Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Educação, Informação e Comunicação
 
Disciplina: 5961129 - Concepções e Práticas Pedagógicas de Educação Infantil
Pedagogical concepts and practices of early childhood education

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 20 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2017 Desativação:

Objetivos
Geral: Analisar o desenvolvimento das concepções pedagógicas na Educação Infantil no Brasil e em algumas partes do mundo Específicos: Compreender o processo de construção do conhecimento pela criança a partir da perspectiva histórico-cultural. Compreender as diferenças e especificidades do trabalho com crianças de 0 a 3 e de 4 a 6 anos de idade. Conhecer e construir propostas de trabalho significativas para crianças de zero a seis anos, em tempo integral ou parcial. Refletir sobre a centralidade do professor e sobre a importância de sua formação inicial e continuada na elaboração, implementação e avaliação de um projeto pedagógico de qualidade. Articular conceitos teóricos ao trabalho prático com as linguagens expressivas na educação infantil.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
407786 - Bianca Cristina Correa
 
Programa Resumido
A disciplina tem por objetivo apresentar o desenvolvimento de concepções e práticas pedagógicas voltadas à Educação Infantil, com ênfase sobre o processo de aprendizagem pela criança a partir da perspectiva histórico-cultural, bem como sobre as diferenças e especificidades do trabalho com crianças de 0 a 3 e de 4 a 6 anos de idade.
 
 
 
Programa
Direito à infância e direito à brincadeira: objetivos da Educação Infantil de qualidade. Concepções de infância e de Educação Infantil. Processos de desenvolvimento, de construção de conhecimento pela criança pequena e o papel das interações. Planejamento e Organização do tempo e espaço educativos. Registro, documentação e avaliação na Educação Infantil. Múltiplas linguagens e dimensões humanas. Tendências contemporâneas na Educação Infantil brasileira e estrangeira.
 
 
 
Avaliação
     
Método
- Aulas expositivo-dialogadas - Seminários - Discussões de textos e vídeos - Estudos dirigidos - Elaboração de registros individuais ou em duplas - Aulas práticas - Orientação para elaboração de textos
Critério
Provas escritas, registros individuais e elaboração de atividades orientadas
Norma de Recuperação
1. A recuperação ocorrerá durante todo o processo de ensino e aprendizagem. 2. Caso necessário, o professor poderá solicitar ao aluno a complementação de atividades, uma prova escrita e/ou síntese de leitura e/ou trabalho escrito sobre o conteúdo da disciplina.
 
Bibliografia
     
AUGUSTO, Silvana de Oliveira. A linguagem oral e as crianças – possibilidades de trabalho na Educação Infantil. Univesp. s/d. p. 52-64. BRASIL, CNE. Resolução n. 5, de 17 de dezembro de 2009b. Fixa as diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. CAMPOS-de-CARVALHO, M. I. Contribuição da organização espacial em creches para educação infantil. In: BOCK, A. M. B.; VARGAS, H. M.; ROMERO, A. M. Psicología, educación y sociedad en México y Brasil. Un compromisso social para a América Latina. México-Brasil, 2005. COSTA,Dânia Monteiro Vieira; GONTIJO, Cláudia Maria Mendes. A linguagem oral como elemento integrante da brincadeira. Cadernos de Pesquisa. v. 41, n.142 jan./abr. 2011. p. 268-289 EDWARDS, Carolyn. Parceiro, promotor do crescimento e guia – os papeis dos professores de Reggio em ação. In: EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAM, George. As cem linguagens da criança. Porto Alegre, ARTMED, 1999. p. 159-176 GALVÃO, I. A questão do movimento no cotidiano de uma pré-escola. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 98, p. 37-49, ago. 1996. HOFFMANN, J. Pareceres descritivos: uma análise crítica. In: HOFMAN, J. Avaliação na pré-escola-escola: um olhar sensível e reflexivo sobre a criança. Porto Alegre: Mediação, 2000. MARTINS, L. M. Especificidades do desenvolvimento afetivo-cognitivo de crianças de 4 a 6 anos. In: ARCE, A.; MARTINS, L. M. (orgs) Quem tem medo de ensinar na educação infantil? Em defesa do ato de ensinar. Campinas, SP: Alínea, 2007. p. 63-92 MARTINS, L. M. O ensino e o desenvolvimento da criança de zero a três anos. In: ARCE, A.; MARTINS, L. M. (orgs) Ensinando aos pequenos de zero a três anos. Campinas, SP: Alínea, 2009. p. 93-121 MELLO, S. A. Algumas implicações pedagógicas da escola de Vygotsky para a educação infantil. Pro-Posições. Campinas, vol. 10, n. 1 (28), p. 16-27, mar. 1999. OLIVEIRA, M. K. Pensamento e linguagem. In: ¬¬¬¬¬¬¬¬ OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento, um processo histórico. São Paulo: Scipione, 1993. p. 41-54. TUNES, E.; TUNES, G. O adulto, a criança e a brincadeira. In: Em aberto. Brasília, v. 18, n. 73, p. 78-88, jul. 2001. ZABALZA, Miguel A. Os dez aspectos-chave de uma Educação Infantil de qualidade. In: ZABALZA, Miguel A. Qualidade em Educação Infantil. Porto Alegre: ARTMED, p. 49-61, 1998. Bibliografia complementar: ARAÚJO, E. S. A atividade do brincar e o desenvolvimento infantil na perspectiva histórico-cultural. Revista Espaço Pedagógico, v.13, n. 2, Passo Fundo, p. 40-49, jul./dez. 2006. BECCHI, Egle e BONDIOLI, Anna (orgs). Avaliando a pré-escola: uma trajetória de formação de professoras. Campinas/SP: Autores Associados, 2003. BENJAMIN, W. Reflexões: A Criança, o Brinquedo e a Educação. Summus: São Paulo, 1984. BONDIOLI, A (org.) O Tempo no Cotidiano Infantil. Perspectivas de pesquisa e estudo de casos. São Paulo: Cortez, 2004 BONDIOLI, Anna (org). O Projeto Pedagógico da creche e a sua avaliação: a qualidade negociada. Campinas/SP: Autores Associados, 2004. BONDIOLI, Anna e MANTOVANNI, Susanna. Manual de Educação Infantil. Artmed, Porto Alegre, 1998. BRASIL. Critérios para um atendimento em creches que respeite os direitos fundamentais das crianças. Brasília, MEC/SEF/COEDI, 1995. BRASIL. MEC/SEF/COEDI. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Vol.1,2,3. Brasília, 1998. CORREA, B. C. Algumas considerações sobre qualidade na educação infantil. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 119, p. 85-112, jul. 2003. EDWARDS, C.; GANDINI, L; FORMAN, G. As cem linguagens da criança. Artmed, Porto Alegre, 1999 FARIA, Ana L. G.; PALHARES, Marina S. (orgs.) Educação infantil pós-LDB: rumos e desafios. Campinas: autores associados, 1999. FARIA, Ana Lúcia G. Educação pré-escolar e cultura: para uma Pedagogia da Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 1998. FERNANDES, Florestan. Folclore e mudança social na cidade de São Paulo. 2ed., Petrópolis/RJ: Vozes, 1979, p. 153-258 FERREIRA-ROSSETI, Maria Clotilde e outros. Os Fazeres na Educação Infantil. Cortez, São Paulo, 1998. FORMOSINHO, Julia. Modelos Curriculares para a Educação da Infância. Porto: Porto Editora, 1996. FREIRE, Madalena. A Paixão de Conhecer o Mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983. ROSEMBERG, Fúlvia e CAMPOS, Maria M. (org). Creches e Pré-Escolas no Hemisfério Norte. São Paulo: Cortez, 1994. ROSSETTI-FERREIRA, Maria Clotilde et. al. Os fazeres na educação infantil. São Paulo: Cortez, 2000. TONUCCI, Francesco. Com Olhos de Criança. Trad. Patrícia C. Ramos. P. Alegre: Artes Médicas, 1997. VYGOTSKY, L. S. Interação entre aprendizado e desenvolvimento. In: VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. 5ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1994.
 

Clique para consultar os requisitos para 5961129

Clique para consultar o oferecimento para 5961129

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP