Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Biologia
 
Disciplina: 5920838 - Zoologia dos Invertebrados II
Invertebrate Zoology II

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 30 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2019 Desativação:

Objetivos
Geral: Estudar os seguintes grupos de Metazoa: Ambulacraria, Annelida, Bryozoa, Entoprocta, Brachiopoda, Phoronida, Panarthropoda. Serão enfatizados o estudo da morfologia externa e interna, biologia, distribuição geográfica, posicionamento filogenético em Metazoa e sistemática dos grupos. Específicos: 1. Estudar de modo comparativo a morfologia externa e interna dos anelídeos, artrópodos, lofoforados, hemicordados e equinodermos. 2. Interpretar aspectos específicos da morfologia dos metazoários de modo funcional e em um contexto filogenético. 3. Adquirir fundamentos da sistemática dos táxons estudados: posicionamento de Annelida, Bryozoa, Entoprocta, Brachiopoda, Phoronida, Panarthropoda e Ambulacraria em Bilateria; relações filogenéticas entre as suas principais linhagens; identificação dos táxons principais.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
6761380 - Eduardo Andrade Botelho de Almeida
 
Programa Resumido
Na disciplina serão apresentados os seguintes grupos de Metazoa: Annelida, Arthropoda, Brachiopoda, Bryozoa, Echinodermata, Entoprocta, Hemichordata, Onychophora, Phoronida e Tardigrada. Serão enfatizados o estudo da morfologia externa e interna, posicionamento filogenético em Metazoa, sistemática das principais linhagens e sua classificação.
 
 
 
Programa
1. Introdução. Objetivos e estrutura do Curso. Noções de Sistemática Filogenética. 2. Métodos de coleta e preparação de metazoários. 3. Evolução dos metazoários e o plano-básico de Protostomia. Filogenia dos grandes grupos de Metazoa e divisão de Bilateria em Deuterostomia, Spiralia e Ecdysozoa. 4. Ambulacraria: Hemichordata e Echinodermata: posicionamento filogenético, plano básico, modificações da arquitetura corpórea em relação à condição bilateral e em relação ao plano básico de Deuterostomia. Registro fóssil dos grupos e importância para entendimento da evolução de Echinodermata. Filogenia, estrutura, biologia, diversidade das principais linhagens de Ambulacraria com representantes recentes: Crinoidea, Ophiuroidea, Asteroidea, Echinoidea, Holotuoroidea, Pterobranchia e Enteropneusta. 5. Características gerais e classificação de Annelida e seus principais clados (Sipuncula, Sedentaria, Errantia, Oweniidae, Chaetopteridae, Amphinomida etc.); características gerais, problemas na interpretação da filogenia. 6. Posição filogenética, noções básicas e diversidade dos Bryozoa (=Ectoprocta), Kamptozoa (=Entoprocta), Brachiopoda e Phoronida. A origem do lofóforo e relações filogenéticas entre os lofoforados e os demais metazoários. . Plano-básico e filogenia de Panarthropoda e sua relação com os demais Ecdysozoa. Posição filogenética, noções básicas e diversidade dos Onycophora e Tardigrada. 8. Plano-básico, morfologia comparada, filogenia, biologia e classificação de Cheliceriformes. Caracterização dos principais grupos de Cheliceriformes: Pycnogonida, Xiphosura, Arachnida (Scorpiones, Pseudoscorpiones, Palpigradi, Amphypygi, Solifugae, Araneae, Opiliones, Acari). 9. Os problemas filogenéticos dos Pancrustacea. Plano-básico, morfologia interna e externa, filogenia, biologia e classificação de Vericrustacea. Caracterização de Vericrustacea (ênfase em Malacostraca, Branchiopoda, Copepoda e Cirripedia), Cephalocarida, Remipedia e Oligostraca. 10. Biologia, morfologia e diversidade de Myriapoda. Caracterização de Chilopoda, Diplopoda, Symphila e Pauropoda.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas e práticas.
Critério
Relatórios de atividades e seminários (peso 3,0). Trabalho de Pesquisa (peso 1,0). Provas (peso 6,0).
Norma de Recuperação
Prova teórico/prática envolvendo todo o conteúdo lecionado.
 
Bibliografia
     
BRUSCA, G.J. & BRUSCA, R. 2007. Invertebrados. Guanabara Koogan, São Paulo. BUDD, G.E. & TELFORD, M.J. 2009. The origin and evolution of arthropods. Nature 457: 812-817. CARROLL, S. B., 2006. Infinitas Formas de Grande Beleza. Como a Evolução Forjou a Grande Quantidade de Criaturas que Habitam nosso Planeta. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Ed., 303 pp. DUNN, C.W. et al. 2008. Broad phylogenenomic sampling improves resolution of the animal tree of life. Nature 452: 745-750. DUNN, C.W, GIRIBET, G., EDGECOMBE, G. D.; HEJNOL, A. (2014) Animal phylogeny and its evolutionary implications. Annu. Rev. Ecol. Evol. Syst. 45: 371 - 95 EDGECOMBE, G.D. 2009. Palaeontological and molecular evidence linking arthropods, onychophorans, and other Ecdysozoa. Evol. Edu. Outreach 2: 178-190. EDGECOMBE, G.D. 2010. Arthropod phylogeny: An overview from the perspectives of morphology, molecular data and the fossil record. Arthrop. Struct. Devel. 39: 78-87. GRIMALDI, D. & ENGEL, M.S. 2005. Evolution of the Insects. Cambridge University Press, Cambridge (UK). GULLAN, P.J. & CRANSTON, P.S. 2008. Os Insetos. Um Resumo de Entomologia. 3ª. ed., Editora Roca, São Paulo. HALANYCH, K.M. 2004. The new view of animal phylogeny. Ann.Rev.Ecol.Evol.Syst. 35: 229-256. HUGHES, N.C. 2007. The evolution of trilobite body patterning. Ann.Rev. Earth Planet.Sci. 35: 401-434. KOENEMANN, S., JENNER, R.A., HOENEMANN, M., STEMME, T., REUMONT, B.M. 2010. Arthropod phylogeny revisited, with a focus on crustacean relationships. Arthrop. Struct. Devel. 39: 88–110. KUKALOVÁ-PECK, J., 2008. Phylogeny of higher taxa in Insecta: Finding synapomorphies in the extant fauna and separating them from homoplasies. Evol. Biol. 35: 4-51. LECOINTRE, G. & LE GUYADER, H. 2006. The Tree of Life. A Phylogenetic Classification. Belknap-Harvard University Press, Cambridge (EUA). MINELLI, A. 2009. Perspectives in Animal Phylogeny and Evolution. Oxford University Press, Oxford, UK. NIELSEN, C. 2012. Animal Evolution: Interrelationships of the Living Phyla (3a. Ed.). Oxford University Press. ORTEGA-HERNANDEZ. J (2016) Making sense of 'lower' and 'upper' stem-group Euarthropoda, with comments on the strict use of the name Arthropoda von Siebold, 1848. Biol. Rev. 91: 255-273. REGIER, J.C.; SHULTZ, J.W.; ZWICK, A.; HUSSEY, A.; BALL, B.; WETZER, R.; MARTIN, J.W. & CUNNINGHAM, C.W. 2010. Arthropod relationships revealed by phylogenomic analysis of nuclear protein-coding sequences. Nature 463: 1079-1083, 2010. RUPPERT, E.E., FOX, R.S. & BARNES, R.D. 2005. Zoologia dos Invertebrados: Uma Abordagem Funcional-Evolutiva, 7a Ed. Editora Roca, São Paulo. SCHMIDT-RHAESA, A. 2007. The Evolution of Organ Systems. Oxford University Press, Oxford (UK). TELFORD, M.J. & LITTLEWOOD, D.T.J. (coords.), 2008. Animal Evolution. Genomes, Fossils, and Trees. Oxford University Press, Oxford (UK). VALENTINE, J. 2006. On the Origin of Phyla. University of Chicago Press, Chicago (EUA).
 

Clique para consultar os requisitos para 5920838

Clique para consultar o oferecimento para 5920838

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP