Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Artes, Ciências e Humanidades
 
Artes, Ciências e Humanidades
 
Disciplina: ACH3555 - Desenvolvimento, Sustentabilidade, Tecnologia e Políticas Pública
Sustainability, Development, Technology and Public Policy

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 30 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2011 Desativação:

Objetivos
• Possibilitar que os alunos entendam os principais “sentidos” atribuídos à idéia de desenvolvimento, principalmente a partir do período pós 1945;
• Possibilitar que os alunos entendam o debate sobre a idéia de desenvolvimento, e possam diferenciar a idéia de desenvolvimento das idéias de crescimento econômico, de dependência econômica e política e da relação centro-periferia;
• Apresentar para o caso brasileiro os autores precursores do debate ambiental: José Bonifácio, Euclides da Cunha, Sérgio Buarque, Caio Prado Jr., Josué de Castro, dentre outros;
• Apresentar o debate sobre Ciência e Tecnologia articulado com os projetos de desenvolvimento das nações.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
191432 - Eduardo de Lima Caldas
1329307 - Martin Jayo
 
Programa Resumido
Pretende-se propor aos alunos uma discussão sobre os projetos de desenvolvimento desde o final do século XIX, com ênfase maior naqueles desenvolvidos no período pós 1945. Em seguida, pretende-se discutir o conceito de sustentabilidade, articulado com a idéia de desenvolvimento que ganha força a partir dos anos 70. Cada projeto de desenvolvimento guarda relações com diferentes políticas de Ciência e Tecnologia (das mais tradicionais às chamadas tecnologias apropriadas) e também com formas de gestão e estilos de formular, implementar e disseminar políticas públicas. Essas relações serão exploradas ao longo do curso.
 
 
 
Programa
• Do Crescimento Econômico ao Desenvolvimento Sustentável
• Visões do Desenvolvimento
• De Keynes a Amartya Sen
• Desenvolver, preservar ou proteger?
• Tecnologia e Educação
• Precursores do Debate Ambiental no Brasil
• Desenvolvimento com sustentabilidade no Brasil recente
• A Questão Urbana: transporte, moradia e saneamento ambiental
• A Questão Agrária: pequeno produtor e agronegócio
• A Questão Regional
 
 
 
Avaliação
     
Método
O curso será realizado por meio de aulas expositivas, aulas dialogadas e por meio da apresentação de trabalhos que possibilitem o debate prático e teórico sobre as questões relacionadas aos processos de desenvolvimento e especificamente aos processos de desenvolvimento local.
Critério
A avaliação será múltipla: uma prova parcial (C1); uma prova final (C2); um trabalho em grupo (C3); e participação em sala de aula por meio da realização de pequenos trabalhos (C4).

Média Final= (C1)*0,4+(C2)*0,3+(C3)*0,2+(C4)*0,1

Norma de Recuperação
Provas e/ou Trabalhos
 
Bibliografia
     
ALIER, Joan Martinez. Da economia ecológica ao ecologismo popular. Blumenau: FURB, 1998.
ALTVATER, Elmar. O preço da riqueza. São Paulo: Editora da UNESP, 2000.
ANDRADA E SILVA, José Bonifácio de. Projetos para o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
CASTRO, Manoel Cabral de. Desenvolvimento sustentável: a genealogia e os percalços do novo conceito. São Paulo: inédito, 2006.
CUNHA, Euclides. Contrastes e Confrontos. São Paulo: Lello Brasileira S.A., 1967.
FURTADO, Celso (1974). O mito do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Paz e Terra. Cap. 2: Subdesenvolvimento e Dependência: as conexões fundamentais.
FURTADO, Celso (1992). O subdesenvolvimento revisitado. Economia e Sociedade. Campinas, n. 1, ago.
FURTADO, Celso (1995). A Invenção do subdesenvolvimento. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 15, n. 2, abr./jun. (disponível em meio magnético).
HIRSCHMAN, A. Auto-Subversão – Teorias consagradas em cheque. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. Capítulos 3, 12, 19 e 20
HIRSCHMAN, A. Getting Ahead Collectively: grassroots experiences in Latin América. New York: Pergamon Press Inc., 1984.
JACOBS, Jane. A natureza das economias. São Paulo: Ed. Beca, 2001.
KEYNES, John M. “As possibilidades econômicas de nossos netos”. In: SZMRECSÁNYI, Tamás (org.). John Maynard Keynes: economia. São Paulo: Ática, 1984.
KUZNETS, Simon Smith. Crescumento econômico moderno. Ritmo, estrutura e difusão. São Paulo: Nova Cultural (Os Economistas): 1986.
MALUF, Renato. Atribuindo sentido(s) à noção de desenvolvimento. Estudos Sociedade e Agricultura, 15, outubro 2000: 53-86. Link: http://www.polis.org.br
PRIGOGINE, Ilya e STENGERS, Isabelle. A nova aliança. Lisboa: Gradiva, sem data.
QUIJANO, Aníbal. “Sistemas alternativos de produção?”. In: SANTOS, Boaventura de Sousa (org). Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
ROSTOW W. W. Origens da economia moderna (como tudo começou). São Paulo: Cultrix, 1977.
SACHS, Ignacy. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Editora Garamond, 2000.
SANTOS, Boaventura de Sousa e RODRIGUES, César. “Introdução: para ampliar o cânone da produção”. In: SANTOS, Boaventura de Sousa (org). Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
SEN, Amarthya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. Introdução e Capítulos 1 a 5.
SEN, Amarthya. O Desenvolvimento como expansão das capacidades. Lua Nova, São Paulo, nº28/29, 1993.
SEN, Amarthya. Por que é necessário preservar a coruja-pintada. Folha de São Paulo, 14 de março de 2004, Caderno Mais! pp. 16-18.
VEIGA, José Eli. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.
 

Clique para consultar os requisitos para ACH3555

Clique para consultar o oferecimento para ACH3555

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP