Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Artes, Ciências e Humanidades
 
Artes, Ciências e Humanidades
 
Disciplina: ACH5083 - Antropologia da Saúde
Anthropology of Health

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2013 Desativação:

Objetivos
Espera-se que ao finalizar a disciplina o estudante seja capaz de: compreender o enfoque antropológico aplicado às práticas médico-terapêuticas (tanto populares quanto oficiais); compreensão as diferentes concepções do processo saúde-doença, evidenciando a diversidade sociocultural que permeia o campo da saúde.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
131031 - Edemilson Antunes de Campos
 
Programa Resumido
Leon Tolstoi oferece em sua novela: A morte de Ivan Ilitch (1886) uma reflexão sobre os dilemas da modernidade, frente às questões fundamentais sobre o sentido da vida e do morrer, do adoecimento e suas formas de cuidado, com ênfase na relação médico-paciente. A partir do drama vivido por Ivan Ilitch somos levados a refletir sobre os limites do chamado modelo biomédico, isto é, da forma pela qual a biomedicina se ocupou da gestão da vida e do cuidado, a partir de critérios clínicos, fundados em um modelo anátomofisiológico. É assim que, nessa disciplina, busca-se, de um lado, desenvolver uma perspectiva critica do modelo da biomedicina e da racionalidade médica que emergem na modernidade e, de outro, compreender os fundamentos e as lógicas que norteiam as outras concepções sobre o corpo, a saúde e doença, bem como das práticas de cuidados que surgem como alternativas ou complementares ao modelo da biomedicina, evidenciando a diversidade sociocultural que permeia o campo da saúde.
 
 
 
Programa
1. 1. Apresentação
2. A antropologia e questão do “outro”
3. A noção de cultura e a diversidade cultural
4. O modelo biomédico: pressupostos e fundamentos
5. Corpo, cultura e significação
6. Aspectos socioculturais da saúde e da doença
7. Processos terapêuticos, cultura e significado
8. Processos terapêuticos nas sociedades contemporâneas
 
 
 
Avaliação
     
Método
Avaliação
- Trabalho reflexivo sobre a relação entre Antropologia e Saúde a partir de um dos temas abordados em aula
- Apresentação de Seminário

Método
• Participação em aula: assiduidade e contribuições em discussões e interação grupal.
• Participação nos exercícios dirigidos: filmes, dinâmicas de grupo, discussão de situação-problema.
• Avaliações individuais
• Seminários apresentados pelos alunos.
Critério
• Média ponderada dos itens de avaliação. O aluno será aprovado se a média final for maior ou igual a 5 (cinco) e a freqüência maior ou igual a 70%.
Norma de Recuperação
• Prova de recuperação sobre o conteúdo de todo o semestre para os alunos que não obtiverem média final igual a 5 (cinco).
 
Bibliografia
     
Bibliografia básica

BENEDICT, R. Padrões de Cultura. Lisboa : Ed. Livro do Brasil, s.d.

HELMAN, C. Cultura, Saúde e doença, Porto Alegre: Artmed, 2007

LE BRETON, D. Antropologia do corpo e modernidade, Petrópolis – RJ: Vozes, 2011


Bibliografia complementar
BOLTANSKI, L. As classes sociais e o corpo. Rio de Janeiro: Graal, 2004

CAMPOS, EA. “Nosso remédio é palavra”: uma etnografia sobre o modelo terapêutico
de Alcoólicos Anônimos. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2010

CANESQUI, A.M (org). Olhares socioantropológicos sobre os adoecidos crônicos. São Paulo: Hucitec/FAPESP, 2007.

CAPRA F. O modelo biomédico, In. O ponto de mutação. 25th ed. São Paulo: Cultrix; 1982, pp. 116-155.

CASSIRER, E. Antropologia Filosófica. São Paulo: Mestre Jou (Cap. II e III). 1977.

CLASTRES, P. Do etnocídio In Arqueologia da violência: ensaios de antropologia política, São Paulo: Brasiliense, 1982

DA MATTA, R. Relativizando: uma introdução à antropologia social, Petropolis: Vozes, 1981.

DEBERT, G. A reinvenção da velhice. Socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: EDUSP. 2000

GEERTZ, C. A interpretação das culturas, Rio de Janeiro: LTC, 1989.

KRAKOWISKI, L. “Meio quilo de gente”: um estudo antropológico do ultra-som obstétrico. Rio de Janeiro: FIOCRUZ. 2007

LAPLANTINE, F. Aprender Antropologia, São Paulo: Brasiliense, 1996

LAPLANTINE, F. Antropologia da doença, São Paulo: Martins Fontes, 1991

LARAIA, R.B, Cultura: um conceito antropológico, 17.ed., Rio de Janeiro: Zahar editores, 2004.

LUNA, N. Provetas e Clones. Uma antropologia das novas tecnologias reprodutivas. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2007

MARQUES, GG. O afogado mais bonito do mundo. In. A incrível e triste história de Cândida Erêndira e sua avó desalmada. 5.ed., Rio de Janeiro: Editora Record, 1972.

MARTIN, D. Riscos na prostituição: um olhar antropológico. São Paulo: Humanitas/FAPESP, 2003

MAUSS, M. As técnicas do corpo, In Sociologia e Antropologia , São Paulo: Cosac & Naïf, 2004.

MENEZES, R.A. Em busca da boa morte. Antropologia dos cuidados paliativos. Rio de Janeiro: FIOCRUZ/Garamond, 2004

UCHOA E, VIDAL JM. Antropologia médica: elementos conceituais e metodológicos para uma abordagem da saúde e da doença. Cad Saúde Públ. 1994; 10: 497-504.

VÍCTORA, C, KNAUTH, D. R e HASSEN, M. N. A. Corpo, saúde e doença na antropologia, In. Pesquisa qualitativa em saúde: uma introdução ao tema, Porto Alegre: Tomo editorial, 2000, p. 11- 23

Video: O nome do cuidado (Leo Lama e Paulo Hersh Rosenbaun).
 

Clique para consultar os requisitos para ACH5083

Clique para consultar o oferecimento para ACH5083

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP