Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Artes, Ciências e Humanidades
 
Artes, Ciências e Humanidades
 
Disciplina: ACH4087 - Iniciação à Pesquisa em Biologia Vegetal
Introduction to research in vegetable biology

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2008 Desativação:

Objetivos
Geral: Capacitar o aluno a desenvolver pesquisas em Biologia Vegetal a partir de um tema.
Específicos:
a. Proporcionar ao aluno o contato com a pesquisa, desde a montagem do projeto.
b. Possibilitar a discussão do plano, tornando-o exeqüível dentro de prazo, condições materiais e de recursos humanos.
c. Orientar na busca bibliográfica que fundamentará os objetivos, a forma de alcançá-los e a discussão dos resultados.
d. Orientar a coleta de dados, discutindo as possibilidades de acertos e erros nessa fase do projeto.
e. Facilitar o entendimento dos resultados para direcionar a discussão de modo a perceber a abrangência dos resultados em extrapolações para situações aparentemente semelhantes.
f. Possibilitar o teste do caso em estudo em teorias que o embasem.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3382378 - Pedro Dias de Oliveira
 
Programa Resumido
A disciplina possibilitará o contato com a pesquisa em Biologia Vegetal, da montagem do projeto a sua execução, dentro de um dos temas propostos no programa.
 
 
 
Programa
1. O jardim da escola como espaço para o ensino-aprendizagem de Botânica.
2. Montagem de coleções botânicas com fins didáticos.
3. Estudos associados à recomposição da flora em áreas degradadas.
4. Plantas tóxicas: conhecer para prevenir acidentes.
5. Denvolvimento vegetal: da semente à planta estabelecida.
 
 
 
Avaliação
     
Método
1. Atividades em sala de aula:
- escolha da investigação dentro de um dos temas propostos.
- orientação para a elaboração do projeto: inclui o formato (FAPESP), a bibliografia básica e as regras de citação bibliográfica.
- apresentação do projeto e das dificuldades encontradas.
- apresentação semanal dos dados, discussão com os demais alunos e relato das dificuldades encontradas.
- apresentação e discussão dos resultados (*)
- apresentação e discussão dos trabalhos
(*) atividade por grupo de pesquisa, as demais são atividades com todos.

2. Atividades no campo e/ou laboratório: coleta, anotação de dados e/ou
acompanhamento de experimento.

3. Biblioteca: levantamento de bibliografia para a elaboração do projeto, o entendimento dos dados obtidos e a discussão dos resultados.

Atividades discentes:
- Participação efetiva das atividades em sala de aula, cumprindo os prazos estabelecidos para cada etapa, trazendo dados e discussões.
- Cumprimento das etapas de coleta e/ou acompanhamento de experimento.
- Visitas periódicas à Biblioteca.
- Dissertação e apresentação do trabalho.
Critério
Média aritmética das atividades: Projeto, relatórios e Trabalho Final.
Norma de Recuperação
Prova teórico-prática abrangendo o conteúdo desenvolvido durante o semestre letivo, em data a ser definida segundo o cronograma do calendário escolar.
 
Bibliografia
     
BCHIERHOLZ, T. 1991. Dinâmica de Fragmentos Florestais. Ciência Hoje 12(71): 22-29.
BIERREGAARD, R.O., LOVEJOY, T. E, Kapos, V., SANTOS, A.A & HUTCHINGS, R.W. 1992. The biological dynamics of tropical rainforest fragments. Biosciense 42: 859-866.
BRAUN-BLANQUET, J. 1979. Fitosociologia Bases para el studio de las comunidades vegetales. 2ª ed. H. Bleme Ediciones. Madrid. 820pg.
KAGEYAMA, P.Y. (Org.); OLIVEIRA, R.E. de (Org.); MORAES, L.F.D. de (Org.); ENGEL, V.L. (Org.) & GANDARA, F.B. (Org.). 2003. Restauração Ecológica de Ecossistemas Naturais. Editora FEPAF, Botucatu. 340p.
FERREIRA, A.G. (Org.) & BORGUETTI, F. (Org.). 2004. Germinação: do básico ao aplicado. Artmed Editora, Porto Alegre. 324p.
KINOSHITA, L. S. (Org.); TORRES, R. B. (Org.); TAMASHIRO, J. Y. (Org.); FORNI-MARTINS, E. R. (Org.) 2006. A Botânica no Ensino Básico: relatos de uma experiência transformadora. Rima, São Carlos: 2006. 162 p.
KRAUS, J.E. & ARDUIN, M. 1997. Manual básico de métodos em morfologia vegetal. Editora Universidade Rural, Seropédica. 198p.
MARTINS, F.R. & SANTOS, F.A.M. 2004. Técnicas Usuais de estimativa da Biodiversidade. Holos (edição especial): 236-267.
MAUSETH, J.D. 1995. Botany: an introduction to plant biology. 2nd. Ed., Saunders College Publishing, Orlando.
METZER, P.G. 1998. Estrutura da Paisagem e Fragmentação: Análise Bibliográfica. Anais da Academia Brasileira de Ciências 71: 445-463.
OLIVEIRA, R.B. de. 2002. Plantas tóxicas em Ribeirão Preto : conhecer para prevenir acidentes. Trabalho de conclusão de curso. Departamento de Biologia, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. 158p.
OLIVEIRA, R.B. de; GODOY, S.A.P. de & COSTA, F.B. da. 2003. Plantas tóxicas: conhecimento e prevenção de acidentes. Holos Editora, Ribeirão Preto. 64p.
QUER, P.F. 1985. Diccionario de Botánica. 9a. ed. Editora Labor S.A., Barcelona.
RAVEN, P.H.; EVERT, R.F. & EICHHORN, S.E. 1996. Biologia Vegetal. 5a. ed., Editora Guanabara Koogan S.A., Rio de Janeiro.
SCAVONE, O. & PANIZZA, S. 1981. Plantas tóxicas. 2ª. Ed. Codac-USP, São Paulo.
SORIANO, S. & TORRES, R.B. 1995. Descrição de plântulas de árvores nativas. In Anais do IX Congresso Sociedade Botânica de São Paulo, Ilha Solteira, p. 27-46.
VIANA, V.M. & PINHEIRO, L.A.F.V. 1998. Conservação da Biodiversidade em Fragmentos Florestais. Série Técnica IPEF 12(32): 25-42.
 

Clique para consultar os requisitos para ACH4087

Clique para consultar o oferecimento para ACH4087

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP