Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Biologia
 
Disciplina: 5920835 - Embriologia e Morfogênese
Embryology and Morphogenesis

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 10 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2019 Desativação:

Objetivos
GERAL: Proporcionar ao aluno a aquisição de noções básicas de Embriologia, orientando o estudo dos processos biológicos envolvidos na aquisição da forma e desenvolvimento do embrião de diferentes animais.

ESPECÍFICO: Fornecer aos alunos elementos para que possam descrever, de modo comparativo, o processo de desenvolvimento, sua seqüência e características em diferentes organismos animais.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
2084634 - Marcia Maria Gentile Bitondi
72039 - Zila Luz Paulino Simoes
 
Programa Resumido
Espermatogênese, Fecundação, Clivagem, Organogênese, Anexos embrionários. Estes tópicos serão estudados em organismos modelo como equinodermas, insetos, anfíbios, aves e mamíferos, principalmente em nível morfológico.
 
 
 
Programa
A disciplina será ministrada na forma de aulas teóricas (T) e práticas (P), incluindo o estudo de preparações permanentes de órgãos reprodutores e de embriões de diferentes animais. O conteúdo programático está relacionado abaixo: 

(T) Espermatogênese. Espermiogênese. Controle hormonal. (P) Estudo de preparações permanentes de testículos de mamíferos e insetos de diferentes idades.

(T) Ovogênese. Desenvolvimento dos folículos ovarianos em mamíferos e insetos. Controle hormonal. (P) Estudo de preparações permanentes de ovários de insetos e mamíferos de diferentes idades.

(T) Fecundação. Espermatozóide: ultra-estrutura, ativação e reação acrossômica. Ovócito: ultra-estrutura, envoltórios dos ovócitos de diferentes animais, maturação, ativação do metabolismo, rearranjo do citoplasma em seguida à fecundação.

(T) Clivagem: características gerais e mecanismos. Padrões de clivagem: holoblástica radial (anfíbios, ouriços-do-mar), espiral (moluscos), bilateral (tunicados) e rotacional (mamíferos); meroblástica discoidal (aves, peixes e répteis) e superficial (insetos). Blástula e mapa do destino em diferentes animais. (P) Estudo de preparações permanentes de ovos de anfíbios e de ouriços-do-mar em clivagem.

(T) Gastrulação: características gerais. Gastrulação em diferentes animais: (1) anfíbios (formação do blastóporo, arquêntero, cordomesoderme e mesoderme paraxial e lateral, definição e posicionamento da ectoderme, mesoderme e endoderme); (2) ouriços-do-mar (ingresso das células presuntivas do mesênquima primário, estágios da invaginação e formação do arquêntero, mesênquima primário e formação da larva Pluteus); (3) aves (formação do epiblasto, hipoblasto primário e secundário; formação da linha primitiva e do nó de Hensen, migração das células presuntivas da endoderme, mesoderme e notocorda, epibolia da ectoderme); (4) mamíferos (formação do epiblasto, hipoblasto, linha primitiva e nó de Hensen; migração das células presuntivas da endoderme, mesoderme e notocorda.
(P) Estudo de preparações permanentes de gástrula de anfíbios e de ouriços-do-mar. Montagem totais e cortes transversais de embriões de galinha em estágio de gástrula.

(T) Anexos embrionários de embriões de aves (formação e função de âmnio, cório, saco vitelino e alantóide). Desenvolvimento da forma em embriões de aves: curvaturas cefálica, caudal e lateral e posicionamento definitivo de âmnio, saco vitelino e cório. Origem do intestino anterior, posterior e intermediário.
(P) Identificação dos anexos embrionários em preparações permanentes de embriões de galinha. Exercícios teórico-práticos sobre as curvaturas do embrião e posicionamento do âmnio, cório, saco vitelino e alantóide.

(T) Anexos embrionários de embriões de mamíferos (formação e função do âmnio e saco vitelino; diferenciação do trofoblasto; formação da mesoderme extra-embrionária e do pedúnculo de conexão; origem da alantóide; desenvolvimento do cório, formação das vilosidades coriônicas e membrana placentária; funções da placenta).
(P) Estudo de preparações permanentes de placenta humana e de porca.

(T) Neurulação: Formação do sistema nervoso central e da epiderme a partir da ectoderme. Placa neural e fechamento do tubo neural. Crista neural e seus derivados. Diferenciação do tubo neural. Formação das vesículas encefálicas. Diferenciação da medula espinhal.
(P) Estudo de preparações permanentes (montagens totais e cortes transversais) de embriões de anfíbios e aves em fase de neurulação. Cortes transversais de medula espinhal de embriões em diferentes fases de desenvolvimento.

(T) Diferenciação da mesoderme embrionária e da endoderme. Formação dos somitos.Órgãos derivados da mesoderme e da endoderme.
(P) Estudo de preparações permanentes para identificação das mesodermes da cabeça, paraxial, intermediária e lateral (somática e esplâncnica). Identificação da endoderme embrionária e do saco vitelino.

(T) Formação do aparelho branquial (arcos branquiais, bolsas faríngeas, membrana branquial e sulcos branquiais) e derivados.
(P) Estudo do aparelho branquial e seus componentes em preparações permanentes de embriões de anfíbios e aves.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas auxiliadas por recursos audiovisuais. Aulas práticas para exame de preparações permanentes e material vivo sob microscópios ópticos e estereoscópicos.
Critério
A média final será deduzida das notas de avaliação de três provas teóricas (Pt1, Pt2, Pt3) e três provas práticas (PP1,PP2,PP3). Será aprovado o aluno com nota final superior ou igual a 5,0.
Média final= Pt1(2)+ Pt2(2)+ Pt3(2)+ PP1, PP2, PP3 / 9 maior ou igual a 5,0
Norma de Recuperação
O exame de recuperação será realizado em data definida no calendário escolar da USP e constará de uma avaliação escrita sobre o conteúdo programático total da disciplina. Serão aprovados os alunos com nota superior ou igual a 5,0 (cinco).
 
Bibliografia
     
• Balinsky, B. I. (1981) An introduction to embryology. Saunders College Publishing., 5th ed., New York, USA.
• Bard, J. (1994) Embryos – Color Atlas of Development . Wolfe Publishing, London, England.
• Browder, L., Erickson, C. A., Jeffery, W. R. (1991) Developmental Biology. Saunders College Publishing, 3rd ed., London, England.
• Drews U. (1995). Color Atlas of Embryology. Georg Thieme Verlag, Stuttgart, Germany. 
• Gilbert, S. F., Barresi, M. J. F. 2016. Developmental Biology. Sinauer Associates, Inc. Massachusetts, USA, 11th edition.
• Hausen P., Riebesell M. (1991). The early development of Xenopus laevis. An atlas of the histology. Springer Verlag, Heidelberg, Germany.
• Sadler TW (2001) Langman Embriologia Médica. Ed. Guanabara Koogan, 8ª. edição
Mathews, W. W. , Schoenwolf G.C.(1998) Atlas of descriptive embryology. Prentice Hall, New Jersey, USA, 5th edition.
• Moore, K. L., Persoaud TVM (2004) Embriologia Básica. Elsevier Editora Ltda, Brasil, 6a. edição.
Sadler, T.W. (2000) Langman Embriologia Médica, Editora Guanabara, Rio de Janeiro, Brasil, 8a. Edição.
• Watterson, R. L., Schoenwolf, G. C. and Sweeney, R. M. (1979). Laboratory studies of chick, pig and frog embryos. Burgess Publishing Company, Minnesota, USA, 4th edition. 
• Wolpert L., Beddington R., Brockes J., Jessel T., Lawrence P., Meyeroxitz E. (2007). Princípios de Biologia do Desenvolvimento. Editora Artmed,, Porto Alegre, Brasil.
 

Clique para consultar os requisitos para 5920835

Clique para consultar o oferecimento para 5920835

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP