Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Artes, Ciências e Humanidades
 
Artes, Ciências e Humanidades
 
Disciplina: ACH2574 - Ergonomia e Design de Moda
Ergonomics and Fashion Design

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 30 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2018 Desativação:

Objetivos
Estudar e analisar sob abordagem interdisciplinar, o desenho, o design, a criação sob perspectiva ergonômica e sócio-sustentável na cultura e produção brasileiras. Nesse sentido, propõe-se pensar e desenvolver respectivas estudos e aplicações na área têxtil e de moda na cultura brasileira, considerando atuais e novas necessidades de usuários para o seu conforto, bem-estar, desenvolvimento humano e cidadão. Estudar e investigar necessidades atuais de usuários enquanto pessoas humanas e cidadãs em suas vidas cotidianas e em seu trabalho, considerando aspectos e fatores objetivos, mas também sensíveis e socialmente críticos, relacionados às necessidades físicas, psicológicas, culturais e políticas da pessoa humana e do cidadão, com vistas ao desenvolvimento do conforto e bem-estar do usuário e usuária, em termos cidadãos e democráticos.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
2166145 - Antonio Takao Kanamaru
 
Programa Resumido
Desenho, teoria e método do design fundamentado em ergonomia e princípios cidadãos sócio-sustentáveis. Objeto. Forma. Produto. Concepção. Processo de criação. Desenvolvimento. Protótipo. Noções, princípios e método ergonômicos com vistas ao desenvolvimento do conforto em produtos e serviços, considerando funções, dimensões, movimentos, adaptações e democratização de acesso e uso. Desenvolvimento e qualificação ao desempenho de produtos e sistemas na complexa relação entre objeto-espaço, corpo, espaço, cultura.
 
 
 
Programa
Desenho, projeto em design fundamentado ergonomicamente. Definição de ergonomia e história. Estudo e pesquisa ergonômicos. Fundamentos ergonômicos principais como fisiologia, biomecânica, antropometrias, psicologia, socioantropologia e política relacionados à contextualização socioeconômica, ambiental e cultural do trabalho e desenvolvimento de produto e serviços. Conceito e princípios relacionados ao conforto ergonômico. Termo e neurofisiologias. Receptores sensoriais. Conceito de usabilidade. Normas referenciais de dimensionamento e conceito de vestibilidade. Proteção e desempenho ergonômicos. Teorias e métodos ergonômicos na área têxtil e de moda. Projeto e cultura ergonômicas. Considerar assim como técnicas de dimensionamentos, análise de movimentos, características do objeto e espaço, descritores de uso. Análise e aplicação de usabilidade e vestibilidade, com vistas ao desenvolvimento do conforto para o (a) usuário (a).
 
 
 
Avaliação
     
Método
Processo de ensino e aprendizagem baseado em trabalhos, aulas expositivas e de ateliê, fundamentados em bibliografia especializada. Projeto e estudos. Trabalho de estudo e pesquisa individuais e em equipe. Seminários. Observação em campo.
Critério
Média simples entre trabalhos, seminários e provas.
Norma de Recuperação
Relatórios, provas e/ou trabalhos.
 
Bibliografia
     
ARGAN, Giulio Carlo. Walter Gropius e a Bauhaus. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005. ARNHEIM, Rudolf. Arte e percepção visual. São Paulo: Pioneira/Cengage, 2005. BARROS, Fabiana de. Geraldo de Barros: isso. São Paulo: Ed. Sesc, 2013. BILL, Max. Form, function, beauty = gestalt. London: AA, 2010. (Architecture Words 5). BONSIEPE, Gui. Design: como prática de projeto. São Paulo: Blucher, 2012. -------------. Design, cultura e sociedade. São Paul: Blucher, 2011. CAMPOS, Augusto; PIGNATARI, Décio; CAMPOS, Haroldo. Teoria da poesia concreta. Textos críticos e manifestos: 1950-1960. São Paulo: Ateliê Editorial, 2006. DANIELLOU, François (coord). A ergonomia em busca de seus princípios. Debates epistemológicos. São Paulo: E.Blücher, 2004. DEFORGE, Yves. Por um design ideológico. In: Revista Estudos em Design. Rio de Janeiro: AEnD, 1994. P. 15-22. DIFFRIENT, Niels et all, Human Scale 1/2/3. A Project of Henry Dreyfuss. Massachussets: MIT Press, 1975. DUL, Jan; WEERDMEESTER, Bernard. Ergonomia prática. 2ed. rev. ampl. São Paulo: E.Blücher, 2004. DROSTE, Madalena. Bauhaus. 1919-1933. Lisboa: Taschen, 2004 FERRO, Sérgio. Arquitetura e trabalho livre. São Paulo: CosacNaify, 2006. GRANDJEAN, Etienne. Manual de ergonomia. Adaptando o trabalho ao homem. 4ed. São Paulo: Bookman, 1998. IIDA, Itiro. Ergonomia. Projeto e produção. 2ªreimpr.São Paulo: E.Blücher, 1994. JULIÁN, Fernando; ALBARRACIÓN, Jesús. Desenho para designers industriais. Barcelona: Editorial Estampa, 2005. MALDONADO, Tomás. La speranza progettuale: ambiente e società. Milano: Einaudi, 1981. MANZINI, Ezio; VEZZOLI, Carlo. O desenvolvimento de produtos sustentáveis: requisitos ambientais dos produtos sustentáveis. São Paulo: EDUSP, 2002. MASSIRONI, Manfredo. Ver pelo desenho. Aspectos técnicos, cognitivos, comunicativos. Lisboa: Edições 70, 2010. MARCUS, George H. Functionalist design. An ongoing history. Munich; New York: Prestel, 1995. MUNARI, Bruno. Das coisas nascem coisas. 3 ed. São Paulo: Martins Ed., 2015. NBR 13377 Medidas do corpo humano para vestuário – Padrões referenciais, ABNT, 1995. NBR 15127 Corpo humano – Definições de medidas. ABNT, 2004. WOLLNER, Alexandre. Design visual 50 anos. São Paulo: CosacNaify, 2003. PIGNATARI, Décio. Semiótica da arte e da arquitetura. São Paulo: Ateliê Editorial, 2004 PAPANEK, Victor. The green imperative. Ecology and ethics in design and architecture. London: Thames and Hudson, 1995.
 

Clique para consultar os requisitos para ACH2574

Clique para consultar o oferecimento para ACH2574

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP