Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Psicologia
 
Disciplina: 5940214 - Gestão de Carreira I
Career Management I

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2014 Desativação:

Objetivos
Ao final da disciplina o aluno deverá ser capaz de: (1) discutir questões relativas ao desenvolvimento da carreira e da identidade profissional do psicólogo; (2) determinar objetivos futuros para a sua vida acadêmica e profissional; e (3) ensaiar, de modo protegido, a execução de tais objetivos, a partir de um plano integrado e refletido de ação. Visa, ainda, criar oportunidades aos universitários (psicólogos) para aumentarem o seu autoconhecimento, a capacidade de planejamento e decisão pessoal sobre a carreira, bem como o conhecimento das oportunidades de formação avançada na universidade e de obtenção e criação de emprego em diferentes contextos e cenários de intervenção do psicólogo.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
90714 - Regina Helena Lima Caldana
 
Programa Resumido
A disciplina situa-se na interface entre a psicologia do trabalho e a orientação profissional. Apresenta as principais concepções sobre carreira, modelos e questões contemporâneas na gestão e administração da carreira articulado com o projeto de vida.
 
 
 
Programa
· Carreira: o estado da arte.
· Modelos de planejamento de carreira
· Trabalho e carreira profissional no mundo contemporâneo
· Educação para a carreira
· Identidade profissional
· Processos seletivos organizacionais, concursos públicos e trabalho autônomo
· Habilidade, qualificação e competência
· Políticas Públicas em Educação, Trabalho e Carreira.
· Desenvolvimento do mercado de trabalho para o psicólogo
· Projeto de Vida e de Carreira
· Gestão pessoal da carreira no Ensino Superior
 
 
 
Avaliação
     
Método
Métodos utilizados:
1. Aulas expositivas ministradas pelo professor e convidados.
2. Discussão de textos, visando fomentar a participação do aluno com a finalidade de propiciar o estabelecimento relações entre as várias proposições apresentadas por diferentes autores e diferentes abordagens.
3. Vivências em orientação de carreira.
4. Seminários realizados pelos alunos.
5. Estudos de casos.
Critério
Critérios de avaliação de aprendizagem:
A nota final será a média aritmética das seguintes avaliações:
1. Avaliação escrita individual sobre as unidades de conteúdo, que poderá ser realizada em etapas (Peso 2)
2. Avaliação do trabalho escrito e dos estudos de caso (Peso 1)

Norma de Recuperação
Domínio do conteúdo básico verificado através da realização de uma prova escrita (ou trabalho) sobre o conteúdo da disciplina, dentro do prazo previsto pela regulamentação. Os alunos que ficarem de recuperação devem procurar o docente responsável pela disciplina para agendar a data da prova, respeitando o prazo previsto pela regulamentação.
 
Bibliografia
     
Abreu Filho, A G. (2000). Identidade: A questão da identidade profissional do psicólogo. Revista Psic, 1(2), 12-16.

Aguirre, A M. B., Herzberg, E., Pinto, E. B., Becker, E., Carmo, H. M. S., & Santiago, M. D. E. (2000). A formação da atitude clínica no estagiário de psicologia. Psicologia USP, 11(1), 49-62.

Ancona-Lopez, M. (2005) Considerações sobre as diretrizes curriculares nacionais para os curso de Psicologia. Em L. L. Melo-Silva, M. A. Santos & C. P. Simon. Formação em Psicologia: Serviços escola em debate. São Paulo: Vetor.

Azzi, R. G., & Polydoro, S. A. (2006). A Auto-eficácia na Transição para o Trabalho. In: R. G. Azzi, & S. A. Polydoro, Auto- Eficácia em diferentes contextos (pp. 25-58). Campinas, SP: Alínea.

Bock, A. M. B. (1999). A Psicologia a caminho do novo século: identidade profissional e compromisso social. Estudos de Psicologia, 4(2), 315-329.
Brown, D & Associates. (2002). Career Choice and Development. 45th ed. San Francisco: Jossey Bass.

Brown, S. D.; Lent, R. W. (2005). Career development and counseling: Putting theory and research to work. New Jersey: John Wiley & Sons, Inc.

Bowers, P. J., Dickeman, M. M., & Fuqua, D. R. (2001). Psychosocial and career development of graduating seniors. Naspa Journal, 38(3). Acesso em: 04/nov/2005. Disponível em: http://www.naspa.org/pubications/journal/files/spring01%2fpsychosocial.pdf.

Ciampa, A C. (1999). Identidade. Em S. T. M. Lane & W. Codo (Orgs.), Psicologia Social: O homem em movimento (pp. 58-77). São Paulo: Editora Brasiliense.

Contini, M. L. J. (2000). Discutindo o conceito de promoção de saúde no trabalho do psicólogo que atua em Educação. Psicologia: Ciência e Profissão, 20(2), 46-58.

Corona, C. R. (2004). Trajetórias dos professores de Psicologia do Espírito Santo: Atuação e identidade profissional. Dissertação de Mestrado não-publicada, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

Dias, M. S. de L.; Soares, D. H. P. (2009). Planejamento de carreira: uma orientação para estudantes universitários. São Paulo: Vetor.

Dimenstein, M. (2000). A cultura profissional do psicólogo e o ideário individualista: implicações para a prática no campo da assistência pública à saúde. Estudos de Psicologia, 5(1), 95-121.

Dimenstein, M. (2001). O psicólogo e o compromisso social no contexto da saúde coletiva. Psicologia em Estudo, Maringá, 6(2), 57-63.

Dries, N.; Pepermans, R., & Carlier, O. (no prelo). Career Success: constructing a multidimensional model. Journal of Vocational Behavior.

Dutra, J.S. Gestão de pessoas: Modelo, processos, tendências e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2002. 210 p.

Erikson, E. H. (1987). Identidade: Juventude e crise (2a ed., Álvaro Cabral, Trad.). Rio de Janeiro: Guanabara.

Ferreira Neto, J. L. & Penna, L. M. D. (2006). Ética, clínica e diretrizes: a formação do psicólogo em tempos de avaliação de cursos. Psicologia em Estudo, Maringá, 11(2), 381-390.

Figueiredo, L. C. (1993). Sob o signo da multiplicidade. Estudos de Psicologia, 10(1), 11-19.

Freitas, M. F. Q. (1998). Inserção na comunidade e análise de necessidades: Reflexões sobre a prática do psicólogo. Psicologia Reflexão e Critica, 11(1), 175-189.

Galindo, W. C. M. (2004). A construção da identidade profissional docente. Psicologia: Ciência e Profissão, 24(2), 14-23.

Gioia-Martins, D., & Rocha-Junior, A (2001). Psicologia da Saúde e o novo paradigma: novo paradigma? Psicologia Teoria e Prática, 3(1), 35-42.

Guichard, J., & Huteau, M. (2002). Psicologia da orientação. Lisboa: Instituto Piaget. (Original publicado em 2001)

Herr, E.L. (1999). Theoretical perspectives on the school-to-work transition: reactions and recommendations. The career Development Quarterly, 47, 359-364.

Jenschke, B. (2003). A cooperação internacional: Desafios e necessidades da orientação e do aconselhamento em face das mudanças mundiais no trabalho e na sociedade. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 4(1/2), 35-55.

Krawulski, E. (2004). Construção da identidade profissional do psicólogo: Vivendo as “metamorfoses do caminho” no exercício cotidiano do trabalho. Tese de Doutorado não-publicada, Programa de Pós-Graduação em Ergonomia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Krawulski, E., & Patrício, Z. M. (2005). Porque pessoas escolhem a Psicologia como profissão? Em M. C. P. Lassance (Org.), Intervenção e compromisso social: Vol. 2. Orientação profissional: Teoria e técnica (pp. 323-336). São Paulo: Vetor.

Lane, S. T. M. (1999). A psicologia social e uma nova concepção de homem para a Psicologia. Em S. T. M. Lane & W. Codo (Orgs.), Psicologia social: O homem em movimento (pp. 10-19). São Paulo: E Brasiliense.

Magalhães, M. O., & Gomes, W. B. (2007). Personalidades Vocacionais e Processo de Carreira na Vida Adulta. Psicologia em Estudo , 95-103.

Nunes, E. (2006). Ensino universitário, corporação e profissão: Paradoxos e dilemas estratégicos do Brasil. Documento de trabalho 55. Rio de Janeiro: Observatório Universitário. Acesso em: 10/jan/2007. Disponível em: http://www.abopbrasil.org.br/temp/artigos/ensinouniversitario.pdf

Oliveira, M. C. (s.d.). Desenvolvimento de carreira de estudantes universitários: Validação de instrumentos de medida. Dissertação de Mestrado não-publicada, Programa de Pós-graduação em Psicologia Aplicada, Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, MG.

Oliver, L. W.; Spokane, A. R. Career-intervention outcome: What contributes to client gain. Journal of Counseling Psychology, Washington, DC, v. 35, n. 4, p. 447-462, 1988.

Ribeiro, M. A. (2009). Psicologia e gestão de pessoas: Reflexões, críticas e temas afins (ética, competência e carreira). São Paulo: Vetor Editora.

Ribeiro, M.A. Competências para a carreira: expectativas de jovens universitários de cursos tecnológicos. In: ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPSO, 14., 2007. Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ABRAPSO, 2007. v. 1. p. 1-17. Disponível em:http://www.abrapso.org.br/siteprincipal/anexos/AnaisXIVENA/conteudo/pdf/trab_completo_10.pdf> Acesso em: 25 set. 2009.

Taveira, M. C.; Pinto, J. C. (2008). Gestão pessoal de carreira. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 60 (3).

Teixeira, M.A.P.; Bardagi, M.P.& Hutz, C.S. (2007). Escalas de Exploração Vocacional (EEV) para universitários. Psicologia em Estudo, 12(1), 195-202.

Teixeira, M.A.P., & Gomes, W. B. (2005). Decisão de Carreira entre Estudantes em Fim de Curso Universitário. Psicologia: Teoria e Pesquisa , 327-334.

Vieira, D. & Coimbra, J.L. (2006). Sucesso na transição escola-trabalho: a percepção de finalistas do ensino superior português. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 7(1).

Vieira, D., & Coimbra, J. L. (2006). A Auto-eficácia na Transição para o Trabalho. In: R. G. AZZI, & S. A. POLYDORO, Auto- eficácia em diferentes contextos (pp. 25-58). Campinas: Alínea.

Vieira, D. Maia, J. & Coimbra, J.L. (2007). Do ensino superior para o trabalho: análise factorial confirmatória da escala de auto-eficácia na transição para o trabalho (AETT). Avaliação Psicológica, 6(1), 3-12.
 

Clique para consultar os requisitos para 5940214

Clique para consultar o oferecimento para 5940214

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP