Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola de Artes, Ciências e Humanidades
 
Artes, Ciências e Humanidades
 
Disciplina: ACH1626 - Intervenções e Estudos sobre o Campo da Educação não Formal
Interventions and studies on the field of non-formal education

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2020 Desativação:

Objetivos
A disciplina objetiva fornecer aos alunos uma compreensão sobre a origem, conceitos e práticas relacionadas com o campo da educação não formal, particularmente, enfatizando as práticas que ocorrem no âmbito do lazer e da cultura.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
4966179 - Juliana Pedreschi Rodrigues
 
Programa Resumido
Tendo como base os conceitos e diferentes práticas no campo da educação não formal e, também, da animação sociocultural, busca-se possibilitar aos estudantes, por meio de vivências variadas, vistas técnicas e viagens didáticas, o contato com educadores, coletivos e equipamentos culturais que atuam no campo da educação não formal e no âmbito do lazer.
 
 
 
Programa
1. Educação não formal: origens, histórico e conceituação; 2. Relações e diálogos entre: educação não formal, formal e informal; 3. Educação não formal e o diálogo com a animação sociocultural; 4. Animador/educador não formal na perspectiva dos círculos de cultura de Paulo Freire; 5. Educação não formal e participação comunitária; 6. E educação não formal, lazer e práticas culturais da/na cidade. 7. O educador/animador no contexto da educação não formal e da animação sociocultural; 8. Educação não formal no contexto da cidade educadora.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Avaliação formativa baseada na participação em experiências de aprendizagem em campo, seja nas atividades de intervenção comunitária, em visitas técnicas e viagens didáticas e/ou na participação em debates e produção de estudos e relatórios.
Critério
Média simples. Soma da nota de participação nas aulas e atividades externas, apresentação de trabalhos e elaboração de relatório de visitas técnicas e de viagens didáticas. A disciplina dará ênfase as possibilidades de trabalho nesse setor, bem como oferece orientações sobre a importância e tipos de formação profissional especializada por meio de atividades praticas, visitas técnicas e viagens didáticas, com aulas ministradas com a carga horária concentrada, durante a semana, aos finais de semana e em feriados conforme as especificidades e necessidades do campo de intervenções da Educação não Formal.
Norma de Recuperação
Prova escrita individual.
 
Bibliografia
     
Bibliografia Básica ARANTES, Valéria Amorim (Org.); TRILLA, Jaime; GHANEM, Elie. Educação formal e não-formal: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2008. – (Coleção pontos e contrapontos). FERNANDES, R. S. Entre nós o Sol: relações entre infância, cultura, imaginário e lúdico na educação não-formal. Campinas, SP: Mercado de Letras; São Paulo: Fapesp, 2001. GARCIA, Valéria Aroeira. A educação não-formal como acontecimento. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação da UNICAMP. Campinas, 2009. GOHN, Maria da G. Educação Não formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. 1. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2010. PALHARES, José Augusto. Reflexões sobre o não escolar na escola e para além dela. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 22, n. 2, 2009, pp. 53-84. Disponível em http://www.scielo.gpeari.mctes.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0871-91872009000200004&lang=pt. Acesso em 21/04/2014. TRILLA, Jaume. La educación informal. Barcelona: PPU, 1987. _____________. La educación fuera de la escuela: ámbitos no formales y educación social. - Barcelona: Editorial Ariel, 1996. Bibliografia complementar GARCIA, Valéria Aroeira. Educação Não-formal: do histórico ao trabalho local. In: Park, Margareth Brandini. Formação de educadores: memória, patrimônio e meio-ambiente. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003. LOPES, M. S. e MALTEZ, M. (Coord.). Animação sociocultural: Turismo, Patrimônio, Cultura e Desenvolvimento Local. Portugal: Intervenção, 2013. LOPES, Marcelino de Sousa (Coord.) Metodologias de Investigação em Animação Sociocultural. Chaves, Intervenção, 2011. RODRIGUES, Juliana P. Uma nova versão sobre a história do Serviço de Recreação Operária: memórias reveladas sobre os anos de 1958 a 1964. Tese de Doutorado, São Paulo: FEUSP, 2009. SIMSON, Olga Rodrigues de Moraes; PARK, Margareth Brandini e FERNANDES, Renata Sieiro (Orgs.). Educação não-formal: cenários da criação. Campinas, SP: Editora da Unicamp e Centro de Memória, 2001. UCAR, Xavier. La Animación Sociocultural. Barcelona, Ediciones CEAC, 1992.
 

Clique para consultar os requisitos para ACH1626

Clique para consultar o oferecimento para ACH1626

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP