Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Psicologia
 
Disciplina: 5940057 - Analise Social da Familia
Social Analysis of Family

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2014 Desativação:

Objetivos
Geral: Utilizando instrumentos téoricos das Ciências Sociais, o curso visa investigar a origem da família, seu processo de transformação histórica, bem como a criação cultural das relações de parentesco e a articulação entre família e sociedade, elaborando um quadro sócio-histórico para se analisar a instituição familiar enquanto agência de socialização e de construção de individualidade e de subjetividade.
Específicos:
1. Analisar a constituição da família burguesa.
2. Investigar a formação da família na sociedade brasileira e as formas de organização
doméstica.
3. Discutir a dinâmica de vida familiar em diferentes segmentos da sociedade brasileira
contemporânea.
4. Analisar as relações de poder na vida doméstica.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
90714 - Regina Helena Lima Caldana
 
Programa Resumido
A disciplina investiga o processo de transformação da família, as relações de parentesco e a articulação entre unidade doméstica e sociedade para analisar a instituição familiar enquanto agência de socialização e de construção da individualidade e da subjetividade.
 
 
 
Programa
I. Origem e processo de constituição da família
1. As análises sobre a origem da família
2. Família e parentesco

II. A família na sociedade capitalista
1. A constituição da família burguesa
2. Os modelos de família
3. Família, reprodução social e ideologia

III. A família no Brasil
1. O modelo patriarcal da família
2. A família operária
3. A família das camadas médias

IV. Família, socialização e subjetividade
1. Família e infância
2. O processo socializador
3. A construção da individualidade e da subjetividade
 
 
 
Avaliação
     
Método
As unidades do curso serão desenvolvidas através de aulas expositivas e de seminários.
Critério
Prova escrita com peso 7 (sete)
Trabalho escrito a ser apresentado no final do curso, com peso 3 (três).
Média final: As notas da prova e do trabalho serão m
Norma de Recuperação
Realização de uma prova escrita e/ou prova oral, sínteses de leitura, e/ou seminários, e/ou trabalhos escritos sobre o conteúdo da disciplina, no prazo previsto pela regulamentação. Os alunos que ficarem para recuperação devem procurar o docente resp
 
Bibliografia
     
ALMEIDA, M.S.K. de et alii. (1982). Colcha de retalhos. São Paulo: Brasiliense.
ALVES, J. E. D. & BARROS, L.F.W. (2007). Trabalhando menos e ganhando mais: o exemplo do casal DINC. http://ie.ufrj.br/aparte.
ARAÚJO, C. & SCALON, C. (2006). Gênero e a distância entre a intenção e o gesto. Revista Brasileira de Ciências Sociais. 21(62), 45-68.
ARIÈS, P. (1981). História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Zahar.
BADINTER, E. (1985). Um amor conquistado. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
BERENSTEIN, I. (2002). Problemas familiares contemporáneos o situaciones familiares actuales. Invariancia y novedad. Psicologia USP. 13(2), 15-25.
BRITO, F. (2008). Transição demográfica e desigualdades sociais no Brasil. Revista Brasileira de Estudos da População. 25(1), 5-26
BRUSCHINI, M.C.A. & RICOLDI, A.M. (2009). Família e trabalho: difícil conciliação para mães trabalhadoras de baixa renda. Cadernos de Pesquisa, 39(136), 93-123.
CANDIDO, A. (1972). A família brasileira. In: SMITH, T.L. e MARCHANT, A. (Org.). Brazil, portrait of half a continent. (pp. 291-312). New York: The Dryden Press.
CANEVACCI, M. (1982). Dialética da família. São Paulo: Brasiliense.
CARVALHO, I.M.M. de & ALMEIDA, P.H. de. (2003). Família e proteção social. São Paulo em perspectiva. 17(2), 109-122.
CARVALHO, C.A.F.de. (2006). Família e transmissão trans-geracional. In: GROSSI, M.P. & SCHWADE, E. (orgs.). Política e cotidiano: estudos antropológicos sobre gênero, família e sexualidade. (pp. 79-94). Blumenau: ABA/Nova Letra.
COSTA, J.F. (1983). Ordem médica e norma familiar. Rio de Janeiro: Graal.
DURHAM, E. R. (1980). A família operária: consciência e ideologia. Dados. Rio de Janeiro, 23 (2), 201-13
DURHAM, E.R. (1983). Família e reprodução humana. In: DURHAM, E.R. et alii. Perspectivas antropológicas da mulher 3. (pp. 13-44). Rio de Janeiro: Zahar.
FONSECA, C. (2000). Família, fofoca e honra. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS.
FONSECA, C. (2002). Mãe é uma só? Reflexões em torno de alguns casos brasileiros. Psicologia USP. 13(2), 49-67.
LEBRETON, D. (2009). As paixões ordinárias. Petrópolis: Vozes.
LÉVI-STRAUSS, C. (1986). A família. In: LÉVI-STRAUSS, C. O olhar distanciado. (pp.69-98). Porto: Edições 70.
LEVY, M.S.F. (2009). A escolha do cônjuge. Revista Brasileira de Estudos da População. 26(1), 117-123
MARCONDES, G. dos S. (2008). Recasamento formal no Brasil: alguns achados do registro civil. Textos 58. http://www.nepo.unicamp.br
PEIXOTO, C.E., SINGLY, F. de e CICCHELLI, V. (2000). Família e individualização. Rio de Janeiro, Editora FGV.
POSTER, M. (1979). Teoria crítica da família. Rio de Janeiro: Zahar.
RIVA, L. & ROMANELLI, G. (2009). Negligência e cuidados parentais em famílias de baixa renda. In: CUNHA, M.V. da; PASIAN, S.R. & ROMANELLI, G. (Orgs.). Pesquisas em Psicologia: múltiplas abordagens. (pp. 153-182). São Paulo: Vetor.
ROMANELLI, G. (2003). Questões teóricas e metodológicas nas pesquisas sobre família e escola. In: ZAGO, N.; CARVALHO, M.P. de & VILELA, R.A.T. (Orgs.). Itinerários de pesquisa. (pp.245-264). Rio de Janeiro: DP&A Editora.
ROMANELLI, G. (2006). Autoridade e poder na família. In: CARVALHO, M.do C.B.de (org.). A família contemporânea em debate. (pp. 73-88). São Paulo: EDUC/Cortez.
SALEM, T. (1980). O velho e o novo. Petrópolis: Vozes.
SARTI, C.A. (2003). A família como espelho. Campinas: Editora Autores Associados.
SINGLY, F. de. (2008). Sociologia da familia contemporânea. Rio de Janeiro: Ed. FGV.
SILVA, M.A.M.; MELO, B.M. de & APPOLINÁRIO, A.P. (2007). A família tal como ela é nos desenhos de crianças. Ruris, 1(1). 105-155
THERBORN, G. (2006). Sexo e poder. A família no mundo 1900-2000. São Paulo: Contexto.
VAITSMAN, (1994). J. Flexíveis e plurais. Rio de Janeiro: Rocco.
WAGNER, A. (org.). (2002). Família em cena.Tramas, dramas e transformações. Petrópolis: Vozes.
WATARAI, F. & ROMANELLI, G. (2009). Escolarização e trabalho de adolescentes do sexo masculino das camadas populares. In: CUNHA, M.V.; PASIAN, S.R. & ROMANELLI, G. (Orgs.) Pesquisas em Psicologia: múltiplas abordagens. (pp. 205-232). São Paulo: Vetor.
 

Clique para consultar os requisitos para 5940057

Clique para consultar o oferecimento para 5940057

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP