, preferencialmente após a realização das demais 350 horas de estágio obrigatório da licenciatura.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1452726 - Maria Elice de Brzezinski Prestes
1968673 - Rosana Louro Ferreira Silva
 
Programa Resumido
Subsídios teóricos sobre formação de professores e realidade escolar. Levantamento de demanda da escola. Elaboração e aplicação de plano de trabalho. Reflexão e pesquisa sobre o processo desenvolvido.
 
 
 
Programa
Subsídios teóricos sobre necessidades e desafios da realidade escolar e de outros espaços educativos. A sala de aula na perspectiva sócio cultural, considerando o papel da linguagem, da dinâmica de interações e das diferentes modalidades didáticas na mediação docente. Levantamento de avaliações externas e de demandas por parte da instituição escolar, integrando as ações a serem desenvolvidas pelo estagiário com a proposta pedagógica dessa instituição. Elaboração de plano de trabalho (incluindo acompanhamento de atividades escolares, planejamento, execução de intervenção e pesquisa). Pesquisa qualitativa em educação e o paradigma do professor pesquisador. Investigação e reflexão sobre o processo desenvolvido na escola a partir de referenciais do professor pesquisador. Apresentação e discussão de diferentes modalidades de pesquisa em ensino de ciências, como concepções prévias, motivação e emoção, aulas práticas, natureza da ciência, educação ambiental, entre outras. Instrumentos de coleta e análise de dados na pesquisa em e educação. Utilização das Tecnologias da Comunicação e Informação (TICs) como recurso pedagógico e para o desenvolvimento pessoal e profissional. Produção de textos de diferentes gêneros: planejamento, atividades, exercícios, relatórios reflexivos e artigos. Realização de 50 horas de estágio, distribuídas em atividades de observação e de regência, preferencialmente no ensino médio, incluindo aprofundamento teórico-prático por meio de pesquisa e de participação na gestão do ensino. Promover devolutiva para a escola das atividades de estágio desenvolvidas. Além das 4 horas semanais da disciplina, é necessário disponibilizar mais um período de 4 horas semanais para a realização do estágio na escola.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Participação nas atividades ao longo do curso (presenciais e à distância, com uso do Moodle). Registro contínuo de leituras e comunicação de sua experiência docente no contexto do estágio. Apresentação oral das atividades iniciais de observação na escola. Produção escrita do planejamento da intervenção didática e da pesquisa. Apresentação final em forma de pôster em minicongresso das atividades de regência com pesquisa. Produção escrita, em forma de artigo científico, de todo o processo de intervenção com pesquisa desenvolvido. Apresentação da Ficha de Estágio preenchida segundo os dispositivos legais que regem essa atividade.
Critério
Entrega de todas as atividades propostas, pontualidade, qualidade dos trabalhos apresentados (profundidade de reflexão, aproximação com referenciais teóricos, clareza nas formas de apresentação oral e escrita).
Norma de Recuperação
Sendo o estágio na escola-campo uma atividade obrigatória, que só pode ser realizada ao longo do semestre letivo e em concomitância ao aprofundamento teórico e construção compartilhada de projeto de intervenção com pesquisa, a disciplina não possibilita recuperação.
 
Bibliografia
     
ANDERSEN, Elenice Larroza (org.) Multimídia Digital na Escola. São Paulo: Paulinas, 2013.
BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Edição revista e ampliada. São Paulo: edições 70-Brasil, 2011.
BIZZO, Nelio. Metodologia do ensino de Biologia e estágio supervisionado. São Paulo: Ática, 2012.
BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP 1, de 18 de fevereiro de 2002.
BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP 2, de 19 de fevereiro de 2002.
BLASIS, Eloisa de; FALSARELLA, Ana Maria; ALAVARSE, Ocimar Munhoz. Avaliação e aprendizagem: avaliações externas: perspectivas para a ação pedagógica e a gestão do ensino. São Paulo: Cenpec: Fundação Itaú Social, 2013.
BORTONI-RICARDO, S.M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola editorial, 2008.
CALDEIRA, A. M. A.; ARAUJO, E. S. N. N. (Orgs.). Introdução à Didática da Biologia. São Paulo: Escrituras 2010.
CARVALHO, A. M. P. Os estágios nos cursos de licenciatura. São Paulo: Cengage Learning, 2012.
CARVALHO, A. M. P. (Org.) Ensino de ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage, 2013.
CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências. 4ª ed. São Paulo: Cortez, 2000.
DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2011.
KRASILCHIK, M. Prática de ensino de biologia, 4ª ed. São Paulo: Edusp, 2004.
MARANDINO, M.; SELLES, S. E.; FERREIRA, M. S. Ensino de biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Cortez, 2009.
PAVANI, Cecilia; PARENTE, Cristiane; ORMANEZE, Fabiano. Educomunicação, redes sociais e interatividade. Campinas: Leitura Crítica, 2013.
PERRENOUD, P. 10 novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2000.
PENTEADO, H. D. & GARRIDO, E. (ORG) Pesquisa-ensino: a comunicação escolar na formação do professor. São Paulo: Paulinas, 2010.
PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 2011.
POZO, J. I.; CRESPO, M. A. G. A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.
TRIVELATO, S. F.; SILVA, R. L. F. Ensino de ciências. São Paulo: Cengage, 2012.
SÃO PAULO. Conselho Estadual de Educação. Deliberação CEE nº 111/2012.
SÃO PAULO. Conselho Estadual de Educação. Deliberação CEE nº 126/2014.
USP/PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO. Programa de formação de professores. São Paulo, 2004.
ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.
 

Clique para consultar os requisitos para 0410514

Clique para consultar o oferecimento para 0410514

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP