Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
 
Música
 
Disciplina: 5971311 - Harmonia e Contraponto II
Harmony and Counterpoint II

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2019 Desativação:

Objetivos
Desenvolver noções de simultaneidade e sucessividade (Monteverdi) em linhas musicais, ao mesmo tempo em que se trata das disposições dos acordes tanto isolados (reconhecimento de acordes) como em suas funcionalidades (reconhecimento das funções tonais), assim como dos movimentos internos das vozes na textura polifônica vocal e/ou instrumental, tanto na realização de análises funcionais como na confecção de encadeamentos (a quatro vozes e outros também, já em escritas instrumentais), abrangendo os fundamentos históricos do sistema tonal do período clássico ao romântico. O Curso incluiu em sua etapa final os fundamentos do baixo contínuo. A Harmonia se encontra entre as matérias mais essenciais da música, enquanto disciplina universal, pois é matéria básica e serve de apoio para todas as demais, quer sejam de natureza poiética, prática ou teórica. O estudo da harmonia – conceito que remonta a Heráclito (“harmonia inaparente mais forte que a aparente”) e que se confunde não só com os primórdios da Música, mas também com os primórdios da Matemática e da Filosofia (harmonia como resolução dialética de um conflito, ou dialética primordial) - é básico e essencial ao aprendizado das amplas atividades da arte da música, quer seja para a formação do compositor, intérprete-executor ou musicólogo. Nesta disciplina pela FFCLRP-USP opta-se pela Harmonia Funcional (ou harmonia riemanniana), seguindo-se os padrões internacionais atualizados oriundos dos países alemães, bem como mantendo-se a filosofia de trabalho do fundador do curso de música na USP, Prof. Dr. George Olivier Toni.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1682511 - Rubens Russomanno Ricciardi
 
Programa Resumido
Fundamentos da Harmonia Funcional (a dialética da motilidade horizontal dos acordes verticalmente reconhecidos, cujo significado depende do contexto composicional) – análises funcionais e confecções de encadeamentos tonais, incluindo-se princípios da melodia acompanhada e dos recursos harmônicos do Romantismo (século XIX).
 
 
 
Programa
1. Análises funcionais de repertório colonial brasileiro I. 2. Análises funcionais de repertório colonial brasileiro II. 3. Análises funcionais de corais de Bach I. 4. Análises funcionais de obras de Bach II. 5. Análises funcionais de obras de Mozart I. 6. Análises funcionais de obras de Mozart II. 7. a) Conceitos de modulação e enharmonia. b) A melodia acompanhada. 8. Análises funcionais de obras de Beethoven. 9. Análises funcionais de obras de Beethoven. 10. As modulações românticas 11. Análises funcionais de obras de Schubert. 12. Análises funcionais de obras de Schumann. 13. Análises funcionais de obras de Schumann. 14. Análises funcionais de obras de Chopin. 15. Análises funcionais de obras de Fauré.
 
 
 
Avaliação
     
Método
O curso está baseado em aulas teóricas expositivas acompanhadas por ilustrações musicais, incluindo-se ainda a realização, no papel, em sala de aula ou tarefa para casa, de exercícios e análises, bem como em aulas práticas, com a execução ao piano, por parte de todos os alunos, de encadeamentos acadêmicos e obras musicais que estejam sendo analisadas, sempre com a supervisão do professor.
Critério
Exercícios em classe e entrega de trabalhos.
Norma de Recuperação
Alunos com avaliação final igual ou superior a 3,0 terão chance de uma prova de recuperação. Prova de recuperação abrange toda a matéria dada no semestre.
 
Bibliografia
     
*BACH, Johann Sebastian (1988). Einige höchst nöthige Regeln von General Basso di J. S. Bach – Einige Reguln vom General Bass. In: Klavierbüchlein für Anna Magdalena Bach – 1725. Faksimile der Originalhandschrift [Fac-símile do manuscrito original] mit einem Nachwort herausgegeben von Georg Dadelsen [editor e posfácio]. Série Documenta Musicologica nº XXV. Kassel, Bärenreiter. p.123-126 - ver também este texto transcrito em BACH, Johann Sebastian (1949). Einige höchst nöthige Regeln von General Basso di J. S. Bach – Einige Reguln vom General Bass. In: Klavierbüchlein für Anna Magdalena Bach – 1725. Leipzig, Peters. p.59-62. DISTLER, Hugo [1940]. Funktionelle Harmonielehre. Kassel und Basel, Bärenreiter. GRABNER, Hermann (1995). Handbuch der funktionellen Harmonielehre – I. Teil: Lehrbuch; II. Teil: Aufgabenbuch. 11. Auflage. Kassel, Gustav Bosse. (1a ed. 1967). FRANCESCHINI, Fúrio (outubro de 1946). Estudos sobre os Modos – Modulações Modais-Tonais – Bimodalidade. In: Revista Música Sacra. Ano VI - Nº 10. Petrópolis. p.182-186. FRANCESCHINI, Fúrio (novembro de 1946). Estudos sobre os Modos – Modulações Modais-Tonais – Bimoladidade (cont.). In: Revista Música Sacra. Ano VI Nº 11. Petrópolis. p.213-216. *KRÄMER, Thomas (1995). Harmonielehre im Selbststudium [2a ed. corrigida]. Wiesbaden, Breitkopf & Härtel. (1a ed. 1991). MACHADO, Raphael Coelho (4a edicção – s.d.). Breve tratado d’harmonia. Rio de Janeiro, Narciso & Arthur Napoleão. [1a ed. 1852]. *MALER, Wilhelm (2000). Beitrag zur Durmolltonalen Harmonielehre. München, F. E. C. Leuckart. [Volumes I e II]. 16ª ed. [1ª ed. 1931]. MICHELS, Ulrich (2001). dtv-Atlas - Musik. München, Deutscher Taschenbuch & Kassel, Bärenreiter. (1a ed. 1977). *MOTTE, Diether de la (1997). Harmonielehre. 10. Auflage. Kassel, Deutscher Taschenbuch & Bärenreiter. (1a ed. 1976). *RAMEAU, [Jean-Philippe] (1722). Traité de l’harmonie. Paris, Jean-Baptiste-Christophe Ballard - ver também a edição norte-americana: RAMEAU, Jean Philippe (1971). Treatise on harmony. Translated with an introduction and notes by Philip Gossett. New York, Dover. RIEMANN, Hugo (1893). Vereinfachte Harmonie oder die Lehre von der tonalen Funktionen der Akkorde. London und New York. RIEMANN, Hugo (1918). Handbuch der Harmonie und Modulations-Lehre. Berlin, Max Hesses Verlag. TORRES, Joseph de (1702). Reglas generales de acompañar, en organo, clavicordio, y harpa, con solo saber cantar la parte, ò un baxo en Canto figurado. Madrid, Imprenta de Musica. TORRES Martinez Bravo, Joseph de (1736). Reglas generales de acompañar, en organo, clavicordio, y harpa, con solo saber cantar la parte, ò un baxo en Canto figurado – añadido aora un nuevo tratado, donde se explica el modo de acompañar las obras de musica, segun el estilo italiano. Madrid, Imprenta de Musica. *=obras mais importantes e utilizadas no contexto do curso!
 

Clique para consultar os requisitos para 5971311

Clique para consultar o oferecimento para 5971311

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP