Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Instituto de Geociências
 
Disciplinas Interdepartamentais do Instituto de Geociências
 
Disciplina: 0440407 - Geologia do Espinhaço
Geology of the Espinhaço Range

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2019 Desativação:

Objetivos
Compreensão dos aspectos diversos dos ambientes sedimentares detríticos antigos, sua estratigrafia, deformação e geologia econômica, pertencentes às unidades basais clássicas do Supergrupo Espinhaço na região de Diamantina-MG.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
828261 - Gustavo Correa de Abreu
 
Programa Resumido
Introdução à Geologia Regional do Supergrupo Espinhaço, seguido de mapeamento geológivo estrutural, caracterização petrográfica de litotipos principais e apresentação de mapas e relatório. Trabalho em grupo de 4 a 5 alunos.
 
 
 
Programa
Aulas sobre a estratigrafia, sedimentação, metamorfismo e deformação das rochas do Supergrupo Espinhaço, sua geocronologia e aspectos econômicos. Explicitação de técnicas de mapeamento de detalhe 1:12.500, com uso de programas computacionais, GPS e imagens de satélite. Trabalhos de campo com levantamento de perfis detalhados nas principais áreas próximas às localidades de Guinda e Sopa, com objetivo de confeccionar um mapa geológico de detalhe 1:12.500, com seus respectivos perfis, bem como reconhecimento das unidades estratigráficas presentes e seus aspectos sedimentológicos e deformacionais. Haverá descrição microscópica de lâminas petrográficas dos principais litotipos que se encontra na coleção didática da disciplina. Finalmente, será apresentado um relatório completo da área mapeada, com relatos sobre a localização, fisiografia, geologia regional, deformação e metamorfismo, bem como dos aspectos detalhados da área mapeada. Encerra-se o curso com apresentação oral do trabalho efetuado com arguição da banca dos professores.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas de instrução. Práticas de campo, entrega de fotointerpretação, banco de dados, fichas petrográficas com descrição, e relatório final com mapas e perfis, e arguições orais.
Critério
Nota ponderada entre as notas de relatório apresentado, dos mapas, dos perfis e da arguição oral.
Norma de Recuperação
Não há recuperação.
 
Bibliografia
     
ALMEIDA ABREU, P.A., PFLUG, R. (1994): The geodynamic of the southern Serra do Espinhaço, Minas Gerais, Brazil. Zbl. Geol. Paläont. Teil I, 1993 (1/2):21- 44. Stuttgart. ALMEIDA ABREU, P.A. 1995 O Supergrupo Espinhaço da Serra do Espinhaço Meridional (Minas Gerais): O Rifte, a Bacia e o Orógeno. Geonomos 3(1): 1-18. BARBOSA, O. (1954): Évolution du géosynclinal Espinhaço. - In: 19th Inter. Geol. Cong., Sec. XIII, 2. part., Fascícule XIV: 17-36, Alger. BRITO NEVES, B.B, CORDANI, U.G., KAWASHITA, K., DELHAL, J. (1979): A Evolução Geocronológica da Cordilheira do Espinhaço: Dados Novos e Integração. Rev. Bras. Geoc., 9 (1): 71-85. BIZZI, L.A., SCHOBBENHAUS, C., VIDOTTI, R.M., GONÇALVES, J.H., 2003. Geologia, Tectônica e Recursos Minerais do Brasil, CPRM/MME. Brasília, DF. CORDANI, U.G., MILANI, E.J., THOMAZ FILHO, A., CAMPOS, D.A. (2000): Tectonic Evolution of Southamerica. 31st Intern. Geol.Cong., Rio de Janeiro, 856p. DAVIS, G.H. REYNOLDS, S.J., KLUTH, C.F. 2012 Structural Geology of Rocks and Regions, John Wiley & Sons, Inc. NY. USA DUSSIN, I.A., DUSSIN, T.M. (1995): Supergrupo Espinhaço: modelo de evolução geodinâminca. Geonomos, 3:19-26. ESCHWEGE, W.L. (1825): Notícias e reflexões estatísticas a respeito da província de Minas Gerais. Mem. da Acad. Real de Sci. de Lisboa, vol. IX, pp. 1-27. FOGAÇA, A.C.C., ALMEIDA ABREU, P.A. & SCHORSCHER, J.H.D., 1984, estratigrafia da Sequência Supracrustal Arqueana da Porção Mediana Central da Serra doi Espinhaço Meridional, Minas Gerais. XXXIII C.B.G., Anais 6: 2654-2667. GARNET, R.H.T. & BASSET, N.C., 2005 Placer Depositas. In: Hedenquist et al (ed.), Society of Economic Geologist: One Hundreth Anniversary Volume 2005, Economic Geology, 813-844. GURNEY, J.J., HELMSTAEDT, H.H., ROEX, A.P., NOWICKI, T.E., RICHARDSON, S.H. and WESTERLUND, K.J., 2005 Diamonds: Crustal Distribution and Formation Process in Time and Space and na Integrated Deposit Model: In: Hedenquist et al (ed.), Society of Economic Geologist: One Hundreth Anniversary Volume 2005, Economic Geology,143-178. INDA, H.A.V., SCHORSCHER, J.H.D., DARDENNE, M.A., SCHOBBENHAUS, C., HARALYI, N.C.E., BRANCO, P.C.A., RAMALHO, R. (1984): O Cráton do São Francisco e a Faixa de Dobramentos Araçuaí. - Pp. 193-248, in: C. Schobbenhaus, D.D.A. Campos, G.R. Derze, H.E. Asmus (coords.), Geologia do Brasil, DNPM, Div. Geol. Min., Brasília. MACHADO, N., SCHRANK, A., ABREU, F.R., KNAUER, L.G., ALMEIDA ABREU, P.A. (1989): Resultados preliminares da Geocronologia U/Pb na Serra do Espinhaço Meridional. Bol.Soc.Bras.Geoc., Nucleo Minas Gerais, 10: 171- 174. MANTESSO NETO, V., BARTORELLI, A., CARNEIRO, C.D.R., BRITO NEVES, B.B. (Organizadores), 2004. Geologia do Continente Sul-Americano: Evolução da Obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. Beca Editora, São Paulo, SP. PFLUG, R. (1968): Observações sobre a Série Minas na região de Diamantina, Minas Gerais. Rio de Janeiro, DNPM/DGM. Notas preliminares e Estudos. 142. 55p. PFLUG, R, RENGER, F. (1973): A evolução Geológica da margem SE do Craton do Sanfranciscano. In: 27o Cong. Bras. Geol., Aracaju, Anais, v.2: 5-19. SCHÖLL, L.L. & FOGAÇA, A.C.C., 1979. Estratigrafia da Serra do Espinhaço na Região de Diamantina. Anais do Simp. Geol. de Minas Gerais, SBG, Núcleo MG, Bol. 1: 55-73, Belo Horizonte, MG.
 

Clique para consultar os requisitos para 0440407

Clique para consultar o oferecimento para 0440407

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP