Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Artes, Ciências e Humanidades
 
Artes, Ciências e Humanidades
 
Disciplina: ACH4176 - Vegetação: Amostragem e Análise Qualitativa
Vegetation: Sampling and Qualitative Analysis

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 4
Carga Horária Total: 150 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2015 Desativação:

Objetivos
Treinar os alunos nos métodos utilizados para amostragem e análise da vegetação, sua interpretação e aplicação prática.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3382378 - Pedro Dias de Oliveira
 
Programa Resumido
Nesta disciplina serão apresentadas as bases metodológicas utilizadas em diversos tipos de estudos e atividades que envolvem a análise do componente vegetal, tais como estudos florísticos e fitossociológicos, estudos de impacto ambiental (EIA), levantamentos rápidos (RAP) e análises ecológicas aplicadas em conservação. Adicionalmente, os alunos também serão treinados a aplicar os métodos quantitativos com auxílio do programa R e interpretar seus resultados. Esta disciplina inclui seis dias de atividade de campo.
 
 
 
Programa
Componente vegetal: importância; Amostragem da vegetação: métodos, aplicações e problemas; Amostragem e estrutura de comunidades: métodos, aplicações e problemas; Amostragem do estrato arbustivo-arbóreo; Amostragem do estrato lianescente; Amostragem do estrato epifítico; Amostragem do estrato herbáceo; Análises quantitativas: objetivos e parâmetros; Florística e fitossociologia; Levantamentos rápidos da vegetação; Tratamento, análise e interpretação de dados fitossociológicos e estruturais com o R; Aplicações em conservação.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Trabalho de campo, relatório e seminário.
Critério
Relatório: peso 7; Seminário: peso 3
Norma de Recuperação
Avaliação teórico-prática, desde que respeitadas a frequência mínima e a execução do trabalho de campo.
 
Bibliografia
     
BLETTER, N., J. JANOVEC, B. BROSI & D. C. DALY. 2004. A digital basemap for studying the Neotropical flora. Taxon, 53: 469–477.
BORCARD, D., F. COIS GILLET & P. LEGENDRE. 2011. Numerical ecology with R (use R!). Springer Verlag.
FELFILI, J. M., P. V. EISENLOHR, M. M. DA ROCHA FIUZA DE MELO, L. A. DE ANDRADE & J. A. A. MEIRA NETO (eds.). 2011. Fitossociologia no Brasil: métodos e estudos de casos. Editora UFV, Viçosa.
FIDALGO, O. & V. L. R. BONONI. 1984. Técnicas de coleta, preservação e herborização de material botânico. Instituto de Botânica, São Paulo.
KENT, M. 2011. Vegetation description and data analysis. 2nd ed. Wiley-Blackwell, New York.
MORI, S. A., L. A. M. SILVA, G. LISBOA & L. CORADIN. 1989. Manual de manejo do herbário fanerogâmico. CEPLAC, Ilhéus.
MÜLLER-DOMBOIS, D. & H. ELLEMBERG. 2003. Aims and methods of vegetation ecology. Wiley and Sons, New York.
PENNINGTON, R. T., G. P. LEWIS & J. A. RATTER (eds.). 2006. Neotropical savannas and dry forests: diversity, biogeography, and conservation. The Systematics Association.
STOHLGREN, T. J. 2007. Measuring plant diversity: lessons from the field. Oxford University Press, Oxford.
VELOSO, H. P. & L. GÓES-FILHO. 1982. Fitogeografia brasileira: classificação fisionômico-ecológica da vegetação neotropical. In: MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA (ed.) Boletim Técnico do Projeto RADAMBRASIL, Série Vegetação. IBGE, Salvador, 1–86.
WILDI, O. 2010. Data analysis in vegetation ecology. Wiley-Blackwell, New York.
WOODWARD, S. L. 2009. Introduction to biomes. Biomes of the World, Greenwood Publishing Group, Westport.
COLEÇÃO “Flora Fanerogâmica do Estado de São Paulo”, vol. 1–7.
 

Clique para consultar os requisitos para ACH4176

Clique para consultar o oferecimento para ACH4176

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP