Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Educação, Informação e Comunicação
 
Disciplina: 5961140 - Gestão Educacional e Coordenação do Trabalho na Escola II
Educational Management and Coordination of labor in the school II

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 20 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2015 Desativação:

Objetivos
Geral: Propiciar subsídios teóricos para a: compreensão e exercício da administração escolar sob a perspectiva da gestão democrática da educação e da escola;
Específicos:
-Analisar propostas atuais para a gestão escolar à luz da legislação nacional;
-Reconhecer a relevância do trabalho coletivo na escola;
-distinguir e analisar proposições para desenvolvimento do projeto-pedagógico na escola, reconhecendo concepções orientadoras;
-conhecer e analisar as instâncias deliberativas no contexto escolar;
-identificar desafios à participação dos diferentes segmentos que compõem a comunidade escolar nos processos decisórios e na avaliação do trabalho pedagógico
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1706916 - Teise de Oliveira Guaranha Garcia
 
Programa Resumido
Reformas educacionais e a gestão democrática da escola pública. Coordenação pedagógica e trabalho coletivo na escola. Processos de avaliação no contexto escolar. Coordenação pedagógica e a participação da comunidade.
 
 
 
Programa
1) Reformas educacionais no Brasil: contextualizando as propostas para a escola pública na atualidade e suas decorrências para a organização do trabalho na escola
1.1 o campo legal e a organização do trabalho pedagógico
1.2 avaliações externas e gestão escolar:
1.3 exclusão e inclusão: políticas públicas e o cotidiano da escola
1.4 gestão democrática da escola pública: legislação e políticas
2) A coordenação político-pedagógica do trabalho escolar:
2.1 a construção do coletivo no local de trabalho
2.2 Construção coletiva do projeto pedagógico: discutindo processos de elaboração e implementação;
2.3 gestão escolar e a avaliação do projeto pedagógico: construindo indicadores com a comunidade escolar;
2.4 formação continuada e trabalho coletivo; os profissionais da escola
2.5 relação escola-comunidade: confronto entre lógicas?
2.6 relação educadores-educandos: a construção de autonomia
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, discussões de textos, seminários, filmes, análise de relatórios dos temas investigados e exercícios práticos na área estudada.
Critério
Avaliação contínua por meio de provas orais e escrita, seminários, trabalhos escritos e outras atividades.- Provas escritas: valor 50%- Relatórios individuais ou em duplas- 50%.
Norma de Recuperação
Os alunos que não conseguirem aprovação deverão fazer uma nova avaliação escrita, sobre todo o conteúdo visto no curso, e obter nesta, nota igual ou superior a 5 (cinco).
 
Bibliografia
     
AÇÃO EDUCATIVA, UNICEF, PNUD, INEP-MEC. (Coords.) Indicadores da qualidade na educação. São Paulo: Ação Educativa, 2004.
ADRIAO, T. M. F. ; GARCIA, T. O. G. ; DRAGONE, A. . Ensino Médio Noturno em Escolas Públicas Paulistas: indicações de qualidade. Educação e Realidade, v. 33, p. 253-270, 2008.
ALVES, Nilda (Org.) Educação e Supervisão: O trabalho coletivo na escola. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1984.
ARAÚJO, S. E. O projeto pedagógico como (DES)Encadeador do trabalho coletivo na escola. Educação: teoria e prática. Rio Claro, v.14, no 26, jan/jun-2006, p.113-140.
______ e GARCIA, R.L. (Org.). APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo). Não ser e ser: o desafio do Professor Coordenador Pedagógico. São Paulo; 1996 (no. O) - Caderno de Formação.
______. O trabalho do professor coordenador pedagógico - Um caminho metodológico. São Paulo:1996 (no.01).
ARELARO, L.R.G. O ensino fundamental no Brasil: avanços, perplexidades e tendências. Educ e Soc., Campinas, vol.26, no.92, p.1039-1066,-Especial out./2005.
ARROYO, M. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. 8ed. São Paulo: Vozes, 2005.
CHARLOT, B. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam esta questão. Sociologias, Porto Alegre, ano 4, no.8, jul/dez, 2002, p.432-443.
DE ROSSI, V. S. Mudanças com máscaras de inovação. Educação e Sociedade. v.26 n.92 Campinas out. 2005,p.935-9587.
DE ROSSI, V.L.S. Projetos político-pedagógicos emancipadores: histórias ao contrário. Cadernos Cedes, Campinas, v. 23, n. 61, p. 319-337, dez. 2003.
______. Gestão do projeto político-pedagógico: entre corações e mentes. São Paulo: Moderna, 2004.
GARCIA, T. O. G. . A escola como espaço de acolhimento e participação dos educandos. In: CORREA, B.C.; GARCIA, O.T. (Org.). Políticas Educacionais e organização do trabalho na escola. 1 ed. São Paulo: Xamã, 2008, v. 1, p. 161-188.
FERREIRA, Naura Syria C. (Org.). Supervisão Educacional: para uma escola de qualidade. São Paulo:Cortez, 1999.
FERREIRA, N.S.C. Formação humana, práxis e gestão do conhecimento. In: FERREIRA, N.S.C; BITTENCOURT, A.B.(Orgs.) Formação Humana e gestão da educação: a arte de pensar ameaçada. São Paulo: Cortez, 2008, p.51-82
FREITAS, L. C.. Qualidade negociada: avaliação e contra-regulação na escola pública. Educ. Soc., Out 2005, vol.26, no.92, p.911-933.
JACOMINI, M. A. A escola e os educadores em tempo de ciclos e progressão continuada: uma análise das experiências no estado de São Paulo. Educ. Pesqui., Dez 2004, vol.30, no.3, p.401-418.
LUCE, M.B., MEDEIROS, I.L.P. Gestão escolar democrática: concepções e vivências. Porto Alegre: UFRGS, 2006, Série Política e Educação.
LUCKESI, C; Planejamento e avaliação na escola: articulação e necessária determinação ideológica. Série Idéias, no.15, São Paulo: FDE, 1992, p.115-125.
MARQUES,, L. R. O projeto político pedagógico e a construção da autonomia e da democracia na escola nas representações sociais dos conselheiros. Educ. Soc., Ago 2003, vol.24, no.83, p.577-597.
MARTINS, A.M. A política educacional paulista: controvérsias em torno dos conceitos de descentralização e autonomia- 1983 a 1999. Educ e Soc.,Campinas, vol.24, no.83., ago./2003, p. 527-549.
MATTOS, C.L.M. O Conselho de Classe e a Construção do Fracasso Escolar. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.31, no.2, mai./ago./2005, p.215-228.
OLIVEIRA, L.R.H. Trabalho Coletivo em Educação: os desafios para a construção de uma experiência educacional fundamentada na cooperação em uma escola municipal de São Paulo. 2006. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação da USP/SP
PAIXÃO, L. Significados da escolarização para um grupo de catadoras de um lixão. Cadernos de Pesquisa, v. 35, n. 124, jan./abr. 2005,p.141-170.
PARO,V.H. Reprovação Escolar: renúncia à educação. São Paulo: Xamã, 2002.
______. Escritos sobre educação. São Paulo, Xamã, 2001.
REALIZ A.Tancredi, R. A Importância do que se aprende na escola: a parceria rscola-famílias em perspectiva. Paidéia, 2005, 15(31), 239-247
SILVA, M. A. Do projeto político do Banco Mundial ao projeto político-pedagógico da escola pública brasileira. Cad. CEDES, Dez 2003, vol.23, no.61, p.283-301.
SOUSA, S. M. Z. L . Possíveis impactos das políticas de avaliação no currículo escolar. Cadernos de Pesquisa da Fundação Carlos Chagas, São Paulo, n. 119, p. 175-190, 2003.
THIN, D. Para uma análise das relações entre famílias populares e escola: confrontação entre lógicas socializadoras, Revista Brasileira de Educação v. 11 n. 32 maio/ago. 2006,
no.p.212-225.
VEIGA, I. Inovações E Projeto Político-Pedagógico: Uma Relação Regulatória ou Emancipatória? Cad. Cedes, Campinas, v. 23, n. 61, p. 267-281, dezembro 2003.
 

Clique para consultar os requisitos para 5961140

Clique para consultar o oferecimento para 5961140

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP