Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola de Artes, Ciências e Humanidades
 
Artes, Ciências e Humanidades
 
Disciplina: ACH1514 - Lazer, Turismo e Meio Ambiente
Leisure, Tourism and Environment

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2012 Desativação:

Objetivos
• Discutir as abordagens sobre a relação sociedade e natureza;
• Refletir sobre as premissas e objetivos do Lazer e Turismo Sustentável, com ênfase aos aspectos da natureza e da sociedade local;
• Entender os conceitos e objetivos das áreas de proteção da natureza e a inserção de práticas de lazer e turismo nessas áreas;
• Analisar técnicas de avaliação de impacto (positivos e negativos) de práticas de lazer e turismo no ambiente;
• Realizar atividades práticas e trabalhos de campo
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1753771 - Sidnei Raimundo
 
Programa Resumido
Realizar uma revisão ampla dos conceitos de meio ambiente estudados no ciclo básico
destacando suas inter-relações com o lazer e o turismo. Apresentação e discussão das
relações entre o lazer, o turismo e o meio ambiente, com ênfase no entendimento da
natureza sob o prisma das ciências naturais, sociais e econômicas. Avaliação dos pressupostos do Lazer e Turismo Sustentável, verificando suas características e contradições e estudando casos (no meio urbano, rural e natural) em que esses pressupostos foram utilizados com êxito. Entender a estrutura e funcionamento de unidades de conservação (áreas protegidas) no Brasil e no Mundo estudando suas interfaces com o Lazer e Turismo. Estudar algumas das técnicas de avaliação de impacto do Lazer e Turismo em áreas naturais.
 
 
 
Programa
Módulo I: A relação Sociedade x Natureza
1. A relação sociedade x natureza – contexto geral;

Módulo II: Visão de Natureza nas Ciências
2. O entendimento da natureza nas ciências naturais – a análise integrada (sistêmica) da natureza: ecossistema, geossistema, bioma e outras classificações naturalizantes;
3. O entendimento da natureza nas ciências sociais – o simbólico e o imaginário da natureza;
4. O entendimento da natureza nas ciências econômicas – valoração e precificação da natureza;

Módulo III: A Sustentabilidade do LzT
5. Lazer e Turismo Sustentável – contexto histórico e princípios de aplicação;
6. Lazer e Turismo Sustentável – em ambientes urbanos, rurais e naturais;

Módulo IV: LZT em Unidades de Conservação
7. Histórico de criação de unidades de conservação no mundo e no Brasil;
8. Sistema Nacional de Unidades de Conservação;
9. Unidades de Conservação de Proteção Integral (Estações Ecológicas, Reservas Biológicas, Parques Nacionais) e sua utilização para o Lazer e Turismo;
10. Unidades de Conservação de Uso Sustentável (Reservas Extrativistas, APAs, RPPNs) e sua utilização para o Lazer e Turismo;

Módulo V: Técnicas de Avaliação de Impacto
11. Conceito de impacto e sua aplicação nas atividades de lazer e turismo no ambiente;
12. A Interpretação Ambiental, como técnica para potencializar os impactos positivos do lazer e turismo no ambiente;
13. Estudos de Capacidade de Carga para redução de impactos negativos de Lazer e Turismo no ambiente;
14. Manejo do Impacto da Visitação e o Limite Aceitável de Mudanças – técnicas para monitorar e reduzir impactos negativos no ambiente;

Atividades relacionadas:
15. Visita técnica a uma área protegida com desenvolvimento de trabalhos práticos relacionados à bibliografia.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, palestras com profissionais (nos trabalhos de campo), atividades práticas individuais e em grupo, leitura e discussão de textos, pesquisas, relatórios de trabalhos de campo, projeto semestral e prova.
Critério
Média aritmética da: prova, trabalho semestral, trabalhos em sala, relatório de visita técnica.
Norma de Recuperação
Trabalho prático individual e prova escrita.
 
Bibliografia
     
MÓDULO I:

BÁSICA:

Carvalho, Marcos Bernardino de . O que é natureza. 1. ed. São Paulo: Brasiliense, 1991.
v. 1. 85 p. pp. 17-55.
Coriolano, Luzia Neide M. T. Turismo e meio ambiente: interfaces e perspectivas. IN:
Coriolano, Luzia Neide M. e Vasconcelos, Fábio Perdigão (orgs.). O turismo e a relação
sociedade-natureza. Fortaleza: Ed. da UECE, 2007, pp 19-43,

COMPLEMENTAR:

McCormick, John. Rumo ao paraíso: a história do movimento ambientalista. Rio de
Janeiro: Relume-Dumará, 1992, 224p (págs: 21-41).
Raimundo, Sidnei. Estudios Acerca de las Relaciones entre Sociedad y Naturaleza y su
Aplicación en Investigaciones Sobre Ocio y Turismo. In: Marcelino Castillo Nechar &
Alexandre Panosso Neto (Org.). Epistomologia del ocio y del turismo. Toluca - Mexico:
Editora da Universidade Autônoma do Estado do México (Toluca - México), 2007, (págs
1-27).

MÓDULO II:

BÁSICA:

Mattos, Katty & Mattos, Arthur. Valoração Econômica do Meio Ambiente: uma abordagem
técnica e prática. São Paulo: RiMa, Fapesp, 2004, 148p. (págs: 7-34).
Nucci, João Carlos. Ecologia e Planejamento da Paisagem. IN: dos Santos, Douglas,
Nuci, João Carlos (orgs.). Paisagens Geográficas: um tributo a Felisberto Cavaleiro.
Campo Mourão: Editora da Fecilcam, 2009. pp.: 50-64
Zaoual, Hassan. Do turismo de massa ao turismo situado. IN: Bartholo, Roberto; Sansolo,
Davis; Bursztyn, Ivan (orgs.) Turismo de base comunitária: diversidade de olhares e
experiências brasileiras. Brasília: Letra & Imagem, 2009 pp 55-75.

COMPLEMENTAR:

Serpa, Ângelo. O espaço público na cidade contemporânea. São Paulo: Contexto, 2007,
205p (págs: 1 17-138).
Raimundo, S. A Paisagem Natural Remanescente na Região Metropolitana de São
Paulo. São Paulo em Perspectiva, v. 20, p. 19-31, 2006.

MÓDULO III:

BÁSICA:

Acerenza, Miguel Angel. Desarrollo sostenible y gestión del turismo. México: Trillas, 2007
(caps. 1 e 2 – pp. 11-31)
Molina, Sérgio. Turismo e Ecologia. Bauru (SP): Edusc, 2001, 222p (págs: 179-200).
Yazigi, Eduardo. A conceituação de Patrimônio Ambiental Urbano em Paises
Emergentes. GeoNova, n° 12, 2006, pp. 65-81.

COMPLEMENTAR:

Murphy, Peter. Turismo e desenvolvimento sustentável. IN: Theobald, William (org.).
Turismo Global. São Paulo: Ed. Senac, 2001 (págs: 187-203).
Pimentel, Giuliano. A insustentabilidade do lazer sustentável. IN: Muller, Ademir &
DaCosta, Lamartine (orgs.) Lazer e Desenvolvimento Regional. Santa Cruz do Sul:
Udunisc, 2002, 230p. (págs: 83-107).

MÓDULO IV:

BÁSICA:

Diegues, Antônio Carlos S. As áreas naturais protegidas, o turismo e as populações
tradicionais. IN: Serrano, C. & Bruhns, H. (orgs.). Viagens à natureza: turismo, cultura e
ambiente. Campinas: Papirus, 1997 (págs: 85-102).
Medeiros, Rodrigo; Irving, Marta; Garay, Irene. Áreas protegidas no Brasil: interpretando
o contexto histórico para pensar a inclusão social. IN: Irving, Marta (org.) Áreas
protegidas e inclusão social: construindo novos significados. Rio de Janeiro: Fundação
Bio-Rio, ed. Aquarius, 2006. pp. 15-40
SNUC – Sistema Nacional de Unidades de Conservação, Lei n° 9985/2000 (capitulo 3).
Baixar da Internet, por exemplo em:
www.ibama.gov.br/parna_itatiaia/download.php?id_download=158.

COMPLEMENTAR:

Irving, Marta; Giuliani, Gian; Loureiro, Carlos. Natureza e Sociedade: desmistificando
mitos para a gestão de áreas protegidas. IN: Irving, Marta; Giuliani, Gian; Loureiro, Carlos
(orgs.) Parques estaduais do Rio de Janeiro: construindo novas práticas para a gestão.
São Carlos: RiMa, 2008 pp. 1-19
Raimundo, Sidnei. Conservação da natureza e turismo no Núcleo Picinguaba do Parque
Estadual da Serra do Mar. Revista Brasileira de Ecoturismo, vol.1 n° 1, 2008 (págs: 1-26).

MÓDULO V:

BÁSICA:

Matheus, Fabrício S. Capacidade de carga e manejo de visitantes. (TCC) ECA-USP,
2003 (págs: 18-65).
Wearing, Stephen & Neil, J. Ecoturismo: potencialidades, possibilidades e impacto. São
Paulo: Aleph, 2001 (págs: 63-116).

COMPLEMENTAR:

Ham, San. Interpretacion Ambiental: uma guia practica para gente com grandes ideas y
presupuestos pequenos. Golden, Colorado (EUA): North American Press, 1992, pp.3-48.
Raimundo, Sidnei & Vilani, João Paulo. Estudos para Determinação da Capacidade de
Carga do Rafting no Núcleo Santa Virgínia - PESM. In: II Congresso Brasileiro de
Unidades de Conservação, 2000, Campo Grande (MS). II Congresso Brasileiro de
Unidades de Conservação, 2000 (págs: 233-242).
 

Clique para consultar os requisitos para ACH1514

Clique para consultar o oferecimento para ACH1514

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP