Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto
 
Estomatologia, Saúde Coletiva e Odontologia Legal
 
Disciplina: 8021205 - Atenção Primária à Saúde na Estratégia Saúde da Família I
Primary Health Care in Family Health Strategy I

Créditos Aula: 0
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 30 h ( Estágio: 30 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2017 Desativação:

Objetivos
Contribuir para o desenvolvimento da compreensão, por parte do estudante, do Sistema Único de Saúde, do trabalho em equipe multiprofissional e interdisciplinar, do processo saúde-doença como resultante de determinantes biológicos e sociais, da integralidade da atenção como eixo norteador da atenção em saúde, do processo de gestão dos serviços de saúde e da responsabilização pelo cuidado enquanto profissional de saúde. Especificamente, espera-se sensibilizar o estudante para a prática na Atenção Primária em Saúde, em especial na Estratégia Saúde da Família, reconhecendo um território adstrito a uma unidade de saúde e caracterizando os espaços e programas sociais da área.
 
 
 
Programa Resumido
Sensibilização para a Estratégia Saúde da Família. Reconhecimento territorial da área adstrita. Caracterização de espaços sociais e programas sociais.
 
 
 
Programa
1. Sensibilização para a Estratégia Saúde da Família: princípios do PSF, diferenças para o modelo de atenção tradicional, equipe de saúde da família, características da unidade e atividades desenvolvidas. 2. Reconhecimento territorial da área adstrita: reconhecimento das micro-áreas, visita aos quarteirões, identificação das casas, comércio, instituições e outros espaços sociais, caracterização das condições sociais (condições de segurança, acesso a serviços, organizações comunitárias). 3. Caracterização de espaços sociais e programas sociais: funcionamento, clientela, critérios de elegibilidade, número de pessoas atendidas, vínculos mantenedores, fontes de financiamento, dificuldades e expectativas com relação ao seu objeto de trabalho.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Opta-se pela utilização de metodologias ativas de aprendizado
Critério
Os estudantes serão avaliados pelo docente/cirurgião-dentista supervisor das atividades, bem como pelos profissionais da unidade de saúde em que estas forem desenvolvidas.
Para cada atividade proposta, o estudante será avaliado levando-se em consideração os seguintes aspectos:
1. Cognitivos:
a. Contribuição nas discussões teóricas
b. Contribuição para o processo de realização das atividades e dos trabalhos
2. Atitude:
a. Assiduidade
b. Pontualidade
c. Vestimenta adequada
d. Participação
e. Responsabilidade
f. Interesse
g. Interação com a equipe de saúde
h. Postura Ética
i. Respeito para com os colegas
j. Respeito para com os profissionais da unidade de saúde
k. Respeito para com os usuários da unidade de saúde
l. Respeito para com o(s) supervisor(es)
3. Psicomotor: qualidade dos trabalhos desenvolvidos e dos relatórios elaborados

Serão utilizadas as seguintes notas/conceitos para classificar o desempenho dos estudantes:
0,0 – 2,9: insuficiente (Reprovado)
3,0 – 4,9: insatisfatório (Recuperação)
5,0 – 7,9: satisfatório (Aprovado)
8,0 – 10,0: bom (Aprovado)
Norma de Recuperação
Realização satisfatória da atividade na qual o desempenho do estudante foi considerado insatisfatório durante o decorrer da Disciplina.
 
Bibliografia
     
BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia prático do Programa de Saúde da Família. Brasília: Ministério da Saúde, 2001. 131 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n.º. 648/GM, 28 de março de 2006. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS), 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n.º. 650/GM, 28 de março de 2006. Define valores de financiamento do PAB fixo e variável mediante a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a estratégia de Saúde da Família e para o Programa de Agentes Comunitários de Saúde, instituídos pela Política Nacional de Atenção Básica, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Programa Saúde da Família: ampliando a cobertura para consolidar a mudança do modelo de Atenção Básica. Rev. bras. saúde matern. infant., Recife, v. 3, n. 1, p. 113-125, jan. – mar., 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da família no Brasil: uma análise de indicadores selecionados : 1998-2004. Brasília : Ministério da Saúde, 2006. 200 p. (Série C. Projetos, Programas e Relatórios)

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Básica. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Diretrizes da política nacional de saúde bucal. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. 16 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Área Técnica de Saúde Bucal. Projeto SB 2000: condições de saúde bucal da população brasileira no ano 2.000. Brasília: Ministério da Saúde, 2.000. 42 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 399, 22 de fevereiro de 2006. Divulga o Pacto pela Saúde 2006 – Consolidação do SUS e aprova as Diretrizes Operacionais do Referido Pacto. 2006

BRASIL. Ministério da saúde. Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. 92 p. (Cadernos de Atenção Básica, n. 17) (Série A. Normas e Manuais Técnicos)

Departamento de Atenção Básica. Secretaria de Políticas de Saúde. Programa saúde da família. Rev Saúde Pública, v. 34, n.3, p.316-319, jun., 2000.

HENNINGTON, E. A. Acolhimento como prática interdisciplinar num programa de extensão universitária. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 256-265, jan.-fev 2005.

OLIVEIRA, E. M; SPIRI, W. C. Programa Saúde da Família: a experiência de equipe multiprofissional. Rev Saúde Pública, v. 40, n. 4, p. 727-733, 2006.

PEDROSA, J. I. S; TELES, J. B. M. Consenso e diferenças em equipes do Programa Saúde da Família. Rev Saúde Pública, v. 35, n. 3, p. 303-311, 2001.

ROSA, W. A. G; LABATE, R. C. Programa saúde da família. Rev Latino-am enfermagem, v. 13, n. 6, p. 1027-34, nov.-dez., 2005.

SENNA, M. C. M. Eqüidade e política de saúde: algumas reflexões sobre o Programa Saúde da Família. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 18 (supl), p. 203-211, 2002.

SILVA, I. Z. Q. J; TRAD, L. A. B. O trabalho em equipe no PSF: investigando a articulação técnica e a interação entre os profissionais. Interface - Comunic., Saúde, Educ., v. 9, n. 16, p. 25-38, set 2004/fev 2005.

SOUZA, R. A.; CARVALHO, A. M.. Programa de Saúde da Família e qualidade de vida: um olhar da Psicologia. Estud. psicol., Natal, v. l.8, n. 3, p.515-523, sep./dez. 2003.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto. Projeto PSF/FORP 2006: condições de saúde bucal nos Núcleos de Saúde da Família da área básica do Centro de Saúde Escola da FMRP/USP – Ribeirão Preto – 2006. Ribeirão Preto: FORP/USP, 2006. 52 p.

Vilela, E. M.; Mendes, I. J. M. Interdisciplinaridade e saúde: estudo bibliográfico. Rev Latino-am Enfermagem, v. 11, n. 4, p.525-31, jul-ago 2003.

WEBER, C. A. T. Programa de saúde da família: educação e controle da população. Porto Alegre: AGE, 2006. 382 p.
 

Clique para consultar os requisitos para 8021205

Clique para consultar o oferecimento para 8021205

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP