Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Psicologia
 
Disciplina: 5940648 - Psicopatologia Geral I
GENERAL PSYCHOPATHOLOGY I

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2018 Desativação:

Objetivos
Geral: O curso visa introduzir o aluno no estudo da Psicopatologia, apresentando e discutindo as principais mudanças no modo de compreendê-la e tratá-la. Introduzir a semiologia psiquiátrica, caracterizando as funções mentais e suas alterações. Discutir os diferentes modelos de atenção em saúde mental e refletir sobre a atuação do psicólogo na área. Específicos: Ao final do curso o aluno deve estar apto a: - Reconhecer as mudanças ocorridas ao longo do tempo no campo da Psicopatologia. - Manejar os sistemas de classificação diagnósticas utilizados na atualidade. - Realizar a avaliação clínica e o exame do estado mental. -Conhecer a organização da rede assistencial em saúde mental. - Reconhecer as diferentes possibilidades de atuação do psicólogo no campo da Psicopatologia.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
193820 - Clarissa Mendonça Corradi Webster
 
Programa Resumido
Introdução ao estudo da Psicopatologia, analisando as principais mudanças no modo de compreendê-la e tratá-la. Estudo da semiologia psicopatológica. Apresentação dos modelos de tratamento e da rede de atenção em saúde mental e discussão sobre a atuação do psicólogo na área.
 
 
 
Programa
1. Introdução ao estudo da Psicopatologia: 1.1 Definição 1.2 Conceito de normalidade 1.3 Princípios do diagnóstico 1.4 Sistemas de classificação e diagnóstico 2. Avaliação Clínica e Exame do Estado Mental 2.1 A entrevista e a construção da história na clínica psiquiátrica 2.2 Consciência e suas alterações 2.3 Atenção e concentração e suas alterações 2.4 Orientação e suas alterações 2.5 Vivências de tempo e espaço e suas alterações 2.6 Sensopercepção e suas alterações 2.7 Memória e suas alterações 2.8 Capacidade Intelectual 2.9 Afeto e suas alterações 2.10 Pensamento e suas alterações 2.11 Juízo Crítico e suas alterações 2.12 Linguagem e suas alterações 2.13 A vontade e suas alterações 3. Modelos de atenção em saúde mental 3.1 Reforma Psiquiátrica 3.2 Organização da rede de atenção psicossocial 3.3 Práticas psicológicas no contexto da psicopatologia
 
 
 
Avaliação
     
Método
I. Aulas expositivas dialogadas II. Discussões em grupos II. Seminários III. Estudos de casos Atividades discentes: - Visitas a Instituições Psiquiátricas - Leitura de textos - Preparo de resenhas - Preparo de trabalho de campo
Critério
- Participação nas discussões em sala de aula - Preparo de resenhas - Preparo de trabalhos de campo - Avaliação realizada em sala de aula Cada um dos critérios terá peso diferente e estes serão combinados com a classe no início das aulas.
Norma de Recuperação
Realização de uma prova escrita e ou prova oral, e ou síntese de leitura, e ou seminários, e ou trabalhos escritos sobre o conteúdo da disciplina no prazo previsto pela regulamentação. O aluno deverá entrar em contato com o docente para saber qual critério será adotado.
 
Bibliografia
     
AMARANTE, P. (coord.) Loucos pela Vida: a Trajetória da Reforma Psiquiátrica no Brasil. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 1995. BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Lei n.º 10216, de 06 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial. CAMPOS, R.O. Clínica: a palavra negada – sobre as práticas clínicas nos serviços substitutivos de Saúde Mental. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 25, n. 58, p. 98-111, maio/ago. 2001 CHENIAUX, E. Manual de Psicopatologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. DALAGALARRONDO, P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. Porto Alegre: Artmed, 2000. DSM-V- Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais.Porto Alegre: ARTMED, 2014. FOUCAULT, M. O poder psiquiátrico. São Paulo: Martins Fontes, 2006. GABBARD, G.O. Psiquiatria Psicodinâmica na prática clínica. 4ª Ed. Porto Alegre: Artmed. 2005. GOFFMAN, E. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1961.p. 15-69. HOLMES, D. S. Psicologia dos Transtornos Mentais. Porto Alegre: Artmed, 1997. KLEINMAM, A. What is a psychiatric diagnosis? In: Rethinking Psychiatry: from cultural category to personal experience. New York: The free press. 1988. MATOS, E.G.; MATOS, T.M.G.; MATOS, G.M.G. A importância e as limitações do uso do DSM-IV na prática clínica. Rev Psiquiatr RS; vol. 27, n.3, p.312-318, 2005. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Saúde mental e atenção básica: o vínculo e o dialogo necessários. Brasília: Ministério da Saúde, 2003. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID-10: Descrições Clínicas e Diretrizes Diagnósticas - Porto Alegre: Artes Médicas, 1993. PAIM, I. História de Psicopatologia. São Paulo: EPU, 1993. SPITZER, R.L. et al. DSM-IV-TR – Casos clínicos – especialistas contam como tratam seus pacientes. 2ª. Ed. Porto Alegre: Ed. Artmed, 2008. ZUARDI, A.W.; LOUREIRO, S.R. Semiologia Psiquiátrica. Medicina, Ribeirão Preto, vol. 29, p.44-53, 1996.
 

Clique para consultar os requisitos para 5940648

Clique para consultar o oferecimento para 5940648

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP