Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola de Artes, Ciências e Humanidades
 
Artes, Ciências e Humanidades
 
Disciplina: ACH3667 - Ética e Políticas Públicas
Ethics and Public Policy

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 30 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2014 Desativação:

Objetivos
Focalizar a relação entre ética e política destacando alguns autores do pensamento filosófico, sociológico e das ciências políticas que contribuíram para essa discussão. Refletir sobre o modo como as questões da ética e da política podem perpassar a proposição e implementação de políticas públicas, nos tempos contemporâneos. Discutir a relação entre os discursos normativos e as políticas públicas.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
878351 - Gislene Aparecida dos Santos
1452862 - Pablo Ortellado
 
Programa Resumido
Considerando a discussão sobre as possíveis relações entre a ética e a política, esta disciplina propõe a análise das políticas públicas a partir do ponto de vista da Ética. Por meio da leitura dos clássicos, serão estudados temas do campo da Ética tais como: as finalidades éticas, a idéia de virtude, a idéia de dignidade humana, liberdade, bem comum, solidariedade, a obediência à lei, responsabilidade, justiça, entre outros, como embasamento para a discussão de algumas políticas públicas.
 
 
 
Programa
A idéia de virtude e arete
Ética e política entre os gregos
O conceito de dignidade humana
A invenção da liberdade
A idéia da perfectibilidade humana
Fundamentos para uma ética dos princípios ou da responsabilidade
O fundamento ético da obediência-desobediência à lei
A questão da verdade e da mentira no campo político
Corrupção e o avesso do bem comum
O acordo entre a vontade e o dever
Poder microfísico, vigilância e punição
O humano como tema e problema
Tecnologias e direitos dos seres vivos
A violência e o avesso da ética
Fundamentos para efetivação de direitos universais ou direitos diferenciados
O tema do respeito e do reconhecimento no pensamento moral contemporâneo
Discussão e análise de políticas públicas nas áreas da cultura, telecomunicação, educação, segurança pública, ciência e tecnologia, saúde, relações internacionais, justiça, direitos humanos, demografia e populações, meio ambiente, transporte, habitação etc
 
 
 
Avaliação
     
Método
O curso será composto por aulas expositivas e atividades complementares como trabalhos em grupo, projeções de filmes e/ou documentários, debates, conferências, apresentação de trabalho de campo de alunos.
Critério
Os alunos serão avaliados de forma continuada, através de provas, trabalhos em grupo, seminários e pela participação das atividades em sala de aula.
Norma de Recuperação
Provas ou Trabalhos
 
Bibliografia
     
ANSCOMBE, G.E.M. Modern Moral Philosophy In: CRISP, R.; SLOTE, M. (Ed.) Virtue
Ethics. Oxford: Oxford University Press, 1997. p. 26-44.
SHUE, Henry. Ethical Dimensions of Public Policy. In: MORAN, Michael (ed.). The Oxford
Handbook of Public Policy. Oxford: Oxford University Press, 2008..
VERGNIÈRES, Solange. Ética e Política em Aristóteles. São Paulo: Paulus, 1998.
ARISTOTELES. Ética a Nicômaco ("Os pensadores"). São Paulo: Abril Cultural, 1979.
PLATÃO: Diálogos – Protágoras – Belém: Editora Universitária UFPA, 2002
PLATÃO. Diálogos - Menon. Rio de Janeiro: Ediouro, 1999.
JAEGER, Werner. Paidéia. A formação do homem grego. São Paulo: Martins Fontes, 1986.
RIBEIRO, R.J. A sociedade contra o social. São Paulo: Companhias das Letras, 2000.
WEBER, Max. A política como vocação. Brasília. UnB, 2003.
SKINNER, Quentin. A crítica de Maquiavel ao humanismo”. In: Skinner. As fundações do
pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
MAQUIAVEL, N. O príncipe. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1979.
NOVAES, Adauto (org). Ética. São Paulo: Companhias das Letras, 1992, p-225-237.
THOREAU, H. D. A desobediência civil. . RJ: LP&M, 1997.
GARCIA, Maria. Desobediência civil. Direito Fundamental. Editora RT, 2004.
NEGRI, Tony. A multidão. Rio de Janeiro: 2005
DWORKIN, Ronald. Levando os direitos à sério. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
VINCENTI, Luc. Educação e liberdade. Kant e Fichte. São Paulo: EdUnesp, 1994.
ROUANET, Sérgio Paulo. Dilemas da moral iluminista. São Paulo: Companhias das Letras,
1992, p. 149-162
FRASER, Nancy. Reconhecimento sem ética?. Lua Nova, São Paulo, n. 70, 2007.
VITA, Álvaro de. Uma concepção liberal-igualitária de justiça distributiva. Rev. bras. Ci.
Soc. [online]. fev. 1999, vol.14, no.39
HONNETH, Axel. Reconhecimento ou redistribuição. A mudança na ordem moral da
sociedade. In. (SOUZA, J. & MATTOS, P. (orgs.). Teoria crítica no século XXI, São Paulo,
Annablume, 2007, p.79-94.
DWORKIN, Ronald. Levando os direitos à sério. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
DWORKIN, Ronald. A virtude soberana. A teoria e a prática da igualdade. São Paulo:
Martins Fontes, 2007.
VITA, Álvaro de. Liberalismo igualitário e multiculturalismo. Lua Nova. [online]. 2002, no.55-56 [citado 27 Julho 2006], p.05-27.
DALL'AGNOL, Darlei. O igualitarismo liberal de Dworkin. Kriterion, Belo Horizonte, v. 46,
n. 111, June 2005.
YOUNG, Iris Marion. Justice and Politics of Diference. Princeton: Princeton University
Press, 1990.
SANTOS, G.A. Reconhecimento, utopia, distopia. Os sentidos das políticas de cotas raciais.
São Paulo: Annablume/Fapesp, 2012.
SANTOS, G.A. As políticas multiculturais e o reconhecimento de identidades como novas
formas de contrato social e efetivação da justiça. CCJUR, 8, 2010, p.29-39.
KANT, I. Fundamentos da metafísica dos costumes. Lisboa: Edições 70, 1986.
Foucault, Michel. A ética do cuidado de si como prática da liberdade” In: Ética, sexualidade e
política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.
FOUCAULT, M. História da sexualidade. Rio de Janeiro, Graal, 1984.
TUGENDHAT, Ernst. Lições sobre ética. Petrópolis. Vozes, 2003.
Ribeiro, Renato Janine. “Da política e da corrupção” In: Ribeiro, R.J. A sociedade contra o
social. São Paulo: Companhias das Letras, 2000.
PLATÃO. República. São Paulo: Nova Cultural, 1999.
CHAUI, Marilena. Público, Privado, Despotismo. In: Novaes, Adauto (org). Ética. São Paulo:
Companhias das Letras, 1992, p. 345-390.
TEIXEIRA, Carla Costa. Honra moderna e política em Max Weber. Mana. [online]. abr. 1999, vol.5, no.1
SENNET, Richard. O declínio do homem público. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.
SANTOS, Laymert Garcia. “Tecnologia e seleção. Variações sobre o futuro do humano”. In:
MARTINS, José Luis Garcia Hermínio (org.). Dilemas da civilização tecnológica. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2003.
HABERMAS, Jurgen. O futuro da natureza humana. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
SANTOS, Gislene & MORI, Flavia. Ética, Pesquisa e Políticas Públicas. Rio de Janeiro:
Rúbio, 2010.
KOERNER, Andrei. Punição, disciplina e pensamento penal no Brasil do século XIX. Lua
Nova, São Paulo, n. 68, 2006.
FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. Petrópolis, Vozes, 1987
MUCHAIL, Salma Tannus. “O lugar das instituições na sociedade disciplinar”. In: RIBEIRO,
Renato Janine, org. Recordar Foucault. São Paulo: Brasiliense,1985
SORAYA, Nour. Os cosmopolitas: Kant e os "temas kantianos" em relações internacionais.
Contexto int., Rio de Janeiro, v. 25, n. 1, jun. 2003 .
KANT, I. A paz perpétua e outros opúsculos. Lisboa: Edições 70, 1995.
WALZER, M. Guerras justas e injustas. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
NEGRI, Tony. A multidão. Rio de Janeiro: 2005
SOUKI, Nadia. Hannah Arendt e a banalidade do mal. Belo Horizonte: UFMG, 2006.
ARENDT, H. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo:
Companhia das Letras, 1999.
GAGLIETTI, Mauro. O poder simbólico e a distância entre os dois Brasis: o formal e o
informal. Rev. katálysis, Florianópolis, v. 9, n. 1, jun. 2006
DAMATTA, Roberto et. Al.. Cultura das transgressões. São Paulo: Saraiva, 2008.
ALMEIDA, Alberto Carlos. A cabeça do brasileiro. Rio de Janeiro: Record, 2007.
BARBOSA, Lívia. Jeitinho Brasileiro. RJ: Campus, 2006.
ARISTÓTELES: Política. Brasília. Universidade de Brasília, 1985.
WOLFF, Francis. Aristóteles e a Política. São Paulo:Discurso Editorial, 2001
EPICTETO. Discourses. Cambridge: Harvard University Press, 1925.
KANT, I. Critica da razão prática. Lisboa: Edições 70, 2008.
KANT, I. Fundamentos da metafísica dos costumes. Lisboa: Edições 70, 1986.
MIRANDOLA, Giovanni Picco Della. Discurso sobre a dignidade do homem. Lisboa: Edições
70, 2006.
ARENDT, Hannad. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.
FOUCAULT, Michel. Ética, sexualidade e política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.
FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. Petrópolis: Vozes, 1987
MONTAIGNE, Michel. Ensaios. São Paulo: Martins, 2002.
ROUSSEAU, Jean Jacques. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os
homens. São Paulo: Abril Cultural, 1978.
KANT, I. Qu´est-ce que les Lumières? Paris: Hatier, 1999
HONNETH, Axel. A luta pelo reconhecimento. São Paulo: Editora 34, 2003.
FRASER,Nancy, HONNETH, Axel. Recognition or Redistribuition: A political-philosophical
exchance. London/New York: Verso, 2003.
BENJAMIN CONSTANT. “Da liberdade dos antigos comparada à dos modernos”. In Filosofia
Política. Porto Alegre: LPM Editores, 1985.
RAWLS, John. Uma teoria da justiça. São Paulo: Martins Editora, 2008.
WALZER, Michael. Esferas da justiça. São Paulo: 2003.
FOUCAULT, Michel. História da sexualidade. Rio de Janeiro: Graal,2007.
FOUCAULT, Michel. Mocrofísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2005.
HABERMAS, Jurgen. O futuro da natureza humana. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
COMPARATO, Fábio Konder. Ética. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.
VINCENTI, Luc. Educação e liberdade. Kant e Fichte. São Paulo: EdUnesp, 1994.
ROUANET, Sérgio Paulo. Dilemas da moral iluminista. São Paulo: Companhias das Letras, 1992, p. 149-162
ROUANET, Sérgio Paulo. As razões do Iluminismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.
VITA, Álvaro. A justiça igualitária e seus críticos. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
 

Clique para consultar os requisitos para ACH3667

Clique para consultar o oferecimento para ACH3667

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP