Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Instituto de Biociências
 
Disciplinas Interdepartamentais do Instituto de Biociências
 
Disciplina: 0411206 - Introdução ao Ensino de Biologia
Introduction to Biology Teaching

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 120 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 45 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2016 Desativação:

Objetivos
A disciplina tem como principais objetivos reconhecer o Ensino de Ciências e Biologia como um campo promissor de atuação profissional que integra a prática da pesquisa com a atividade docente. Busca refletir criticamente sobre aspectos introdutórios relacionados à práxis docente, promovendo a aproximação do futuro professor com diferentes realidades do sistema de ensino. Tendo em vista a formação de professores, a disciplina visa aprimorar competências e habilidades relacionadas à interpretação e à produção de textos em diferentes gêneros e do uso de outras linguagens, como imagens, vídeos, aplicativos e blogs. Tem como foco, ainda, negociar subsídios teóricos e metodológicos para o planejamento, execução e apresentação de um projeto de pesquisa em Ensino de Ciências. Ao priorizar o envolvimento com pesquisas científicas que colaboram para melhor construção de estratégias e instrumentos didáticos voltados para a comunidade externa, a disciplina busca promover a articulação pesquisa/docência/extensão, característica da função social da universidade.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
176390 - Alessandra Fernandes Bizerra
958610 - Hamilton Haddad Junior
1944096 - Suzana Ursi
 
Programa Resumido
Nesta disciplina são desenvolvidos, articuladamente, três eixos: "Ensino de Biologia", "Aprendizagem" e "Pesquisa em ensino/aprendizagem". A partir desses eixos, os alunos são constantemente convidados à interação, por meio de diferentes instrumentos e estratégias didáticas, como aulas expositivo-dialogadas, painéis integrados, recursos multimídia (e.g., softwares e vídeos), leitura e interpretação de textos, ambientes virtuais de aprendizagem, entre outros. Por meio desses instrumentos e estratégias são trabalhados os temas: (a) atividade docente (concepção de "bom professor" e "professor reflexivo", saberes docentes, estratégias gerais de ensino-aprendizagem, avaliação); (b) objetivos do Ensino de Biologia; (c) documentos norteadores da educação básica; (d) temas integradores da Biologia; (e) principais teorias de aprendizagem; (f) linhas de pesquisa em Ensino de Ciências; (g) subsídios básicos para a construção de projeto de pesquisa em Ensino de Ciências; (h) metodologias de pesquisa em educação, com ênfase em abordagens qualitativas.
 
 
 
Programa
Nesta disciplina são desenvolvidos, articuladamente, três eixos: "Ensino de Biologia", "Aprendizagem" e "Pesquisa em ensino/aprendizagem". A partir desses eixos, os alunos são constantemente convidados à interação, por meio de diferentes instrumentos e estratégias didáticas, como aulas expositivo-dialogadas, painéis integrados, recursos multimídia (e.g., softwares e vídeos), leitura e interpretação de textos, ambientes virtuais de aprendizagem, entre outros. Por meio desses instrumentos e estratégias são trabalhados os temas: (a) atividade docente (concepção de "bom professor" e "professor reflexivo", saberes docentes, estratégias gerais de ensino-aprendizagem, avaliação); (b) objetivos do Ensino de Biologia; (c) documentos norteadores da educação básica; (d) temas integradores da Biologia; (e) principais teorias de aprendizagem; (f) linhas de pesquisa em Ensino de Ciências; (g) subsídios básicos para a construção de projeto de pesquisa em Ensino de Ciências; (h) metodologias de pesquisa em educação, com ênfase em abordagens qualitativas.
 
 
 
Avaliação
     
Método
São desenvolvidas avaliações formativa e processual, individuais e coletivas, incluindo processos metacognitivos e de autoavaliação. Os trabalhos em grupo envolvem: (i) elaboração e execução de uma investigação junto a professores da rede pública, com temática definida conjuntamente em cada ano, (ii) produção de um recurso midiático voltado para o ensino e (iii) organização de um simpósio com apresentação de trabalhos, focado no reconhecimento de pesquisadores da área de Ensino de Ciências. As avaliações individuais compreendem: (i) elaboração de um ensaio teórico; (ii) proposição de uma estratégia didática para o Ensino de Biologia e (iii) resolução de atividades ao longo das aulas. A autoavaliação é desenvolvida em grupo, constituindo-se como importante momento de negociação.
Critério
Os critérios de avaliação são específicos de cada atividade, compreendendo, em geral: 1) coesão e coerência textuais; 2) correção ortográfica e gramatical; 3) apropriação de expressão por diferentes textos (científico, didático ou de divulgação científica); 4) argumentação; 5) atendimento às normas de estrutura e formatação; 6) diálogo com a literatura publicada na área; 7) critérios elaborados pelos alunos na autoavaliação.
Norma de Recuperação
A nota da recuperação será o resultado da média aritmética entre a nota final obtida na disciplina e a nota obtida na prova/trabalho de recuperação. Os instrumentos serão uma prova ou apresentação escrita de projeto individual de pesquisa em Ensino de Ciências.
 
Bibliografia
     
ANASTASIOU, L.G.C., ALVES L.. Processos de Ensinagem na Universidade – pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: UNIVILLE, 2009. BIZZO, N. Ciência: Fácil ou difícil? São Paulo: Ática, 2000. BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: ciências da natureza. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999. BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999. BRASIL. PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 2002. BELL, J. Projeto de Pesquisa. Guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Artmed, Porto Alegre, 2008 CACHAPUZ A., GIL-PEREZ D., CARVALHO A. M. P., PRAIA J., VILCHES A. A necessária renovação do ensino das ciências. São Paulo: Cortez, 2005. LANKSHEAR C., KNOBEL M. Pesquisa pedagógica. Do projeto à implementação. Porto Alegre: Artmed, 2008. LUDKE M., ANDRÉ M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. PERRENOUD P. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens, entre duas lógicas. Porto Alegre: Artmed, 1999. STRAUSS A., CORBIN J. Pesquisa qualitativa. Técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. Artmed, 2008. KRASILCHIK M. Práticas de Ensino de Biologia. São Paulo: EDUSP, 2004. Complementar: FRASER, Barry J. & TOBIN, Kenneth G. (orgs.). International handbook of science education. Dordrecht: Kluwer, 2003. 2 vols. GABEL, Dorothy L. (Ed.). Handbook of research on science teaching and learning. New York: MacMillan, 1994. TOBIN, Kenneth & KINCHELOE, Joe, eds. Doing educational research: a handbook. Rotterdam: Sense Publishers, 2006.
 

Clique para consultar os requisitos para 0411206

Clique para consultar o oferecimento para 0411206

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP