Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola de Artes, Ciências e Humanidades
 
Artes, Ciências e Humanidades
 
Disciplina: ACH4147 - Seminários de Campo
Field Seminars

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 120 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 30 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2020 Desativação:

Objetivos
1. Propor estratégias para estudo do meio físico e dos seres vivos, sob a ótica dos diferentes saberes que integram as Ciências da Natureza; 2. Treinar os alunos para trabalhos de campo, desenvolvendo olhar crítico, estratégias de ensino e aprendizagem de forma comparativa em ambientes de cerrado, mata atlântica, praia, restinga, sob uma perspectiva ecológica, zoológica, botânica e geológica; 3. Apresentar a contribuição das diversas áreas do conhecimento numa perspectiva da interdisciplinaridade para o ensino de Ciências Naturais; 4. Compreender na prática os passos para execução de um projeto de pesquisa no campo, da pergunta à divulgação de resultados, passando pela elaboração dos métodos e coleta de dados; 5. Propor formas de coleta de materiais dos meios biológico e físico, com posterior análise, organização e interpretação dos dados, que possibilitem um estudo do meio; 6. Reconhecer os diferentes tipos de relevo do estado de São Paulo; 7. Compreender a origem e evolução do relevo associadas às composições litológicas e estruturais do estado de São Paulo; 8. Capacitar o aluno a identificar e caracterizar os tipos de vegetação, em especial, as formações vegetais do estado de São Paulo; 9. Capacitar o aluno a compreender os principais elementos da fauna de invertebrados de mata atlântica, sobre a vegetação e de ambientes lóticos e lênticos.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
5528582 - Leonardo Dias Meireles
1538291 - Marcos Ryotaro Hara
2355031 - Rodrigo Hirata Willemart
1661344 - Wânia Duleba
 
Programa Resumido
Aulas teóricas de pré-campo sobre botânica, geomorfologia, geologia e ecologia pertinentes para o estudo de meio. Formulação de perguntas científicas baseadas em observações em campo e literatura pertinente. Desenvolvimento de projeto de pesquisa em campo. Excursão para estudo de campo em áreas de cerrado, mata atlântica, praia e restinga. Estabelecer conexões entre as técnicas de observação e coleta de materiais geológicos e biológicos, adotadas nas disciplinas de cunho específico, aplicadas interdisciplinarmente ao estudo de meio. Aulas pós-campo para tratamento dos materiais coletados e orientações para sua análise. Descrever e interpretar processos naturais com nos levantamentos e coletas de campo da flora, fauna, clima, solo, água, entre outros, e comparar às possíveis referências sobre a área foco do estudo. Analisar e interpretar possíveis interações da ação antrópica sobre o meio e suas consequências.
 
 
 
Programa
Aulas teóricas pré-campo sobre Charles Darwin, províncias geomorfológicas e geologia estado de São Paulo, biomas, fitofisionomia, botânica, parâmetros para comparação de ambientes, fauna de ambientes aquáticos de água doce, estudos de campo e kit didáticos. Leitura de mapas geológicos e topográficos; localização a partir do uso do GPS; técnicas de coleta de materiais do meio físico (solo, rochas, sedimentos, água); técnicas de coleta de amostras biológicas (flora, fauna); levantamentos de dados climáticos (umidade relativa do ar, temperatura ambiente, etc.); Aulas de campo para reconhecimento das principais províncias geomorfológicas e formações florísticas do estado de São Paulo; Aulas de campo para reconhecimento da fauna de mata atlântica, comparando-a entre dia e a noite e rios e lagos; Desenvolvimento de projeto de pesquisa em campo; Aulas teóricas pós campo de botânica, ecologia, zoologia, geologia e confecção de relatórios. Levantamentos do uso e ocupação antrópica nas áreas de estudo; Levantamentos bibliográficos para reflexão e interpretação dos diversos aspectos de interesse social, econômico e ambiental, e as possíveis correlações com os processos naturais do sistema Terra. Os créditos-trabalho desta disciplina correspondem a planejamento, execução e avaliação de pesquisa, trabalho de campo, leituras programadas e trabalhos especiais de acordo com a natureza da disciplina.
 
 
 
Avaliação
     
Método
O aluno será avaliado pelo relatório, apresentação do seminário e/ou por prova dissertativa. Adicionalmente, poderão ser incorporados listas de exercícios, e o registro de observações, esquemas, croquis, e levantamento de dados primários em caderneta de campo (NC) para comporem a média final. As atividades práticas só serão passíveis de realização mediante liberação de recursos para essa finalidade no início do semestre.
Critério
A média será calculada pela ponderação das notas atribuídas ao relatório, apresentação do seminário, prova dissertativa, exercícios e produção de documentos adicionais.
Norma de Recuperação
A nota de segunda avaliação será a média entre a nota da prova dissertativa individual de recuperação (peso 1) e a nota final de primeira avaliação (peso 1).
 
Bibliografia
     
Almeida, F.F.M, & Carneiro, C.D.R. 1998. Origem e evolução da Serra do Mar. Revista Brasileira de Geociências 28:135–150. Begon, M., Towsend, C.R. & Haper, J.L. 2007. Ecologia: de indivíduos a ecossistemas. 4 Ed. Porto Alegre: Artmed. Bernardi, J.V.A.; Landim, P.M.B.; Barreto, C.L. & Monteiro, R.C. 2005. Estudo espacial do gradiente de vegetação do parque estadual da Ilha do Cardoso, SP, Brasil. Environment V5(1):1-22. Buzzi, Z. J. 2005. Entomologia Didática. 4 ª ed. Ed. UFPR. COLEÇÃO “Flora Fanerogâmica do Estado de São Paulo”, vol. 1–7. COLEÇÃO “Flora da Ilha do Cardoso”, vol. 1–16. Costa, C., S. & Simonka, C. F. 2006. Insetos Imaturos: metamorfose e identificação. Ed. Holos. Gonzaga, M., Santos, A.J. & Japyassú, H.F. 2007. Ecologia e Comportamento de Aranhas, 1ª edição –Editora Interciência. 400 pp. Gullan, P.J. & Cranston P.S. 2012. Os insetos: um resumo de entomologia. Ed. Roca. 4ª. edição. 496pp. Gurevitch, J. Scheiner, S.M. & Fox, G.A. 2009. Ecologia Vegetal. 2 ª ed. Ed. Artmed. Karmann, I.; Dias Neto, C.M. & Weber, W. 1999. Caracterização litológica e estrutural das rochas metassedimentares do conjunto insular Cardoso, sul do estado de São Paulo. Revista Brasileira de Geociências 29(2):157-162. Krebs, C.J. Ecology: the experimental analysis of distribution and abundance - 5TH ed. Benjamin Cummings. 695 pp. Lomolino, M. V., Riddle, B. R. & Brown, J. H. 2006. Biogeography. 3 ª ed. Ed. Sinauer Associates, Inc. Marques, O.A.V. & Duleba, W. 2004. Estação Ecológica Juréia-Itatins, ambiente físico flora e fauna. Ed. Holos. Mugnai, R., Nessimian, J.L. & Baptista, D.F. 2010. Manual de identificação de macroinvertebrados aquáticos do estado do Rio de Janeiro. Ed. Technical Books. Mueller-Dombois, D. & Ellenberg, H .2003. Aims and methods of vegetation ecology. The Blackburn Press, New Jersey. Press, F., Siever, R., Grotzinger J & Jordan, T. H. 2006. Para entender a Terra. Ed. Bookman. Rafael, J.A.; Melo, G.A.R.; De Carvalho, C.J.B. & Casari, S.A. 2012. Insetos do Brasil: diversidade e taxonomia. Ed. Holos. 1ª. Edição. 810 pp. Raven, P., Evert, R.F. & Eichhorn, S.E. 2014. Biologia Vegetal. 8ª ed. Ed. Guanabara Koogan. Souza, V.C. & Lorenzi, H. 2012. Botânica sistemática: guia para identificação das famílias de angiospermas da flora brasileira, baseado em A.P.G.III. Instituto Plantarum, Nova Odessa. 3ª edição. Teixeira, W., Fairchild,T.R., Toledo, M.C.M. & Taioli, F. 2009. Decifrando a Terra. Ed. Companhia Editora Nacional. Tonhasca A Jr. 2005. Ecologia e história natural da Mata Atlântica. Ed. Interciência. Townsend, CR; Begon, M. & Harper, J.L. Fundamentos em Ecologia - 2ª ed. Artmed ed. 592 pp. Triplehorn, C.A. & Johnson N.F. 2004. Borror and DeLong’s introduction to the study of insects. 7th edition. Ed. Brooks Cole. Vieira, B.C., Salgado, A.A.R. & Santos, L.J.C. (eds.). Landscapes and Landforms of Brazil, Chapter 11, p. 115-134. World Geomorphological Landscapes, Springer Science+Business Media Dordrecht. Weber, W.; Basei, M.A.S.; Siga Jr., O. & Sato, K. 2001. O Magmatismo Alcalino Neoproterozóico na Ilha do Cardoso, Sudeste do Estado de São Paulo. Geo. USP Sér. Cient., São Paulo, v.1, p.115-127. Woodward, S.L. 2009. Introduction to biomes. Ed. Greewood Press.
 

Clique para consultar os requisitos para ACH4147

Clique para consultar o oferecimento para ACH4147

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP