Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Instituto de Biociências
 
Disciplinas Interdepartamentais do Instituto de Biociências
 
Disciplina: 0411206 - Introdução ao Ensino de Biologia
Introduction to Biology Teaching

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 120 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 45 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2021 Desativação: 14/07/2022

Objetivos
A disciplina tem como principais objetivos que os estudantes: (1) reflitam criticamente sobre a prática docente, aproximando-se de diferentes realidades do sistema de ensino, incluindo currículo e políticas públicas; (2) compreendam pontos fundamentais do histórico do campo de Biologia, estabelecendo paralelos com o história da educação; (3) compreendam aspectos introdutórios sobre aprendizagem e os relacionem aos processos de ensino (4) desenvolvam noções básicas sobre elaboração de estratégias didáticas e formas de avaliação da aprendizagem, focandose em exemplos conceituais do escopo da Biologia; (5) compreendam os conhecimentos docentes necessários à formação do Professor; (6) reconheçam finalidades e metodologias básicas da pesquisa em Ensino de Ciências e Biologia, valorizando sua integração à pratica dos professores. Tendo em vista a formação de professores, a disciplina visa ainda aprimorar competências e habilidades relacionadas à interpretação e à produção de textos em diferentes gêneros, bem como o uso de outras linguagens, como imagens, vídeos, aplicativos, estimulando-se o uso e produção no âmbito das TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação). Ao estimular a construção de estratégias didáticas e materiais de divulgação fundamentado em pesquisas da área de ensino de ciências e voltados para a comunidade externa, a disciplina busca promover a articulação pesquisa/docência/extensão, característica da função social da universidade.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
176390 - Alessandra Fernandes Bizerra
1944096 - Suzana Ursi
 
Programa Resumido
História do Ensino de Biologia e relações com História da Educação e da Educação em Ciências. Políticas públicas em Educação e seus reflexos no Ensino de Ciências e Biologia. Natureza da Ciência e Ensino. Ensino de temas controversos em Biologia. Aprendizagem. Estratégias didáticas. Avaliação da aprendizagem. Tendências no Ensino de Ciências e Biologia. Divulgação científica e Educação Não Formal.
 
 
 
Programa
História do Ensino de Biologia e sua contextualização em relação à História da Educação e da Educação em Ciências. Políticas públicas brasileiras em Educação e seus reflexos no Ensino de Ciências e Biologia. Natureza da ciência e sua relação com o Ensino de Biologia. Questões socio-científicas e o ensino de temas controversos ou polêmicos em Biologia (foco em tema específico a ser escolhido pelos estudantes em cada oferecimento). Introdução aos processos de ensino-aprendizagem, enfocando Teorias de aprendizagem; Elaboração e reflexão sobre estratégias de ensino; Avaliação da aprendizagem (finalidades e metodologias). Tendências no Ensino de Ciências e Biologia (ex. Metodologias de Aprendizado ativo, abordagem CTSA Ciência-Tecnologia-Sociedade-Ambiente, abordagem STEM Ciência-Tecnologia-Engenharia-Matemática etc). Princípios de Divulgação científica e aspectos da Educação Não Formal.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Desenvolve-se avaliação formativa e processual, com instrumentos individuais e coletivos, incluindo processo de autoavaliação. O trabalho em grupo consiste no desenvolvimento de mídia para o Ensino-aprendizagem de Biologia e /ou Divulgação Científica. As avaliações individuais compreendem: (1) Entrevista com professor da educação básica; (2) Elaboração de estratégia didática, incluindo metodologia de avaliação.
Critério
Variam de forma especifica em cada atividade. De forma geral: entrega das atividades propostas, pontualidade, qualidade dos produtos apresentados (profundidade de reflexão, aproximação com referenciais teóricos, coerência entre objetivos propostos, desenvolvimento e produto gerado, clareza nas formas de apresentação oral e escrita, apropriação da elaboração de diferentes gêneros textuais e TICs) e do processo vivenciado para sua produção (participação durante os momentos reservados para os trabalhos em grupo em sala de aula, pontualidade na entrega de tarefas intermediárias). Critérios listados pelos próprios estudantes na autoavaliação de sua participação no trabalho em grupo.
Norma de Recuperação
A nota da recuperação será o resultado da média aritmética entre a nota final obtida na disciplina e a nota obtida na prova/trabalho de recuperação. Os instrumentos serão uma prova individual abordando todo o conteúdo da disciplina.
 
Bibliografia
     
BIZERRA, A.F, URSI, S. Introdução aos Estudos da Educação 1. In: Lopes, S.G.B.C. e Visconti, M.A. (Orgs) Licenciatura em Ciências. UNIVESP. Edusp. 2014. (Capítulos: 2-História das ideias pedagógicas: destaque do panorama mundial e brasileiro; 5-Estratégias didáticas; 6-Teorias da Aprendizagem: Influências da Psicologia Experimental; 7-Ampliando a concepção de aprendizagem) BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP 1, 18 de fevereiro de 2002. BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP 2, 19 de fevereiro de 2002. BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), Lei 9.394, 20 de dezembro de 1996. BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Proposta preliminar. Segunda versão revista. Brasília: MEC, 2016. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2017. BRANSFORD, J. D.; BROWN, A, L.; COCKING, R. R. Como as pessoas aprendem. Cérebro, mente, experiência e escola. São Paulo: Editora Senac, 2007. BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: ciências da natureza. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999. BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999. BRASIL. PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 2002. BRASIL. Plano Nacional de Educação. Lei 13.005, 25 de junho de 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm BELL, J. Projeto de Pesquisa. Guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Artmed, Porto Alegre, 2008 CACHAPUZ A., GIL-PEREZ D., CARVALHO A. M. P., PRAIA J., VILCHES A. A necessária renovação do ensino das ciências. São Paulo: Cortez, 2005. FERNANDEZ, CARMEN. REVISITANDO A BASE DE CONHECIMENTOS E O CONHECIMENTO PEDAGÓGICO DO CONTEÚDO (PCK) DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências (Online), v. 17, p. 500-528, 2015. GARCIA, O. M. Comunicação em Prosa Moderna. Atualizada com a Nova Ortografia. 26ª ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2007. KRASILCHIK, M. Prática de ensino de biologia. 4ª ed. São Paulo: Edusp, 2004. MARANDINO, M., SELLES, S.E., FERREIRA, M.S. Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Cortez Editora, 2009. NURSE, P. The Importance of Biology Education. Journal of Biological Education, v. 50, n.1, p. 7-9, 2016. PERRENOUD P. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens, entre duas lógicas. Porto Alegre: Artmed, 1999. SÃO PAULO. Plano Estadual de Educação. LEI Nº 16.279, DE 08 DE JULHO DE 2016. Disponível em: https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/2016/lei16279-08.07.2016.html KRASILCHIK M. Práticas de Ensino de Biologia. São Paulo: EDUSP, 2004.
 

Clique para consultar os requisitos para 0411206

Clique para consultar o oferecimento para 0411206

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP