Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Artes, Ciências e Humanidades
 
Artes, Ciências e Humanidades
 
Disciplina: ACH1626 - Intervenções e Estudos sobre o Campo da Educação não Formal
Interventions and studies on the field of non-formal education

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2020 Desativação:

Objetivos
A disciplina objetiva fornecer aos alunos uma compreensão sobre a oriegem, os conceitos e práticas relacionadas com o campo da educação não formal, particularmente, emfatizando as práticas que ocorrem no ambito do lazer e da cultura.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
4966179 - Juliana Pedreschi Rodrigues
 
Programa Resumido
Tendo como base os conceitos e diferentes práticas no campo da educação não formal e, também, a animação sociocultural, busca-se possibilitar ao aos estudantes, por meio de vivências variadas e viagens didáticas, o contato com educadores, coletivos e equipamentos culturais que atuam no campo da educação não formal e no âmbito do lazer.
 
 
 
Programa
1- Educação não formal: origens, histório e conceituação; 2. Relações e diálogos entre: educação não formal, formal e informal; 3. Educação não formal e o diálogo com a animação sociocultural; 4. Educação não formal e participação comunitária; 5. E educação não formal, lazer e práticas culturais da/na cidade. 6. O educador/animador no contexto da educação não formal e da animação sociocultural; 5. Educação não formal no contexto da cidade educadora; 7. Animador/educador não formal na perspectiva dos círculos de cultura de Paulo Freire. A disciplina dará ênfase as possibilidades de trabalho nesse setor, bem como oferece orientações sobre a importância e tipos de formação profissional especializada por meio de atividades praticas, visitas técnicas e viagens didáticas, com aulas ministradas com a carga horária concentrada, durante a semana, aos finais de semana e feriados conforme as especificidades e necessidades do campo de intervenções da Educação não Formal.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Avaliação formativa baseada na participação em experiências de aprendizagem em campo, seja nas atividades de intervenção comunitária, em visitas técnicas e viagens didáticas e/ou na participação em debates e produção de estudos e relatórios.
Critério
Média simples. Soma da nota de participação nas aulas e atividades externas, apresentação de trabalhos e elaboração de relatório de visitas técnicas e de viagens didáticas.
Norma de Recuperação
Prova escrita individual.
 
Bibliografia
     
Bibliografia Básica ARANTES, Valéria Amorim (Org.); TRILLA, Jaime; GHANEM, Elie. Educação formal e não-formal: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2008. – (Coleção pontos e contrapontos). FERNANDES, R. S. Entre nós o Sol: relações entre infância, cultura, imaginário e lúdico na educação não-formal. Campinas, SP: Mercado de Letras; São Paulo: Fapesp, 2001. GARCIA, Valéria Aroeira. A educação não-formal como acontecimento. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação da UNICAMP. Campinas, 2009. GOHN, Maria da G. Educação Não formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. 1. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2010. PALHARES, José Augusto. Reflexões sobre o não escolar na escola e para além dela. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 22, n. 2, 2009, pp. 53-84. Disponível em http://www.scielo.gpeari.mctes.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0871-91872009000200004&lang=pt. Acesso em 21/04/2014. TRILLA, Jaume. La educación informal. Barcelona: PPU, 1987. _____________. La educación fuera de la escuela: ámbitos no formales y educación social. - Barcelona: Editorial Ariel, 1996. Bibliografia complementar GARCIA, Valéria Aroeira. Educação Não-formal: do histórico ao trabalho local. In: Park, Margareth Brandini. Formação de educadores: memória, patrimônio e meio-ambiente. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003. LOPES, M. S. e MALTEZ, M. (Coord.). Animação sociocultural: Turismo, Patrimônio, Cultura e Desenvolvimento Local. Portugal: Intervenção, 2013. LOPES, Marcelino de Sousa (Coord.) Metodologias de Investigação em Animação Sociocultural. Chaves, Intervenção, 2011. RODRIGUES, Juliana P. Uma nova versão sobre a história do Serviço de Recreação Operária: memórias reveladas sobre os anos de 1958 a 1964. Tese de Doutorado, São Paulo: FEUSP, 2009. SIMSON, Olga Rodrigues de Moraes; PARK, Margareth Brandini e FERNANDES, Renata Sieiro (Orgs.). Educação não-formal: cenários da criação. Campinas, SP: Editora da Unicamp e Centro de Memória, 2001. UCAR, Xavier. La Animación Sociocultural. Barcelona, Ediciones CEAC, 1992.
 

Clique para consultar os requisitos para ACH1626

Clique para consultar o oferecimento para ACH1626

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP