Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
 
Disciplinas Interdepartamentais sob responsabilidade da Comissão de Graduação da FAU
 
Disciplina: 1601127 - Modulo II: Extensão
Module II: Extension

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 120 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2024 Desativação: 14/07/2024

Objetivos
- Desenvolver por meio de práticas pedagógicas a formação extensionista
continuada dos estudantes de graduação em uma interação dialógica com a
sociedade;
- Propor, desenvolver e experimentar projetos integrados extensionistas
supervisionados;
- Promover a articulação entre ensino, pesquisa e extensão no diálogo com a
sociedade.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1072027 - Jorge Bassani
2968017 - Tatiana Sakurai
 
Programa Resumido
A disciplina tem por objetivo oferecer por meio de práticas pedagógic
formação extensionista continuada dos estudantes de graduação em uma
interação dialógica com a sociedade. É parte essencial da adaptação curricular
frente à Resolução CNE/CES n. 07/2018 – Diretrizes para a Extensão na
Educação Superior Brasileira.
 
 
 
Programa
A cada oferecimento desta disciplina será definido um elenco de questões
baseado no recorte temático e de intervenção, verificando as possibilidades
pedagógicas, programáticas e logísticas. As questões serão trabalhadas a partir
de uma perspectiva interdepartamental e, se possível, interdisciplinar a partir de
três eixos principais: (1) conceituação técnica e teórica; (2) abordagem prática
projetual; (3) experiência vivencial.
A disciplina propõe como conduta básica de entendimento do objeto de estudo a
cada edição a partir da construção e aplicação do conhecimento teórico e prático
dos fenômenos estudados. A articulação entre ensino, pesquisa e extensão será
requerida. Parte das atividades poderá acontecerá in loco, viabilizando a troca
com atores/ comunidade envolvidos.
A disciplina estrutura-se nas seguintes atividades:
Aulas teóricas e palestras (podendo ser ministradas em campo)
Visitas supervisionadas a campo e interação com a comunidade local
Desenvolvimento de trabalho e propostas em equipes
Seminários intermediários
Seminário final (apresentação dos trabalhos)
Devolutiva e/ou divulgação à comunidade
 
 
 
Avaliação
     
Método
Seminários, debates, estudos temáticos, visitas e trabalhos de campo supervisionados. Proposta de processos colaborativos de trabalho e avaliação. Elaboração de relatório, acompanhado ou não de outras formas gráficas, projetivas ou performáticas de apresentação crítica do processo, dos resultados e conclusões.
Critério
Participação ativa nas atividades, colaboração e comprometimento nos processos coletivos de trabalho, qualidade e pertinência do produto final. As avaliações intermediárias e final incluem um processo contínuo de avaliação dialógica da disciplina, dos processos de aprendizagem e estratégias de autoavaliação. Poderá incluir a avaliação de representantes da comunidade externa envolvida.
Norma de Recuperação
Caso o aluno tenha média entre 3,00 e 4,99 e frequência superior a 70%, terá direito, no prazo estabelecido para esse fim pela Unidade, a refazer ou complementar o trabalho, parte dele, ou atividade, conforme especificado pelo(s) docente(s) responsável(is).
 
Bibliografia
     
A.F.R.I.K.A. Group. Communication Guerilla - Transversality in Everyday Life?.
Disponível em: http://www.republicart.net
BISHOP, C. Participatory Art and the Politics of Spectatorship. Londres/NYC:
Verso, 2012.
BRANDÃO, C. R. (org). Repensando a pesquisa participante. São Paulo:
Brasiliense, 1999.
CARDOSO, F. H. e MARTINS, C. Política e Sociedade. São Paulo: Comp. Editora
Nacional, 1983.
CHARTIER, R. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel,
1990.
CRITELLI, D. M. Analítica do sentido. Uma aproximação e interpretação do real de
orientação fenomenológica. São Paulo: EDUC, Brasiliense, 2006, 2a. ed. (1996).
DAGNINO, E. (org.). Sociedade Civil e Espaços Públicos no Brasil. Campinas:
Unicamp/Paz e Terra, 2002.
DOWBOR, L. Espaço do Conhecimento. In: Revolução Tecnológica e os Novos
Paradigmas da Sociedade. São Paulo: IPSO/Oficina de Livros, 1994.
FOSTER, H. Bad New Days: Art, Criticism, Emergency. London / NYC: Verso,
2015.
FRANCO, A. Solidariedade e Ação Local. In: Ação Local. (13-44). Brasília: Ágora,
Fase, Instituto de Política, 1995.
FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.
FREIRE, P. Teoria da Ação Antidialógica, Teoria da Ação Dialógica. In: Pedagogia
do Oprimido, 8ª ed. Rio: Paz e Terra, 1980.
FREIRE, P. Extensão ou comunicação?. São Paulo: Paz e Terra, 2010. [1968,
Santiago]
HABERMAS, J. Legitimation and Crisis. London: Heinemann, 1973.
HABERMAS, J. Participação Política. In: CARDOSO, F. H. e MARTINS, C. Política e
Sociedade. São Paulo: Comp. Editora Nacional, 1983.
HARVEY, D. Condição Pós-Moderna. São Paulo: Edições Loyola, 1992.
HOLANDA, S. B. D. Raízes do Brasil. 6a. ed. Rio de Janeiro: Editora José Olympio,
1971.
LEFEBVRE. H. Direito à Cidade. São Paulo: Centauro Editora, 2008.
LUA NOVA. Movimentos Sociais: Questões Conceituais. Lua Nova nº17, junho,
1989.
MARICATO, E. Brasil, cidades. Alternativas para a crise urbana. Petrópolis: Vozes,
2002.
MESQUITA, A. L. Insurgências poéticas. Arte ativista e ação coletiva (1990-
2000). Or. Marcos Silva. São Paulo: Dissertação de Mestrado, FFLCH USP, 2008.
MORIN, E. Amor, poesia, sabedoria. Tradução Edgar de Assis carvalho, 7a ed. Rio
de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.
MORSE, R. From community to metropolis: a biography of São Paulo, Brazil.
Gainesville: University of Florida Press, 1958.
ONU BR – NAÇÕES UNIDAS NO BRASIL – ONU BR. A Agenda 2030. 2015.
Disponível em: <https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/>.
RANCIERE, J. A Partilha do Sensível: Estética e Política. São Paulo: Ed 34, 2009.
SANTOS, M. A natureza do espaço. 4a. ed. São Paulo: EDUSP, 2008.
SANTOS, M. Pensando o Espaço do Homem. São Paulo: EDUSP, 2004.
SCHON, D. Da racionalidade técnica à Reflexão-em-ação. In: The Reflective
Practitioner. Basic Books, 1983.
SHUGER, E. Os Caminhos da Participação Popular. In: Espaço & Debates 11,
1984.
TOURAINE, A. Poderemos Viver Juntos? Iguais e Diferentes. São Paulo: Editora
Vozes, 1999.
TOURAINE, A. Os novos conflitos sociais para evitar mal-entendidos. In: Lua
Nova 17, 1989.
Outras fontes:
Redes sociais, Youtube, Vimeo, cinema, música, mapas, diagramas, exposições,
jornais, revistas, fanzines, etc.
 

Clique para consultar os requisitos para 1601127

Clique para consultar o oferecimento para 1601127

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2024 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP