Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Odontologia de Bauru
 
Fonoaudiologia
 
Disciplina: BAF0276 - Clínica de Anomalias Craniofaciais - Estágio Supervisionado
Craniofacial Anomalies Clinic – Supervised Internship

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 60 h ( Estágio: 60 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2020 Desativação:

Objetivos
Abordar o processo diagnóstico e tratamento dos distúrbios da comunicação nas anomalias craniofaciais, enfocando distúrbios dos sons da fala na disfunção velofaríngea visando desenvolver habilidades de avaliação, planejamento e intervenção fonoterapêutica em ambiente hospitalar envolvendo abordagem intensiva de fonoterapia. Esta disciplina será oferecida no âmbito do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da USP, contando com a colaboração de profissionais do hospital para academizar atividades clínicas. Atividades de internacionalização que envolvam intercâmbio de alunos de graduação e contemplem atividades enfocando distúrbios da comunicação na fissura labiopalatina oferecidas em universidades conveniadas no exterior serão incorporadas como conteúdo para alunos USP intercambistas.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3189323 - Jeniffer de Cassia Rillo Dutka
51599 - Maria Ines Pegoraro Krook
 
Programa Resumido
Nesta disciplina serão realizadas atividades visando o desenvolvimento de habilidades para diagnóstico e tratamento das alterações de fala e demais distúrbios da comunicação associados à presença de anomalias craniofaciais, incluindo a fissura labiopalatina. Serão abordados também conhecimentos teórico-práticos sobre o tratamento protético da disfunção velofaríngea.
 
 
 
Programa
Nesta disciplina serão desenvolvidas habilidades para: 1. Realizar inspeção oral, levantamento da história do caso e avaliação da produção de fala; 2. Realizar a interpretação de exames perceptivo-auditivos e instrumentais da fala e da função velofaríngea para fala; 3. Realizar o diagnóstico diferencial da disfunção velofaríngea: insuficiência, incompetência e erro de aprendizagem. 4. Participar do processo de definição de conduta terapêutica para tratamento dos distúrbios de fala decorrentes da fissura labiopalatina e da disfunção velofaríngea; 5. Realizar fonoterapia enfocando o tratamento dos distúrbios da fala; 6. Realizar fonoterapia com obturador faríngeo para modificação do padrão de funcionamento velofaríngeo para fala; 7. Participar da indicação, moldagem e instalação de próteses de palato e obturadores faríngeos para o tratamento dos distúrbios da fala relacionados à disfunção velofaríngea; 8. Atuar em equipe interdisciplinar envolvendo, quando possível, o estabelecimento de teleparcerias com fonoaudiólogos da cidade de procedência dos pacientes atendidos no Programa de Fonoterapia Intensiva realizado durante esta disciplina.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Os alunos serão avaliados em relação às habilidades e competências técnicas, éticas e científicas desenvolvidas durante os atendimentos clínicos, aulas práticas e na supervisão dos casos atendidos durante os módulos de fonoterapia intensiva, incluindo realização de atividades oferecidas no moodle e atividades de observação e/ou simulação no HRAC ou outras instituições conveniadas com a USP (nacionais ou internacionais).
Critério
1) O desempenho técnico do aluno será avaliado durante a atuação prática observando-se: a. o preparo e a condução da terapia, b. a documentação do caso (relatórios das avaliações e atendimentos, pontualidade para entrega e adequação da análise de relatórios, exames, filmagens, gravações incluindo interpretações dos exames e detalhamento do plano de tratamento e seus resultados), 2) O desempenho ético do aluno será avaliado durante a atuação prática observando-se: a. a relação terapeuta-paciente-familiares, b. a interação com docentes, supervisores e demais membros da equipe interdisciplinar, 3) O desempenho científico do aluno será avaliado durante a atuação prática observando-se: a. o preparo da apresentação do caso e/ou a fundamentação científica para a abordagem terapêutica aplicada.
Norma de Recuperação
A recuperação será aplicada aos alunos na forma de orientação, e/ou de prova escrita, e/ou prova prática, e/ou de trabalho sobre tópico específico da disciplina, devendo ser estabelecido um acordo registrado em formato de termo de ciência entre os alunos e as professoras responsáveis pela disciplina de forma a registrar a abordagem da recuperação estabelecida para o aluno.
 
Bibliografia
     
Bibliografia Básica: American Cleft Palate-Craniofacial Association. Parameters of evaluation and treatment of patients with cleft lip/palate or other craniofacial anomalies. American Cleft Palate-Craniofacial Association. Revised edition. 2018 Available: https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/1055665617739564. Antony RM, Nagarajan R, Hariharan SV, Balasubramaniyan S. Development and validation of a resource material on principles of speech therapy for individuals with cleft lip and palate: a short video film in Tamil. J Cleft Lip Palate Craniofac Anomal. 2016;3(1):14-22 Bessell A, Sell D, Whiting P, Roulstone S, Albery L, Persson M, et al. Speech and language therapy interventions for children with cleft palate: a systematic review. Cleft Palate Craniofac J. 2013;50(1):1-17. Pegoraro-Krook, MI; Marino, VCC; Dutka, JCR. Avaliação das alterações de fala na fissura labiopalatina e disfunção velofaríngea. In Tratado de Motricidade Orofacial. Organizadores: Hilton Justino da Silva et al., 2019. Editora Pulso. Bibliografia Complementar: Bispo NHM, Whitaker ME, Aferri HC, Neves JDA, Dutka JCR, Pegoraro-Krook MI. Speech therapy for compensatory articulations and velopharyngeal function: a case report. J Appl Oral Sci. 2011;19(6):679-84. Dixon-Wood AL. Correcting retracted articulation errors patterns: recent techniques. Communicative disorders related to cleft lip and palate. 5th ed. Boston, Little & Brown; 2004. p. 683-703. Dutka JCR, Pegoraro-Krook MI. Avaliação e tratamento das disfunções velofaríngea. In: Marchesan IQ, Justino HS, Tomé AC. Tratado das especialidades em fonoaudiologia. 1ed. São Paulo: Guanabara Koogan LTDA; 2014. 363-8. Dutka JCR, Uemeoka E, Aferri HC, Pegoraro-Krook MI, Marino VC. Total obturation of velopharynx for treatment of velopharyngeal hypodynamism: case report. Cleft Palate Craniofac J. 2012;49(4):488-93. Ferreira GZ, Guerra TA, Corrêa IF, Silva PP, Pegoraro-Krook MI, Silva EG, Dutka JCR. Aplicativo móvel “Fala nova, treino Fácil”: inovação no tratamento de fala na fissura labiopalatina. Salusvita. 2018;37(1):35-48.
 

Clique para consultar os requisitos para BAF0276

Clique para consultar o oferecimento para BAF0276

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP