Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Odontologia de Bauru
 
Fonoaudiologia
 
Disciplina: BAF0273 - Clínica de Disfagia Orofaríngea – Estágio Supervisionado
Oropharyngeal Dysphagia Clinic – Supervised Internship

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 60 h ( Estágio: 30 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2018 Desativação:

Objetivos
Capacitar os estudantes a realizar diagnóstico e tratamento fonoaudiológico na equipe interdisciplinar relacionado aos casos de disfagias orofaríngeas em adultos e idosos.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1040546 - Giédre Berretin
3383070 - Kelly Cristina Alves Silverio
 
Programa Resumido
Diagnóstico e tratamento fonoaudiológico interdisciplinar de quadros de disfagias orofaríngeas em adultos e idosos. Papel do fonoaudiólogo no diagnóstico e tratamento das disfagias orofaríngeas na equipe interdisciplinar.
 
 
 
Programa
- Indicadores do estado nutricional, do estado mental e da qualidade de vida em deglutição. - A interelação entre a Fonoaudiologia, medicina, psicologia, fisioterapia e nutrição no diagnóstico e planejamento terapêutico. - Discussão dos casos de disfagia orofaríngea com profissionais da área da saúde. - Diagnóstico clínico e instrumental das disfonias, disartrofonias e disfagias orofaríngeas em adultos e idosos. - Técnicas de reabilitação fonoaudiológica nas disfonias, disartrofonias e disfagias orofaríngeas. - Tratamento interdisciplinar das disfagias orofaríngeas. - Orientação aos pacientes e/ou cuidadores.
 
 
 
Avaliação
     
Método
- Aulas expositivas dialogadas - Atendimento clínico - Discussão de casos clínicos - Estudo de caso - Observação de atendimento fonoaudiológico em ambiente hospitalar - Seminários - Estudo dirigido - Solução de problemas - Simulação e reflexão
Critério
- Prova escrita - Avaliação da atuação prática - Seminários e relatórios
Norma de Recuperação
A disciplina não oferece recuperação.
 
Bibliografia
     
Bibliografia Básica: CARRARA-De ANGELIS E, FURIA CLB, COSTA M, CASTRO LP (orgs.). Tópicos em Deglutição e Disfagia. Rio de Janeiro, Medsi, 2003. FILHO EDM, GOMES GF, FURKIM AM. Manual de cuidados do paciente com Disfagia. São Paulo, Lovise, 2000. JACOBI JS, LEVY DS, SILVA LMC. Disfagia: avaliação e tratamento. Rio de Janeiro, Revinter, 2003. JOTZ GP, CARRARA-De ANGELIS E, BARROS APB. Tratado da deglutição e disfagia no adulto e na criança. Rio de Janeiro, Revinter, 2009. SILVÉRIO CC, COLA PC, SILVA RG. Ações educativas para pacientes adultos com disfagia orofaríngea. Pulso, 2006. Bibliografia Complementar: AMERICAN GASTROENTEROLOGICAL ASSOCIATION CLINICAL PRACTICE AND PRACTICE ECONOMICS COMMITTEE. AGA technicalreviewon management oforopharyngealdysphagia. Gastroenterology. 1999; 116: 455–478. BEHLAU M, MADAZIO G, FEIJÓ D, PONTES P. Avaliação de voz. In: BEHLAU M. (Org.) Voz: O livro do especialista. Vol 1. Rio de Janeiro: Revinter, 2001, p. 85-245. BEHLAU M, MADAZIO G, AZEVEDO R, BRASIL O, VILANOVA LC. Disfonias neurológicas. In: BEHLAU M. (Org.) Voz: O livro do especialista. Vol 2. Rio de Janeiro: Revinter, 2005, p. 111-185. BEHLAU M, MADAZIO G, FEIJÓ D, AZEVEDO R, GIELOW I, REHDER MI. Aperfeiçoamento vocal e tratamento fonoaudiológico das disfonias. In: BEHLAU M. (Org.) Voz: O livro do especialista. Vol 2. Rio de Janeiro: Revinter, 2005, p. 111-185. CASSOLATO SF, TURNBULL RS. Xerostomia: Clinical aspects and Treatment.Gerodontology. 2003 Dec;20(2):64-77. CRARY MA, MANN GDC, GROHER ME. Initial psychometric assessment of a functional oral intake scale for dysphagia in stroke patients. Arch. Phys. Med. Rehabil. 2005; 86(8): 1516-20. DOUGLAS CR. Fisiologia da deglutição. In: DOUGLAS, CR. Patofisiologia oral: fisiologia normal e patológica aplicada à Odontologia e à Fonoaudiologia. São Paulo, Pancast, 1998. p. 273-285. FURKIM AM, SANTINI CS (orgs.). Disfagias orofaríngeas. Carapicuiba, Pró-Fono, volume 1, 2004. FURKIM AM, SANTINI CS (orgs.). Disfagias orofaríngeas. Carapicuiba, Pró-Fono, volume 2, 2008. LOGEMANN JA. Treatment in dysphagia: Is it evidence based? Illinois Speech-Language-Hearing Association Annual Meeting. Rosemont, IL. Feb 10, 2006. LOURENÇO RA, VERAS RP. Mini-exame do estado mental: características psicométricas em idosos ambulatoriais. Rev Saúde Pública. 2006; 40 (4): 712-9. MARQUEZAN IQ; SILVA HJ; TOMÉ MC. (Org.). Tratado das Especialidades em Fonoaudiologia. 1ed.: Roca, 2014, v. , p. 171-177. MARCHESAN IQ (org). Tratamento da deglutição: a atuação do Fonoaudiólogo em diferentes países. São José dos Campos, Pulso, 2005. MONTONI NP, HORTA IA, BANDEIRA AKC, CARRARA-DE ANGELIS E. Cross-Cultural Adaptationofthe SWAL-QOL andSwal-CareQuestionnariesintoBrazilianPortuguese. AppliedCancerResearch. 2008; 29(3): 129-35. MOURÃO LF, KOWALSKI LP. A atuação da Fonoaudiologia no câncer de cabeça e pescoço. São Paulo, Lovise, 2000. p. 155-62. MURDOCH, B.E. Disartria. Uma abordagem Fisiológica para avaliação e tratamento. São Paulo: Lovise, 2005 PADOVANI AR, MORAES SP, MANGILI LD, ANDRADE CRF. Protocolo fonoaudiológico de avaliação do risco para disfagia. Rev. Soc. Bras. Fonoaudiol. 2007; 12(3): 199-205. REHDER MI, BRANCO A. (Org.). Disfonia e Disfagia: interface, atualização e prática clínica. Rio de Janeiro: Revinter, 2010, p. 1-37. SILVA RG. A eficácia da reabilitação em disfagia orofaríngea. Pró-Fono Revista de Atualização Científica, v. 19, n. 1, jan.-abr. 2007. SOUZA BBA, MARTINS C, CAMPOS DJ, BALSINI ID, MEUER LR. Nutrição & Disfagia: guia para profissionais. NutroClínica, 2003, 60p.
 

Clique para consultar os requisitos para BAF0273

Clique para consultar o oferecimento para BAF0273

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP