Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
 
Hist da Arq e Estética do Projeto
 
Disciplina: AUH2818 - História da Arte, da Arquitetura e suas Técnicas
History of Art, Architecture and its Techniques

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2018 Desativação:

Objetivos
Panorama da produção artística dos séculos 19 ao 21. A arte como produto do entrelaçamento entre noções estéticas, pesquisas de materiais e abordagens de tecnologias, desde a Revolução Industrial até as redes digitais. Arte e tecnologia como um binômio indissociável. Arte e a arquitetura como fenômenos pertencentes ao campo da linguagem, e como formas que compreendem explicações tanto no campo da história da arte e da arquitetura (estética), como no âmbito da sociedade da qual fazem parte.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
919922 - Guilherme Teixeira Wisnik
 
Programa Resumido
- A eclosão da modernidade - Vanguarda e modernismos - Crise e crítica pós-moderna - Mundo contemporâneo, virtualização
 
 
 
Programa
- Clássico e Romântico - Arte e produção industrial: Movimento Arts & Crafts e Art Nouveau - Impressionismo e Expressionismo - O Fauvismo e o Cubismo - Futurismo, Construtivismo Russo e Neoplasticismo - Dadaísmo e Surrealismo - Bauhaus e L’Esprit Nouveau (Depois do Cubismo) - Arte e arquitetura construtivas no Brasil: Brasília e o Concretismo - Arte no pós-Segunda Guerra Mundial: Expressionismo Abstrato, Informalismo - O Neo-Dadaísmo e a ruptura do formalismo moderno - A volta à figuração: Pop Art e Novo Realismo - Introdução ao Pós-modernismo: Aprendendo com Las Vegas - A heterogeneidade do Pós-modernismo: populismo, contextualismo, historicismo - Minimalismo e Land Art - Tropicalismos e as novas “Eztetykas” - Tecnofagias: da “estética da fome” às estéticas dos bancos de dados - Arte em rede: da participação ao hacktivismo
 
 
 
Avaliação
     
Método
A avaliação será feita através de duas provas dissertativas concebidas a partir de temas extraídos do conteúdo da disciplina. A primeira prova (intermediária) corresponderá a 40% da média final, e a segunda prova (final) a 60% da média final.
Critério
Tendo em vista estas expectativas, a atribuição de notas parciais e médias finais poderá ser interpretada da seguinte forma: - abaixo de 50% da nota máxima: Resultados apresentados demonstram a falta de compreensão de um ou mais aspectos fundamentais - 50% da nota máxima: Resultados apresentados atingem o objetivo esperado, demonstrando compreensão básica do tema tratado, mas podem ser aprimorados em vários aspectos - 60% a 90% da nota máxima: Resultados superam, qualitativamente os objetivos mínimos esperados, mas podem ser aprimorados em alguns aspectos específicos - 100% da nota máxima: Trabalho de destaque
Norma de Recuperação
Haverá a possibilidade de recuperação através da realização de prova específica, após o término do curso, de acordo com calendário definido pela USP e pela FAU. A recuperação será possível apenas para alunos com nota entre 3 e 5, e que não estejam reprovados por falta. Média de recuperação = ((média anterior) + (nota dos trabalhos reapresentados)) /2
 
Bibliografia
     
Bibliografia Básica ARGAN, G. C. Arte moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. COHEN, Jean-Louis. O futuro da arquitetura desde 1889. São Paulo: Cosac Naify, 2013. HOBSBAWM, E. Era dos extremos: o breve século XX – 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1994. Bibliografia complementar ARGAN, G. C. Projeto e destino. São Paulo: Ática, 2001. ARGAN, G. C. Walter Gropius e a Bauhaus. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005. AZEVEDO, R. M. “As vanguardas”. In Metrópole: abstração. São Paulo: Perspectiva, 2005. BAUDELAIRE, C. O spleen de Paris. Rio de Janeiro: Imago, 1995. BEIGUELMAN, Giselle. “Arte pós-virtual”. In Pessao, F. (org.). Cyber-Arte-Cultura – 8o Seminários Internacionais Vale. Vitória: Museu Vale, 2013. BENJAMIN, W. “A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica”. In: Magia e técnica, arte e política – Obras escolhidas I. São Paulo: Brasiliense, 1985. BERMAN, M. Tudo que é sólido desmancha no ar. São Paulo: Companhia das Letras, 1986. BRETON, A. Manifiestos del surrealismo. Madrid: Guadarrama, 1974. BÜRGER, P. Teoria da vanguarda. São Paulo: Cosac Naify, 2008. CABANNE, P. Marcel Duchamp – o engenheiro do tempo perdido. São Paulo: Perspectiva, 1987. CHIPP, H. B. Teorias da arte moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1988. CLARK, T. J. A pintura da vida moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. COLQUHOUN, A. La arquitectura moderna: una história desapasionada. Barcelona: Gustavo Gili, 2005. FER, B. [et al]. Realismo, racionalismo, surrealismo – a arte no entre-guerras. São Paulo: Cosac Naify, 1998. FOSTER, H… [et alii]. Art since 1900. New York: Thames and Hudson, 2004. FRANSCINA, F... [et alii]. Modernidade e modernismo. São Paulo: Cosac Naify, 1998. GAY, P. Modernismo: o fascínio da heresia – de Baudelaire a Beckett e mais um pouco. São Paulo: Companhia das Letras, 2009. GROPIUS, W. Bauhaus: novarquitetura. São Paulo: Perspectiva, 1977. HARRISON, C... [et alii]. Primitivismo, Cubismo, Abstração. São Paulo: Cosac Naify, 1998. KRAUSS, R. Caminhos da escultura moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1998. MACHADO, A. A ilusão especular: introdução à fotografia. São Paulo: Brasiliense, 1984. MARGOLIN, V. The struggle for utopia. Chicago: The University of Chicago Press, 1997. MICHELI, M. As vanguardas artísticas. São Paulo: Martins Fontes, 1991. MONDRIAN, P. Neoplasticismo na pintura e na arquitetura. São Paulo: Cosac Naify, 2008. OZENFANT e LE CORBUSIER. Depois do cubismo. São Paulo: Cosac Naify, 2005. PEVSNER, N. Origens da arquitetura moderna e do design. São Paulo: Martins Fontes, 2001. PEVSNER, N. Os pioneiros do desenho moderno. São Paulo: Martins Fontes, 2002. RICKEY, G. Construtivismo – origens e evolução. São Paulo: Cosac Naify, 2002. RICHTER, H. Dada: arte e antiarte. São Paulo: Martins Fontes, 1993. SANTAELLA, Lucia. Cultura e artes do pós-humano. São Paulo: Paulus, 2003. SCHAPIRO, M. Impressionismo. São Paulo: Cosac Naify, 2002. SCULLY JR., V. Arquitetura moderna: a arquitetura da democracia. São Paulo: Cosac Naify, 2002. SYPHER, W. Do rococó ao cubismo. São Paulo: Perspectiva, 1980. WINGLER, H. La Bauhaus. Barcelona: Gustavo Gili, 1975.
 

Clique para consultar os requisitos para AUH2818

Clique para consultar o oferecimento para AUH2818

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP