Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Psicologia
 
Disciplina: 5940660 - Psicopatologia na Infância e na Adolescência
PSYCHOPATHOLOGY IN CHILDHOOD AND ADOLESCENCE

Créditos Aula: 3
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 75 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2018 Desativação:

Objetivos
Geral: A presente disciplina tem o objetivo de apresentar, caracterizar e discutir distúrbios na infância e adolescência, partindo de uma visão de desenvolvimento ao longo da vida, dos diferentes problemas comportamentais, cognitivos e emocionais que podem ocorrer como fruto da interação de variáveis do indivíduo e do ambiente. Específicos: - Discutir a relação entre a psicopatologia da infância e da adolescência a partir de uma perspectiva do desenvolvimento social, psicológico, biológico e relacional; - Ponderar as influências genéticas, ambientais e individuais no desenvolvimento de distúrbios na infância e na adolescência; - Caracterizar os transtornos diagnosticados pela primeira vez na infância; - Instrumentalizar o acadêmico na realização de avaliações diagnósticas, e em encaminhamentos eficazes dos transtornos mentais e queixas da infância e da adolescência.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
6616283 - Carmem Beatriz Neufeld
 
Programa Resumido
A disciplina introduz o campo da psicopatologia da infância e da adolescência, passando pela relação com o desenvolvimento e a vulnerabilização aos transtornos mentais na infância e na adolescência. São discutidos os diferentes transtornos e queixas mais recorrentes que ocorrem na infância.
 
 
 
Programa
I. Introdução I.1 Desenvolvimento e psicopatologia I.2 Fatores de risco e proteção I.3 Implicações do diagnóstico II. Transtornos mentais recorrentes na infância II.1 Deficiência intelectual II.2 Transtornos específicos da aprendizagem II.3 Transtorno das habilidades motoras II.4 Transtornos da comunicação II.5 Transtornos do espectro autista II.6 Transtornos de déficit de atenção e do comportamento disruptivo II.7 Transtornos de alimentação II.8 Transtornos de tique II.9 Transtornos de excreção II.10 Outros transtornos da infância ou adolescência II.11 Circunstâncias clínicas especiais e outras dificuldades que podem ser foco da atenção clínica
 
 
 
Avaliação
     
Método
As aulas iniciais terão caráter mais expositivo-dialogado, pois consistirão em aulas introdutórias e mais teóricas sobre desenvolvimento e psicopatologia. O objetivo destas aulas é introduzir conceitos chaves que serão discutidos e utilizados ao longo do curso. Nas aulas seguintes serão apresentados pela professora diferentes casos clínicos que serão trabalhados por meio da Metodologia de aprendizagem por problematização (PBL). Atividades discentes: - Realizar buscas bibliográficas sobre temas vinculados ao programa - Realizar estudos de casos - Assistir e comentar filmes - Elaborar diagnósticos e fazer encaminhamentos condizentes com a literatura
Critério
Seguindo a metodologia do PBL a avaliação seguirá um processo de avaliação continuada. Todos os encontros presenciais lançarão mão de atividades textuais produzidas em grupos ou individualmente visando o acompanhamento da evolução do aluno dentro da disciplina. Além disso, aspectos de postura e comprometimento também serão valorados.
Norma de Recuperação
Realização de uma prova escrita sobre o conteúdo da disciplina no prazo previsto pela regulamentação.
 
Bibliografia
     
American Psychiatric Association (2014). DSM-5: Manual Diagnóstico Estatístico de Transtornos Mentais, 5a ed. Porto Alegre: Artmed. Brazelton, T. B. (2002). O Modelo Touchpoints. In: Brazelton, T. B. & Greenspan, S. I. As necessidades essenciais das crianças (pp. 185-194). Porto Alegre: Artmed. Caminha, R., & Caminha, M. G. (2007). A prática cognitiva na infância. São Paulo: Roca. Cole, M., & Cole, S. R. (2003). O desenvolvimento da criança e do adolescente. Porto Alegre: Artmed. Dumas, J. E. (2011). Psicopatologia da infância e da adolescência. Porto Alegre: Artmed. Gibbs, V., Aldridge, F., Chandler, F., Witzleperger, E., & Smith, K. (2012). Brief report: An exploratory study comparing diagnostic outcomes for autism spectrum disorders under DSM-IV-TR with the proposed DSM-5 revision. Journal of Autism and Developmental Disorders, 42, 1750-1756. Kaplan, H. I., Sadock, B. J., & Grebb, J. A. (1997). Compêndio de psiquiatria – ciências do comportamento e psiquiatria clínica. Porto Alegre: Artes Médicas. Levy, F. (2014). DSM-5, ICD-11, RDoC and ADHD diagnosis. Australian & New Zealand Journal of Psychiatry, 48(12), 1163-1169. Marcalli, D., & Cohen, D. (2010). Infância e Psicopatologia. Porto Alegre: Artmed Mõller, E., Majdandzic, M, Craske, M. G., & Bôgels, S. (2014). Dimensional assessment of anxiety disorders in parents and children for DSM-5. International Journal of Methods in Psychiatric Research, 23(3), 331-344. Papalia, D. E., Olds, S. W., & Feldman, R. D. (2006). Desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed. Piccoloto, N. M., & Wainer, R. (2007). Aspectos Biológicos da Estruturação da Personalidade e Terapia Cognitivo-Comportamental. In: Caminha, R. & Caminha, M. G. (Org) A prática cognitiva na infância. São Paulo: Roca. Snowling, M. J., & Hulme, C. (2012). Annual research review: the nature and classification of reading disorders – a commentary on proposals for DSM-5. Journal of Child Psychology and Psychiatry, 53(5), 593-607. Silvares, E. F. M. (Org.) (2000). Estudo de caso em psicologia clínica comportamental infantil – vol II. Campinas – Papirus. Stringaris, A. (2011). Irritability in children and adolescents: a challenge for DSM-5. Europen Child Adolesc. Psychiatric, 20, 61-66. Stubbe, D. (2008). Psiquiatria da Infância e Adolescência. Porto Alegre: Artmed.
 

Clique para consultar os requisitos para 5940660

Clique para consultar o oferecimento para 5940660

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP