Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
 
Tecnologia da Arquitetura
 
Disciplina: AUT0217 - Ergonomia Aplicada ao Planejamento e Projeto do Mobiliário Urbano.
Ergonomics Applied to Urban Furniture Design.

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2011 Desativação:

Objetivos
1. Investigar e aplicar os fatores humanos, físicos e ambientais que influenciam no planejamento, projeto e no uso do mobiliário urbano.
2. Investigar os fatores ergonômicos (humanos e ambientais) que influenciam na organização e no dimensionamento dos espaços dos edifícios e das cidades.
3. proceder juntamente aos alunos, uma abordagem na legislação, nas questões pertinentes ao uso e costumes, a organicidade, à acessibilidade e ao dimensionamento dos espaços, equipamentos e mobiliário, visando aperfeiçoar a organização dos espaços de atividades dos usuários, maximizando seu desempenho, a sua satisfação e principalmente sua segurança, quando do uso dos espaços construídos.
4. Investigar e estudar a importância e a influência da Ergonomia como disciplina de Conforto Ambiental, para a Concepção e Realização de Projetos de Ambientes e Edificações, Interiores, Paisagem, Patrimônio Cultural e para o Planejamento Urbano e Regional, traduzindo as necessidades, as aspirações e as expectativas de conforto e segurança, mobilidade e acessibilidade que, fundamentadas em aspectos Sociais, Econômicos e Antropológicos satisfazem as Exigências Culturais, Econômicas, Técnicas e Ambientais, considerando fatores de Custo, Qualidade, Durabilidade, Manutenção, Especificações e Regulamentos Legais.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3059620 - Antonio Gil da Silva Andrade
1873073 - Roberta Consentino Kronka Mülfarth
 
Programa Resumido
Esta disciplina investiga os fatores ergonômicos que influenciam no processo de planejamento e projeto dos equipamentos e mobiliário da cidade, como também, aplica os procedimentos da análise das tarefas, conceitos de antropometria e fatores culturais e sociais que influenciam no uso do mobiliário urbano.
Apresenta uma nova abordagem às questões pertinentes à acessibilidade e ao dimensionamento dos equipamentos e mobiliário da cidade, e visa otimizar a capacidade do usuário, para maximizar a sua satisfação, segurança e eficácia quando do uso da cidade, abordando também aspectos relacionados à Arquitetura Universal.
Estudo da importância, dos significados e dos recursos da ergonomia para concepção, a organização e o dimensionamento do ambiente construído, avaliando a influência dos fatores físicos, ambientais, sócio-culturais e psicológicos sobre o comportamento humano, objetivando condições de conforto e segurança, mobilidade e acessibilidade.
 
 
 
Programa
Programa (Conteúdo):
• Ergonomia Aplicada ao Planejamento e Projeto do Mobiliário Urbano, Conceitos e Histórico.
• Determinação das Necessidades do Usuário do Mobiliário Urbano.
• Determinação da Função do Mobiliário Urbano.
• Fatores Culturais, Sociais e Psicológicos que Influenciam o Planejamento, Projeto e o Uso do Mobiliário Urbano.
• Análise da Tarefa Aplicada ao Projeto e Uso do Mobiliário Urbano.
• Antropometria Aplicada ao Projeto do Mobiliário Urbano
• Dados Ergonômicos de Usuários Especiais – Crianças, Idosos e Deficientes Físicos.
• Ergonômica e o Projeto Universal Aplicado ao Planejamento, Projeto do Mobiliário Urbano.
• Teste de Usabilidade do Mobiliário Urbano
? Comportamento: Conhecimento, Pensamento, Percepção e Sentidos.
? Fatores Ergonômicos: Psicológicos (consciência interna); Sócio-culturais (relações interpessoais); Físicos (biomecânica e antropometria); ambientais (experiência externa).
? Interfaces Recíprocas: Fatores ambientais, formais e físicos, estruturais, morfológicos e espaciais.
? Requisitos Ergonômicos: Cognição e Percepção. Consciência perceptiva da realidade. Percepção espacial. Relações espaciais e temporais. O mundo percebido e o campo fenomenal. Estímulo; Sensação; Reação; Instinto. Identificação, compreensão e interpretação dos espaços e dos ambientes. Referências visuais, auditivas, táteis e olfativas.
? Objetivos Ergonômicos: Conforto e segurança, mobilidade e acessibilidade. Conceitos, Normas e Leis.
Conforto e desconforto; Prazer e Desprazer; Segurança e Risco.
Possibilidades de supressão, prevenção e compensação de risco e desconforto. Usabilidade, efetividade, eficiência e satisfação.
• Posturas e Movimentos: Bases biomecânicas, fisiológicas e antropométricas. Fisiologia mecanicista e motricidade. Mudanças de postura. Movimentos de elevação e deslocação. Atividades sentado e em pé.
 
 
 
Avaliação
     
Método
A avaliação final será atribuída mediante a execução de todos os trabalhos e seminários programados para o curso. Durante o curso será desenvolvido trabalho semestral, abordando o conteúdo programático. A finalidade é desenvolver o domínio do estudante na aplicação dos aspectos ergonômicos no dimensionamento conveniente do planejamento e projetos do mobiliário urbano.
Peso seminário 4
Peso Trabalho final 6
Serão considerados nas avaliações os seguintes itens: conteúdo, clareza, texto, desenhos, participação e desempenho na apresentação e assessoria com o professor.
Critério
Aulas teóricas expositivas. Trabalhos de campo e seminários.
Norma de Recuperação
A disciplina não apresenta recuperação.
 
Bibliografia
     
Bibliografia Básica:

BOUERI, Jorge, Antropometria Aplicada à Arquitetura, Urbanismo e Desenho Industrial - Manual de Estudo Volume I, FAUUSP. São Paulo, 1999.
MEISTER, David, The History of Human Factors and Ergonomics. Mahwah. Lawrence Erlbaum Publisher, 1999.
PANERO, J. & Zelnik, Martin, Dimensionamento Humano para Espaços Interiores, Barcelona, Gustavo Gili, 2001.

Bibliografia Complementar:

BOUERI, Jorge, Critérios de Arranjo Físico para Equipamentos e Ambientes Construídos, Apostila, FAUUSP. São Paulo, 1999.
___________, Espaços de Atividades, Apostila, São Paulo, FAUUSP, 1999.
DIFRIENT ET Ali, Human Scale 1/2/3, the MIT Press: Massachusetts, 1975.
EMURB/CEDEC – Centro de Desenvolvimento de Equipamentos Urbanos Comunitário. EMEI – Programa Arquitetônico. São Paulo, 1991.
GRADJEAN, Etienne, Manual de Ergonomia, Porto Alegre: Bookman, 1998.
KLEIN, Alexander, A Vivenda Mínima: 1906-1957. Barcelona. Gustavo Gili, 1980.
LEMOS, Carlos A C., Cozinha, etc. São Paulo, Ed. Perspectiva, 1978.
MASCARÓ, j., A Construção na Economia Nacional. São Paulo. FAUUSP – UNLP, 1981.
MORAES, Anamaria e Mont’Alvão, C., Ergonomia, conceitos e aplicações, Rio de Janeiro: 2AB, 1998.
NBR 9050/2004, 2ª Edição – Acessibilidade a Edificação, Mobiliário, Espaços e Equipamentos Urbanos. 2004.
NEUFERT, Ernest, A Arte de Projetar em Arquitetura. São Paulo. Gustavo Gili. 1974.
NR 17 – Ergonomia, Portaria/nov. 1990.
OKAMOTO, Jun, Percepção Ambiental e Comportamento,
ROSSO, Teodoro, Racionalização da Construção. São Paulo, FAUUSP, 1980.
 

Clique para consultar os requisitos para AUT0217

Clique para consultar o oferecimento para AUT0217

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP