Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Psicologia
 
Disciplina: 5940645 - Psicologia do Desenvolvimento: O Ciclo Vital
DEVELOPMENTAL PSYCHOLOGY: THE LIFESPAN

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2019 Desativação:

Objetivos
Ao final da disciplina o aluno deverá ser capaz de: - Identificar o objeto de estudo da Psicologia do Desenvolvimento; - Discriminar os diferentes métodos, princípios e teorias da Psicologia do Desenvolvimento; - Reconhecer o caráter histórico e social das noções relativas a cada fase do ciclo vital e das teorias nas quais foram formuladas; - Caracterizar as principais etapas do ciclo de vida humana, considerando o entrelaçamento dos aspectos biológicos, históricos, sociais e culturais; - Analisar os contextos históricos, econômicos, sociais e culturais do desenvolvimento humano; - Refletir sobre as implicações éticas da pesquisa com seres humanos no campo da Psicologia do Desenvolvimento.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
439552 - Ana Raquel Lucato Cianflone
 
Programa Resumido
A disciplina está inserida no campo da Psicologia do Desenvolvimento; abarca teorias clássicas e atuais e temáticas contemporâneas da área. Apresenta perspectivas teóricas que buscam analisar os processos desenvolvimentais em sua complexidade, com ênfase no entrelaçamento de aspectos biológicos, históricos e culturais.
 
 
 
Programa
1. Histórico, concepções e práticas no campo da Psicologia do Desenvolvimento. 2. A perspectiva do ciclo vital na Psicologia do Desenvolvimento. 3. O estudo do desenvolvimento humano: conceitos básicos e perspectivas teóricas. 4. Ontogênese e cultura. 5. Desenvolvimento nos primeiros anos de vida: a construção do vínculo de apego, comunicação linguística, atenção conjunta, representação simbólica e aquisição da linguagem. 6. Desenvolvimento físico, cognitivo, afetivo, social e moral na infância. 7. Adolescência e juventudes: aspectos biológicos, psicológicos e sociais. 8. Mudanças de papéis e dinâmica da vida adulta. 9. O processo de envelhecimento. 10. Aspectos éticos da pesquisa em Psicologia do Desenvolvimento.
 
 
 
Avaliação
     
Método
O programa será desenvolvido através de aulas teóricas, debates, discussões de textos, livros e filmes, trabalhos em grupo, palestras de conferencistas convidados. Atividades discentes: - Elaboração de projeto - Realização de entrevistas - Elaboração de seminário e relatório do projeto - Elaboração do trabalho teórico - Prova
Critério
Provas escritas - peso 6 Relatório escrito e seminários - peso 4 (nota de zero dez)
Norma de Recuperação
O aluno deverá entrar em contato com o docente para saber qual critério é adotado.
 
Bibliografia
     
Baltes, P. B., & Singer, T. (2001). Plasticity and the aging mind: an exemplar of the biocultural orchestration of brain and behavior. European Review: Interdisciplinary Journal of the Academia Europaea, 9, 59-76. Bowlby, J. (1989). O papel do apego no desenvolvimento da personalidade. In Uma Base segura: aplicações clinicas da teoria do Apego. (pp. 117-132). Porto Alegre: Artes Médicas. Bee, H. (2003). A criança em desenvolvimento. 9ª ed.,Porto Alegre: Artmed. Bruner, J. (1983). From communicating to talking. In Child`s Talk – Learning to Use Language (pp.23-42). New York // London: W.W. Norton & Company. Calligari, C. (2000). Adolescência. São Paulo: Publifolha. Cole, M.; Cole, S. R. (2004). O desenvolvimento da criança e do adolescente. 4ª ed., Porto Alegre: Artmed. Erikson, E. (1997). Psicossexualidade e o ciclo de gerações (cap. 2) e Estágios maiores no desenvolvimento psicossocial (cap. 3), pp 27-71. In O ciclo de vida completo. Porto Alegre: Artmed Freitas, M.V. (2005) (Org). Juventude e adolescência no Brasil: referências conceituais (pp. 05-40). São Paulo: Ação Educativa. Goldin-Meadow S. Hearing Gesture: How Our Hands Help Us Think. Cambridge, MA: Harvard University Press; 2013. La Tylle, Y. (2002) Cognição, afeto e moralidade. In: Oliveira, M.K.; Souza, D.T.R. e Rego, C. Psicologia, Educação e temáticas da vida contemporânea. São Paulo, Editora Moderna,p. 135-158. Margulis, M. & Urresti, M. (2000). La juventude es más que uma palabra. In M. Margulis & M. Urresti (Orgs), La juventude es más que uma palabra (p. 13-30). Buenos Aires: Biblos. Néri, A.L. (2004). O que a psicologia tem a oferecer ao estudo e à intervenção no campo do envelhecimento, no Brasil, hoje. In, A.L. Neri (Org). Velhice bem sucedida (pp 13-27). Campinas: Papirus. Oliveira, M.K. (2004). Ciclos de vida: algumas questões sobre a psicologia do adulto. Educação e Pesquisa, 30(2), 211-229. Papalia, D. E. , Olds, S. W.;Feldman, R. D. (2009). Desenvolvimento humano. 10ª ed. Porto Alegre: ArtMed. Power. J.D.; Schlaggar,B.L. Neural plasticity across the lifespan. Dev Biol 2017, 6:e216. Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde. Rogoff, B. (2005) A natureza cultural do desenvolvimento humano. Porto Alegre, Artmed. Rossetti-Ferreira, M. C., Amorim, K. S. & Silva, A. P. S. (2004) Rede de significações: alguns conceitos básicos. In M. C. Rossetti-Ferreira, K. S. A., A. P. S. da Silva & A. M. A. Carvalho (Orgs.). Rede de significações e o estudo do desenvolvimento humano (pp. 23-33). Porto Alegre: Artmed. Sheehy, G. (1998) Passagens: crises previsíveis da vida adulta (pp 29-46). Editora Francisco Alves, 16ª.ed. Spósito, M.P. (2004). Apontamentos para discussão sobre a condição juvenil no Brasil. In Juventude: o que é? Rio de Janeiro: MEC. Tomasello, M. Origens culturais da aquisição do conhecimento. São Paulo, Martins Fontes, 2003.
 

Clique para consultar os requisitos para 5940645

Clique para consultar o oferecimento para 5940645

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP