Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Biologia
 
Disciplina: 5920869 - As Plantas e a Humanidade
Plants and Mankind

Créditos Aula: 3
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 75 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2016 Desativação:

Objetivos
GERAL: Analisar as características da produção e/ou da comercialização de plantas e produtos de origem vegetal. Reconhecer os problemas existentes na exploração dos mesmos, principalmente aqueles advindos da inconstância das nossas políticas agrícola e econômica. Discutir possibilidades de exploração que favoreçam o desenvolvimento sustentável e a preservação de remanescentes de vegetação nativa.

ESPECÍFICOS: Reconhecer plantas de interesse econômico e as relações bioquímicas entre metabolismo primário e secundário. Reconhecer as relações filogenéticas e ecológicas com base na composição química dos vegetais.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3758216 - Carlos Alberto Martinez y Huaman
5236343 - Rodrigo Augusto Santinelo Pereira
 
Programa Resumido
Interesse econômico em vegetais; Exploração x Importância da conservação da diversidade e patrimônio genético de plantas de valor econômico; Biossíntese secundária; Manejo de recursos vegetais em comunidades naturais; Fontes tradicionais e potenciais de produtos vegetais.
 
 
 
Programa
1. Introdução: uso dos vegetais - esboço histórico: origem da agricultura. Etnobotânica.
2. Fontes tradicionais e potenciais dos seguintes produtos
2.1. Madeiras
2.2. Fibras
2.3. Cortiça
2.4. Látex: borracha e balata
2.5. Pectinas
2.6. Resinas e gomas,
2.7. Taninos e tintas
2.8. óleos e gorduras
2.9. óleos essenciais
2.10. Carbohidratos: açúcar e amido
2.11. Plantas medicinais, tóxicas e inseticidas
2.12. Alimentos
2.13. Plantas Ornamentais.
3. Natureza dos produtos vegetais
3.1. Metabolismo primário e secundário;
3.2. Biossíntese de alguns produtos vegetais.
4. Importância da conservação da diversidade e patrimônio genético de vegetais. Manejo de recursos vegetais em comunidades naturais.
 
 
 
Avaliação
     
Método
1. Aulas expositivas; 2. Aulas práticas; 3. Seminários e/ou trabalhos práticos de pesquisa; 4. Resenhas; 5. Excursões.
OBS: As aulas teóricas expositivas não ultrapassarão 2 horas. A segunda parte do período será utilizada para aulas práticas, quando houver material necessário ou seminários ou conferências ou resenhas.
Critério
2 Provas Teóricas - P
Seminário, Relatórios e/ou Trabalhos extras - S M = 2P + S / 3 maior/igual 5,0
Norma de Recuperação
Uma prova teórica-prática. Realização: data a ser definida de acordo com o calendário escolar.
 
Bibliografia
     
Araujo, E. L.; Moura, A. N.; Sampaio, E. V. S. B.; Gestinari, L.M.S. & Carneiro, J.M.T. 2002. Biodiversidade, conservação e uso sustentável da flora do Brasil. Imprensa Universitária, Recife.
Balick, M. J. & Cox, P. A. 1996. Plants, people, and culture: the science of ethnobotany. Scientific American Library, New York.
Cavalcante, P.B. 1996. Frutas Comestíveis da Amazônia. 6a ed. Belém.
Cotton, C. M. 1996. Ethnobotany: principles and applications. John Wiley and Sons, Ltd. Baffins Lane.
Heiser, C. B. 1977. Sementes para a civilização. Trad. S. Uliana. Companhia Editora Nacional - EDUSP, São Paulo.
Hill, A. F. 1965. Botânica Econômica. Omega, Barcelona.
Kaufman, P.B.; Cseke, L.J.; Warber, S.; Duke, J.A. & Brielmann, H.L. 1999. Natural Products from Plants. CRC Press. New York.
Langenheim, J. H. & Thiman, K. V, 1982. Plant biology and its relation to human affairs. John Wiley & Sons, New York.
Leão, R.M. 2000. A Floresta e o Homem. EDUSP. São Paulo.
Lewington, A. 1990. Plants for people. The Natural History Museum, London.
Lorenzi, H. & Souza, H.M. 1995. Plantas ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras. Editora Plantarum, Nova Odessa.
Prance, G. T. & Balick, M. J. 1990. New Directions in the study of plants and people. The New York Botanical Garden, New York.
Rizzini, C. T. & Mors, W. 1976. Botânica econômica brasileira. EPU-EDUSP, São Paulo.
Santos, D.Y.A.C.; Chow, F. & Furlan, C.M. 2012. A Botânica no Cotidiano. Editora Holos. Ribeirão Preto.
Schry, W. 1980. Plants for man. Prentice Hall Inc., New Jersey.
Simpson, B. B. & Conner-Ogorzaly, M. 1986. Economic botany - Plants in our world. McGraw-Hill Book Co., Singapore.
Smith, B.D. 1998. The emergence of agriculture. Scientific American Library, New York.


Bibliografia complementar

Almeida, S.P. 1998. Cerrado: aproveitamento alimentar. Embrapa, Planaltina.
Almeida, S.P.; Proença, C. E. B.; Sano, S. M. & Ribeiro, J. F. 1998. Cerrado: espécies vegetais úteis. Embrapa, Planaltina.
Brücher, H. 1989. Useful plants of neotropical origin and their wild relatives. Spring-Verlag, Berlin.
Bu'lock, J. D. 1969. Biosíntese de productos naturales, introdución al metabolismo secundário. Trad. S. O. Moscardo, Ediciones Urmo, Bilbao.
Chapman, S. R. & Carter, L. P. 1976. Crop production - principles and practices, W.H. Freeman and Co, San Francisco.
Clay, J. W.; Sampaio, P.T.B. & Clement, C.R. 2000. Biodiversidade Amazônica. INPA, Manaus.
Costa, A. F. 1961. Farmacognosia. vol. 2. Fundação Calouste Gulbenckian, Lisboa.
Crosby, A. W. 2002. Imperialismo Ecológico: a expansão biológica da Europa: 900-1900. Companhia das Letras, São Paulo.
Diamond, J. 2006. Colapso. 4a ed. Editora Record, Rio de Janeiro.
Dickson, W.C. 2000. Integrative Plant Anatomy. Academic Press, San Diego.
Ferri, M. G. 1976. Plantas produtoras de fibras. EPU, São Paulo.
Flor, H. M. 1985. Florestas tropicais - como intervir sem devastar. Ícone Ed., São Paulo.
Hatzios, K. K. & Hoagland, E. H. (eds) 1989. Crop safeners for herbicides - development, uses and mechanisms of action. Academic Press, San Diego.
James, T. G. H. 1992. Mitos e lendas do Egito antigo. Melhoramentos, São Paulo.
Mainieri, C. & Chimelo, J. P. 1989. Fichas de características das madeiras brasileiras. 2 ed. IPT, São Paulo.
Mann, J. 1987. Secondary metabolism. 2 ed. Clarendon Press, Osford.
Matos, F.J.A.; Lorenzi, H.; Santos, L.F.L.; Matos, M.E.O.; Silva, M.G.V. & Souza, M.P. 2011. Plantas Tóxicas: Estudos de Fitotoxicologia Química de Plantas Brasileiras. Nova Odessa.
Nepstad, D. C. & Schwartzman, S. (eds). 1992. Non-timber products from tropical forests-evaluation of a conservation and development strategy. In Advances in Economic Botany-vol. 9. The New York Botanical Garden, New York.
Pinto, L. F. 1982. Carajás - o ataque ao coração da Amazônia. Editora Marco Zero-Studio Alfa Fotoletra e Editora, Rio de Janeiro.
Pio-Correa, M. 1926-1975 (reimpressão 1984). Dicionário das plantas úteis do Brasil e das exóticas cultivadas. 6 vol. Imprensa Nacional-ISOF, Rio de Janeiro.
Proença, C.C.; Oliveira, R.S. & Silva, A.P. 2006. Flores e Frutos do Cerrado. 2a ed. Editora Rede de Sementes do Cerrado, Brasília.
Rizzini, C. T. 1971. Árvores e madeiras úteis do Brasil. Ed. Edgard Blücher, São Paulo.
Rosenthal, G. A. & Janzen, D. H. 1979. Herbivores, their interaction with secondary plant metabolites. Academic Press, New York.
San Martin, P. 1985. Agricultura suicida - um retrato do modelo brasileiro. Ícone, São Paulo.
Santos. D.Y.A.C.; Chow, F. & Furlan, C.M. 2012. A Botânica no Cotidiano. Editora Holos139p.
Sautchuk, J.; Carvalho, H. M. & Gusmão. Projeto Jari - a invasão americana. Ed. Brasil, Debates, São Paulo.
Schultes, R. E. & Hofmann, A. 1982. Plantas de los dioses: orígenes del uso de los alucinógenos. EMB, Lucerne.
Silva, P.P. 2005. Farinha, Feijão e Carne-seca. Editora SENAC, São Paulo.
Silva, S. 1991. Frutas-Brasil. Empresa das Artes, São Paulo.
Wagner, H.; Hikino, H. & Farnsworth, R. (eds) 1985. Economic and medicinal plant research. Vol. 1. Academic Press, London.
 

Clique para consultar os requisitos para 5920869

Clique para consultar o oferecimento para 5920869

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP